Catalogação de livros: fotografia de uma mulher organizando os livros nas estantes de uma biblioteca.

8 dicas para fazer uma boa catalogação de livros

A biblioteca tem um importante papel na história, sendo o local onde grande parte do conhecimento produzido por determinada civilização ou grupo de pessoas era armazenado. Atualmente, as bibliotecas, principalmente as universitárias, são as responsáveis por garantir a difusão do conhecimento e o incentivo à leitura. 

Neil Gaiman, autor inglês, afirmou sobre a função das bibliotecas: “O tema das bibliotecas é liberdade. Liberdade de ler, liberdade de ideias, liberdade de comunicação. Seu tema também é a educação (que não é um processo que termina no dia que deixamos a escola ou a faculdade), o entretenimento, sobre criar espaços seguros e acesso à informação”.

Assim, para garantir que a biblioteca cumpra seu papel na formação dos alunos da instituição de educação superior(IES) é importante contar com uma boa gestão do acervo disponível

Nesse sentido, a catalogação de livros se refere à organização do conhecimento que, instrumentalizada por padrões, formatos e normas, favorece o acesso ao acervo pelos usuários da biblioteca. Desse modo, uma boa gerência é capaz de facilitar o empréstimo, a devolução e a manutenção da biblioteca.  

Pensando nisso, elencamos 8 dicas sobre como os bibliotecários podem realizar uma boa catalogação de livros, tornando a biblioteca, física ou digital, mais funcional. Confira a seguir!

1. Determine as funções da biblioteca

O primeiro passo para realizar uma catalogação do acervo é definir quais serão as funções da biblioteca para a IES. As funções podem ser divididas da seguinte maneira:   

Função cultural 

A função cultural é responsável por promover a interdisciplinaridade, mesclando os diversos temas presentes no acervo. Para bibliotecas físicas, atividades culturais, exposições, saraus e feiras, por exemplo, cumprem essa função.

No caso de bibliotecas digitais, é possível planejar atividades para o ambiente virtual, como easter eggs que levam a curiosidades acerca de autores e obras. Além disso, a tecnologia permite a utilização de conteúdos multimídias, como vídeos, imagens e áudios em diferentes plataformas, o que pode aumentar o interesse dos estudantes.

Função educativa 

Nesta função, deve-se trabalhar como incentivar a leitura e a pesquisa. Ainda, o desenvolvimento da criatividade e a busca por informações.

Função técnica

O foco da função técnica é organizar documentos e informações. Além disso, a função inclui orientar e disponibilizar fonte de dados para os usuários e executar tarefas de manutenção de arquivos e preservação do acervo. A própria gestão da biblioteca também é compreendida por essa função. 

2. Defina o método de catalogação 

Existem inúmeros métodos de catalogação para o acervo de uma biblioteca. Entre os mais utilizados está a Classificação Decimal de Dewey (CDD), sendo considerada um método técnico e eficiente. 

Esse tipo de organização é baseado em um sistema decimal em que cada livro é classificado segundo um número inteiro e números centesimais. 

3. Faça adaptações 

A depender do tamanho e da variedade do acervo da biblioteca, é possível que o CDD não seja a melhor escolha. Assim, é importante considerar as particularidades de cada acervo para definir a catalogação ideal.

Em acervos menores, a divisão por outros critérios pode ser adotada visando a praticidade do processo de catalogação.

Ainda, o bibliotecário pode optar por utilizar um método de catalogação personalizado, adaptado para as necessidades do corpo estudantil e da comunidade acadêmica. Para tanto, é necessário realizar uma pesquisa prévia sobre o número de obras e o espaço, físico ou virtual, disponível para a alocação. Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

4. Elabore uma base de dados 

A base de dados é a listagem responsável pelo controle e classificação do acervo de livros. Assim, é importante que o bibliotecário elabore um catálogo, físico ou digital, para elencar as obras que compõem a biblioteca, a localização de cada uma baseada no método de catalogação escolhido e informações acerca do empréstimo. 

Desse modo, é possível garantir que a busca por itens do acervo se dê de forma rápida e eficiente. Além disso, no caso de bibliotecas físicas, é a partir da base de dados que informações acerca da disponibilidade de cada obra são encontradas. 

5. Ordene os livros 

Após definir os critérios para a catalogação, nas bibliotecas físicas, o bibliotecário deve organizar os livros no espaço disponível. Para isso, é importante considerar os seguintes pontos: 

  • Etiquetar os livros com cores ou números
  • Reservar prateleiras para cada categoria
  • Identificar as prateleiras 
  • Posicionar o acervo

Leia também: Como organizar a biblioteca digital?

6. Crie uma política de empréstimo

O passo seguinte é criar uma política que defina o empréstimo dos livros. Para as bibliotecas físicas esse é um passo essencial, pois as regras serão responsáveis por garantir que todos os usuários tenham acesso às obras. 

Assim, é possível definir critérios como: 

  • Tempo de empréstimo
  • Número de renovações
  • Política de reserva 
  • Limite de exemplares emprestados
  • Penalidades para o descumprimento (multas, etc.) 

7. Preze pela organização

Manter as prateleiras sempre organizadas é essencial para o bom funcionamento da catalogação. Assim, é importante verificar se há algum livro fora da ordem determinada e realizar as devoluções nos locais corretos. 

8. Utilize a tecnologia

O uso crescente da tecnologia está transformando todos os espaços educacionais e com a biblioteca não é diferente. Considerando a complexidade da tarefa de catalogação de livros e atenção exigida pelo trabalho, tem-se que ferramentas tecnológicas podem facilitar o processo. 

Ainda, o controle dos empréstimos e devoluções, além da busca pelos títulos, são feitos de forma mais ágil através de soluções tecnológicas. 

Outro ponto considerável é relativo à adoção de bibliotecas digitais. Por meio delas os estudantes podem acessar as obras em qualquer lugar, o acesso a uma mesma obra pode ser simultâneo e não há limitações de horário ou espaço.  

Além disso,  esse tipo de acervo se tornou um complemento tão importante ao ensino superior, que já faz parte das requisições do Ministério da Educação.

Esperamos que o artigo tenha solucionado todas as suas dúvidas acerca da catalogação de livros e que nossas dicas sejam aproveitadas para uma boa gestão da biblioteca, física e digital, na sua instituição de ensino. Agora, que tal conhecer nossas orientações sobre como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *