Confira 10 dicas valiosas para realizar um bom acolhimento dos alunos

Como recepcionar bem os estudantes, mantê-los felizes e mantê-los na instituição? Clique aqui e descubra!
Acolhimento dos alunos: estudantes vibram

Ser bem recebido em um espaço é uma necessidade para o ser humano em geral, ainda mais se for em um local de convívio diário e de grande importância na vida das pessoas. Para um estudante, o sentimento não é diferente.

Seja para os que estejam iniciando um curso, ou para aqueles que retornam agora às aulas presenciais, um bom acolhimento dos alunos facilita toda a graduação e a comunicação no espaço da instituição de educação superior (IES). Realizar atividades ricas, que buscam trazer interação dos estudantes com a faculdade, possibilitam um ensino cada vez mais democrático e plural.

Após período que foi tão incerto — a pandemia do coronavírus — readaptar as pessoas para o ambiente estudantil pode ser uma tarefa difícil e deve sempre ser bem feita. Com a doença, além das milhares de vidas perdidas no país, se perdeu também na educação com todas as restrições do isolamento social.

Neste artigo, veremos mais sobre o acolhimento dos alunos, explicando um pouco mais o seu conceito, sua importância e algumas particularidades. 

Também veremos diversas dicas para deixar um acolhimento com ainda mais qualidade e que prestigie a sua IES. Isso é essencial para maximizar sua captação de alunos.

Deste modo, esperamos que aproveite a leitura e suas aplicações!

O que é o acolhimento dos alunos?

Dentro das diversas significações encontradas em um dicionário para o acolhimento, nos deparamos com palavras centrais como recepcionar, hospitalidade, abrigo, proteção, etc. Deste modo, o acolhimento aos alunos pode ser entendido como o conjunto de ações realizadas pela IES para receber os estudantes e fazer com que se sintam bem em seus espaços.

Em outras palavras, no acolhimento estão as práticas que fazem com que o aluno se sinta “em casa” no lugar que escolhem cursar sua graduação. 

Apesar de ser um conceito mais trabalhado na educação infantil, o acolhimento deve ser realizado em todas as esferas e fases da educação.

Com um bom acolhimento, é criada uma relação mais próxima entre estudante e instituição, e isso é totalmente benéfico para maximizar o ensino e expandir as possibilidades para uma formação educacional e profissional. 

O primeiro momento para a IES iniciar essa relação é a recepção de alunos. Nesse momento, já podemos encantar os calouros e apresentar as qualidades, metodologias, espaços e pessoas que compõem o ambiente estudantil.

Entretanto, é bom ter em mente que o acolhimento não deve terminar só com uma primeira apresentação aos estudantes na recepção, ele deve ser trabalhado durante todo o semestre letivo. Afinal, uma boa relação deve ser construída com base em confiança e em efetivos exemplos de cuidado entre as partes, não devendo ser restringida a apenas uma primeira impressão.

Leia também: 10 dicas para aumentar a motivação para alunos no ensino superior

Qual a importância do acolhimento dos alunos?

Como já visto, um acolhimento dos alunos bem feito pavimenta uma boa relação entre os estudantes e a IES. Com a realização de algumas atividades, diversos ganhos são tirados para ambas as partes.

Deste modo, trazemos agora 5 vantagens de investir em um acolhimento dos alunos de qualidade:

1. Apresentar a IES

Neste primeiro ponto, a recepção de calouros terá uma grande importância, uma vez que traz um primeiro contato dos estudantes com o campus.

É interessante que o aluno já saia neste momento conhecendo a IES, sua infraestrutura educacional e comunidade acadêmica. Neste sentido, é interessante que os alunos conheçam a parte física da instituição, assim como seu corpo docente, funcionários, colegas, etc.

É importante focar em atividades que consigam apresentar o funcionamento da IES e que ao mesmo tempo cative os alunos. Aqui, além de mostrar a qualidade que o estudante encontrará durante todo seu curso, deve ser destacado, também, que ele é parte importante e central nesse processo.

2. Criar uma relação de pertencimento dos alunos

Como visto, o aluno precisa entender que ele também é parte fundamental de uma IES, e quanto mais ele se sentir pertencente a este espaço, melhor será o desempenho e os resultados obtidos. O sucesso de uma instituição passa sempre pela qualidade de seu corpo discente.

Esse sentimento de pertencimento é fundamental para manter as pessoas motivadas, e num ambiente estudantil isso não é diferente. Deste modo, é importante estar sempre lembrando qual a importância dos alunos ali, trazendo novas atividades que incentivem os debates, a escuta e a solução dos problemas apresentados.

3. Conhecer o corpo discente

Em um acolhimento, criar espaços de diálogo com os estudantes é fundamental, ainda mais depois de um período tão difícil e solitário para as pessoas. Sendo assim, ao incentivar que os alunos falem, a IES poderá conhecer melhor seu corpo discente, valorizando suas qualidades e necessidades.

Neste momento, surge uma ótima oportunidade, que é a de conhecer o perfil dos estudantes como um grupo e também as individualidades de cada um, que são extremamente importantes para um ensino de qualidade. Uma IES que conhece seus alunos consegue potencializar seus resultados, incentivando o desenvolvimento de suas habilidades e a solução de seus pontos fracos.

Nesse sentido, uma dica importante para além desse momento de acolhimento dos alunos é investir na personalização do ensino.

4. Simplificar a comunicação institucional

Ao conhecer o espaço em que estuda — e se sentir parte dele — o estudante terá uma maior facilidade para resolver seus problemas. Da mesma forma, a IES que conhece os seus alunos cria canais mais simplificados de comunicação interna.

É interessante que o estudante conheça os setores importantes, professores, metodologias, funcionários, telefones e horários de atendimento para que este contato seja sempre facilitado.

Um bom acolhimento facilita sempre a existência de uma comunicação eficiente e direta, e é muito beneficiado pelo atendimento de qualidade.

5. Humanizar o espaço de aprendizado

Apesar de ser a última vantagem, a humanização do ensino é um dos principais motivos para se realizar um acolhimento de qualidade. O ensino, hoje em dia, tende a ser cada vez mais democrático, participativo e emancipatório, desta forma, não é possível manter uma IES de qualidade em que o respeito e a cooperação não estejam presentes.

Neste sentido, ao se pensar em um acolhimento dos alunos, devemos sempre levar em consideração o respeito à diversidade, às individualidades, às necessidades, aos limites e objetivos de cada um. Trazer um tratamento personalizado e humanizado para cada um é uma ferramenta para garantir a satisfação de todos.

Leia também: Importância e dados sobre a democratização do ensino superior no Brasil

Como deve ser um acolhimento num contexto pós-pandemia?

Pensando em acolhimento estudantil, uma nova realidade e desafio surgiu agora: a pandemia do coronavírus. Ainda que não tenha realmente terminado, após mais de dois anos em que a pandemia de covid-19 foi decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o cotidiano das pessoas tem voltado, de alguma forma, ao normal.

A doença atingiu toda a população, sendo o isolamento social necessário para restringir a transmissão do vírus em grupos numerosos. Por este motivo, as aulas presenciais se tornaram inviáveis, trazendo um enorme desafio para toda a educação (ensino fundamental, médio e superior), que viu no ensino remoto a possibilidade de não deixar os alunos com um atraso de dois anos.

Agora, no retorno presencial, a IES precisa focar em um acolhimento com ainda mais qualidade. A integração entre alunos com seus colegas, professores e a própria instituição se tornou mais necessária para que esse convívio em sociedade volte a ser uma realidade para todos.

Com as mudanças didáticas utilizadas no ensino remoto, um apoio psicológico e pedagógico forte no acolhimento se tornou imprescindível. 

Será necessário compreender se o ensino remoto conseguiu de fato cumprir os objetivos educacionais para os quais foi proposto e, no caso de não ter sido, novas estratégias deverão ser postas em prática agora. A avaliação diagnóstica e intervenção pedagógica são estratégias que podem ser utilizadas nesse contexto.

Neste sentido, as IES devem criar um espaço seguro para que os estudantes possam se comunicar e expor de fato suas vivências no período mais rigoroso da pandemia. É preciso fortalecer um convívio saudável entre todos, resolver possíveis lacunas educacionais e respeitar e ouvir as dores de cada um — em outras palavras, precisamos nos atentar à saúde mental do estudante.

Afinal, além do distanciamento, a pandemia também nos deixou milhares de mortes e aprofundou uma crise econômica e o desemprego no país.

De forma geral, fazer um acolhimento que cative os alunos, e que realmente ofereça um espaço para o diálogo e para um pertencimento coletivo chegou ao ápice de sua necessidade. Cabe à IES compreender e aplicar atividades que foquem tanto nas capacidades cognitivas quanto nas socioemocionais dos estudantes.

Leia também: Educação pós-pandemia: cenário e como superar os desafios na IES

Porque acolher os estudantes no ensino presencial e no ensino a distância?

À medida que a educação vai evoluindo, diversas formas de aprender vão surgindo, se aprimorando e ganhando espaço entre os estudantes. De acordo com o Censo da Educação Superior, de 2019, naquele ano 2.450.264 alunos se matricularam em uma graduação na educação a distância (EaD).

Apesar de pensarmos, inicialmente, em diversas formas de acolhimento aos alunos que sejam aplicáveis para o ensino presencial, o ensino superior a distância não pode ficar fora dessa prática. 

A maioria das estratégias utilizadas para acolher os alunos de forma presencial também podem ser feitas na EaD, observando suas diferenças práticas e aproveitando suas vantagens. É importante conhecer as ferramentas disponíveis na plataforma de ensino e contar com a flexibilidade e liberdade da modalidade, mesclando ferramentas síncronas e assíncronas que melhor atendam os estudantes em cada caso.

Ainda seguindo a pluralidade de modalidades na educação, não se pode esquecer do ensino híbrido, que mescla o formato dos dois anteriores. É importante oferecer acolhimento tanto de forma presencial, quanto online, uma vez que os alunos devem se adaptar com esses dois “espaços”. 

Por fim, uma integração campus/aluno EaD e plataforma de ensino/aluno presencial também é relevante, tendo em vista que a IES pode aproveitar os recursos disponíveis em cada modalidade para aprimorar a construção do conhecimento, além de dar uma ideia mais completa de toda a comunidade acadêmica.

Ebook fidelização de alunos: clique aqui para baixar!

Por que e como investir em um acolhimento que valorize a diversidade?

Com o avanço da sociedade, vários temas e pessoas têm finalmente se inserido nas discussões sociais e políticas. Atualmente, as universidades se tornaram espaços bem mais plurais, com a chegada de diversas “minorias” sociais.

Em um espaço mais diverso, a realidade dos alunos passa a ser outra e se atentar para acolhê-los de acordo com suas necessidades se tornou uma nova tarefa. Deste modo, separamos agora alguns grupos que possuem relevantes demandas e merecem atenção especial das IES.

  • Mulheres

Apesar de as mulheres formarem 57% do corpo estudantil e 51,8% da população do país, o machismo estrutural ainda as mantém em status de minoria política. Atualmente, as mulheres vêm ganhando espaço nas universidades; mesmo tendo tido esse acesso bem depois dos homens, elas já compõem a maioria dos que se graduam.

Mesmo com alguns números indicando avanços, as mulheres ainda seguem em desvantagem no mercado de trabalho. De acordo com o IBGE, elas recebem 77,7% do salário dos homens e ainda precisam lidar com uma jornada dupla — que inclui os serviços domésticos.

Deste modo, um acolhimento para as estudantes deve contar com diferentes espaços, que compreendam e auxiliem em seus futuros. 

Além de debater a realidade da mulher, a IES deve disponibilizar ferramentas para diminuir as diferenças estruturais. Também é importante um serviço de combate ao assédio, que ofereça apoio às vítimas e soluções que realmente ataquem o problema de frente.

Leia também: Lute como uma professora: conheça a atuação de mulheres na educação e saiba como aumentar essa participação

  • Estudantes de baixa renda

Ainda que o ensino superior tenha se popularizado, o valor de um curso ainda é muito alto para muitos brasileiros. Com a chegada de uma nova classe social nas aulas, é importante se adaptar também para suas necessidades.

Criar bolsas de estudo para bons resultados é uma ótima iniciativa de acolhimento. Além de permitir a viabilidade financeira do curso, também incentiva os estudos do aluno. Também é importante analisar as cobranças em cima dos estudantes, levando em consideração que muitos trabalham durante todo o dia para custear as aulas no período noturno.

Leia também: 5 passos para montar um programa de financiamento estudantil

  • Negros

O número de negros nas IES tem crescido, mas ainda está abaixo de sua porcentagem populacional, sendo 38,15% dos matriculados para 56% dos brasileiros. Esta desigualdade, ainda que venha diminuindo, também é um reflexo da sociedade.

É interessante que a instituição conte com espaços de acolhimento para os estudantes negros, que debata o racismo dentro e fora de seus muros, as diferenças saláriais e trabalhistas encontradas pelos profissionais e também sua história

Também é fundamental que, assim como os debates sobre os outros grupos, estes alcancem a todos, para criar um espaço de verdadeiro respeito à diversidade e inclusão.

Leia também: Entenda o que é e como construir uma educação antirracista

  • LGBTQs

Também devem possuir atividades próprias de acolhimento, principalmente aquelas que combatam o preconceito. É importante, além de outras medidas, dar uma atenção maior para a saúde mental dos LGBTs, que por sofrerem diversas agressões acabam se tornando um percentual maior para a evasão de alunos

  • Pessoas com deficiência (PcD)

Por fim, as pessoas com deficiência também devem ter um acolhimento diferenciado. Inicialmente, é imprescindível criar um ambiente acessível para suas necessidades, sejam elas de locomoção ou não. É necessário pensar em estratégias que garantam a inclusão das PcDs na IES, porém que não sejam invasivas e nem retirem sua liberdade e autonomia.

Leia também: Como promover a inclusão de estudantes com deficiência no ensino superior?

10 dicas para acolher os alunos

Agora que já conhecemos melhor sobre o acolhimento dos alunos, suas vantagens e o porquê de realizá-lo em diferentes modalidades e no momento atual, iremos passar para algumas formas de fazê-lo. Desta forma, traremos agora 10 dicas para aperfeiçoar o acolhimento dos alunos:

1. Acolher os professores e funcionários

Como já visto, o principal resultado do acolhimento é a criação de uma relação de pertencimento e respeito entre os alunos e a IES. Sendo assim, antes de pensarmos na inclusão do corpo discente no ambiente estudantil, é necessário fazer com que os próprios funcionários se sintam parte daquela comunidade.

São os trabalhadores motivados que realizarão as principais atividades de acolhimento dos estudantes. Ou seja, o primeiro passo para fortalecer as relações de uma IES é cativar os professores e demais funcionários. 

Criar espaços de diálogo e diversas atividades lúdicas para os colaboradores traz motivação, fortalecimento da comunidade acadêmica e maior preparo para receber os alunos.

2. Preparar os colaboradores para receber os alunos

Motivar os funcionários é um começo, e não um fim em si mesmo. Além de fazer com que estes trabalhadores realmente se sintam parte da IES, é preciso treiná-los para acolher os estudantes com qualidade.

Oferecer treinamento para que os colaboradores recebam os alunos de forma adequada é fundamental, pois, além de boa vontade, é preciso ter, também, conhecimento do que é e como deve ser feito um acolhimento que motive e respeite os estudantes. 

3. Apresentar a estrutura da IES

Uma das primeiras e principais atividades para acolher os alunos é preparar um tour pelo campus. Conhecer o espaço que será tão fundamental e rotineiro em sua vida é central para uma boa integração.

Nesta apresentação, além de mostrar as salas de aula e departamentos da IES, o estudante já pode estar tendo contato com outros calouros, veteranos, professores, funcionários, etc. A estrutura digital também deve ser conhecida, sendo importante preparar tutoriais para que os estudantes conheçam a plataforma digital de aprendizagem da IES.

4. Criar espaços de diálogo

A conversa é a chave para uma relação de sucesso. É importante que a IES possibilite espaços em que os alunos possam expressar suas expectativas, preocupações e que também contem mais sobre si mesmos.

Neste momento de volta às aulas presenciais, devido à pandemia de covid-19, o diálogo se tornou ainda mais importante. Os estudantes precisam de novos espaços em que reforcem a convivência com o outro e que expressem suas vivências.

Para isso, é importante respeitar o tempo de cada um e não forçar que as pessoas falem, e sim que se sintam à vontade para isso.

5. Promover a integração discente

É interessante criar espaços em que os estudantes convivam com seus pares, inclusive de outros cursos. Essa integração facilita o sentimento de pertencimento que cada um deve ter, além de dar uma melhor ideia da totalidade do corpo discente.

Rodas de debate, palestras, dinâmicas de apresentação são bons exemplos de atividades que integram e acolhem os alunos. Também é interessante, durante o semestre, trazer atividades culturais e esportivas para os estudantes.

6. Oferecer apoio psicológico

Além de trazer atividades que integrem os estudantes, é necessário focar também em suas demandas individuais. O apoio psicológico já era uma prática comum antes e, agora, deve ser ainda mais trabalhado neste contexto pós-pandemia.

Com isso, a IES consegue conhecer e ajudar o estudante em aspectos sociais, emocionais e cognitivos, possibilitando a melhora do desempenho acadêmico. É também uma ótima forma de atacar um dos grandes inimigos da educação superior: a evasão estudantil.

7. Disponibilizar materiais complementares

Além dos aspectos sociais e psicológicos, fortalecer a aprendizagem também é uma boa forma de acolher o estudante. 

Após um período de aula remota, seja na graduação ou no ensino médio, o aluno pode precisar de outros materiais e didáticas para melhor acompanhar as aulas. Produzir e investir em conteúdos digitais é uma ótima opção.

Os materiais complementares maximizam o ensino, trazem novos conhecimentos e ajudam a readaptar o aluno para o ensino presencial. Investir em metodologias ativas no ensino superior também pode ajudar neste sentido.

8. Preparar apoio pedagógico

Dificuldades na aprendizagem são naturais e, nesse momento, serão ainda mais perceptíveis. O importante é que a IES conheça os déficits dos alunos e se prepare para solucioná-los.

Nos espaços universitários, é importante investir nas monitorias, que, além de reforçar o ensino das disciplinas mais difíceis, trazem uma nova prática para os estudantes que as lecionam. 

9. Flexibilizar as cobranças iniciais

Desenvolver o máximo da capacidade dos estudantes é importante, mas respeitar seus limites também é fundamental. Em um primeiro momento, é interessante não cobrar demais dos alunos, para que eles possam ir se adaptando à sua nova realidade de estudos e não desanimem com os primeiros desafios.

É importante, mais uma vez, lembrar que os estudantes estão vindo de um período de ensino remoto, em que os prazos e cobranças eram diferentes. 

Também é válido ressaltar que muitos acabaram de sair do ensino médio, e que o novo nível de responsabilidade será totalmente desafiador.

10. Personalizar o acolhimento e o ensino

A personalização é uma das maiores tendências atuais da educação. Compreender que as pessoas são diferentes e possuem necessidades diferentes ajuda a construir uma instituição mais democrática e plural.

Com um ensino personalizado, os estudantes podem melhor se desenvolver, aprimorando suas qualidades e minimizando suas dificuldades. O acolhimento também deve ser personalizado, uma vez que a forma de se sentir integrado em um espaço diverge bastante de uma pessoa para outra.

Esperamos que você tenha gostado e que aplique nosso conteúdo sobre o acolhimento dos alunos. Quer conhecer mais sobre o assunto? Te convidamos a conhecer nosso artigo que traz 6 dicas de melhoria da experiência do aluno!

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!