Plataforma de biblioteca digital: fotografia de uma mulher lendo em um tablet.

Como funciona e como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

As bibliotecas digitais já se consolidaram no ambiente educacional. No entanto, mesmo os estudantes tendo embarcado totalmente nessa ideia, que se adequa às suas rotinas e condiz muito mais com seus hábitos e referências, diversas IES ainda parecem receosas ou um pouco perdidas em como implementar esse processo de uma maneira efetiva e de qualidade.

Em primeiro lugar é preciso que se diga que o objetivo de uma plataforma de biblioteca digital não é eliminar a biblioteca física. O acervo digital se consolida de maneira a complementar, acessibilizar e democratizar muito mais o acesso às obras

Em segundo lugar, mas não menos importante, vale destacar que uma biblioteca digital traz características facilitadoras e potencializadoras de distribuição do conhecimento tanto para os alunos quanto para a instituição. 

Mas não é por ser um mecanismo de gerenciamento mais fácil que ela não demanda atenção e cuidados específicos por parte da instituição.

Ao adotar uma plataforma de biblioteca digital, é preciso que a IES tenha consciência de que seu compromisso com a qualidade do ensino oferecido deve ser o mesmo e que, para isso, um gerenciamento de excelência preocupado com organização, referências e distribuição do conteúdo segue sendo fundamental.

No artigo de hoje, vamos nos debruçar um pouco mais em entender esse funcionamento e gerenciamento e destacar alguns pontos que todo coordenador precisa analisar no momento de escolher uma plataforma de biblioteca digital.

Como funciona uma plataforma de biblioteca digital? O que eu tenho que fazer?

Existem hoje no mercado algumas boas opções de plataformas que oferecem recursos de biblioteca digital. A partir da escolha e assinatura de uma delas, a IES ganha o direito de conceder aos seus alunos acesso a esses acervos.

Com um login e senha gerados para cada um de seus estudantes, eles poderão acessar a plataforma de biblioteca digital por qualquer aparelho digital e de qualquer local, desde que tenham acesso a internet, e usufruir de todas as obras ali disponíveis. O processo é simples e democrático.

Com sistema de busca facilitado, o estudante encontra muito mais rápido o que procura e pode dedicar mais tempo ao estudo desejado. Além disso, a IES pode oferecer acesso aos conteúdos a uma quantidade muito maior de alunos, democratizando o acesso; afinal, no acervo digital não existem filas de espera, livros extraviados e, simultaneamente, todos os alunos interessados podem acessar uma mesma obra. 

É uma otimização do ensino, da gestão de qualidade da IES e do tempo de estudo e satisfação do aluno.

Leia também: como incentivar a leitura?

Gestão do acervo

Engana-se o gestor que acredita que uma biblioteca digital tem uma gestão menos importante do que a biblioteca física. 

Assim como o acervo físico, o digital também será referência dos conteúdos oferecidos pela sua IES e terá papel fundamental na qualidade do ensino ofertado. Por isso, a gestão do acervo também traz suas especificidades e é tão importante quanto.

Em primeiro lugar, é importante ter em mente que os conteúdos precisam ser referenciados por fontes e origens confiáveis, assim como em uma biblioteca física, e que a oferta dos mesmos deve ser organizada e oferecida de maneira condizente e útil à trajetória de ensino de cada aluno. 

Nesse contexto, uma plataforma de biblioteca digital, com as possibilidades que o formato traz, facilita o trabalho permitindo a construção de perfis mais específicos de cada aluno e das obras mais recomendadas a cada um.

Outra demanda de gestão que seguirá sendo de suma importância é a atualização constante das obras. 

Sobretudo quando falamos de ensino superior, sabemos que diversos cursos tem atualizações constantes de conteúdos que são essenciais ao ensino. 

Cursos de Direito ou Medicina, por exemplo, trazem uma necessidade anual, por vezes até semestral, de atualização de obras. Para complementar, quase sempre essa demanda se refere justamente a obras que precisam ser frequentemente consultadas pelos alunos, o que demandaria em uma biblioteca física uma oferta muito grande de número de exemplares.

Por todas essas razões, a primeira dica no momento de escolher uma plataforma de biblioteca digital para a sua IES é pesquisar sobre a organização e gestão da mesma.

O que analisar ao escolher uma plataforma de biblioteca digital para a minha IES?

Listamos aqui alguns fatores centrais que podem nortear a sua escolha visando a qualidade de ensino, funcionalidade e efetividade do processo.

1. Credibilidade

Com certeza, o primeiro fator para que a qualidade do ensino não caia é a confiabilidade das fontes ofertadas. Por isso, opte por uma plataforma que se preocupe com essa origem de seus conteúdos.

2. Bons mecanismos de gestão

Veja uma apresentação sobre o funcionamento da plataforma e dos recursos que ela oferece para a sua gestão. 

Já ressaltamos aqui a importância de uma gestão de qualidade em um acervo digital, então não se esqueça de averiguar as opções e excelência do serviço oferecido neste tópico. Você busca por um facilitador e potencializador da sua IES e não um novo problema.

3. Plataforma responsiva

É fundamental que a plataforma seja de fácil e efetiva navegação também para o aluno. Se o processo de busca e acesso não funcionar de forma fluida, isso acabará afetando diretamente a relação do estudante com essas obras. 

Para isso, entenda todo o caminho que o estudante deverá fazer para realizar suas buscas  utilizando diferentes aparelhos digitais (computadores, celulares e tablets).

4. Recursos extras

Procure saber quais ferramentas extras a plataforma oferece para a melhoria da interação do aluno com aquele conteúdo, como recursos de notas, marcação de texto e destaques, por exemplo. 

Esses fatores podem não ser decisivos, mas com certeza caracterizam um diferencial que vai transformar e aprofundar a relação dos alunos com o conteúdo. 

Leia também: por que contar com uma biblioteca universitária online em sua IES?

5. Atualização do acervo

Já conversamos aqui também sobre a importância de um acervo atualizado. Uma das vantagens de se adotar uma plataforma de biblioteca digital com certeza é a redução de custos com essas atualizações, mas você não pode, em hipótese alguma, abrir mão delas. 

Então, certifique-se de que a plataforma escolhida também está preocupada com isso e realiza constantes atualizações.

6. Suporte técnico efetivo

Investigue qual estrutura de suporte técnico a plataforma de fato oferece à IES. Você busca por uma plataforma que traga melhorias e solucione questões e não que gere questionamentos sem respostas, não é mesmo? 

Um suporte técnico funcional deve solucionar problemas de acesso dos alunos e também sanar dúvidas e auxiliar a administração na gestão e implementação desse novo mecanismo.

Ficou interessado em conhecer melhor sobre a importância de contar com uma plataforma de biblioteca digital em sua IES? Aproveite para entender mais a fundo sobre como os acervos online funcionam!

O que são bibliotecas digitais: fotografia de uma mulher lendo em um tablet.

Descubra o que são bibliotecas digitais e quais os benefícios para sua IES

Com a democratização dos meios digitais, muitos estudantes têm optado por utilizar meios virtuais a meios físicos.

E quando o assunto é leitura, essa opção por meios virtuais têm obtido ainda mais destaque. Nesse sentido, as bibliotecas virtuais têm ganhado espaço e notoriedade. Não é incomum ver estudantes lendo por notebooks e celulares, por exemplo. 

Mas como esse ainda é um assunto bastante recente, é normal apresentar dúvidas e não saber, de fato, quais as vantagens que uma biblioteca digital pode oferecer à sua IES. 

Pensando nisso, elaboramos este artigo supercompleto. Nele, você vai descobrir o que são bibliotecas digitais, como elas funcionam, além de conhecer uma série de vantagens que elas vão trazer à sua instituição. Se você ficou interessado e quer conferir, basta seguir na leitura!

O que são bibliotecas digitais? 

Uma das melhores definições para as bibliotecas digitais é: bibliotecas sem limitações ou sem paredes

Isso porque as bibliotecas não necessitam de um espaço físico para existirem. O necessário, no fim das contas, é um bom acervo de obras organizado de maneira coerente. E esse acervo pode ser físico, como normalmente o conhecemos, ou digital.

Por ser ainda uma alternativa nova, é interessante que você conheça bem o que são as bibliotecas digitais e os benefícios que elas têm a oferecer aos alunos de sua IES. 

Essas plataformas podem apresentar um grande acervo de obras das mais variadas áreas do conhecimento e ainda contar com atualizações gratuitas à medida que as obras vão recebendo novas edições. 

Tudo isso favorece e democratiza a leitura, já que, por meio de aparatos tecnológicos, mais pessoas conseguem ler em diferentes lugares.

O funcionamento dessas bibliotecas virtuais é bem simples. Como não existem obras físicas, seu acesso pode ser feito por qualquer aparelho com conexão à internet, sejam tablets ou celulares. 

Geralmente, as bibliotecas digitais estão locadas em plataformas bastante organizadas e fáceis de se usar. Inclusive, uma grande vantagem de utilizar essa ferramenta é a facilidade com que se pode encontrar uma obra específica.

Quer conhecer outros benefícios que essa biblioteca sem paredes pode oferecer à sua IES? Separamos mais algumas vantagens e te mostraremos a seguir. Acompanhe!

Leia também: a importância da leitura na universidade

Quais são os benefícios de se optar por uma biblioteca digital?

Agora que você já conhece o que são as bibliotecas e como elas funcionam, vamos te apresentar 5 benefícios que elas podem trazer à sua Instituição de Ensino Superior. 

1. Disponibilidade em qualquer lugar 

Uma das maiores e melhores vantagens das bibliotecas digitais é a disponibilidade e versatilidade que elas oferecem aos alunos de sua instituição, que conseguem ler os manuais e conteúdos em qualquer lugar. 

As plataformas que contém as obras digitais costumam ser responsivas, ou seja, possíveis de acessar onde e quando quiser. Isso quer dizer que dá para ler pelo celular, pelo kindle, pelo tablet, pelo notebook ou por qualquer outro meio que os estudantes se sentirem confortáveis. 

O mesmo vale para o espaço. É possível acessar dentro da instituição, o que facilita e otimiza a vida dos alunos, como também é possível acessar de casa, de dentro do ônibus ou em qualquer outro lugar. 

2. Economia de espaço 

Outra grande vantagem de se conhecer o que são as bibliotecas virtuais e quem sabe usá-las em sua IES é a economia de espaço.

As bibliotecas tradicionais ocupam uma grande parte do espaço físico da instituição, já que um boa graduação deve contar com um número enorme de obras. Esse espaço que poderia ser utilizado como laboratório ou qualquer outra funcionalidade fica comprometido com o volume de livros. 

O legal de se utilizar bibliotecas digitais é que você ganha esse espaço para investir em outros projetos. E não pense que só porque é um meio virtual que o acervo não será satisfatório. As bibliotecas virtuais conseguem reunir um número imenso em seu acervo e ainda contam com atualizações das novas edições. 

3. Favorece a sustentabilidade ambiental

Este é um dos maiores benefícios de se adotar bibliotecas digitais, senão o maior: a sustentabilidade.

O tema da economia sustentável tem sido protagonista entre as mais diversas discussões ambientais.

E os estudantes do século XXI, recém saídos do Ensino Médio, procuram encontrar nas instituições que escolhem cursar um pensamento crítico voltado à preservação ambiental. 

Nesse sentido, as obras virtuais que não exigem o uso de papel favorecem muito a preservação do meio ambiente e uma economia sustentável.

4. Possibilidade de fazer anotações e marcações

Outro benefício proporcionado pelas bibliotecas digitais é a possibilidade de fazer anotações e marcações nos livros.

Como as versões são digitais, os alunos não terão aquele problema de pegar algum livro emprestado na biblioteca e não poder fazer considerações a respeito do tema no livro em si.

Muitas vezes, quando estamos lendo queremos marcar alguma parte importante e fazer algumas considerações, o que não é possível se estamos utilizando uma cópia de um livro físico que será usada por outras pessoas. Isso não acontece em obras virtuais.

Muito bem, esperamos que você tenha gostado de saber o que são as bibliotecas digitais e ainda alguns de seus principais benefícios. Aproveite para conhecer nosso artigo sobre como fazer a organização de uma biblioteca digital em sua IES!

A importância do hábito da leitura na universidade: fotografia de uma mulher lendo um livro.

Entenda a importância do hábito da leitura na universidade

Que a leitura é uma prática fundamental para a construção do conhecimento não é nenhuma novidade. Porém, ainda assim, os índices que dizem respeito à leitura no Brasil ainda são muito baixos, afetando, inclusive, o desempenho dos estudantes durante a vida acadêmica e profissional.

Mas como professores e gestores de Instituições de Ensino Superior (IES) podem ajudar no crescimento desses números? Hoje, vamos falar sobre a importância do hábito da leitura na universidade e como ele pode ser incentivado pela própria instituição. Vamos lá?

A Leitura no Brasil

Antes de falarmos sobre a importância do hábito da leitura na universidade, vamos compartilhar alguns números importantes para entender a realidade do nosso país.

Infelizmente, o Brasil não apresenta bons números quando o assunto é leitura. E esse problema tem raiz nas taxas de alfabetização. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada em 2019, mostra que o número de analfabetos no país é de 11 milhões. 

Por outro lado, segundo dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, o país perdeu 4,6 milhões de leitores nos últimos 4 anos. Em 2015 a porcentagem era de 56%, já em 2019 a taxa caiu para 52%. 

A mesma pesquisa aponta que a maior queda de percentual de leitores ocorreu entre pessoas com ensino superior, que foi de 82% em 2015 para 68% em 2019.

Além disso, o estudo mostra que o brasileiro lê, em média, 5 livros por ano, aproximadamente 2,5 livros lidos inteiros e 2,4 com leitura incompleta.

Cada um desses dados nos mostra que o Brasil não é um país de leitores assíduos e que os números estão piorando ao longo do tempo. Mas, como profissionais de educação, sabemos que precisamos mudar essa realidade, certo? E as IES têm um papel fundamental para que isso aconteça. Entenda a seguir!

Leia também: tudo o que você precisa saber sobre biblioteca digital

A importância do hábito da leitura na universidade

Os números nos mostram que o Brasil tem perdido leitores com o passar do tempo. Mas, afinal, por que esse hábito é tão importante, principalmente para estudantes de ensino superior?

Separamos alguns pontos que mostram a importância do hábito da leitura na universidade e por que a sua IES deve incentivá-lo entre os estudantes. Confira!

1. Trabalha a memória

Quando se cria o hábito da leitura, a pessoa exercita a mente em vários aspectos e desenvolve mais habilidade para foco e concentração. Isso faz com que a memória seja trabalhada e aguçada ao longo do tempo.

2. Desenvolve o raciocínio

Além da memória, a capacidade de raciocínio também melhora bastante quando o hábito de leitura é criado. Quando lemos, o lado esquerdo do cérebro se exercita bastante e é ele que é responsável por nossa capacidade analítica.

3. Amplia o vocabulário

A pessoa que lê com frequência acaba conhecendo muitas palavras. Assim, com o passar do tempo ela vai ampliando o seu vocabulário, tornando-o cada vez mais rico. Isso facilita e organiza a fala e a escrita.

4. Melhora a escrita

Como mostramos no tópico anterior, com o hábito da leitura o vocabulário é ampliado e isso impacta diretamente na escrita. A pessoa consegue produzir textos ricos de forma mais rápida, criativa e inteligente.

5. Desenvolve a argumentação

O último benefício da criação do hábito da leitura é o da argumentação. Com todos os pontos que citamos anteriormente, um bom leitor conseguirá melhorar sua capacidade de discurso, pois terá uma visão de mundo mais crítica, um bom vocabulário e conhecimentos diversos vindos de suas leituras.

Leia também: por que contar com uma biblioteca universitária online na IES?

O papel da universidade no incentivo à leitura

O principal papel da universidade no incentivo à leitura é ser uma facilitadora para os estudantes no acesso às obras. Ou seja, gestores e professores precisam viabilizar o acesso a livros, revistas, jornais, artigos para que o estudante tenha possibilidades e possa selecionar leituras que vão além do que é exigido no currículo de cada curso.

Além disso, a instituição precisa estimular os estudantes para que a leitura seja realizada de fato. Isso pode ser feito não apenas por meio da exigência de leituras obrigatórias, mas também com a indicação de textos, artigos e livros durante todo o curso. Com certeza, esse tipo de prática ajudará na formação do hábito.

Porém, não podemos deixar de lado a importância da tecnologia! As gerações mais novas possuem vínculos cada vez menores com o papel. A utilização das telas, por sua vez, já faz parte da rotina. Além disso, a tecnologia proporciona inúmeras outras facilidades que auxiliam o aluno a ler as mais diversas obras, nos mais diversos lugares.

Por isso, ter acesso a obras digitais por meio de dispositivos como celular, tablet e computador pode fazer toda a diferença quando o objetivo é incentivar a leitura! Além de facilitar o acesso aos livros, esse tipo de ferramenta possibilita maior diversidade para o estudante.

Agora que você já entendeu a importância do hábito da leitura na universidade e conhece o papel de gestores educacionais e professores para que os estudantes leiam mais, aproveite para conferir o nosso artigo sobre como incentivar a leitura, com dicas fundamentais para você aplicar dentro e fora de sala de aula e bibliotecas.

Selos Saraiva Educação: fotografia de livros empilhados.

Conheça os 4 selos Saraiva Educação

Com anos de história, a Saraiva Educação é referência no mercado educacional, oferecendo soluções digitais e livros para as instituições de ensino superior e técnico de todo o Brasil. 

Hoje vamos te explicar um pouco mais sobre os Selos Saraiva Educação. Você vai entender quais são as principais editoras do grupo, em que área cada selo atua e quem são os seus principais autores. 

Isso vai te ajudar a ficar por dentro de qual editora pode ajudar a sua Instituição de Ensino Superior (IES) a ter uma biblioteca completa e eficiente. Vamos lá?

Quais são os selos Saraiva Educação?

Dentro da Saraiva Educação, contamos com quatro selos editoriais: Saraiva Jur, Saraiva Uni, Editora Érica e Benvirá, Porém, apenas os três primeiros são voltados para o ensino superior e técnico. Vamos te apresentar com mais detalhes cada um deles.

Saraiva Jur

Vamos começar com o nosso principal selo Saraiva Educação, que tem mais de 100 anos de história. A editora Saraiva Jur é líder na produção de conteúdo jurídico no Brasil!

O selo possui mais de 2.400 títulos, entre eles impressos e digitais, abrangendo os campos da graduação e pós-graduação com obras de legislação, Vade Mecuns, livros para concursos e de doutrina, acompanhando o estudante e profissional da área de Direito em toda sua trajetória.

A Saraiva Jur está sempre por dentro das principais tendências e discussões jurídicas que acontecem no país, oferecendo conteúdos especiais, segmentados e atualizados para ajudar os profissionais em seus debates e estudos.

A editora Saraiva Jur é a mais premiada no Jabuti, prêmio realizado pela Câmara Brasileira do Livro. Oferece conteúdos de excelência e conta com renomados autores do mercado, que são grandes referências jurídicas no país, como Gilmar Mendes, Luis Roberto Barroso, Pedro Lenza e Fernando Capez.

Saraiva Uni

O selo Saraiva Uni é focado em livros universitários de diversas áreas. Com amplo catálogo a editora atua nas áreas de Administração, Ciências Contábeis, Gestão, Comunicação e Ciências Humanas. Conta com livros tanto para graduação quanto para pós-graduação.

Leia também: como incentivar a leitura em sua IES?

Editora Érica 

Diferente dos outros selos que atuam na educação superior, a editora Érica oferece livros para alunos de ensino técnico e profissionalizante, sendo referência neste segmento no Brasil.

Com mais de 40 anos no mercado, a Editora Érica integra o grupo desde 2015 e possui um acervo com mais de 700 títulos nas áreas de Informática, Eletromecânica, Administração/Logística, Construção Civil, Redes e Telecomunicações e Saúde.

Os conteúdos são produzidos por autores renomados, que possuem experiência profissional e em sala de aula. Além disso, a editora disponibiliza conteúdos complementares para os alunos e docentes. Os títulos também estão disponíveis em versões digitais.

Focada em qualidade e tendo como missão contribuir para a formação de profissionais brasileiros, a editora preza por conteúdos didáticos, práticos, em multiformatos e que sejam atualizados com recorrência, mantendo sua tradição e prestando assistência para as instituições de ensino técnico públicas e privadas do país.

Leia também: como funciona e como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

Por que adquirir as soluções da Saraiva Educação?

Os livros dos selos Saraiva Educação contemplam qualidade e tradição, sendo uma ótima ferramenta para o desenvolvimento dos alunos e também para apoiar os professores de sua instituição. Os títulos são elaborados e constantemente atualizados por grandes nomes do mercado.

Você pode encontrar as obras na Biblioteca Digital Saraiva e na Saraiva Solução de Aprendizagem. Então, se você se interessou pelos selos Saraiva Educação e quer conhecer melhor as nossas soluções para a sua IES, é só falar com um de nossos especialistas clicando aqui!

Como incentivar a leitura: fotografia com foco em uma mão de uma pessoa retirando um livro de uma estante.

Por que promover a leitura é fundamental para a sua IES? Confira 8 dicas práticas sobre como incentivar a leitura

A leitura é a principal ferramenta de aprendizagem de uma educação de qualidade. Além de ser fundamental para uma capacitação técnica, ela é ainda um potente mecanismo de transformação social que informa, emociona, liberta e humaniza o indivíduo. 

No entanto, com o passar dos anos, essa atividade tão fundamental tem sido cada vez mais deixada de lado, sobretudo com a rotina de hábitos proporcionados pelo universo virtual. Os estímulos se intensificaram e diversificaram muito. Paralelamente, foi se criando um senso comum de que a leitura seria chata, difícil ou inacessível.

É por isso que, cada vez mais, instituições de ensino, famílias e os próprios indivíduos têm procurado sobre como incentivar a leitura nas diferentes fases da vida.

No artigo de hoje, você irá conhecer um pouco mais sobre o cenário da leitura no Brasil e entender como a sua IES pode incentivar esse hábito para melhorar ainda mais a qualidade do ensino oferecido e os resultados alcançados. Confira!

Entenda a situação da leitura no Brasil

A acessibilidade é, de fato, um empecilho para diversas comunidades. Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, 61% das escolas públicas brasileiras não têm um acervo bibliográfico à disposição dos alunos

Acompanhando essa tendência, a média de leitura do Brasil hoje está bem abaixo da média mundial: em um ranking com 70 países, o Brasil ocupa a 60ª posição.

Por todos esses fatores, é muito importante que as IES estimulem e ofereçam condições aos estudantes para a criação do hábito de leitura. 

Para muitos, a fase universitária pode ser a primeira oportunidade de vivenciar essa experiência. Para outros, esse pode ser o momento de desfazer preconceitos que se estabeleceram em torno da leitura. 

Cada novo leitor pode multiplicar esse hábito e transformar outros ao seu redor.

Infelizmente as afirmações “ler é difícil” ou “ler é chato” acabaram sendo amplamente difundidas por falta de informação, acesso ou estímulo. 

Segundo a mesma pesquisa que citamos anteriormente, 42% dos brasileiros, com mais de 5 anos, alegam não ler porque não compreendem ou têm dificuldades e 44% não são leitores, não leram nem mesmo um trecho de um livro

Vale ressaltar que existem diversos tipos de leitura e obras e, com certeza, existe uma obra atrativa para cada tipo de leitor. Cada pessoa precisa, apenas, se encontrar.

Faz parte do papel de ensino, intelectual e social de uma IES promover o estímulo à leitura e para isso separamos oito dicas para a sua instituição. Vamos lá?

8 dicas sobre como incentivar a leitura na sua IES

Se o seu objetivo é saber como incentivar a leitura em sua IES, existem algumas boas práticas que você pode adotar a partir de hoje. Confira as dicas que preparamos para você!

1. Disponibilize um rico e diverso acervo de livros

O primeiro passo para saber como incentivar a leitura entre os alunos da sua IES é oferecer a eles possibilidades. Que tal investir um pouco nos livros de literatura além dos de abordagem acadêmica?

Fazendo esse investimento, aos poucos a sua biblioteca vai ficando mais completa e atrativa.

2. Facilite o processo de empréstimo de livros

Simplifique o máximo possível a distância entre o desejo do estudante sobre um livro e a possibilidade tê-lo em mãos. Um bom sistema de buscas virtual para localizar o livro e uma biblioteca organizada são etapas fundamentais desse processo.

E na hora de levar o livro para casa? Quais são os procedimentos necessários?  Algumas etapas de identificação serão sempre necessárias, mas simplifique o máximo que puder também.

3. Conte com um acervo digital

Essa é uma das nossas principais dicas sobre como incentivar a leitura, principalmente para as gerações mais novas.

Sem dúvida, as bibliotecas digitais são um atrativo poderoso para o público mais jovem e que já tem toda a sua rotina atrelada ao ambiente virtual. 

Nesse formato não existem limitações físicas e o estudante pode ter acesso à obra que quiser, na hora que quiser, sem filas de espera, de qualquer local e dispositivo eletrônico (desde que esteja conectado à internet). 

Além da praticidade para aluno e instituição (que evita custos com manutenção, atualização e extravio de obras), as bibliotecas digitais atendem a um dos requisitos estabelecidos pelo MEC.

Leia também: como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

4. Desenvolva atividades digitais interativas e interdisciplinares

Já não pensamos hoje mais na rotina de um jovem contemporâneo sem o ambiente virtual. Quanto mais o convite à leitura e as relações com as obras estiverem nesse meio, mais será possível acessar esse estudante. 

Estimule os professores a utilizar plataformas digitais de aprendizagem e atividades interativas sobre as obras estudadas. Quem sabe uma tarefa multidisciplinar unindo diversas áreas do conhecimento?

5. Incentive a utilização de questões abertas em avaliações

Outro incentivo por parte dos docentes atrelado às atividades obrigatórias curriculares que podem fazer toda a diferença é a maior aplicação de questões abertas em avaliações. 

Esse formato de teste demanda do aluno uma leitura completa da obra, estimula a formulação de pensamentos e argumentações e, consequentemente, melhora a capacidade de interpretação de texto do estudante desenvolvimentos esses que vão também ampliando e facilitando sua aproximação com a leitura. 

O formato de questão aberta pode ser utilizado tanto em provas presenciais como avaliações virtuais. Vale lembrar que a utilização de questões abertas também faz parte dos padrões avaliativos e exigências do MEC.

6. Incentive a leitura nas redes sociais

A presença da biblioteca da IES nas redes sociais, como Instagram, Facebook e Tik Tok, é mais uma forma de aproximação com o leitor. 

Em um perfil dinâmico e alimentado constantemente, a IES pode propor desafios de leitura entre os seguidores (identificados por hashtags), criar rankings dos mais lidos e até mesmo indicações de leitura. 

Por meio de recursos de vídeos rápidos, é possível se comunicar de maneira diária com os estudantes mostrando brevemente os bastidores de uma biblioteca e aproximando-os dessa realidades. 

Publicações sobre dicas de leituras e sugestões de livros podem ser atrativos interessantes também.

7. Elabore um perfil do leitor com indicações certeiras de obras

Identifique o perfil de cada leitor pelo seu histórico de empréstimos e enquetes de avaliação e faça dicas específicas para cada perfil. 

Os relatórios gerenciais das bibliotecas virtuais podem auxiliar bastante nesse processo. Se as recomendações de obra são certeiras, a chance de engajamento do leitor é muito maior.

8. Crie programas de incentivo e estímulo específicos para a IES

Observe a rotina dos estudantes na sua IES e identifique aspectos que podem ser explorados em programas de estímulo à leitura. 

Para a elaboração de ações assim, você pode identificar temas de gosto mais popular ou até mesmo uma localização geográfica que chame a atenção dos alunos dentro da instituição para desenvolver uma atividade naquela região.

Animado para implementar alguma dessas medidas na sua IES? Algumas são mais simples, outras demandam um pouco mais de dedicação e observação, mas certamente irão transformar a relação que os estudantes têm com a leitura.

Como você pode perceber em nossas dicas sobre como incentivar a leitura, com certeza a presença de uma boa Biblioteca Digital faz toda a diferença e te auxilia na execução de vários desses pontos elencados acima. Você já conhece bem o funcionamento desse tipo de acervo? Neste artigo aqui. você pode conferir mais sobre eles e os benefícios que trazem à sua IES.

Gestão de bibliotecas digitais: fotografia de uma mulher anotando em papeis com um computador a sua frente.

Saiba como fazer a gestão de bibliotecas digitais

A presença das bibliotecas digitais no ensino das IES é uma realidade que facilmente foi assimilada à rotina dos estudantes. 

Sem limitações de horário ou espaço, esses acervos se tornaram um complemento importante ao ensino superior, facilitando o acesso às obras e otimizando o tempo de estudo do aluno. Sua importância é tão fundamental que a instalação desse tipo de acervo já faz parte das requisições do Ministério da Educação.

As plataformas online são facilitadores da rotina dos estudantes, da administração da IES e dos bibliotecários, mas não é por isso que a organização e gestão de bibliotecas digitais devem ser ignoradas ou consideradas menos importantes. 

Afinal, as bibliotecas são pilares fundamentais para o ensino superior. Por isso, seja em sua versão física ou digital, a gestão desse acervo reflete diretamente na qualidade do ensino ofertado pela instituição.

Um primeiro ponto que é muito necessário que se diga e reconheça é: os sistemas de gestão das bibliotecas digitais não suprem o trabalho do bibliotecário. Sem os conhecimentos específicos da Biblioteconomia e da Tecnologia da Informação. o trabalho de gestão de um acervo fica imensamente prejudicado em qualquer formato que seja.

Mas, afinal, o que é preciso para consolidar uma boa gestão de bibliotecas digitais? Por que essa gestão é importante? Como otimizá-la? Abaixo elaboramos um pouco mais sobre esses tópicos.

Qual a importância da gestão de bibliotecas digitais?

Uma biblioteca só cumpre bem o seu papel na formação acadêmica a partir de uma gestão atenta e competente. 

Aqui, sem dúvida, é o lugar em que o bibliotecário e seus conhecimentos específicos se fazem necessários. Desde a identificação, verificação e catalogação das obras até o acompanhamento de uso, atendimento e relatórios. 

Guarde bem essa informação: não é por que um acervo é digital que ele não precisa de organização.

É fato também, que alguns trabalhos são sim poupados, como a manutenção e restauração de obras, uma vez que nessa formatação danos ou furtos não acontecem. 

No entanto, encare esse tempo “extra” como uma possibilidade de investir em tarefas que vão otimizar a experiência dos estudantes na sua biblioteca, como criar seleções e construir jornadas de experiência para cada perfil de aluno.

Leia também: por que contar com uma biblioteca universitária online na IES?

Como fazer a gestão de bibliotecas digitais?

Um acervo digital, assim como o físico, deve seguir em constante mutação, atualização e melhorias. Uma boa gestão de bibliotecas digitais vai elaborar desde o controle de inventário, novas aquisições e assinaturas de periódicos à conferência de confiabilidade das fontes e atendimento aos alunos.

A seguir listamos alguns passos fundamentais para a gestão de uma biblioteca digital:

1. Identificação das obras

Seja qual for a formatação da obra, é necessário identificar suas fonte, autoria e tema. O bibliotecário é fundamental aqui para garantir a confiabilidade dessas obras. 

O estudante acostumado a navegar na internet pode não ter dificuldades em encontrar informações sobre determinado tema, mas identificar a procedência e validade da fonte consultada é algo um pouco mais complexo.

2. Organização das obras

Depois de catalogadas, é chegado o momento da organização e subdivisão em grupos de busca afins dessa obra. 

Esse filtro deve ser elaborado não só a partir dos autores, mas também de temas e identificações ideológicas. Essa catalogação adequada será base fundamental para construir a jornada de experiência do leitor posteriormente.

3. Pesquisa e aquisição de novas obras

Também será atribuição do bibliotecário responsável ter conhecimento sobre a atualização desse acervo digital com arquivos e obras dos mais diversos temas, que deve ser feita pela própria plataforma. 

Sobretudo no universo da graduação, sabemos que diversas obras e informações são constantemente atualizadas e uma boa biblioteca digital está atenta a essas demandas.

4. Atendimento ao aluno

Em qualquer formato, é preciso construir um canal de atendimento aos alunos bem como estar preparado para conduzi-lo em uma jornada de conhecimento. 

Todo leitor tem seu livro e todo livro tem seu leitor. Aqui, uma das máximas da biblioteconomia também pode, e deve, ser aplicada.

Quando um aluno procura por uma obra quais outras aparecem relacionadas? Quando ele encerra uma leitura, quais são as indicações afins? Quem atenderá esse estudante diante de dúvidas e questões ao longo das buscas dessa jornada?

Além de um sistema que apresente as dúvidas mais frequentes e suas respostas de modo assertivo e com responsividade, é preciso também pensar na disponibilidade de um atendimento a demandas específicas do estudante.

5. Organização e geração de relatórios

Por fim, a nossa última dica para a gestão de bibliotecas digitais está relacionada à organização e geração de relatórios.

Tanto para uma boa avaliação da sua biblioteca como para atender aos requisitos obrigatórios do MEC, os relatórios são prática necessária.

Com os dados gerados por eles em mãos, você poderá analisar acessos, identificar pontos fortes e fraquezas e assim elaborar mudanças para disponibilizar um serviço ainda melhor a cada nova autoavaliação.

Como otimizar a gestão de bibliotecas digitais?

São muitas as tarefas de um bibliotecário na gestão de um acervo digital. No entanto, esse trabalho pode ser otimizado se você contar com a biblioteca digital certa para a sua instituição.

Portanto, na hora de optar pelo acervo digital que irá adquirir em sua IES, não deixe de analisar o suporte tecnológico e de apoio que a plataforma oferece para que você possa se dedicar melhor a funções específicas que precisa desenvolver. 

Assim, você pode nas atividades que tornam a experiência do estudante cada vez melhor!

Agora que você já sabe como fazer a gestão de bibliotecas digitais, aproveite para conferir o nosso artigo sobre o que é e como funciona a Saraiva Digital!

Biblioteca universitária online: fotografia de uma estudante lendo pelo computador.

Por que contar com uma biblioteca universitária online na IES?

Com um login e senha, o estudante pode abrir as portas da biblioteca da sua IES e acessá-la de qualquer lugar por meio do seu telefone, tablet ou computador. 

Durante vinte e quatro horas, sete dias por semana, ele pode ter acesso a todas as obras disponíveis sem fila de espera, sem limitação de tempo ou horário. 

Assim funciona uma biblioteca universitária online.

Ficou interessado? As bibliotecas digitais já deixaram há muito tempo de ser um diferencial e se tornaram necessárias para que as IES atendam às obrigatoriedades determinadas pelo MEC. O diferencial mesmo fica por conta das vantagens extras e facilidades que o acervo digital pode oferecer aos seus estudantes e até mesmo para a própria gestão.

Ao contar com esse tipo de serviço, você pode criar um perfil e senha para cada aluno, concedendo acesso à plataforma que já conta com toda a bibliografia obrigatória e complementar que ele pode desejar.

Já deu para ter uma ideia da importância dessa ferramenta para a sua IES, não é mesmo? No artigo de hoje, você entenderá por que deve adotar uma biblioteca universitária online em sua instituição e como escolher a melhor opção no mercado. Vamos lá?

Por que contar com uma biblioteca universitária online na IES?

Como apontamos na introdução deste artigo, as bibliotecas universitárias online estão deixando de ser apenas um diferencial para as IES e se tornando verdadeiras necessidades para essas instituições. Confira, agora, alguns dos motivos disso!

1. Avaliação do MEC

Esta razão não deixa dúvidas de que a existência de uma biblioteca digital na sua IES é imprescindível: em 2017 foram publicadas diversas normas para a Educação Superior que determinaram critérios obrigatórios e alguns desejáveis caso você procure obter nota 5 nos indicadores de qualidade observados pelo Inep

Entre as exigências estão o tombamento e informatização do acervo físico bibliográfico da IES. 

Outro ponto que merece a sua atenção é a necessidade de o acervo virtual possuir acesso ininterrupto e simultâneo aos usuários, com disponibilidade total da bibliografia básica por 24 horas, durante toda a semana (inclusive sábados, domingos e feriados). 

Já no que diz respeito à bibliografia, vale observar que a presença da bibliografia básica é obrigatória e a complementar deve estar presente em proporção mínima pré-determinada (ao menos cinco títulos por unidade curricular) para que se possa alcançar nota máxima nos indicadores.

2. Acesso de qualquer lugar

Praticidade e adequação à rotina intensa e atribulada são critérios importantes na avaliação dos estudantes no momento de escolher em qual IES ingressar. 

Eles desejam um ensino de qualidade, mas também uma instituição que facilite, no que for possível, a rotina. 

Pela biblioteca universitária online, o aluno pode acessar de qualquer local as obras que precisa e fazer as consultas necessárias, desde que tenha um dispositivo (celular, tablet ou computador) conectado à internet. Ele pode realizar suas consultas em casa, durante o seu deslocamento, no estágio ou até mesmo durante a aula.

3. Acesso irrestrito e simultâneo

Ao contrário de uma biblioteca física que acaba limitando o acesso às obras, seja por disponibilidade das mesmas ou impossibilidade de o aluno carregar diversos livros ao mesmo tempo, a biblioteca universitária online permite acesso simultâneo e irrestrito em quantidade. 

Nesse modelo não existem filas de espera e todos os alunos podem acessar facilmente as obras quantas vezes e quando quiserem. 

4. Estudo otimizado

Ainda pensando na praticidade para o aluno, os recursos do acervo digital otimizam o seu tempo de estudo, facilitando buscas e permitindo que ele localize trechos específicos por palavras chaves ou encontre todas as obras relacionadas a determinado tema e possa consultá-las em muito menos tempo.

5. Redução de custos administrativos

Em uma biblioteca virtual, você reduz custos de atualizações, reparações e manutenções de obras. Perdas por danos ou desvios de livros não acontecem e isso se reverte em economia para a IES.

A constante demanda por atualizações das obras de determinados cursos fica também suprida, uma vez que, com a assinatura, quem vai se responsabilizar pela inclusão desses novos títulos é a plataforma contratada.

Leia também: conheça os benefícios da biblioteca digital de Direito

6. Otimização da gestão

Em sua versão virtual, diversos aspectos da gestão de uma biblioteca ficam facilitados, desde a organização, identificação e reparação das obras até o atendimento ao aluno. 

Com muito mais facilidade é possível identificar um perfil do aluno (a partir de outras buscas já realizadas) e sugerir obras que possam interessá-lo, além de ser possível atender a vários estudantes simultaneamente. 

O que avaliar para escolher uma biblioteca universitária online?

Você já sabe que precisa de uma biblioteca universitária online para a sua instituição, não é mesmo? Mas e agora, como escolher? Quais critérios devem ser levados em consideração? Separamos algumas dicas sobre o que você deve analisar para optar pela ferramenta certa!

1. Exigências e avaliação do MEC

Atente-se a quais critérios obrigatórios e desejáveis do MEC a biblioteca digital escolhida atende.

2. Acervo atualizado e diverso

Observe a frequência com que o acervo da biblioteca universitária online escolhida é atualizado e quais títulos ela já dispõe. 

Além da bibliografia obrigatória para cada curso, é importante que a biblioteca digital traga também obras complementares diversas e reconhecidas por sua excelência. 

Lembre-se de pesquisar os conteúdos em todas as áreas de conhecimento que a sua IES atende.

3. Credibilidade

Opte por uma plataforma que se preocupe com a credibilidade dos conteúdos que disponibiliza. 

Na contemporaneidade, seja por aspectos culturais, de falta de tempo ou mesmo por conta de restrições de acessibilidade, os estudantes acabam se valendo de buscas e arquivos da internet sem qualquer procedência garantida. Certifique-se que a versão digital escolhida por você está oferecendo a melhor solução e ensino para o seu estudante.

4. Responsividade

Teste a navegação da plataforma escolhida. Seja crítico: ela tem um acesso intuitivo? É fácil de mexer? Eu consigo encontrar facilmente o que procuro ou gasto muito tempo até encontrar os caminhos necessários? 

Faça e refaça os percursos que seus estudantes farão para procurar ou acessar as obras.

5. Gestão facilitada

Observe e teste também os recursos de gestão que a plataforma oferece, desde catalogação até a busca, cadastro de usuários e de obras.

6. Assistência técnica

Procure saber qual assistência técnica a plataforma oferece para lidar com os usuários diante de dúvidas de funcionamento ou problemas técnicos e erros.

7. Suporte especializado

Um suporte especializado para implementação ou transição pode facilitar, e muito, a sua gestão. Além disso, ele agrega qualidade e a garantia de um melhor resultado.

8. Recursos extras de navegação

Observe as especificações de cada plataforma, pois é possível que elas ofereçam funções como incluir anotações ou notas durante a leitura de uma obra, por exemplo.

Com esses direcionamentos você já é capaz de desenvolver um olhar crítico na hora de buscar por uma biblioteca universitária online para a sua instituição! Aproveite também para conferir o nosso artigo sobre como organizar uma biblioteca digital.

Biblioteca digital de direito: fotografia de uma estudante de direito utilizando o computador.

Conheça os benefícios da biblioteca digital de Direito

As bibliotecas digitais são hoje uma necessidade para as instituições que almejam bons conceitos no MEC e ferramentas importantes no processo de captação de alunos. 

Quem procura uma instituição de ensino para ingressar deseja sobretudo duas coisas: praticidade e referência, e um acervo online influi diretamente sobre esses dois aspectos.

Quando falamos de biblioteca digital de Direito, esses benefícios ficam ainda mais evidentes. Conceder acesso de qualquer lugar para as obras, sem fila de espera, disponibilidade 24h e busca facilitada são vantagens que qualquer estudante deseja. 

Mas essas características se fazem ainda mais necessárias quando entramos no universo dos cursos Direito, uma vez que a demanda de atualizações dos livros é constante e a busca por termos específicos é imprescindível. 

Se para qualquer estudante as vantagens de uma biblioteca online já são grandes, no ensino de alguns cursos com alta carga de consulta e atualização como o Direito elas são ainda maiores.

Isso tudo sem contar em como os acervos virtuais facilitam o trabalho das IES em atender às demandas dos alunos, otimizar o tempo de trabalho de seus bibliotecários e poupar recursos financeiros.

Na sequência, vamos abordar algumas vantagens que comprovam toda a diferença que uma biblioteca digital de Direito pode trazer ao ensino da sua instituição. Confira!

5 Benefícios de contar com uma biblioteca digital de Direito em sua IES

Na introdução deste artigo, você já pôde conhecer algumas das vantagens de contar com uma biblioteca digital que atenda ao curso de Direito em sua instituição. Agora, vamos nos aprofundar em alguns desses benefícios.

1. Acesso de qualquer lugar

Estudantes de Direito precisam realizar consultas constantes a diversas obras que trazem normativas jurídicas, bem como leis, e nem sempre possuem o tempo necessário para ir a uma biblioteca física.

Isso acontece sobretudo a partir do momento em que já estão cumprindo estágios ou para aqueles que só conseguem estar na instituição no horário restrito das aulas. 

A biblioteca digital de Direito permite que o acesso às obras seja irrestrito e realizado a partir de qualquer lugar.

2. Acesso a um número ilimitado de obras

Ao contrário de uma biblioteca física, que acaba limitando o número de livros que o aluno pode levar para consulta em seus estudos fora da instituição (seja por disponibilidade de exemplares, seja pela limitação física que o estudante terá para carregar essas obras, que quase sempre são bastante pesadas), o acervo virtual permite acesso a inúmeras obras sequencialmente sem limite de quantidade ou tempo.

3. Busca direcionada e otimização do tempo de trabalho

Buscas por termos ou leis específicos são práticas comuns no universo do Direito. Com uma biblioteca digital, essa busca fica incomparavelmente facilitada e mais precisa. Afinal, o estudante pode localizar, em poucos cliques, todas as vezes que uma palavra ou termo são citados em determinada obra.

4. Garantia de constante atualização

As obras de Direito passam sempre por constantes atualizações, o que demanda da IES estar sempre atenta e disponível para buscar e adquirir essas novas obras. 

Com uma biblioteca digital de Direito, a própria solução contratada irá fornecer automaticamente todas as atualizações que a sua instituição precisa. 

5. Redução de custo

Cada atualização das obras demanda também um novo gasto para a aquisição das novas versões. A alta demanda de atualização e necessidade de exemplares para atender a diversos alunos acaba se configurando em um custo bem maior para a IES do que a manutenção de uma biblioteca virtual. 

Além disso, a IES também poupa gastos de manutenção das obras ou substituições por extravios.

Leia também: 6 passos para organizar a sua biblioteca digital

Conheça a Biblioteca Digital Saraiva

Além de todos os diferenciais já citados acima, a Biblioteca Digital Saraiva traz vantagens que só uma empresa com a trajetória qualificada e reconhecida como a Saraiva pode oferecer para a sua instituição.

Além de dar todo suporte necessário ao curso de Direito, a plataforma ainda atende aos demais cursos de sua IES, com mais de 2000 títulos das áreas de gestão, jurídica, tecnológica e contábil. 

Veja por que você precisa conhecer a Biblioteca Digital Saraiva:

1. Qualidade garantida

Na BDS você tem a garantia e tranquilidade do selo Saraiva de qualidade. A Saraiva é uma das maiores editoras de conteúdo educacional do Brasil, referência no segmento de publicações universitárias voltadas para diversas áreas, com destaque para o Direito.

2. Credibilidade

Muitas vezes, em nome da agilidade ou mesmo da acessibilidade (que pode ficar impossibilitada em uma biblioteca física por diversas razões), os estudantes acabam se valendo de buscas em arquivos da internet sem qualquer procedência garantida. 

Dentro da Biblioteca Digital Saraiva ele fica tranquilo e você também, na certeza de que está oferecendo a melhor solução e ensino para o seu estudante.

3. Reconhecimento

A Saraiva é reconhecida pelo público leitor e está entre as preferidas dos estudantes, professores e profissionais das mais diversas áreas. Essa identificação traz para o aluno a confiança e certeza de que tem o melhor material ao seu dispor.

4. Atende a 4 indicadores avaliados pelo MEC

Em 2017 foram publicadas diversas normas para a Educação Superior, que exigem o tombamento e informatização do acervo físico. 

Uma das novidades trazida por essa normativa é a necessidade do acervo virtual possuir acesso ininterrupto e simultâneo aos usuários, com disponibilidade total da bibliografia básica por 24 horas, durante toda a semana (inclusive sábados, domingos e feriados). Sem esse recurso já fica impossível para a sua instituição alcançar nota 5 nos indicadores do Inep.

Os indicadores atendidos pela BDS são:

IACG Autorização

3.6 Bibliografia básica por Unidade Curricular 1 (para os 2 primeiros anos do curso);

3.7 Bibliografia complementar por Unidade Curricular (para os 2 primeiros anos do curso);

IACG Reconhecimento e renovação de reconhecimento

3.6 Bibliografia básica por Unidade Curricular;

3.7 Bibliografia complementar por Unidade Curricular;

Diante desse cenário, se antes era uma opção das IES possuir uma biblioteca digital com o objetivo de atrair os alunos ou mesmo reduzir a quantidade de exemplares de livros impressos que precisavam adquirir e manter, no contexto atual o acervo virtual passou a ser obrigatório.

Entenda como funciona a biblioteca bigital de Direito Saraiva

A biblioteca digital de Direito faz parte da plataforma completa de acervo digital da Saraiva. Isso quer dizer que, adquirindo a solução, você pode acessar todo o nosso acervo que traz não só as obras dessa área como de outros cursos. 

Vale ainda lembrar que o acervo da biblioteca digital pode ser utilizado tanto para a bibliografia básica como complementar das disciplinas.

A Saraiva oferece todos os recursos e suporte profissional de um consultor especializado para garantir a eficiência e confiança que você precisa para dar esse salto de qualidade na sua IES. Tem dúvidas ou quer saber mais informações para levar a biblioteca digital de Direito para a sua instituição? Fale com um de nossos especialistas aqui.

Como organizar biblioteca: fotografia de 4 bibliotecários utilizando o notebook em uma biblioteca.

6 passos sobre como organizar biblioteca digital

As bibliotecas digitais vão se consolidando em um momento que as relações humanas com o universo digital parecem não mais dissociáveis. A presença efetiva de uma biblioteca digital em uma IES deixou de ser um diferencial para se tornar uma exigência dos estudantes e de quem busca uma instituição para ingressar.

Essa mudança transformou também a rotina dos bibliotecários, e muito se enganam os observadores desatentos que acham que a profissão tornou-se obsoleta. Pelo contrário, o universo da Biblioteconomia e da Tecnologia da Informação é que permitem e são fundamentais para a implementação das bibliotecas digitais de maneira efetiva, mantendo a qualidade de ensino

A boa atuação do bibliotecário continua sendo imprescindível ao ensino superior, inclusive porque esse profissional é responsável e sabe como organizar biblioteca digita.

É muito importante que o bibliotecário tenha ciência de sua importância nessa trajetória e entenda que sua atuação no universo digital é uma atualização da formatação de seu trabalho para a aplicação e manutenção dos mesmos princípios que ele já emprega em uma biblioteca física.

Dito isso, elencamos abaixo alguns dos principais passos e vantagens da organização de uma biblioteca digital.

1. Identificação das obras

O primeiro passo para você que quer saber como organizar biblioteca digital, seja de qual formatação for, é a identificação das obras que a compõe por fonte, autoria e tema. Na versão virtual esse, definitivamente, é um dos principais diferenciais no trabalho de um bibliotecário.

A biblioteca aponta as fontes de informação sem, necessariamente, possuir a propriedade física das mesmas (LEVACOV, 2000). Garantir e identificar a origem de uma informação e sua confiabilidade faz parte do trabalho do bibliotecário. 

Um usuário com experiência online pode conseguir localizar uma informação e acessá-la, mas conhecer a sua procedência é algo mais complexo e uma competência que já faz parte da rotina de qualquer bibliotecário.

Leia também: descubra o que são bibliotecas digitais e quais os benefícios para sua IES

2. Organização das obras 

A organização mais eficiente de uma biblioteca é agrupar suas obras por tema. Uma vez identificadas e cadastradas as obras (como é feito em qualquer biblioteca, seja física ou virtual), essa organização fica infinitamente facilitada na versão digital.

Isso sem contar que, em uma biblioteca virtual, situações como extravios ou perdas de obras não acontecem, otimizando, e muito, a utilização do tempo de trabalho de um bibliotecário. 

3. Conhecimento dos usuários

É fundamental ao bibliotecário conhecer seus usuários para identificação de tendências e das obras mais apropriadas para cada perfil de leitor. Nas plataformas que oferecem bibliotecas digitais, a jornada de cada usuário pode ser acompanhada bem de perto a partir do seu histórico de ações e preferências detectadas pelo sistema.

A identificação das necessidades a partir de estatísticas se dá de maneira automática e, assim, utilizando esses dados, o bibliotecário pode trabalhar de maneira mais eficiente e produtiva já partindo diretamente para a análise dessas informações. 

A identificação dos dados é automática, mas cabe à competência desse profissional saber analisá-las e utilizá-las para a construção de uma melhor experiência do usuário.

4. Atendimento ao aluno otimizado

Todo leitor tem seu livro e todo livro tem seu leitor. Esses dois princípios da biblioteconomia ganham novas possibilidades de aplicação e podem ser mais amplamente explorados em uma biblioteca digital.

Nesse aspecto, a biblioteca digital pode transpor o trabalho do bibliotecário a um outro nível. Se uma das funções mais nobres do trabalho do bibliotecário é conduzir o usuário para a experiência mais assertiva diante de seus propósitos e potencializar o encontro dele com diversas referências, a versão virtual de uma biblioteca se consolida como a possibilidade de conduzir o usuário por uma experiência com maior aproveitamento, menor esforço e menos tempo empregado. 

Ao mesmo tempo a formatação online permite que essa trajetória seja construída para uma quantidade maior de usuários simultaneamente.

Em uma biblioteca virtual, por exemplo, o leitor se coloca mais disponível a se relacionar com diversas obras, o que em uma versão física ganha muitas vezes empecilhos pela dificuldade de manejar uma grande quantidade de livros ou até mesmo carregá-los.

A possibilidade de atender a diversos usuários e demandas ao mesmo tempo também amplia muito a atuação e efetividade do trabalho de um bibliotecário.

5. Construção de jornadas de experiência

Seguindo ainda o princípio de que cada livro atende a determinada necessidade do leitor, saber como organizar biblioteca digital passa ainda por conduzir o usuário por uma experiência em sequência, com indicações relacionadas ao tema que ele se interessa de maneira otimizada. Isso torna a experiência muito mais rica.

Cabe a esse profissional construir possibilidades múltiplas e efetivas de jornadas para o leitor.

Nesse formato atualizado é possível identificar uma otimização do tempo do leitor e do bibliotecário que podem, em um mesmo tempo que empregariam em uma biblioteca física, ter um encontro com mais obras, no caso do leitor, e atender a mais usuários, no caso do bibliotecário.

6. Conservação e manutenção das obras

É competência de todo bibliotecário observar e prezar pela manutenção e conservação das obras de uma biblioteca. Em sua versão digital, esse trabalho é também otimizado permitindo ao bibliotecário empregar seu tempo na atualização das obras disponíveis e buscas por novas informações a serem oferecidas para os usuários.

Em resumo, a biblioteca digital obviamente transforma o trabalho do bibliotecário, ao mesmo tempo que reforça sua importância e necessidade de atuação para que esse espaço funcione e colabore com a qualidade de ensino da graduação e pós graduação da instituição. 

É de fundamental importância que se entenda que os princípios aplicados a uma biblioteca física são os mesmo no caso de sua versão digital, o que se transforma são os focos de trabalho e tempo gasto em cada função. 

Isso acontece porque em uma biblioteca digital não existem as limitações físicas, seja de espaço ou manuseio, podendo ser o acervo ampliado sem limitações, as obras serem acessadas simultaneamente por diversos usuários sem danos ou extravios e o tempo de busca ser muito menor. Para o bibliotecário, sua experiência com a conservação e gestão dessas obras é levada a um outros status nessa transformação.

Deu para entender melhor sobre como organizar biblioteca digital? Ficou afim de se aprofundar mais nesse tema? Acesse também o nosso artigo sobre os impactos da tecnologia no ensino!

Biblioteca digital: fotografia de um estudante estudando lendo por meio de um tablet e estudando.

Tudo o que você precisa saber sobre biblioteca digital

As bibliotecas digitais ganharam muito espaço e especial atenção das IES nos últimos anos. Com diversos facilitadores que vão do acesso e disponibilização do material até a gestão e manutenção simplificadas, a biblioteca digital é ainda um atrativo para alunos que buscam um ensino mais integrado a sua rotina e que otimize seu tempo de estudo.

Vale lembrar também que se você acredita que bibliotecas digitais são voltadas apenas para os cursos EAD você está desatualizado. Saiba que o MEC reconhece esse mecanismo tanto para cursos presenciais como a distância. Sendo assim, você pode optar por utilizar modelos virtuais ou híbridos de biblioteca para a sua instituição.

Desde 2017 vigoram algumas normas para a Educação Superior que demandam o tombamento e informatização do acervo físico bem como destaca a necessidade de acervo virtual com possibilidade de acesso ininterrupto pelos usuários. Tudo classificado como critério de pontuação para garantir nota 5 nos indicadores.

Se você ainda tem dúvidas sobre qual a função ou como escolher uma biblioteca digital para a sua IES, o texto a seguir aponta as vantagens do formato e quais critérios, de legislação a qualidade, são importantes você se atentar antes de tomar essa decisão.

Banner de divulgação do webinar sobre Data Science na educação, com Andrea Filatro. Link para inscrição: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/webinarios-andrea-filatro?utm_source=blog&utm_medium=artigo&utm_campaign=webinar-data-science

O que é uma Biblioteca Digital? Como funciona?

Uma biblioteca digital é um acervo de livros disponibilizados virtualmente aos seus usuários. 

Por apresentar esse formato online as limitações físicas de uma biblioteca convencional são suprimidas; por exemplo, em sua versão virtual a biblioteca não tem limitação de espaço físico para a ampliação de acervo, permite o acesso simultâneo da mesma obra por diversos usuários e não demanda deslocamentos, podendo ser acessada a qualquer momento ou local (desde que haja internet).

Leia também: descubra o que são bibliotecas digitais e quais os seus benefícios para a IES

Nessa situação não acontecem intercorrências e prejuízos como perdas ou furtos de livros ou mesmo filas de espera para acessar determinada obra mais disputada. Dentre as vantagens, também podemos destacar que diversos processos são facilitados tanto para o usuário como para a administração, por exemplo a busca de livros, manutenção e gestão.

Para trabalhar com o formato, é possível desde criar uma versão digital gratuita até contratar serviços que oferecem plataformas completas com a disponibilização das obras desejadas, infra estrutura tecnológica, mecanismos de gestão e manutenção constante.

Caso opte por criar gratuitamente uma biblioteca, lembre-se de se atentar aos direitos autorais das obras. Para versões gratuitas, você pode optar por obras de domínio público para ampliar seu acervo ou mesmo observar licenças flexibilizadas como a Creative Commons (nesse caso, procure entender as limitações jurídicas como o uso considerado comercial etc).

Quais são as exigências e avaliação do MEC?

Ao escolher a formatação de uma biblioteca digital, a IES deve se atentar às exigências do MEC. 

Com o avanço no formato em 2017, o Ministério da Educação soltou uma portaria com direcionamentos que seguem valendo e devem ser observados. Além do tombamento e da informatização do acervo físico e acervo virtual disponível com acesso ininterrupto aos usuários, destacamos também os tópicos referentes à bibliografia.

Leia também: Como funcionam as bibliotecas digitais?

1. Bibliografia básica

É obrigatório que a bibliografia básica presente no plano de ensino de todos os cursos esteja disponível aos estudantes. Vale observar que esses planos são atualizados constantemente e a biblioteca deve acompanhar essas atualizações.

2. Bibliografia complementar

Apesar de receber a terminologia de “complementar”, essa bibliografia é de extrema importância pois é onde os alunos encontram fontes de consulta indispensáveis a uma formação de excelência e constantemente atualizada.

Vale destacar ainda que a bibliografia complementar é um dos critérios avaliados pelo MEC. Instituições que buscam melhores notas devem manter seus olhares atentos para esse item disponibilizando ao menos cinco títulos por unidade curricular.

Como escolher uma biblioteca digital para a minha IES?

A gestão de uma biblioteca digital pode ser mais descomplicada e facilitar a sua manutenção, mas isso não quer dizer que ela não demande preocupações e cuidados. É preciso que ela seja constantemente atualizada e que forneça estrutura tecnológica para a gestão administrativa e atendimento dos alunos.

Os pontos a serem observados vão desde acervos disponibilizados, à assistência técnica e, claro, à responsividade do software.

Separamos alguns pontos que você precisa estar atento na hora de escolher uma biblioteca digital para a sua IES:

Acervo

Observe a frequência com que os acervos são atualizados e quais títulos a biblioteca digital já dispõe. 

Além da bibliografia obrigatória para cada curso, é importante que a biblioteca digital traga também obras complementares e reconhecidas por sua excelência.

Navegação responsiva

Observe e teste a plataforma escolhida para avaliar se ela fornece acesso fácil e intuitivo aos alunos. Faça e refaça os percursos que eles farão para procurar ou acessar as obras.

Gestão facilitada

Observe e teste também os recursos de gestão que a plataforma oferece, desde catalogação até a busca e o cadastro de usuários e de obras.

Assistência técnica

Procure saber qual assistência técnica a plataforma oferece para lidar com os usuários diante de dúvidas de funcionamento ou problemas técnicos e erros. 

Você quer facilitação e não uma tarefa a mais, não é mesmo?

Suporte especializado

Para além de uma assistência técnica, um suporte especializado para implementação ou transição pode facilitar, e muito, a sua gestão. Além disso, ele agrega qualidade e a garantia de um melhor resultado.

Recursos extras de navegação

Observe as especificações de cada plataforma, é possível que elas ofereçam funções como incluir anotações ou notas durante a leitura de uma obra por exemplo.

Conheça a Biblioteca Digital Saraiva

Bom, se você chegou até aqui, provavelmente está interessado em levar uma biblioteca digital para a sua IES. Você já sabe o que analisar para escolher a plataforma correta, mas qual opção escolher?

Então, viemos te apresentar a Biblioteca Digital Saraiva. Além de oferecer todos os recursos importantes já mencionados acima, como: constante atualização, amplo repertório, consultor responsável por acompanhamento em toda a jornada para garantir o sucesso da parceria, plataforma responsiva, entre outros, a Saraiva se destaca pela excelência e tradição reconhecida de suas obras no mercado.

Além disso, a Biblioteca Digital Saraiva atende a 4 indicadores do IAIE e IACG segundo as normas do MEC, o que te ajuda a garantir uma melhor nota nos medidores oficiais de qualidade do Inep em sua IES.

Então, quer levar uma biblioteca digital com qualidade garantida para a sua IES? Não perca tempo e fale com um de nossos especialistas!