Saiba como fazer uma avaliação docente e qual sua importância

Quer saber mais sobre a avaliação docente, sua importância e modos de conduzi-la em sua instituição de educação superior? Continue a leitura!
avaliação docente: dois professores sorrindo

As avaliações fazem parte do dia a dia dos estudantes e professores. É através delas que ambos conseguem compreender quais são os pontos fortes e aqueles que carecem de atenção, em relação às habilidades que precisam ser desenvolvidas durante a formação.

As avaliações, quando bem conduzidas, deixam de ser um momento de constrangimento, em que o aluno deve provar que decorou determinado conteúdo, para tornar-se um convite ao aprimoramento de tudo aquilo que é crucial para uma boa atuação profissional. 

Isso também se aplica aos professores! Os educadores também podem, e devem, estar em constante aprimoramento de sua prática docente. Isso só é possível através do pleno conhecimento sobre suas dificuldades e pontos de melhoria. As avaliações, neste caso, também podem ser benéficas!

Assim como na avaliação discente, em uma prática pedagógica bem conduzida, a ideia da avaliação docente não é promover uma ideia de perfeição, mas de autoconhecimento, acolhimento e direcionamento das dificuldades. Dessa forma saímos do discurso para a ação. 

Quer saber mais sobre a avaliação docente, sua importância e modos de conduzi-la em sua instituição de educação superior (IES)? Separamos dicas de como simplificar esse processo e colher todos os benefícios atrelados a ele. Continue essa leitura e descubra!

O que é a avaliação docente?

O que você diria se alguém chegasse em sua IES oferecendo uma solução capaz de melhorar a qualidade do ensino ofertado e o nível de aprendizado dos estudantes? Parece tentador e até mesmo uma promessa difícil de ser cumprida, não é mesmo? 

Na verdade, pequenas ações somam para a construção de grandes soluções nas instituições de educação superior. Uma delas é a aplicação de avaliações de modo a colaborar para o processo de melhoria contínua das organizações. Isso só é possível com a compreensão dos objetivos por trás dos diagnósticos. 

Os alunos são avaliados com frequência, afinal de contas, é preciso garantir que a formação fornecida está de acordo com todos os padrões de qualidade. Mas em muitas instituições o papel do professor só é notado quando há um grande problema de aprendizado, que envolve vários alunos. 

Sem diagnóstico não há ferramenta adequada e, consequentemente, não há solução. Por isso, a avaliação docente se insere no plano de diagnóstico da instituição, para melhor compreensão sobre as dificuldades e potencial de crescimento. 

De forma simples, com métodos que iremos destrinchar mais à frente, é possível aplicar mecanismos avaliativos para promover uma análise dos docentes. Assim, é possível alinhar as expectativas e tentar direcionar, cada vez mais, os perfis desses profissionais às necessidades da IES. 

Metodologias ativas no ensino superior: clique para baixar!

Qual a importância da avaliação docente?

Para entender a importância da avaliação docente é preciso compreender um pouco do contexto em que ela se insere. Os professores eram, no início de sua atuação no país, parte de um grupo altamente respeitado. Não que hoje não o sejam, mas à época era algo quase aristocrático

Quando falamos do ensino superior, essa é uma percepção ainda mais presente. O setor foi forjado em uma sociedade de pessoas pouco escolarizadas, tornando os professores universitários a nata intelectual do país, verdadeiros doutores por reconhecimento, independente da área de atuação. 

Com isso criou-se, em desdobramento, uma cultura de não questionamento, que é verificada nas salas de aula e até mesmo entre colegas docentes. Não precisamos nem reiterar o quanto isso é problemático. As IES precisam criar quebras, que permitam aos professores acolherem e darem tratativas às suas dificuldades. 

Isso implica em lideranças e coordenações mais leves, aulas melhores e uma vida profissional mais tranquila para os próprios professores. É preciso mostrar aos docentes que vivemos um outro momento em relação ao ensino e que essa abertura é essencial para os bons resultados da IES.

Elencamos alguns dos benefícios envolvidos na prática de aplicação das avaliações docentes. Confira:

1. Compartilhamento da responsabilidade

Sem dúvidas, as avaliações auxiliam na compreensão da própria responsabilidade sobre o processo de ensino-aprendizagem, mas a iniciativa da coordenação da IES demonstra para os professores que eles não estão sozinhos e que é esperado que eles tenham falhas, desde que estejam dispostos a buscar soluções.

E a resolução dos problemas também não precisa ser um caminho solitário. Com a avaliação, e com os seus desdobramentos, é possível ressignificar a cultura de atribuir culpa aos culpados para alcançar um momento de compartilhamento das dores, em que todos os envolvidos se entendem, na busca coletiva por uma atuação mais adequada. 

2. Melhoria do desempenho dos docentes

Uma melhoria que se dá em consequência da aplicação e tratamento dos dados de avaliações docentes é o crescimento do padrão de desempenho. Na correria do dia a dia e na automatização do ato de dar aulas, muitas vezes os profissionais não têm tempo ou disposição para avaliar sua atuação. 

Criar esse momento é um convite a olhar para si e identificar questões que podem estar há anos, ou até mesmo décadas, barrando um desempenho mais potente em sala de aula. 

É muito comum que a avaliação promova uma revisão das crenças sobre o melhor modo de ensinar, pois promove um olhar sistêmico, e não focado apenas em uma turma ou fato isolado.

3. Adequação aos acordos traçados com a IES

Quando a IES contrata um professor é apresentado a ele o projeto pedagógico e estratégico da instituição. Com isso, o docente fica ciente do que deve ser feito e qual o objetivo a ser alcançado. 

A avaliação docente é uma forma de reforçar esses combinados, mostrando que todos os profissionais envolvidos na instituição são responsáveis pelos seus resultados. 

Em casos mais graves, ela também pode auxiliar em correções de desvios de cultura, com a prática de repensar os modos de agir com outros colaboradores e com os próprios alunos. 

4. Abertura para aplicação de novas práticas

Quem se abre para pensar também acaba se tornando mais suscetível a agir. Esse é mais um dos benefícios da aplicação de avaliações docentes em sua instituição de ensino superior. Isso porque a avaliação não termina com o processo de responder a questionários, ou qualquer outro método utilizado. 

O “ouro” dessa prática está no feedback e nas análises que podem ser apresentadas aos professores de forma mista, individual e coletiva. Isso faz com que seja criada uma abertura para que as soluções sejam implementadas. 

Esse também é o momento ideal para inserir uma palestra ou case sobre uma metodologia que gostaria de aplicar na IES. Que tal?

Leia também: Entenda a importância da formação continuada de professores

5. Criação de soluções inteligentes

O professor não deve estar inserido no contexto de avaliação docente apenas como um sujeito a ser avaliado. Ele é um ator essencial para a criação de soluções inteligentes, não só sobre o que identificou em si, mas sobre todo o processo de ensino-aprendizagem da IES. 

Isso deve ser incentivado pelas lideranças, como reitores e coordenadores, de modo que a troca de percepções sobre o ensino seja algo atrelado à própria prática do docente. Com os olhos voltados para solucionar possíveis problemas, cada dia se torna uma possibilidade de contribuir para um processo de melhoria contínua da IES.

6. Busca por uma aprendizagem significativa

Refletir sobre a prática docente vai muito além do conteúdo. A performance do professor na IES tem relação com o modo que ele se relaciona com os seus alunos, como interage com seus contextos, histórias e experiências. 

Ouvir o professor é uma forma de ensiná-lo a importância de ouvir seus alunos. Esse é o momento para buscar dados dos discentes para contextualizar o cenário em que essa avaliação é feita e como as soluções têm que ser pensadas para que sejam adequadas às circunstâncias. 

Como fazer a avaliação dos docentes?

Não existe receita de bolo para a avaliação dos docentes. Mas o ideal é que seja feito por canais diversos. Quanto mais dados são recolhidos, maior a confiabilidade do levantamento. Diferente do que muitos pensam, avaliações não precisam ser feitas apenas por questionários. É possível promover autoavaliações, dinâmicas de grupo, grupos focais, etc. 

Para te auxiliar na construção de suas avaliações docentes, separamos dois métodos que podem ser aplicado, o primeiro, que conta com a participação dos estudantes que tiveram aulas com o professor em questão, e o segundo, que pode ser feito pelos pares, ou seja, outros professores, com a participação de coordenadores e/ou chefes de departamento. Confira:

Método 1: Avaliação feita pelos discentes

A avaliação feita pelos alunos é uma forma de compreender melhor sobre a dinâmica de funcionamento de determinada disciplina ou atuação de um professor. O formato de questionário, neste caso, é o ideal, pela escala necessária para a aplicação.

Entre as questões abordadas, é preciso validar a adequação ao plano de ensino, ou seja, se o aluno sente que aprendeu de forma significativa e adequada ao longo de sua jornada naquela disciplina. Além disso, podem ser abordadas questões sobre o perfil profissional do professor e sua atuação em sala de aula. 

Pontualidade, adequação ao tema, relacionamento com os alunos, forma de conduzir atividades e avaliações podem ser pontos cruciais para entender como é o professor em sala de aula. Para que os resultados sejam fiéis ao que ocorre nas disciplinas, é preciso garantir o anonimato do aluno e tratar esses dados em blocos, com análises mais gerais. 

No caso de abertura para comentários, críticas e sugestões, é importante que o professor tenha acesso individual ao material ou, no máximo, com permissão de acesso ao coordenador. Isso é necessário para que a avaliação não se torne vexatória para quem é avaliado. 

Leia também: Entenda quais são os desafios e a importância do papel do professor na atualidade

Método 2: Avaliação conduzida pelos pares e lideranças

Outro método que pode ser combinado à avaliação dos discentes sobre o perfil docente é a avaliação realizada pelos pares, ou seja, outros professores, e/ou pelas lideranças, que no contexto acadêmico podem ser coordenadores e/ou chefes de departamento e colegiado. 

O principal diferencial aqui é a possibilidade de uma avaliação mais personalizada, voltada para aquela área ou disciplina. Com os pares envolvidos, é possível discutir gargalos e potenciais a nível técnico

As lideranças poderão envolver os docentes em atividades como grupos focais, autoavaliações, dinâmicas individuais e/ou de grupo, para que seja possível extrair todos os dados necessários em uma avaliação docente.

Quais são as exigências do MEC em relação à avaliação docente?

De forma direta, não há nenhuma obrigatoriedade, instituída pelo MEC, que imponha às instituições de ensino superior o estabelecimento de processos de avaliação de professores. Apesar disso, há vários outros critérios de qualidade que esbarram no desempenho dos professores. 

Um exemplo disso é a manutenção dos cursos a partir da nota do Enade. É preciso ter um bom ensino, além de um bom processo de preparação para o teste, de forma que todos os cursos disponibilizados pelas IES  se tornem viáveis.

Umas das obrigatoriedades que pode ter impacto na qualidade do ensino superior é a qualificação dos docentes. O Ministério da Educação exige que o perfil do corpo docente seja avaliado pelas Comissões Externas de Avaliação de Cursos.

Essa avaliação consiste na indicação de requisitos de titulação, experiência no magistério superior e experiência profissional não acadêmica, bem como os critérios de seleção e contração, a existência de plano de carreira, o regime de trabalho e os procedimentos para substituição eventual dos professores do quadro.

Outras avaliações também se concentram na organização didático-pedagógica, ou seja, na adequação da IES às Diretrizes Curriculares Nacionais do ensino superior. 

O que fazer com os resultados da avaliação docente?

A avaliação docente auxilia a coordenação e os colegiados a adequar o comportamento em sala de aula, do ponto de vista do que é ensinado e de como as relações se desenvolvem. Isso cria um ambiente mais equilibrado entre alunos, professores e os demais membros da comunidade acadêmica.

Com os resultados desse diagnóstico é possível melhorar o padrão de aprendizado dos alunos, promovendo novas metodologias e modos de atuar em sala de aula. É interessante que um mediador conduza o feedback para o professor, criando uma atmosfera de resolução das questões que podem passar por um processo de melhoria. 

Além disso, é importante traçar um planejamento de ação a partir das informações coletadas. Com isso, é possível acompanhar tudo que já recebeu tratativas, qual foi o impacto das mudanças, e o que é esperado daí em diante. 

Também é interessante criar um ambiente de trocas para que professores possam compreender como podem se auxiliar nessa jornada de melhorias e quais as dificuldades comuns encontradas. Ainda, é um excelente momento para repensar rumos da carreira e reter talentos que já compõem o seu corpo docente.

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a entender melhor como funciona a avaliação docente e por que ela é tão importante. Quer saber mais sobre como melhorar a interação docente/ discente na sua IES? Não deixe de conferir 12 dicas de melhoria da experiência do aluno!

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!