Guia completo do novo ensino médio para IES: entenda suas influências

Há quatro anos, inovações na legislação educacional brasileira deram origem a grandes alterações em nosso modelo de educação básica, fazendo surgir o chamado novo ensino médio.

Em síntese, o novo paradigma aumenta o tempo de permanência dos alunos nas escolas, além de promover mudanças na estrutura de ensino. Os estudantes terão parte de sua formação composta por conteúdos obrigatórios e por atividades educacionais que poderão escolher com maior liberdade.

Mas, afinal, o que isso tem a ver com as instituições de educação superior (IES)?

Apesar de não exercer impacto direto no ensino superior brasileiro, o novo ensino médio altera de forma relevante os conteúdos assimilados pelos alunos. Portanto, há uma considerável influência indireta nas IES.

Em outras palavras, o aluno do futuro no ensino superior terá formação e perfil distintos, que devem ser conhecidos em maiores detalhes. Assim, as instituições conseguem se preparar melhor para recebê-lo.

Foi por isso que preparamos o presente material, que é um guia completo do Novo Ensino Médio para IES. Aqui você encontra informações pedagógicas importantes sobre a nova conjuntura, que podem lhe auxiliar muito nessa adaptação.

Tenha uma boa leitura!

Índice:

Como será o novo ensino médio?
Quais são os marcos legais do novo ensino médio?
Como é a estrutura do novo ensino médio?

Como será o novo ensino médio?

O novo Ensino Médio vai ser estruturado de uma forma diferente, contando com uma nova organização curricular. Essa organização será mais flexível, contando com a chamada Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e também com os itinerários formativos, que poderão ser escolhidos pelos estudantes conforme seu interesse.

Além disso, também haverá uma ampliação do tempo mínimo do estudante na escola — de 800 horas anuais para 1.000 horas anuais, até o início do ano letivo de 2022.

Essas mudanças foram introduzidas pela Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, que operou uma série de transformações na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Vamos detalhar as principais alterações ao longo do texto.

De acordo com o Ministério da Educação, “A mudança tem como objetivos garantir a oferta de educação de qualidade a todos os jovens brasileiros e de aproximar as escolas à realidade dos estudantes de hoje, considerando as novas demandas e complexidades do mundo do trabalho e da vida em sociedade”.

Leia também: Entenda os desafios da educação no ensino superior e saiba como superá-los

Quais são os marcos legais do novo ensino médio?

Os principais marcos legais do novo ensino médio são:

Para compreender as transformações do novo ensino médio de uma forma holística, é uma boa ideia identificar seus marcos normativos. 

A legislação brasileira contém referências importantes sobre o novo contexto educacional. A partir dela, as IES conseguem se situar melhor na nova conjuntura e entender não só o novo ensino médio, mas suas implicações no ensino superior.

Por isso, vamos falar mais um pouco sobre cada um desses marcos legais.

Constituição Federal de 1988

O novo ensino médio é fundamentado, a princípio, na Constituição Federal de 1988, em seu art. 205, transcrito abaixo:

Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Podemos citar, também, o art. 210 da Carta Magna, que fala sobre a forma de se alcançar os objetivos delineados no art. 205. Para tanto, é necessário fixar “conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar a formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais”.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira

Seguindo a linha da regulamentação, podemos citar também a LBD (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira).

No seu art. 19º, ela define que é competência da União (em colaboração com os Estados, Distrito Federal e Municípios) estabelecer competências e diretrizes para a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio.

Temos, aqui, um ponto importante. A LDB define conceitos distintos entre:

  • Competências e diretrizes (que são comuns a todas as escolas) e
  • Currículos (que são diversos, respeitando as localidades de cada instituição e realidade dos alunos). 

O art. 26 da LDB reafirma essa noção, ao afirmar que a educação básica deve ter “base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e dos educandos”.

Podemos observar aqui, portanto, o embrião da estrutura do novo ensino médio. Ele é composto por uma base curricular comum (a BNCC) e por uma parte que varia de acordo com cada realidade social e com a opção de cada estudante (os itinerários formativos).

O respeito às realidades locais no ensino também é firmado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais desenhadas pelo Conselho Nacional da Educação (CNE) em suas várias edições, desde os anos 1990 até o exemplar atual.

Os artigos que citamos acima são anteriores à introdução do novo ensino médio. No entanto, como ressaltamos, a Lei 13.415 de 2017 inseriu outros artigos específicos desse novo modelo educacional.

Vamos passar por algumas dessas novas determinações ao detalhar o funcionamento do novo ensino médio.

Resolução CNE/CEB nº 3 de 2018

Essa resolução, por sua vez, vem para atualizar as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, regulamentando as alterações promovidas na LDB pela Lei 13.415 de 2017.

Trata-se do principal documento necessário para perceber os aspectos mais específicos do novo ensino médio. Vamos abordar vários dispositivos desta resolução ao longo do presente texto, quando explicarmos em maiores detalhes as principais alterações.

Como é a estrutura do novo ensino médio?

Como assinalamos no início do texto, o novo ensino médio será estruturado em duas grandes partes:

  1. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que compreende as aprendizagens essenciais que os alunos devem assimilar ao longo de toda sua formação básica;
  2. Os itinerários formativos, que consistem na parte mais flexível da formação estudantil — são, basicamente, atividades mais práticas, voltadas à contextualização dos alunos à sua realidade social e ao mercado de trabalho.

Vamos especificar, a partir de agora, esses componentes da estrutura do novo ensino médio. 

O que é a Base Nacional Comum Curricular?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é uma orientação normativa “que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica” (destaques nossos).

O documento oficial da BNCC, de onde vem a definição acima, pode ser encontrado nesta página do MEC. Nela, você também encontra uma página interativa com a BNCC para navegação, além de uma planilha com suas informações.

A BNCC se constitui, portanto, como a parcela do ensino básico que é partilhada por todas as escolas brasileiras, das redes públicas e privadas de ensino. Ela delineia o que deve ser aprendido pelos estudantes em cada etapa da educação básica.

Orienta-se pelo Plano Nacional da Educação (PNE) e pelos princípios “éticos, políticos e estéticos que visam à formação humana integral e à construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva” (documento da BNCC, pág. 9).

Com o novo ensino médio, todos os alunos deverão aprender os conteúdos trazidos pela BNCC. Como o nome indica, ela é a base comum do aprendizado de todos eles, composta por conhecimentos essenciais, competências e habilidades que as escolas devem desenvolver no corpo estudantil.

Compreender em mais detalhes a BNCC do novo ensino médio é imprescindível para que as IES conheçam bem o perfil dos novos estudantes. Essa compreensão pode exercer impacto direto, inclusive, em suas estratégias de captação de alunos.

Por isso, vamos analisar com profundidade o conteúdo previsto e descobrir o que os futuros ingressantes terão aprendido quando iniciarem seu percurso na educação superior.

Leia também: Entenda a importância do planejamento educacional e como montá-lo em sua IES

Como é organizada a BNCC no ensino médio?

A BNCC, na etapa do Ensino Médio, é organizada em quatro áreas do conhecimento, conforme determina a LDB em seu art. 35-A:

  1. Linguagens e suas tecnologias;
  2. Matemática e suas tecnologias;
  3. Ciências da natureza e suas tecnologias;
  4. Ciências humanas e sociais aplicadas

Importa ressaltar, no entanto, que essa nova organização do Ensino Médio não exclui necessariamente as disciplinas contidas em cada área. O objetivo é fortalecer as relações entre essas disciplinas, assim como sua contextualização para apreensão e intervenção na realidade, conforme consignado no documento da BNCC (pág. 34).

Para trabalhar bem cada uma das áreas do conhecimento, a BNCC prevê competências gerais, competências específicas e habilidades que devem ser desenvolvidas em cada uma.

Quais são as competências gerais do novo ensino médio?

  1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva;
  2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas;
  3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
  4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
  5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
  6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho, e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.
  7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.
  8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
  9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
  10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Leia também: Saiba como desenvolver as competências e habilidades pedagógicas para o ensino superior

Competências específicas das áreas do conhecimento

Cada área do conhecimento, por sua vez, estabelece competências específicas que devem ser desenvolvidas, tanto na BNCC quanto por ocasião dos itinerários formativos.

As competências específicas, como indica seu nome, são responsáveis por detalhar de que forma as competências gerais da educação básica serão expressas em cada área do conhecimento. Elas são articuladas com as competências específicas trabalhadas no ensino fundamental.

É interessante conhecer mais sobre as competências específicas desenvolvidas em cada uma das áreas do conhecimento. Para fazer isso, basta acessar essa página do MEC e navegar pelas planilhas disponíveis para download.

Habilidades do novo ensino médio

As habilidades, por sua vez, representam as aprendizagens essenciais que devem ser garantidas pela BNCC. Elas visam assegurar o desenvolvimento das competências específicas de cada área do conhecimento. 

As quatro áreas do conhecimento definem suas competências específicas e habilidades correspondentes. Além disso, há definição de competências específicas e habilidades próprias da Língua Portuguesa.

Cada habilidade definida pela BNCC é identificada por um código alfanumérico. Para ilustrar como isso funciona, vamos utilizar a imagem abaixo, retirada no documento das BNCC:

Imagem explicativa das habilidades trabalhadas na BNCC e seus códigos alfanuméricos. Fonte: Documento das BNCC, pág. 36.
Imagem explicativa das habilidades trabalhadas na BNCC e seus códigos alfanuméricos. Fonte: Documento das BNCC, pág. 36.

Como você pode ver, cada habilidade corresponde a um código específico, que identifica a área do conhecimento a que pertence, a competência específica trabalhada e outros fatores.

Também é possível baixar as planilhas disponibilizadas pelo MEC para conhecer mais a fundo cada uma das habilidades do novo ensino médio. Assim, você sabe quais delas os futuros alunos da IES terão aprendido ao longo de sua formação.

Leia também: Conheça a atividade de aprendizagem e saiba como desenvolvê-la em sua IES

O que são os itinerários formativos?

Os itinerários formativos, por sua vez, consistem na outra parte da organização curricular do novo ensino médio, junto à BNCC. Em síntese, são atividades que podem ser escolhidas pelos próprios estudantes ao longo de sua formação, possibilitando assim uma maior flexibilização do aprendizado.

Nos termos da Resolução CNE/CEB nº 3 de 2018, em seu art. 6º, inciso III, os itinerários formativos possibilitam ao estudante “aprofundar seus conhecimentos e se preparar para o prosseguimento de estudos ou para o mundo do trabalho, de forma a contribuir para a construção de soluções de problemas específicos da sociedade” (destaque nosso).

Segundo definição do MEC, consistem em um conjunto de “disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho”.

Como podemos perceber, a noção dos itinerários formativos vai ao encontro da legislação educacional no Brasil, ao passo em que procura situar o ensino básico cada vez mais nas realidades sociais.

Essa tendência também se assemelha a alguns movimentos presentes no ensino superior, a exemplo da curricularização da extensão.

Leia também: Saiba o que é aprendizagem personalizada

Como são estruturados os itinerários formativos?

Os itinerários formativos podem ser estruturados de uma das seguintes formas:

  1. Com foco em uma das quatro áreas do conhecimento ou na formação técnica e profissional do estudante (FTP);
  2. Na mobilização de competências e habilidades de mais de uma área, no caso dos itinerários integrados.

As DCNEM de 2018 também delineiam quais tipos de aprendizado os itinerários formativos do novo ensino médio devem trabalhar, em relação a cada uma das áreas. Essa definição é encontrada no art. 12 da Resolução CNE/CEB nº 3/2018, em seu caput e incisos.

Os conteúdos ministrados através dos itinerários formativos, em cada uma das quatro áreas, envolve o aprofundamento de conhecimentos estruturantes que permitam sua aplicação em contextos sociais e de trabalho. Todos devem considerar, também, a realidade local e as possibilidades de oferta pelos sistemas de ensino.

Já em relação à FTP, devem ser desenvolvidos, em síntese, “programas educacionais inovadores e atualizados que promovam efetivamente a qualificação profissional dos estudantes para o mundo do trabalho”. 

Vamos falar um pouco sobre os tipos de aprendizado em cada um dos campos previstos para os itinerários formativos. Dessa forma, podemos levantar um panorama geral das aptidões que os estudantes podem escolher desenvolver em seus currículos.

Clicando em cada um dos intertítulos abaixo, você será redirecionado a páginas do MEC que explicam melhor os itinerários formativos de cada um desses campos.

Linguagens e suas tecnologias
  • Línguas vernáculas, estrangeiras, clássicas e indígenas,
  • Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS);
  • Artes, 
  • Design, 
  • Linguagens digitais, 
  • Corporeidade, 
  • Artes cênicas, 
  • Roteiros, 
  • Produções literárias, dentre outros.
Matemáticas e suas tecnologias
  • Resolução de problemas e análises complexas, funcionais e não-lineares;
  • Análise de dados estatísticos e probabilidade;
  • Geometria e topologia;
  • Robótica;
  • Automação;
  • Inteligência artificial;
  • Programação;
  • Jogos digitais;
  • Sistemas dinâmicos, dentre outros.
Ciências da natureza e suas tecnologias
  • Astronomia;
  • Metrologia,
  • Física geral, clássica, molecular, quântica e mecânica;
  • Instrumentação;
  • Ótica;
  • Acústica;
  • Química dos produtos naturais;
  • Análise de fenômenos físicos e químicos;
  • Meteorologia e climatologia;
  • Microbiologia;
  • Imunologia e parasitologia;
  • Ecologia;
  • Nutrição;
  • Zoologia, dentre outros.
Ciências humanas e sociais aplicadas
  • Relações sociais;
  • Modelos econômicos;
  • Processos políticos;
  • Pluralidade cultural;
  • Historicidade do universo, do homem e natureza, dentre outros.
Formação técnica e profissional

O aprendizado, aqui, deve visar especificamente à habilitação profissional do estudante, “tanto para o desenvolvimento de vida e carreira, quanto para adaptar-se às novas condições ocupacionais e às exigências do mundo do trabalho contemporâneo e suas contínuas transformações, em condições de competitividade, produtividade e inovação”.

Quais são os eixos estruturantes dos itinerários formativos?

Nos termos do art. 12, §2º e incisos da Resolução CNE/CEB nº 3/2018, existem alguns eixos estruturantes que devem orientar os itinerários formativos.

Tais itinerários podem se organizar em um ou mais destes eixos, que são os seguintes:

  1. Investigação científica: envolve o aprofundamento de conceitos fundantes das ciências para a interpretação de ideias, fenômenos e processos. A ideia é que estes conceitos sejam utilizados em procedimentos de investigação voltados ao enfrentamento de situações cotidianas e demandas locais e coletivas. Além disso, deve-se buscar a proposição de intervenções que considerem o desenvolvimento local e a melhoria da qualidade de vida da comunidade.
  2. Processos criativos: supõe o uso e o aprofundamento do conhecimento científico na construção e criação de experimentos, modelos e protótipos. Pode-se, assim, criar processos ou produtos que atendam a demandas pela resolução de problemas identificados na sociedade;
  3. Mediação e intervenção sociocultural: supõe a mobilização de conhecimentos de uma ou mais áreas para mediar conflitos, promover entendimento e implementar soluções para questões e problemas identificados na comunidade;
  4. Empreendedorismo: supõe a mobilização de conhecimentos de diferentes áreas para a formação de organizações, com variadas missões, voltadas ao desenvolvimento de produtos ou prestação de serviços inovadores com o uso das tecnologias.

Esperamos que tenha gostado deste conteúdo sobre o novo ensino médio! Que tal ficar por dentro de mais assuntos relacionados à regulamentação da educação em nosso guia completo sobre a avaliação do MEC?

#TôComASaraivaEducação 11: Univiçosa

A história da Univiçosa começou em 2005, quando um grupo de professores, médicos e empresários se uniu para formar a instituição de educação superior (IES) focada em cursos da área da saúde. Nos últimos 16 anos, a IES se tornou um Centro Universitário e conta, hoje, com 18 cursos em andamento.

Neste artigo, falaremos mais sobre a Univiçosa e o seu relacionamento com a Saraiva Educação. Assim, mostraremos como essa instituição se tornou um case de sucesso!

Conheça a Univiçosa

Localizada na cidade de Viçosa, no interior de Minas Gerais, a Univiçosa surgiu com o objetivo de levar educação de qualidade a mais cidades daquela região. Localizada não no centro, mas em uma das principais vias de acesso à cidade, ela recebe alunos de várias pequenas cidades.

Hoje, com 18 cursos em andamento e mais perspectivas de crescimento, a IES abrange várias outras áreas. Além da área da saúde, a IES conta também com cursos nas áreas de Engenharia e ciências humanas.

A coordenadora do curso de Nutrição e responsável pelo programa Enade Vamos Lá, Cristiane Sampaio Fonseca, conta que a proximidade da Univiçosa com a universidade federal local contribuiu muito para que a excelência educacional fosse um dos pilares da instituição. E, para auxiliar nesse projeto, a Solução Enade da Saraiva Educação foi uma importante aliada.

A parceria entre a Univiçosa e a Solução Enade

Depois de ler sobre o Enade, Cristiane conta que começou a mobilizar toda a instituição, de outros coordenadores de curso a alunos, sobre a importância da prova

Para ela, o que importava mais era entender como a instituição poderia ajudar a resolver aqueles resultados que poderiam ser melhores. “Era muito fácil dizer que era culpa dos alunos, mas não era só isso. Como a gente participou desse resultado?”, conta. 

Foi assim que começou a buscar soluções que dessem apoio aos alunos e professores sobre esse tema. E encontrou a Saraiva Educação. Para ela, além de um ótimo suporte técnico, houve também um importantíssimo suporte emocional. 

“Fui muito bem recebida, desde o começo”, lembra. “Poder trabalhar com uma empresa parceira, que está junto, que quer que vocês cresçam juntos, tenham bons retornos… é fundamental. Foi a primeira vez que eu tive isso com uma empresa. Nenhum outro lugar me tratou tão bem sem pretensão nenhuma.”

As vantagens da Solução Enade

Sobre ter uma solução especializada no Enade, Cristiane afirma que os pontos positivos foram muitos. Para os professores, ela contribuiu para ampliar o modo como eles encaravam a prova e como preparavam suas questões e simulados.

“Eles conseguiram sanar essa dificuldade de elaborar questões mais fechadas, interdisciplinares, com o acesso ao Banco de Questões”, diz. “O relatório detalhado dos simulados auxiliou muito os professores, porque era mais fácil identificar quais habilidades e competências precisavam ser mais trabalhadas.”

Outra vantagem foi que os professores se sentiram menos sobrecarregados. “A Saraiva já tem todo o know-how para esse foco no Enade, então o professor não precisava ter mais uma preocupação. Ele podia focar nas suas atividades, na sua turma”, ela conta.

Já para os alunos, a Solução Enade se tornou uma maneira de estimulá-los a aprender cada vez mais. Primeiro, porque os inseriu em um ambiente preocupado com o desenvolvimento de habilidades e competências que os acompanhariam ao longo de suas vidas.

Além disso, eles passaram a integrar ainda mais a tecnologia ao seu dia a dia, porque perceberam a importância dessas ferramentas para a aprendizagem. Com metodologias como a gamificação, parte da Solução Enade, ficou mais fácil fazer essa conexão entre algo que eles já usavam todos os dias e os estudos.

A Solução Enade e a melhora no desempenho estudantil

Depois de firmar a parceria com a Saraiva Educação, Cristiane conta que percebeu uma mudança na maneira como todos da instituição enxergavam o Enade. “Antes, o engajamento dos alunos era difícil, eu precisava convencê-los, mas agora acredito que a gente consiga mostrar pra eles com mais clareza a importância dessa prova”, ela diz.

Soma-se a isso os resultados positivos que a Univiçosa apresentou em provas posteriores. Alguns cursos foram da nota 2 para a nota 3, ou da nota 3 para a nota 4. Cristiane conta ainda que mesmo aqueles que se mantiveram com a mesma nota ganharam “uma encorpada”: “Além da migração das notas, houve um aumento daquelas que se mantiveram iguais, ficaram mais significativas. O que era um 3 quase 2, agora é um 3 de verdade, mais perto do 4.”

Para alcançar essa melhora, os simulados diagnósticos da Solução Enade desempenharam um papel fundamental. Embora não mostrassem informações conteudistas, permitiam perceber quais habilidades e competências deveriam ser estimuladas. Isso direcionou a prática pedagógica da instituição e motivou professores e alunos.

O atendimento da Saraiva Educação e a Solução Enade

Para Cristiane, a maior diferença entre a Solução Enade e outras soluções era a preocupação com o atendimento. Ela destaca que, durante o primeiro ano como parceira da Saraiva Educação, tudo foi feito de maneira mais acelerada, pois tratava-se do Pocket Enade, que teve início já no mês de agosto.

No entanto, para ela, a experiência foi muito positiva. “O atendimento da Saraiva foi essencial para que a implementação da solução desse certo já no segundo semestre”, conta. “Eu sempre conseguia ligar e explicar se tinha alguma dificuldade e era imediatamente atendida.”

Ela destaca ainda que, sem o apoio da equipe da Saraiva Educação, teria sido muito mais difícil mobilizar toda a instituição para compreender a importância do Enade. Foi sobretudo graças ao preparo dessa equipe que eles conseguiram realizar as primeiras transformações pedagógicas.

Por que escolher a Saraiva Educação

Para além da experiência positiva com o atendimento e a melhoria no desempenho de professores e alunos, Cristiane destaca também a melhoria no perfil da instituição.

“As maiores notas no Enade permitiram que a gente tivesse uma melhor avaliação como IES, também. Então foi um processo de melhorias muito importante”, ela diz. 

Além disso, o bom desempenho da Instituição no exame fez com que fosse mais fácil captar novos alunos. Desse modo, a excelência demonstrada pela Univiçosa se tornou uma marca da instituição e atraiu ainda mais estudantes prontos para revolucionar o seu ensino. “Eu recomendaria a Saraiva Educação com certeza. Foi uma satisfação muito grande ver que todo aquele trabalho árduo teve bons resultados”, ela diz. 

O objetivo da Saraiva Educação é transformar a educação. Para isso, nós oferecemos soluções inovadoras e ferramentas que visam melhorar o dia a dia dos estudantes e professores, auxiliando em todo o processo de ensino-aprendizagem.

A Solução Enade é apenas uma dessas ferramentas. O nosso comprometimento é com a educação de qualidade e com os melhores resultados nas IES do Brasil. E tudo isso sempre com uma equipe especializada, que oferece todo o apoio necessário. Então o que você está esperando para participar desse processo? Fale com um de nossos especialistas agora mesmo!

Plantão Saraiva Educação #19: I Fórum da Educação Superior, apresentação de iniciativas do Inep e mais!

No Plantão Saraiva Educação desta semana, trouxemos notícias sobre as novas iniciativas do Inep, eventos promovidos pela Saraiva Educação e materiais para você aproveitar em sua instituição de educação superior (IES). Confira!

Saraiva Educação e Humus realizam I Fórum da Educação Superior

Na última quarta-feira, dia 29 de setembro, a Saraiva Educação e a Humus realizaram o I Fórum da Educação Superior, com tema: Gestão baseada em dados na pós-graduação: planejando processo de ensino e de aprendizagem estratégico e inovadores.

O evento contou com a participação de Aparecida do Carmo Frigeri Berchior, consultura associada da Humus; Fellipe de Assis Zaremba, Gerente de Educação Digital e Educação Continuada da PUC-Campinas e Conselheiro de Ética e Qualidade ABED; e Murilo Ángeli dos Santos, professor universitário, advogado especialista em Direito Educacional e head de desenvolvimento de negócios e inovação acadêmica da Saraiva Educação.

Foram abordados tópicos como:

  1. Transformações normativas e pedagógicas na Educação Superior
  2. A exigência normativa da gestão baseada em dados
  3. Um novo olhar para a Extensão ou “terceira missão” no cenário atual
  4. CPA, egressos, demandas e tendências de mercado
  5. Currículo e inovação  na oferta da pós- graduação lato sensu ead
  6. Modelagens modulares e diferenciadas de oferta
  7. O Data-driven e os componentes mais relevantes para fazer uma gestão de dados
  8. A cultura de gestão de dados nos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu 100% Digitais
  9. A Educação 5.0 nos cursos de Pós-graduação 100% Digitais

Desafios para uma atuação estratégica no ensino superior

Não pôde participar do Encontro Insper e Saraiva Educação sobre desafios para uma atuação estratégica no ensino superior em novos cenários? Não se preocupe: trouxemos os principais pontos abordados no evento em um material com perguntas e respostas. Clique aqui para baixar gratuitamente!

Iniciativas do Inep são apresentadas a entidades da educação superior

No dia 24 de setembro, Danilo Dupas, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), se reuniu com outros representantes do Instituto e com membros do Fórum de Presidentes do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) para apresentar as iniciativas prioritárias, indicadores de performance e medidas de melhorias da autarquia.

De acordo com representantes, as novas iniciativas do Instituto buscam proporcionar maior transparência e segurança nos procedimentos. Ainda foram abordadas as avaliações externas virtuais in loco e os estudos educacionais produzidos pela autarquia. Confira mais informações no site do MEC!

Novo ebook: Guia básico do marketing digital para educação

A sua instituição de educação superior já utiliza o marketing digital para a captação de alunos? Neste ebook, apresentamos os principais conceitos para você atuar em diferentes canais e traçar uma estratégia realmente eficiente para a sua IES. Baixe gratuitamente!

Plantão Saraiva Educação #18: educação bilíngue para pessoas surdas, prazos do Enade e curso de Direito EaD

No Plantão Saraiva Educação desta semana, trouxemos uma importante lei relacionada à educação de pessoas surdas que foi sancionada recentemente, além de prazos do Enade que você não pode perder e conteúdos importantes para quem quer oferecer o curso de Direito EaD. Continue a leitura para conferir tudo!

Estudantes têm até hoje (17/09) para indicar o curso no Enade

Os estudantes concluintes de dois cursos que serão avaliados na próxima aplicação do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) têm até hoje, dia 17 de setembro, para informar, via Sistema Enade, a opção de curso em que deseja ser avaliado.

A opção do curso de referência é necessária para o preenchimento do Questionário do Estudante e para a realização da prova em si. Por isso, não deixe de relembrar a comunidade acadêmica sobre esse importante passo!

Banner de divulgação do ebook gratuito: passos a abrir um curso de Direito EaD. Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-passos-curso-direito-ead?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Lei sobre a educação bilíngue de pessoas surdas é sancionada

No dia 03 de agosto, foi sancionada a Lei Nº 14.191, que dispõe sobre a modalidade de educação bilíngue das pessoas surdas. Alterando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, ela determina que, havendo necessidade, a instituição de ensino deverá oferecer serviços de apoio educacional especializado, respeitando a diversidade humana, linguística, cultural e identitária desde o ensino infantil.

Especificamente sobre o ensino superior, a nova legislação dispõe que “na educação superior, sem prejuízo de outras ações, o atendimento aos estudantes surdos, surdo-cegos, com deficiência auditiva sinalizantes, surdos com altas habilidades ou superdotação ou com outras deficiências associadas efetivar-se-á mediante a oferta de ensino bilíngue e de assistência estudantil, assim como de estímulo à pesquisa e desenvolvimento de programas especiais.”.

Confira a lei completa clicando aqui.

Trilhas de conhecimento do Direito EaD

Você deseja desenvolver um curso de Direito EaD em sua IES, mas está cheio de perguntas? Nós selecionamos as principais dúvidas que recebemos de gestores de instituições de educação superior do Brasil todo e montamos 4 trilhas de conhecimento. Você pode participar de quantas quiser e é tudo gratuito! Os temas são:

  • Como garantir a autorização do Direito EaD?
  • Como engajar os alunos com conteúdo jurídico online?
  • Quem são os alunos que estão buscando o Direito EaD? Sua IES está preparada?
  • Como garantir a atualização contínua do conteúdo jurídico em minha IES?

Clique aqui para se inscrever gratuitamente!

Banner de divulgação das trilhas de conteúdos sobre Direito EaD. Link para se inscrever: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-tofu-trilhas-direito-ead?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Plantão Saraiva Educação #17: preferência de docentes por ensino híbrido, audiolivro sobre metodologias ativas e mais!

Saraiva Educação e Insper promovem encontro para discutir desafios para uma atuação estratégica no ensino superior

No dia 24 de agosto, a Saraiva Educação e o Instituto Insper promoveram o encontro “Desafios para uma atuação estratégica no ensino superior em novos cenários”. Com a participação do professor David Kallás e de Carlos Pagani, com mediação do professor Murilo Ángeli dos Santos, foram discutidas questões relacionadas à preparação das instituições de educação superior (IES), em meio à aceleração digital percebida nos próximos anos, para o período pós-pandemia.

Se você não pôde participar, aproveite: a gravação do encontro está disponível em nosso canal do YouTube. Clique aqui para assistir!

MEC lança plataforma para acompanhamento de indicadores nas instituições da rede federal

Em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o Ministério da Educação (MEC) lançou a Plataforma ForPDI no dia 30 de agosto. Por meio dela, será possível realizar a gestão e acompanhar o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) das IES da rede federal de forma gratuita.

Por meio da ferramenta, será possível:

  • criar planos estratégicos;
  • acompanhar indicadores, métricas e informações orçamentárias;
  • gerar metas;
  • acompanhar os resultados do PDI em tempo real

Veja mais informações no portal de notícias do MEC.

Pesquisa aponta preferência de professores por ensino híbrido

De acordo com a 2ª pesquisa Adoção de Aulas Remotas – Visão dos Alunos e Docentes, apresentada na 5ª edição do seminário “O Futuro do Ensino Superior”, promovido pelo Semesp, o número de professores que preferem uma mescla entre aulas remotas e presenciais cresceu de novembro de 2020 para este ano. Foram 2.920 estudantes e 466 docentes participantes do estudo, que mostra a percepção desses grupos sobre as aulas remotas.

46,4% dos professores da rede privada e 49,5% dos docentes da rede pública apontaram preferir as aulas híbridas. Na edição anterior da pesquisa, 45,6% dos professores da rede privada apresentavam esse posicionamento. Por outro lado, 33,2% dos docentes da rede privada e 35,4% da rede pública continuam preferindo o ensino totalmente presencial. Por último, o volume de professores que defende as aulas 100% EaD chega a 19,2%.

Por outro lado, apenas 23,7% dos alunos da rede privada e 32,2% da rede pública preferem a mescla entre o ensino remoto e o presencial. Dentre os que optam pelo ensino 100% presencial, estão 47% dos estudantes da rede privada e 43,2% da rede pública. Assim com no caso dos docentes, os estudantes que preferem aulas totalmente a distância chega a 19%.

Saiba mais sobre a pesquisa no site do Semesp.

Saraiva Educação lança audiolivro sobre metodologias ativas de ensino

Confira o audiolivro gratuito lançado pela Saraiva Educação sobre o que são, tipos, desafios, benefícios e muito mais sobre as metodologias ativas. É só clicar aqui e se cadastrar!

Banner de divulgação do audiolivro "Metodologias ativas no ensino superior". Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-audiolivro-tofu-metodologias-ativas-ensino-superior?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

 

Plantão Saraiva Educação #16: semana do Direito EaD, regulamento da Avaliação Quadrienal e mais!

O Plantão Saraiva Educação de hoje vem recheado de conteúdos de qualidade para você que está organizando a implementação do curso de Direito a distância em sua IES: a Semana do Direito EaD está se encerrando mas você pode assistir as gravações e receber os materiais diretamente em seu e-mail.

Não deixe de continuar a leitura para se cadastrar e ver outras notícias importantes da quinzena!

Saraiva Educação promove a Semana do Direito EaD

Nesta semana, a Saraiva Educação promoveu a Semana do Direito EaD, com live no Instagram, webinários e materiais voltados ao tema. A semana se encerra hoje, mas as gravações e os materiais ficarão disponíveis para acesso posterior, basta se cadastrar aqui!

Confira como foi a programação:

  • 16.08: [Live] Direito 100% EaD: previsões e próximos passos
  • 17.08: [Infográfico] Análises e perspectivas do curso de Direito EaD
  • 18.08: [Webinário] Saiba como funciona o processo de autorização de curso de Direito EaD (com a Unifamma!)
  • 19.08: [Ebook] Guia: passos para abrir um curso de Direito EaD
  • 20.08: [Webinário] Curadoria de conteúdos para disciplinas EaD de Direito

Banner de divulgação do ebook "Disciplinas online de Direito: como desenvolver na IES?". Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-mofu-disciplinas-online-direito?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Regulamento da Avaliação Quadrienal 2017-2020 já está disponível

No dia 9 deste mês, a presidência da CAPES publicou o regulamento da Avaliação Quadrienal 2017-2020. O documento contém informações sobre os objetivos e procedimentos que serão adotados ao longo da avaliação, que analisará 5 mil programas de pós-graduação em todo o país.

A Avaliação Quadrienal tem o objetivo de analisar o desempenho dos programas de pós-graduação, além de verificar se as metas educacionais da área foram atingidas, zelando pela qualidade dos programas e da formação de mestres e doutores no Brasil. As notas atribuídas vão de 1 a 7.

Leia o regulamento aqui.

Prazos relacionados ao Censo da Educação Superior 2020 são prorrogados

No dia 6 de agosto, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria n.º 286/2021, prorrogando os prazos de coleta da pesquisa estatística. Confira algumas datas importantes:

  • 17 de outubro: prazo para as instituições de educação superior (IES) declararem as informações no Sistema Censup;
  • 18 a 29 de outubro: período para conferir e enviar as justificativas dos relatórios de consistência;
  • 1 a 14 de novembro: período de análise, pelo Inep, das justificativas;
  • 16 de novembro a 9 de dezembro: período para realização dos ajustes de dados;
  • 16 de novembro a 3 de dezembro: verificação, pelo Inep, das informações declaradas;
  • 16 de dezembro: prazo para retificação ou homologação dos dados;
  • 18 de fevereiro de 2022: divulgação do Censo da Educação Superior 2020.

Conheça a biblioteca digital de Direito ideal para a sua IES

As bibliotecas digitais são hoje uma necessidade para as instituições que almejam bons conceitos no MEC, além de ferramentas importantes no processo de captação de alunos. 

Quem procura uma instituição de ensino para ingressar deseja sobretudo duas coisas: praticidade e referência, e um acervo online influi diretamente sobre esses dois aspectos.

Quando falamos de biblioteca digital de Direito, esses benefícios ficam ainda mais evidentes. Conceder acesso de qualquer lugar para as obras, sem fila de espera, disponibilidade 24h e busca facilitada são vantagens que qualquer estudante deseja. 

Mas essas características se fazem ainda mais necessárias quando entramos no universo dos cursos de Direito, uma vez que a demanda de atualizações dos livros é constante e a busca por termos específicos é imprescindível. 

Se para qualquer estudante as vantagens de uma biblioteca online já são grandes, no ensino de alguns cursos com alta carga de consulta e atualização como o Direito elas são ainda maiores.

Isso tudo sem contar em como os acervos virtuais facilitam o trabalho das IES em atender às demandas dos alunos, otimizar o tempo de trabalho de seus bibliotecários e poupar recursos financeiros.

Na sequência, vamos abordar algumas vantagens que comprovam toda a diferença que uma biblioteca digital de Direito pode trazer ao ensino da sua instituição. Confira!

5 Benefícios de contar com uma biblioteca digital de Direito em sua IES

Na introdução deste artigo, você já pôde conhecer algumas das vantagens de contar com uma biblioteca digital que atenda ao curso de Direito em sua instituição de educação superior (IES). Agora, vamos nos aprofundar em alguns desses benefícios.

1. Acesso de qualquer lugar

Estudantes de Direito precisam realizar consultas constantes a diversas obras que trazem normativas jurídicas, bem como leis, e nem sempre possuem o tempo necessário para ir a uma biblioteca física.

Isso acontece sobretudo a partir do momento em que já estão cumprindo estágios ou para aqueles que só conseguem estar na instituição no horário restrito das aulas. 

A biblioteca digital de Direito permite que o acesso às obras seja irrestrito e realizado a partir de qualquer lugar com acesso à internet.

2. Acesso a um número ilimitado de obras

Ao contrário de uma biblioteca física, que acaba limitando o número de livros que o aluno pode levar para consulta em seus estudos fora da instituição (seja por disponibilidade de exemplares, seja pela limitação física que o estudante terá para carregar essas obras, que quase sempre são bastante pesadas), o acervo virtual permite acesso a inúmeras obras sequencialmente sem limite de quantidade ou tempo.

3. Busca direcionada e otimização do tempo de trabalho

Buscas por termos ou leis específicos são práticas comuns no universo do Direito. Com uma biblioteca digital, essa busca fica incomparavelmente facilitada e mais precisa. Afinal, o estudante pode localizar, em poucos cliques, todas as vezes que uma palavra ou termo são citados em determinada obra.

4. Garantia de constante atualização

As obras de Direito passam sempre por constantes atualizações, o que demanda da IES estar sempre atenta e disponível para buscar e adquirir essas novas obras. 

Com uma biblioteca digital de Direito, a própria solução contratada irá fornecer automaticamente todas as atualizações que a sua instituição precisa. 

5. Redução de custo

Cada atualização das obras demanda também um novo gasto para a aquisição das novas versões. A alta demanda de atualização e necessidade de exemplares para atender a diversos alunos acaba se configurando em um custo bem maior para a IES do que a manutenção de uma biblioteca digital. 

Além disso, a IES também poupa gastos de manutenção das obras ou substituições por extravios.

Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

Conheça a BDS Legis, a biblioteca digital de Direito da Saraiva Educação

Além de todos os diferenciais já citados acima, a BDS Legis traz vantagens que só uma empresa com a trajetória qualificada e reconhecida como a Saraiva Educação pode oferecer para a sua instituição. Saiba mais a seguir!

O que é a BDS Legis?

O recorte da Biblioteca Digital Saraiva específico para o curso de Direito é a BDS Legis. O acervo legislativo é composto por 11 títulos selecionados, incluindo Vade Mecum Tradicional e Vade Mecum temáticos de Direito Penal, Direito Civil, Trabalhista, entre outros.

Essas publicações são essenciais para qualquer estudante de direito, e instituições que possuem esse curso em suas estruturas precisam disponibilizar material de consulta, de qualidade e atualizado, para seus alunos.

Esses 11 títulos são o que chamamos de legislação seca, os textos na íntegra, como são publicados pelos legisladores. Chamada ainda de “a letra da lei”, é a forma com que esse conteúdo é apresentado nas principais avaliações.

Seja na esperada prova da Ordem dos Advogados do Brasil, nos concursos, ou na consulta para uso diário, é cobrado que advogados e futuros bacharéis em Direito tenham esse importante material como apoio.

Não é incomum que as questões das principais provas aplicadas para os profissionais da área de Direito sejam reproduções de dispositivos legais, com frases minimamente alteradas.

Conhecer os termos exatos das publicações é, sem dúvida alguma, um trunfo dos estudantes mais dedicados. Isso garante o sucesso de diversos aspirantes aos cargos nessa área.

Durante sua formação, os estudantes de Direito aprenderão a instrumentalizar esse material, ou seja, a estudá-lo, consultá-lo e tê-lo como base para suas tarefas diárias. 

Por que contar com a BDS Legis na IES?

A BDS Legis é uma forma de contar com uma seleção de obras de legislação de qualidade, que consegue reunir a tradição e a curadoria de conteúdos da Saraiva Educação, com todas as possibilidades relacionadas a um conteúdo digital. Quer conhecer mais algumas vantagens da nossa solução?

1. Experiência pensada para o segmento

 

A plataforma da BDS Legis tem funcionalidades pensadas para o estudante da área. A escolha das obras é direcionada ao público e há uma atenção especial às atualizações

O Vade Mecum da Saraiva já é o mais vendido e altamente reconhecido em sua versão digital. O acesso à obra faz com que os discentes economizem um bom dinheiro, até duas vezes ao ano, que é quando ocorrem as atualizações.

Uma versão com alta qualidade, baixo custo de manutenção e que sempre está atualizada, parece uma boa ideia, não?

Além disso, a BDS Legis ainda conta com a Consolidação das Leis do Trabalho, Código Civil, Código Penal, entre outras publicações essenciais

2. Atualização constante

Todo semestre o conteúdo é atualizado, para fornecer às IES e aos seus estudantes as novas versões das principais obras utilizadas no curso de Direito.

Manter esse nível de atualização exige das instituições de ensino superior grandes esforços e recursos. Além do espaço físico, deve haver uma preocupação para que haja quantidade suficiente de obras atualizadas para consulta física da obra.

Como algumas obras são verdadeiras bíblias para os estudos jurídicos, a não atualização deste material de pronto pode causar problemas aos estudantes, como uma educação defasada, em relação aos colegas que têm acesso às obras mais recentes.

Ter uma versão atualizada de pronto, sem que seja necessária nenhuma ação da sua equipe, faz com que seja possível garantir o acesso às publicações atualizadas, enquanto sua IES aguarda os trâmites de compra e recebimento das obras físicas. 

3. Interação com o material

Vários métodos de estudo, utilizados principalmente pelos estudantes que se preparam para provas de certificação, como da OAB ou concursos, utilizam ferramentas de interação com o material de estudo.

Se para aqueles que curtem as versões físicas das obras o marcador de texto e notas autoadesivas são grandes companheiros da jornada de estudos, quem utiliza versões digitais pode contar com ferramentas que garantem maior interação.

Para promover uma experiência semelhante à daqueles que optam por estudar com as versões físicas das obras da área de Direito, a BDS Legis oferece as funcionalidades de anotações e marcações de páginas, entre outras.

Dessa forma, os alunos poderão ter uma experiência totalmente digital, sem perder a dinamicidade da interação com os livros. Quem já usa essas ferramentas relata que ter suas anotações na palma da mão é uma grande vantagem.

Marcadas nas páginas de interesse, essas anotações podem ser consultadas num trajeto de ônibus até o trabalho e a faculdade, ou até mesmo para sanar uma dúvida de última hora na véspera de uma avaliação.

É muito mais organizada, disponível nos dispositivos móveis, para uma experiência de acesso conectada.

4. Democratização do acesso

Falando em acesso, essa é uma vantagem que não podemos deixar de elencar. A disponibilização de um acervo online faz com que alunos diversos possam ter acesso a uma bibliografia básica do curso de Direito.

Com as atualizações constantes e o alto valor do material, é muito difícil que todos os alunos consigam manter suas obras atualizadas. E como as obras da BDS Legis são essenciais para a formação, a falta desse acervo pode levar a uma defasagem na formação.

A quantidade de exemplares físicos, disponíveis para consulta na biblioteca, também pode ser um problema ao não suprir a demanda da sua IES durante todo o semestre letivo. 

Com uma biblioteca digital de Direito, todos os alunos do curso terão acesso às obras básicas, com muita qualidade. Para um aluno que se esforça muito para custear seus estudos, ter acesso à BDS Legis pode ser um grande alívio no planejamento financeiro dos estudos

Para muitas pessoas, a falta de um acervo disponível de forma gratuita é fator decisivo para conseguir consultar um material. Com o investimento da IES na BDS Legis, todos os alunos que tenham acesso à internet ficam resguardados em relação ao acesso das principais legislações.

5. Concursos e outras provas na palma da mão

Como você imagina a rotina dos estudantes da sua IES? Certamente, muitos deles se deslocam durante muitas horas entre as tarefas do dia a dia. Outros tantos trabalham em tempo integral ou desempenham papéis de cuidado em casa.

A formação em Direito passa, necessariamente, por muitas avaliações que necessitam de uma base legislativa sólida por parte dos estudantes. Para isso, o acesso contínuo às obras é fundamental.

Com a BDS Legis, todos os alunos do curso podem estudar de onde estiverem com acesso à internet, e essa é uma estratégia muito necessária.

Se preparar para a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para os concursos desejados ou até mesmo para as avaliações finais do semestre pode ser muito mais fácil quando os alunos podem acessar o acervo de qualquer lugar.

A BDS Legis é, ainda, um grande atrativo a ser noticiado pela sua IES, junto às demais estratégias para captação de novos estudantes. O acervo digital abre novas possibilidades de estudo, de onde estiver, com o selo de qualidade Saraiva Educação. 

6. Gestão padronizada

Fazer a gestão de um acervo de livros é um grande trabalho! Os bibliotecários que o digam! Quando falamos de um acervo do curso de Direito, também estamos falando de uma grande taxa de atualização.

Quem cuida de uma biblioteca com esses títulos deve estar sempre atento às obras que sofrem alterações periódicas. Em algumas instituições, esse trabalho pode ser muito eficaz, em outras nem tanto. 

É preciso considerar vários fatores, como a data de lançamento dos livros, os procedimentos necessários para a compra, o tempo entre a realização do pedido e a chegada das encomendas.

A gestão da BDS Legis é padronizada, dentro de parâmetros de excelência da Saraiva. Não há variações porque o material é atualizado assim que ocorre o lançamento da nova versão.

Livros como Vade Mecum, lançados pela Saraiva Educação, são best sellers de venda, conhecidos pela qualidade do material. A BDS Legis reproduz esses parâmetros em sua gestão do acervo digital.

7. Plataforma de excelência

Para que a experiência de acesso a uma biblioteca digital de Direito seja positiva, é preciso que a plataforma seja capaz de fornecer ferramentas e usabilidade necessárias para os alunos. Por isso a BDS Legis se destaca. 

Além das ferramentas de interação com o material, o acesso ao acervo promove uma experiência de leitura agradável. É possível ajustar o layout de forma completa à leitura, com ajuste do tamanho do texto e orientação da página, por exemplo.

O acesso à plataforma se dá em conexão com a internet pelos principais navegadores, como Safari, Mozilla, Chrome e Edge, e também pelos sistemas iOS e Android, em dispositivos móveis.  

8. Suporte técnico da Saraiva Educação

Até aqui você já conheceu muitas ferramentas e vantagens de ter a BDS Legis incorporada às ferramentas da sua instituição de educação superior. Mas, definitivamente, há outros fatores que podem interferir na sua decisão, como a assistência após a contratação.

O time da Saraiva Educação conta com especialistas atentos às suas necessidades e feedbacks. A experiência de contratar a BDS é também a de incorporar, à sua equipe, pessoas capacitadas para lidar com a nova funcionalidade, que é a sua biblioteca digital.

Tem dúvidas ou quer saber mais informações para levar a biblioteca digital de Direito para a sua instituição? Fale com um de nossos especialistas aqui.

Conteúdos EaD prontos para aquisição: transforme o ensino em sua IES!

Como o aluno de Direito aprende?

Até pouco tempo atrás, a metodologia de aula que vigorava nas instituições de educação superior (IES) brasileiras era a mesma de quando surgiram as primeiras graduações em Direito, no ano de 1827.

Aulas tradicionais, reflexos de um curso também tradicional, em que o professor expõe oralmente o conteúdo dos livros. Sentado em sua carteira pequena, o aluno recebe de forma passiva esse monólogo, durante mais ou menos uma hora na mesma posição – ou, pelo menos, tenta recebê-lo.

A literatura científica já propõe, desde o século passado, alterações nessa dinâmica da sala de aula. Vamos inclusive abordá-la ao longo deste texto. Entretanto, mudanças efetivas nos métodos de ensino, que aplicam tecnologia e motivam o aluno, chegam a passos lentos no ambiente jurídico.

Com a disrupção tecnológica do século XXI, impulsionada pela pandemia do covid-19, as estratégias pedagógicas inovadoras finalmente se estabelecem como atual paradigma. O aluno não mais se interessa em assistir às mesmas aulas expositivas.

O estudante de hoje está interessado em metodologias estimulantes. Ele quer pesquisar o assunto por conta própria, ler textos virtuais, assistir a vídeos objetivos, aprofundar-se por meio da discussão com professor e colegas, analisar casos concretos, preparar-se para concursos e OAB, participar de julgamentos simulados e, assim, ter acesso a múltiplas formas de aprendizado.

Afinal, a aula expositiva pode sim ter seus benefícios, mas é uma única forma de aprendizado. Por isso, não abarca a grande realidade de alunos, em toda sua diversidade, que precisam da prerrogativa de aprender por outros meios.

Contudo, produzir conteúdos digitais, em vários formatos e transformar, assim, o ensino em sua IES é uma tarefa difícil. Envolve o trabalho conjunto de professores, pesquisadores, pedagogos, designers e outros profissionais.

Para ajudar na transformação digital de sua IES, a Saraiva Educação criou uma solução que dá conta de todo esse trabalho e entrega conteúdos EaD prontos para aquisição: conheça as Disciplinas Online Saraiva (DONS).

Banner de divulgação do ebook "Disciplinas online de Direito: como desenvolver na IES?". Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-mofu-disciplinas-online-direito?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

O que é DONS?

As Disciplinas Online Saraiva (DONS) são uma solução da Saraiva Educação que traz um portfólio de conteúdos educacionais digitais em Direito. Por isso, é uma forma prática de aplicar um ensino digital dinâmico, tecnológico e inovador.

São materiais em multimídia que se destacam no mercado em função de sua qualidade. Todos são produzidos por profissionais especialistas em sua área de atuação, entre doutores, pós-doutores e mestres. São conteúdos EaD prontos para uso, que podem ser disponibilizados no próprio ambiente virtual de aprendizagem da instituição.

Ao obter acesso aos conteúdos, você dispõe de vídeos, textos, mapas mentais animados, questões e outros recursos destinados a compor as disciplinas de graduação do curso de Direito.

Por isso, você não precisa deslocar recursos financeiros e humanos para produzir materiais virtuais em sua IES. Nossa equipe se encarrega disso, aproveitando de toda a expertise que possuímos em estratégias pedagógicas.

Conheça os quatro fundamentos pedagógicos da DONS

Existem quatro pilares pedagógicos que constroem as Disciplinas Online Saraiva. Todos eles são lastreados em pesquisas científicas comprobatórias de sua eficiência nos processos de ensino. São eles:

Vamos explicar mais sobre cada um destes fundamentos, com links para artigos mais aprofundados sobre cada um, além da indicação de nossas referências acadêmicas. Dessa forma, você compreende melhor o potencial da DONS.

1. Ferramenta para aplicação de metodologias ativas

O primeiro pilar pedagógico das DONS é ser uma ferramenta para aplicação de metodologias ativas no ensino superior.

Essa estratégia pedagógica foi precedida pelos métodos de Pedagogia Nova, de John Dewey e por William Glasser, psiquiatra educador que desenvolveu a Pirâmide ou Cone de Aprendizagem.

No Brasil, essa tendência foi fortemente defendida por Paulo Freire (1996).

As metodologias ativas ganham força a partir da aplicação de tecnologias de informação e comunicação (TICs) na educação. Esse fenômeno introduziu, na educação, novas formas de se aprender. Também representa uma forte demanda, tanto por parte dos alunos quanto por parte do mercado, que exige agora domínio tecnológico e habilidades comportamentais de seus profissionais.

Por isso, representam uma mudança de paradigma no modelo expositivo tradicional das salas de aula. O aluno passa a ser enxergado como parte integrante, central e ativa do próprio aprendizado, protagonizando sua jornada de ensino.

Em outras palavras, a construção do conhecimento passa a ser um processo compartilhado entre aluno, seus colegas, professores e sociedade. A aprendizagem deixa de ser passiva e passa a ser ativa, estimulada também pelas tecnologias digitais.

Isso não significa, entretanto, que o papel do professor ganha menos importância. Pelo contrário: neste artigo científico publicado por Neusi Aparecida Navas Berbel, doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, a autora considera que a promoção de autonomia por meio de metodologias ativas depende diretamente de uma boa interação com os professores.

Em outras palavras, “O papel do professor, nessa perspectiva, ganha um status de relevância, ao mesmo tempo em que se lhe acrescentam responsabilidades quando comparadas a estilos de trabalho convencionais”.

2. Microaprendizagem

Também conhecida por seu nome em inglês (Microlearning), esse pilar se baseia na noção cientificamente comprovada sobre o melhor ritmo de aprendizado do estudante.

Quando o aluno estuda por meio das TICs, não é interessante produzir vídeos extensos, do tamanho de uma aula presencial. Nos meios virtuais, existem muitas distrações que comprometem o rendimento do estudante.

Transpor uma aula regular, de 50 minutos, para o meio virtual não funciona. Apesar de existir certa resistência em relação aos conteúdos em microaprendizagem, os dados confirmam a eficiência desse método.

Também a respeito, podemos citar um estudo publicado em 2018 pelo Diário Internacional de Pesquisa Educacional. Verificou-se, através de pesquisas, que quando as aulas eram mais curtas, seguindo a abordagem do microlearning, o rendimento dos alunos foi 18% melhor em comparação ao ensino tradicional.

Em síntese, o problema das abordagens clássicas de ensino é que elas não conseguem motivar os alunos a pensar e aprender ativamente, ao mesmo tempo que mantêm uma mente criativa.

3. Aprendizagem multimídia

Esse fundamento pedagógico, por sua vez, aproveita os benefícios da utilização de multimídia e hipermídia na educação. Basicamente, consiste em combinar informações codificadas em diferentes formatos (como voz, imagem e palavras escritas) para ativar múltiplas partes do cérebro.

Tal abordagem deriva dos estudos de Richard Mayer, psicólogo educacional que desenvolveu a Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia. Em seus estudos, Mayer concluiu que a combinação de diferentes estímulos é responsável por uma experiência de aprendizagem mais completa.

Isso auxilia não só a aprimorar a experiência de aprendizado dos alunos individualmente, mas também a coletividade de estudantes. Como cada um deles possui maior afinidade com determinado estímulo, apresentar diversas opções de conteúdo contribui para que toda a pluralidade de alunos encontre o método mais adequado.

Pensando nisso, a DONS disponibiliza conteúdo em formatos diversificados. Confira, abaixo, uma relação desses materiais:

  • Textos;
  • Mapas mentais normais e animados;
  • Vídeos;
  • Testes gamificados: testes aplicados para apurar a retenção dos conteúdos estudados até então;
  • Questões de exames oficiais;
  • Questão discursivas com correção instantânea;
  • Revisão OAB.

4. Aprendizagem significativa

Por fim, o último pilar pedagógico da DONS é aprendizagem significativa. Ela deriva da teoria da aprendizagem cognitiva, cujo principal pesquisador é David Ausubel, também psicólogo e educador. 

Essa teoria surgiu na década de 1960 e foi desenvolvida até os tempos atuais, com contribuições de outros autores como Joseph Novak e Helen Hanesian, além de Marco Antônio Moreira, no Brasil.

À época de seu surgimento, o pensamento em voga na sociedade ocidental era o construtivismo. No campo da educação, as teorias construtivistas consideram que, para que as pessoas construam novos conhecimentos, elas precisam se basear em experiências e conhecimentos já adquiridos anteriormente.

Contextualizando esse pensamento, temos que a aprendizagem significativa leva em conta a interação entre ideias expressas de maneira simbólica e as experiências prévias do estudante, que ocorre de maneira substantiva e não arbitrária.

Dizendo de outra forma, o que o aluno já conhece é um fator determinante para aprender novos conteúdos, de maneira significativa. Os conhecimentos já consolidados podem servir de pontos de ancoragem para novas ideias.

Por isso, tão importante quanto apresentar os conteúdos em si é apresentar a relação entre eles, e levar em conta a relação com outros aprendizados já fixados. Essa é a premissa básica da aprendizagem significativa.

É por essa razão que os mapas mentais têm ganhado popularidade. Eles apresentam uma visão holística do conteúdo e ajudam a criar relações entre os tópicos de determinada disciplina.

Quais são os benefícios da DONS?

  • Preparação dos alunos para o Exame de Ordem: a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) tem ficado cada vez mais competitiva, sendo assim imprescindível preparar os discentes de Direito com antecedência;
  • Preparação dos alunos para prestar concursos públicos: no contexto de superlotação do mercado advocatício, muitos estudantes de Direito optam por seguir carreira pública. No entanto, as provas de concurso são também muito concorridas, ainda mais do que o Exame de Ordem. Por isso, é importante investir em soluções que preparem o aluno desde o início do curso.
  • Melhoria no Enade: esse conceito é importante para construir uma boa reputação em sua IES, e o desempenho dos estudantes também é potencializado pelos conteúdos EaD da DONS; 
  • Melhoria do aprendizado do aluno: o engajamento do corpo estudantil aumenta ao fornecer conteúdo interativo em diferentes formatos;
  • Valorização do professor: ele passa a possuir mais recursos para montar suas aulas e consegue, assim, organizar melhor cada disciplina;
  • Atender às DCN: Para cada conteúdo produzido por DONS, são apresentadas e trabalhadas as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Direito relacionadas ao tema. Além disso, em todas as disciplinas há conteúdos que passam por todos os níveis da Taxonomia de Bloom;
  • Redução de custos e captação de alunos: deslocar parte do aprendizado para o ambiente virtual representa uma economia de recursos por parte da IES e dos alunos, que inclusive procuram por cursos com soluções inovadoras de ensino.

Como utilizar a solução DONS no curso de Direito?

As Disciplinas Online Saraiva foram idealizadas para complementar a carga horária de qualquer curso de Direito,com conteúdos EaD prontos para aquisição, independente de sua modalidade. A aplicação de tecnologias de ensino inovadoras é compatível com qualquer curso de graduação.

Nos cursos presenciais, os conteúdo EaD da DONS podem servir de materiais de apoio às aulas. A ideia é que os alunos tenham acesso ao material para enriquecer seus estudos.

No ensino híbrido, a lógica é a mesma. Os materiais da DONS podem ser indicados como conteúdo de suporte, ou apontados como tarefas obrigatórias para complementar uma parcela da carga horária de cada disciplina.

Em relação aos cursos de Direito integralmente online, os conteúdos da DONS podem ser igualmente utilizados, mas não preenchem toda a carga horária. Dessa forma, os professores devem desenvolver outras atividades virtuais, como aulas síncronas, para preencher a quantidade de horas de cada curso.

Atualmente, não existem cursos de Direito 100% virtuais. No entanto, é muito provável que este cenário mude até o ano de 2022. Isso porque várias IES que solicitaram ao MEC a autorização dessa modalidade têm recebido respostas positivas.

De forma resumida, muitas instituições concluíram, desde julho de 2021, a última etapa dos processos de autorização, recebendo inclusive nota máxima. Aguardam, agora, a derradeira etapa, que consiste na publicação de Portarias para disciplinar a implementação dos cursos e conceder o último aval.

Leia este texto para entender melhor sobre a autorização de cursos de Direito EaD!

Como encontrar conteúdos EaD prontos para aquisição?

Toda e qualquer instituição de educação superior que deseje otimizar o aprendizado, atrair mais alunos e se manter sustentável encontra grandes benefícios em aderir à DONS. Você, que leu este texto, completou um passo importante nesse sentido.

Depois de entender melhor o funcionamento de nossa solução e todo o embasamento científico por trás da sua pedagogia, resta apenas concluir a última etapa para encontrar conteúdos EaD prontos para aquisição em sua IES: entrar em contato com um de nossos especialistas e conversar melhor a DONS!

Conheça as soluções universitárias da Saraiva Educação

Você provavelmente já conhece a marca Saraiva Educação, referência no mercado editorial e educacional brasileiros há mais de 100 anos. O que você talvez não saiba é que nosso propósito vai muito além do trabalho com livros.

A missão da Saraiva Educação é transformar a educação brasileira. Para contribuir com o crescimento de instituições de educação superior (IES) em todo país e, assim, democratizar o ensino, desenvolvemos soluções tecnológicas de aprendizagem.

O uso dessas soluções traz vários benefícios, dentre os quais podemos citar:

  • Mais eficiência aos processos pedagógicos;
  • Redução de custos;
  • Maior captação de alunos;
  • Melhoria da reputação da instituição;
  • Maior facilidade no trabalho do professor;
  • Atendimento aos marcos regulatórios.

Neste artigo, vamos introduzir as quatro soluções universitárias da Saraiva Educação:

É um convite para que você conheça melhor cada uma e enxergue o potencial de adotá-las em sua IES.

Biblioteca Digital Saraiva (BDS)

Como o nome indica, a BDS é uma solução de biblioteca digital. Toda a expertise editorial da Saraiva Educação está sendo aplicada no meio virtual, montando assim um acervo online de obras de qualidade, produzidas por autores renomados.

Essa solução representa uma enorme praticidade para a IES e também para o corpo estudantil. A logística de transporte, no caso de obras físicas, é dispensada, gerando uma grande economia de recursos. Além disso, não existe o problema da indisponibilidade relacionado ao empréstimo de obras, que costuma ocorrer no caso de bibliotecas físicas.

Ao possuir acesso a um acervo virtual, o aluno tem a comodidade de estudar pelo próprio dispositivo, como tablets, computadores e celulares. Além do que representa em relação à acessibilidade, economia de espaço e redução de custos, a biblioteca digital é muito importante para os indicadores do MEC.

Nosso acervo contempla mais de 2.800 títulos dos selos editoriais da Saraiva Educação, publicados por especialistas de referência nas áreas de Direito, Administração, Ciências Contábeis, Pedagogia e Tecnológicos de Gestão, atendendo a instituições de educação superior e técnica.

Quais são os benefícios da Biblioteca Digital Saraiva?

  • Acesso a obras de qualidade, com o selo de excelência da marca Saraiva Educação;
  • Atendimento à regulamentação: alguns indicadores, como o conceito MEC, exigem a disponibilização de acervos digitais desde 2017. Ao optar pela BDS, sua IES fica em dia com o sistema regulatório, percorrendo um passo importante para alcançar a nota 5 do MEC;
  • Acervo em atualização constante: a cada semestre, as edições dos títulos são atualizadas, impedindo que os alunos estudem materiais datados;
  • Interatividade: a plataforma da BDS é responsiva, podendo ser acessada de qualquer lugar com internet e permite inclusão de marcações e anotações nos textos, para facilitar os estudos;
  • Melhoria financeira: a manutenção de uma biblioteca física envolve uma série de custos, que são drasticamente reduzidos quando se opta por uma solução digital. Ademais, como a biblioteca digital é um atrativo importante para o estudante da atualidade, é possível também aumentar a receita da instituição por meio da captação de alunos;
  • Consultoria personalizada: você e sua IES têm acesso a acompanhamento por parte de nossos consultores, desde o momento da compra, passando pela implementação da plataforma e ficando disponíveis também para resolver quaisquer dúvidas. Também contamos com assessoria pedagógica para adequação da bibliografia a cada curso.
  • Acesso facilitado: como o acesso às obras ocorre no meio virtual, não há necessidade de estabelecer logísticas de devolução dos livros ou limite temporal de acesso. Os alunos consultam-nas a qualquer momento, de forma simples.

Como funciona a aquisição da BDS?

A aquisição da Biblioteca Digital Saraiva para sua IES é simples, e acontece por área de ensino. Em outras palavras, a instituição entra em contato e informa quais cursos deseja atender com a biblioteca digital.

A partir disso, indicamos o acervo adequado de obras, pensado a partir da bibliografia básica e complementar de cada área. Após, é formalizada uma assinatura, cujo valor depende do acervo escolhido e da quantidade de alunos atendidos.

Clique aqui, fale com um especialista e entenda melhor como transformar seu acervo digital com a Biblioteca Digital Saraiva!

Disciplinas Online Saraiva (DONS)

A Disciplinas Online Saraiva (DONS) é a mais nova da soluções universitárias da Saraiva Educação! Trata-se de uma solução que traz um portfólio de conteúdos educacionais multiformato para o curso de Direito. Em outras palavras, é um banco de dados de conteúdos em multimídia, desenvolvidos para auxiliar os professores na aplicação de metodologias de ensino inovadoras.

No contexto de um ensino cada vez mais virtual, é necessário que docentes se adaptem à nova conjuntura e façam uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) para potencializar o aprendizado de seus alunos. No entanto, muitos não possuem tempo ou conhecimentos técnicos para produzir vídeos, mapas mentais e questões relacionadas à disciplina.

É nessa perspectiva que surge DONS: para disponibilizar conteúdos feitos por especialistas em cada tema, pós-graduados e com ampla atuação no mercado de trabalho.

Banner de divulgação do ebook "Disciplinas online de Direito: como desenvolver na IES?". Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-mofu-disciplinas-online-direito?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Como funciona DONS?

Ao utilizar DONS, os conteúdos digitais de cada disciplina da graduação em Direito são entregues no próprio ambiente virtual de aprendizagem (AVA) da IES. Confira, abaixo, os formatos de conteúdo oferecidos:

  • Texto de introdução: apresentação do tema que será estudado na unidade, de forma geral, explicando qual é sua importância e indicando bibliografia.
  • Mapa mental: representação da estrutura das informações da unidade, relacionando-as e facilitando, assim, o processo de fixação do conteúdo. Animações também são utilizadas nos mapas, ao lado de narrações.
  • Vídeo de apoio: apresenta o conteúdo de forma objetiva, com duração média de 10 minutos, lastreada nos princípios do microlearning.
  • Texto de apoio: expõe os pontos importantes que se relacionam ao assunto principal da unidade, contribuindo para que o aluno esteja mais preparado para assistir às aulas síncronas.
  • Quiz: testes aplicados para apurar a retenção dos conteúdos estudados até então.
  • Questões de exames oficiais: familiarizam o aluno com as questões de concursos, questões do Enade ou questões baseadas em exames oficiais, com comentários corrigindo cada alternativa.
  • Questão discursiva: exercita as competências de pesquisa, redação, argumentação e pensamento crítico dos alunos. São mais complexas, cobrando, por exemplo, dissertação sobre algum posicionamento do Supremo Tribunal Federal ou algum estudo de caso. Essas questões possuem correção automática, por meio de palavras-chave, o que garante ao aluno um feedback automático de suas respostas.
  • Revisão OAB: crucial para que o aluno conheça e pratique resolução das questões do Exame de Ordem, que tem ficado cada vez mais árduo.

O professor pode, então, acessar o AVA, consultar cada um destes conteúdos e selecionar aqueles adequados ao planejamento de suas aulas.

É possível aproveitar os conteúdos de DONS em disciplinas presenciais, híbridas ou online

Quais são os benefícios de DONS?

  • Preparação dos alunos para o Exame de Ordem: a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) tem ficado cada vez mais competitiva, sendo assim imprescindível preparar os discentes de Direito com antecedência;
  • Ferramenta para aplicação de metodologias ativas: essas estratégias pedagógicas potencializam a capacidade de aprendizado do aluno, contribuindo também para que exerçam sua educação continuada;
  • Melhoria do aprendizado do aluno: o engajamento do corpo estudantil é potencializado, ao fornecer conteúdo em diferentes formatos;
  • Valorização do professor: ele passa a possuir mais recursos para montar suas aulas e consegue, assim, organizar melhor cada disciplina;
  • Atender às DCN: Para cada conteúdo produzido por DONS, são apresentadas e trabalhadas as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Direito relacionadas ao tema. Além disso, em todas as disciplinas há conteúdos que passam por todos os níveis da Taxonomia de Bloom;
  • Redução de custos e captação de alunos: deslocar parte do aprendizado para o ambiente virtual representa uma economia de recursos por IES e alunos, que inclusive procuram por cursos com soluções inovadoras de ensino.

Não perca tempo e adote a solução DONS a partir de agora. Basta clicar aqui e conversar com um especialista!

Saraiva Solução de Aprendizagem (SSA)

A Saraiva Solução de Aprendizagem (SSA) é uma plataforma digital de apoio aos estudos, leitura e aprendizagem ativa. Ao aderir à SSA, sua IES promove o enriquecimento de atividades de ensino – professores e alunos ganham acesso a atividades, obras virtuais e até mesmo kits de livros físicos.

Esses materiais auxiliam a complementar o conteúdo de cada curso de graduação. Portanto, a SSA é uma solução com ênfase pedagógica, cujo objetivo é auxiliar os docentes da sua IES a construir, estrategicamente, o plano de ensino de cada disciplina. 

Como funciona, na prática, a SSA?

Após definição do curso no qual será utilizada a SSA, são analisadas as ementas de suas disciplinas. A partir disso, indicamos de 9 a 10 atividades de aprendizagem que podem ser utilizadas pelo professor. Tais atividades são elaboradas por especialistas da Saraiva Educação.

Essas atividades estabelecem uma trilha de aprendizagem para o estudante, além de analisar se o plano pedagógico do professor está de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs)

Para resolver as atividades, é sempre necessário realizar uma leitura obrigatória. Pensando nisso, a SSA já conta com uma parte da Biblioteca Digital Saraiva. Além disso, é disponibilizado um kit semestral de obras físicas para cada aluno.

Essa é uma opção interessante para promover estratégias de marketing educacional. No curso de Direito, por exemplo, muitos alunos têm interesse em montar a própria biblioteca. Portanto, ao divulgar o kit de livros, as IES podem atrair mais estudantes, aumentando assim a captação de alunos.

Com a Solução Saraiva de Aprendizagem, os alunos desenvolvem as competências e habilidades previstas nas DCNs, além da capacidade crítica.

Quais são os benefícios da Saraiva Solução de Aprendizagem?

  • Aplicação de metodologias ativas: as atividades da SSA procuram colocá-las em prática de forma facilitada, com o objetivo de promover o protagonismo do aluno em seu processo de aprendizagem e flexibilizar a dinâmica da sala de aula, por meio de estratégias inovadoras no ensino;
  • Acesso a livros físicos: a SSA oferece um kit de livros físicos, para cada aluno, por semestre. São livros do catálogo Saraiva Educação, destinados aos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Direito e cursos Tecnológicos na área de Gestão.
  • Acesso ao acervo digital da Saraiva Educação: livros virtuais, selecionados a partir da matriz curricular de cada curso, também são disponibilizados para os alunos. 
  • Desenvolvimento de competências e habilidades previstas nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs);
  • Auxílio na qualificação da IES em 14 indicadores do Instrumento e Avaliação de Cursos de Graduação (IACG);
  • Suporte pedagógico: auxilia os docentes a preparar suas aulas e acompanhar o rendimento dos alunos, por meio de relatórios gerenciais de aprendizagem.

Você se interessou pela Solução Saraiva de Aprendizagem? Clique aqui e obtenha mais informações!

Solução Enade

A última das soluções universitárias da Saraiva Educação que vamos apresentar para você é a Solução Enade, uma plataforma dedicada à preparação dos estudantes para o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). O Enade é uma prova fundamental no ensino superior e reflete diretamente na reputação das IES.

Pensando nisso, a Saraiva Educação desenvolveu a Solução Enade, uma ferramenta digital que aprimora o preparo dos alunos por meio de simulados e exercícios gamificados. Atende, atualmente, 96 cursos de graduação.

Em linhas gerais, os estudantes são preparados por meio da realização de estudos, uso de metodologias ativas e resolução de questões. Nosso banco de questões possui mais de 20 mil itens, entre questões oficiais e questões inéditas.

Como funciona a Solução Enade?

A Solução Enade busca preparar os estudantes por meio de duas vertentes:

1ª vertente: Trilhas de conhecimento

O estudante toma protagonismo de seu preparo por meio da revisão do conteúdo e resolução de exercícios. Essa parte da ferramenta é gamificada, o que contribui para o engajamento dos estudantes.

2ª vertente: Simulados

Buscam realizar o preparo mais técnico do estudante, com foco na resolução de questões que seguem o modelo oficial da avaliação. São divididos em:

  1. Simulados diagnósticos: questões públicas de Enades anteriores cuja aplicação visa a conhecer a realidade dos estudantes no primeiro momento. Em outras palavras, é levantado um relatório diagnóstico a partir da performance do corpo estudantil. Esse relatório é enviado à IES e discrimina as principais dificuldades dos estudantes, com base na comparação de seus resultados com microdados do INEP.
  2. Simulados institucionais: conta com questões inéditas ou questões de provas passadas, para avaliar o desempenho dos alunos após as intervenções pedagógicas. Assim, são levantadas métricas que podem dar uma noção, inclusive, sobre a efetividade de nossa plataforma. É indicada a realização de dois simulados institucionais.
  3. Simulados Saraiva: composto apenas de questões inéditas, confeccionadas por especialistas da equipe Saraiva Educação. É estudada a portaria da edição em questão, de forma a garantir o fluxo de atualização do conteúdo. Dessa forma, o aluno tem a experiência mais próxima da versão final da prova.

As questões aplicadas são todas objetivas. No entanto, a IES possui a prerrogativa de produzir questões abertas e introduzi-las direto na plataforma, para ter uma ideia da média. Se a instituição não fizer questões abertas, é utilizada a nota da IES no ciclo anterior para calcular a média.

Benefícios da Solução Enade

  • Diagnóstico institucional detalhado: Auxilia na verificação de quais conteúdos, habilidades e competências precisam ser mais trabalhados com a turma, fornece dados e informações que podem auxiliar a repensar as estratégias pedagógicas da IES;
  • Mapeamento dos desafios dos alunos em termos de habilidades e conteúdos.
  • Previsibilidade precisa sobre o conceito Enade: você consegue verificar como anda o desempenho do corpo estudantil durante cada momento de preparo para a prova, obtendo também métricas sobre sua evolução no tempo;
  • Melhoria do desempenho da IES no conceito Enade;
  • Mais tempo, recursos e liberdade para o professor, que ganha acesso a conteúdos em metodologias ativas, como a gamificação;
  • Familiarizar os alunos com o modelo de prova do Enade: os estudantes se acostumam com a lógica de funcionamento da prova, se habituando à linguagem, regras, dinâmica e tempo para responder às questões; 
  • Desenvolvimento das competências de leitura e interpretação de textos dos alunos;
  • Ajuda a IES a avaliar o plano de ensino, a capacitação e a motivação de professores e alunos; 
  • Possibilita ao professor analisar a eficácia da metodologia de ensino;

Que tal aderir à Solução Enade e alavancar o desempenho de sua IES? Clique aqui e saiba como!

Gostou de conhecer melhor as soluções universitárias da Saraiva Educação? Se você ainda tem dúvidas sobre qual ferramenta é a melhor para a sua IES e quer conversar com um de nossos consultores, clique aqui!

Por que utilizar DONS? Conheça 8 motivos para adotar as Disciplinas Online Saraiva em sua IES!

Como tem sido a experiência da graduação em Direito em sua instituição de educação superior (IES) no contexto do ensino a distância?

A partir da pandemia do novo coronavírus, cursos presenciais no mundo inteiro foram obrigados a fechar suas portas e migrar para o ambiente virtual. Isso surtiu sérias dificuldades de adaptação por parte de alunos e docentes.

Reformular aulas pensando nesse novo ambiente é um grande desafio e um imperativo para garantir a sustentabilidade da IES no atual contexto. 

Segundo dados do Censo da Educação Superior 2019, mesmo antes da pandemia o ensino a distância já se revelava como o próximo paradigma:

Gráfico sobre evolução de matrículas no ensino presencial e no ensino a distância, entre 2009 e 2019. O número de ingressos na primeira modalidade decaiu desde 2014, em contraste com a segunda modalidade, que aumenta constantemente. Fonte: Censo da Educação Superior
Gráfico sobre evolução de matrículas no ensino presencial e no ensino a distância, entre 2009 e 2019. O número de ingressos na primeira modalidade decaiu desde 2014, em contraste com a segunda modalidade, que aumenta constantemente. Fonte: Censo da Educação Superior

O gráfico acima revela que o ensino online estabeleceu-se como tendência na educação superior. Em 2009, apenas 16,1% dos alunos ingressantes no ensino superior optaram por essa categoria. Com o avanço da tecnologia e criação de novos cursos EaD, esse percentual subiu para 43,8% em 2019.

Essa diferença representa um aumento de 378,9% no número de ingressos no ensino a distância. De fato, as IES deverão se adaptar à nova conjuntura para aproveitar essa oportunidade de crescimento.

Essa adaptação não significa, contudo, criar cursos virtuais lecionados de forma idêntica aos cursos presenciais. Aulas online expositivas, com 50 minutos de duração, não aproveitam todo o potencial de aprendizado dos alunos.

Mas, o que se espera, então, dos professores nesse novo cenário? Que se tornem produtores de conteúdo em vídeo, texto, animação e outras atividades, de um dia para o outro? Que desenvolvam prontamente todas essas atividades e, de alguma forma, conciliem-nas com suas outras tarefas pedagógicas?

Evidentemente, não. Existe uma solução tecnológica que produz conteúdos educacionais de qualidade em multiformatos. 

Essa solução é voltada para o curso de direito e se chama Disciplinas Online Saraiva (DONS). Neste texto, vamos apresentá-la e destacar 8 motivos para utilizá-la em sua IES, todos fundamentados em pesquisas científicas e dados objetivos que comprovam sua excelência. Continue a leitura para saber por que utilizar DONS em seu curso de Direito!

Você já conhece DONS?

As Disciplinas Online Saraiva (DONS) são um repositório de conteúdos educacionais digitais em Direito, organizados em disciplinas e que auxiliam os docentes na aplicação de um ensino digital dinâmico e inovador.

Em outras palavras, podem ser descritas como um banco de conteúdos em vários formatos, arquitetados com base no estado-da-arte em estratégias pedagógicas. São confeccionados por professores pós-graduados, especialistas em seus ramos e com atuação no mercado de trabalho.

Ao utilizar DONS, os materiais de cada disciplina da graduação em Direito são entregues no próprio ambiente virtual de aprendizagem da IES. O professor consegue utilizá-los de apoio, selecionando aqueles que melhor se adequam ao plano pedagógico da disciplina, complementando suas aulas, seja para disciplinas presenciais, híbridas ou online.

Por que utilizar DONS?

A seguir, iremos explicar o funcionamento desta solução por meio dos 8 principais motivos para adotá-la em sua IES.

Motivo 1: Disponibilize conteúdos em diversos formatos

O primeiro motivo que responde a por que utilizar DONS em seu curso de Direito é que são disponibilizados conteúdos em múltiplos formatos. Assim, é aproveitado o potencial de um ensino tecnológico, que consegue estimular o aluno de diversas maneiras.

Isso significa que o processo de absorção do conteúdo será otimizado – esse é o pressuposto principal da aprendizagem multimídia, um dos fundamentos pedagógicos da DONS.

Essa estratégia trabalha com a combinação de informações codificadas em diferentes meios (voz, imagens, palavras escritas, etc). Isso incentiva a ativação de diferentes áreas do cérebro e, por conseguinte, facilita o processo como um todo. 

Seu alicerce científico é a Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia elaborada por Richard Mayer, psicólogo educacional referência no assunto.

Confira, abaixo, os materiais fornecidos por DONS:

  • Texto de introdução: apresentação do tema que será estudado na unidade, de forma geral, explicando qual é sua importância e indicando bibliografia.
  • Mapa mental: representação da estrutura das informações da unidade, relacionando-as e facilitando, assim, o processo de fixação do conteúdo. Animações também são utilizadas nos mapas, ao lado de narrações.
  • Vídeo de apoio: apresenta o conteúdo de forma objetiva, com duração média de 10 minutos, lastreada nos princípios do microlearning.
  • Texto de apoio: expõe os pontos importantes que se relacionam ao assunto principal da unidade, contribuindo para que o aluno esteja mais preparado para assistir às aulas síncronas.
  • Quiz: testes aplicados para apurar a retenção dos conteúdos estudados até então.
  • Questões de exames oficiais: familiariza o aluno com as questões de concursos, questões do Enade ou questões baseadas nestes exames oficiais, com comentários corrigindo cada alternativa.
  • Questão discursiva: exercita as competências de pesquisa, redação, argumentação e pensamento crítico dos alunos. São mais complexas, cobrando, por exemplo, dissertação sobre algum posicionamento do Supremo Tribunal Federal ou algum estudo de caso. Essas questões possuem correção automática, por meio de palavras-chave, o que garante ao aluno um feedback automático de suas respostas.
  • Revisão OAB: crucial para que o aluno conheça e pratique resolução das questões do Exame de Ordem, que tem ficado cada vez mais árduo.

Motivo 2: Prepare seus alunos para o Exame da Ordem

Existe uma forte preocupação, em cada disciplina de DONS em preparar melhor o discente de Direito para sua aprovação no Exame da Ordem.

Não poderia ser de outra forma. O mercado de trabalho jurídico está extremamente competitivo atualmente, em função da grande quantidade de profissionais em exercício.

Há cerca de 1,8 mil cursos de Direito no Brasil atualmente, com média de 350 mil vagas anuais, e um total de 1,2 milhão de advogados registrados. Talvez por isso, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) tem aumentado a dificuldade da prova necessária para exercício da advocacia.

Segundo o relatório Exame de Ordem em Números, entre as edições II a XXIX do certame (de 2010 a 2019), apenas 61,26% dos participantes alcançaram aprovação. Na última edição estudada pelo documento, apenas 22,6% dos que prestaram foram aprovados.

Daí surge a necessidade de se repensar a graduação em Direito, para que o aluno se prepare, desde o início, para a prova da OAB. Isso auxilia a garantir sua empregabilidade

Banner de divulgação do ebok gratuito: "Aprovação OAB: saiba como melhorar os índices de sua IES". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-aprovacao-oab?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Motivo 3: Ferramenta para metodologias ativas

Um dos objetivos de DONS é ser uma ferramenta para aplicação de metodologias ativas na educação superior. Por meio dessa abordagem de ensino, o aluno desenvolve habilidades tecnológicas, comportamentais e outras competências úteis à vida profissional e pessoal.

Em outras palavras, as metodologias ativas potencializam a capacidade de aprendizado, formando alunos preparados para o mercado de trabalho e para exercer sua educação continuada.

Isso ocorre por meio do uso das Tecnologias de Comunicação e Informação (TICs) no ensino. Por meio das TICs, são apresentadas diferentes técnicas de resolução de problemas aos alunos, estimulando competências de pesquisa e criatividade.

Motivo 4: Melhoria da experiência de aprendizado

Outro motivo para utilizar DONS se relaciona à melhoria da experiência de aprendizagem dos alunos. Por meio de conteúdos estimulantes em diferentes formatos, promove-se maior engajamento do corpo estudantil.

Na estrutura pedagógica de DONS, procura-se não só apresentar os conteúdos em si, mas a relação entre eles. Essa é a premissa da aprendizagem significativa, uma teoria de aprendizagem relacionada à teoria cognitiva. De forma resumida, seu pressuposto principal é a combinação de diferentes habilidades mentais para construir e fixar o conhecimento.

Raciocínio, linguagem, memória e outras competências cognitivas são estimuladas pelos materiais disponibilizados, como mapas mentais animados.

Motivo 5: Valorização dos professores

Existe uma falácia recorrente relacionada ao ensino a distância, que diz sobre a desvalorização dos docentes. O que ocorre, na verdade, é que seu papel na condução do processo de aprendizagem tem se alterado, mas sem reduzir a importância que possui para a formação do estudante.

A Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) realizou uma pesquisa em 2020, conhecida como Censo EaD, que se constitui como um relatório analítico sobre aprendizagem nessa modalidade. Confira, abaixo, qual seria o papel do docente nesse contexto, de acordo com o que declararam as IES participantes do estudo:

Gráfico sobre o papel do tutor no ensino a distância. Destacam-se “tirar dúvidas referentes ao conteúdo” e “manter alunos motivados”. Fonte: Censo EaD 2020 .
Gráfico sobre o papel do tutor no ensino a distância. Destacam-se “tirar dúvidas referentes ao conteúdo” e “manter alunos motivados”. Fonte: Censo EaD 2020 .

Os resultados acima se relacionam a uma uma forte tendência conhecida como sala de aula invertida. Começou a ser utilizada a partir da década de 1990 na Miami University, e se consolidou como uma das principais inovações ocorridas no universo da educação.

Seu objetivo é romper com a lógica expositiva do ensino tradicional, em que o primeiro contato do aluno com a disciplina ocorre por meio da explanação do professor. Agora, os alunos fazem o contato inicial com o conteúdo por meio de uma leitura prévia, assim como ocorre em DONS.

Por isso, o professor ganha mais proeminência. Seu papel não é apenas expor a matéria, mas realizar discussões e conversas aprofundadas sobre o tema. Ao tirar dúvidas, conduzir esse espaço de troca e propor outras metodologias, é revelado seu verdadeiro potencial.

Certamente, o aluno é enxergado agora como protagonista do próprio aprendizado. No entanto, o professor é imprescindível para orientar e instigar o pensamento crítico. O conhecimento é construído, agora, por meio desse diálogo.

Motivo 6: Atender às Diretrizes Curriculares Nacionais

Para cada conteúdo produzido por DONS, são apresentadas e trabalhadas as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) relacionadas ao tema. Isso é um grande benefício para as IES, uma vez que muitos de seus professores relatam dificuldades em atender às DCN.

Além disso, em todas as disciplinas há conteúdos que passam por todos os níveis da Taxonomia de Bloom. Em linhas gerais, trata-se de uma estratégia educacional definida por uma hierarquia de objetivos para o ensino e aprendizado.

Seu uso dá origem a uma série de benefícios, como:

  1. Promoção de um aprendizado mais completo
  2. Auxílio no planejamento e definição dos objetivos de aprendizagem
  3. Melhor escolha de ferramentas e estratégias pedagógicas
  4. Avaliação do aprendizado de forma contínua
  5. Estímulo ao desenvolvimento de diversas habilidades

Motivo 7: Redução de custos

Ao lado de todos os benefícios relacionados à melhoria do ensino em Direito, adotar a solução DONS também desencadeia uma verdadeira economia de recursos para a IES.

Ao deslocar a experiência de aprendizado para o ambiente virtual, além de aproveitar todos os benefícios das TICs na educação, são reduzidas várias despesas. Como exemplo, podemos citar os custos com equipamentos para a construção de conteúdos EaD.

Esses gastos podem ser revertidos em melhorias na educação dos alunos, a fim de desenvolver o desempenho da instituição em parâmetros oficiais na avaliação do MEC. De forma mais específica, é interessante realocar estes recursos em:

  • Iniciativas de financiamento estudantil;
  • Aquisição de materiais;
  • Empréstimo de equipamentos eletrônicos, para aumentar a acessibilidade dos alunos aos conteúdos virtuais;
  • Ampliação da biblioteca da IES, ou aquisição de uma biblioteca digital de Direito;
  • Capacitação dos docentes, entre outros.

A inclusão de DONS no curso também representa economia de recursos do ponto de vista estudantil. O aluno passa a gastar menos com deslocamento até a unidade da IES, além dos custos com alimentação fora de casa.

A praticidade da educação a distância está diretamente relacionada à sua disseminação ao longo dos últimos anos. Não é à toa que cada vez mais alunos optam por essa modalidade.

Banner de divulgação do ebook "Disciplinas online de Direito: como desenvolver na IES?". Link para download gratuito: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-mofu-disciplinas-online-direito?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Motivo 8: Captação de alunos e sustentabilidade

Por que existe um número crescente de alunos interessados no ensino a distância?

Certamente, os efeitos da crise sanitária do covid-19 e seu isolamento social contribuíram para o crescimento dessa tendência. Mas, conforme destacamos no início do texto, trata-se de um fenômeno que já ocorria há dez anos e que foi apenas acelerado no último ano.

O perfil do aluno atualmente encaixa-se bem melhor nos modelos do ensino híbrido ou do ensino a distância. Na realidade, contudo, é possível e vantajoso aplicar DONS também em cursos presenciais, como suporte ao conteúdo ministrado presencialmente.

A questão é que, ao deslocar parte das atividades educacionais para o mundo virtual, o estudante ganha o privilégio de estudar em casa. Isso é ideal se levarmos em conta sua realidade: muitos alunos têm que conciliar os estudos com várias outras atividades de sua rotina.

Isso é particularmente válido no caso das graduações em Direito, em que o estágio é uma prática comum desde o início do curso. Além disso, muitos alunos também possuem trabalhos integrais. Importante ressaltar, também, a grave crise econômica que assola a sociedade nos dias de hoje.

É por isso que investir em soluções de ensino virtual significa promover a democratização do ensino.

Caso as IES desenvolvam cursos a distância sem aplicar as estratégias certas, no entanto, pode ocorrer a precarização do ensino. É o que se observou quando as instituições foram forçadas a migrar para o ensino remoto em 2020, sem que houvesse tempo de preparo.

A falta de preparo ocasiona a simples transposição de uma aula presencial para o ambiente virtual, iniciativa incapaz de manter a concentração do aluno. Na contramão, alguns professores sobrecarregam os alunos com muitos materiais. Nos termos do Censo EaD, 58,3% dos alunos relataram receber muitas atividades e conteúdos, de forma desorganizada.

Por que utilizar DONS? Ao fazê-lo, além de acessar todos os benefícios descritos neste texto, você consegue planejar melhor seu ensino a distância, prezando por um ensino de excelência que atraia cada vez mais alunos à instituição. Hoje, a previsão é que já sejam implantados cursos de direito integralmente a distância a partir do ano que vem. Não perca tempo e já prepare sua IES para a nova conjuntura! Converse com um especialista para adotar DONS em sua IES!