Como organizar biblioteca: fotografia de 4 bibliotecários utilizando o notebook em uma biblioteca.

6 passos sobre como organizar biblioteca digital

As bibliotecas digitais vão se consolidando em um momento que as relações humanas com o universo digital parecem não mais dissociáveis. A presença efetiva de uma biblioteca digital em uma IES deixou de ser um diferencial para se tornar uma exigência dos estudantes e de quem busca uma instituição para ingressar.

Essa mudança transformou também a rotina dos bibliotecários, e muito se enganam os observadores desatentos que acham que a profissão tornou-se obsoleta. Pelo contrário, o universo da Biblioteconomia e da Tecnologia da Informação é que permitem e são fundamentais para a implementação das bibliotecas digitais de maneira efetiva, mantendo a qualidade de ensino

A boa atuação do bibliotecário continua sendo imprescindível ao ensino superior, inclusive porque esse profissional é responsável e sabe como organizar biblioteca digita.

É muito importante que o bibliotecário tenha ciência de sua importância nessa trajetória e entenda que sua atuação no universo digital é uma atualização da formatação de seu trabalho para a aplicação e manutenção dos mesmos princípios que ele já emprega em uma biblioteca física.

Dito isso, elencamos abaixo alguns dos principais passos e vantagens da organização de uma biblioteca digital.

1. Identificação das obras

O primeiro passo para você que quer saber como organizar biblioteca digital, seja de qual formatação for, é a identificação das obras que a compõe por fonte, autoria e tema. Na versão virtual esse, definitivamente, é um dos principais diferenciais no trabalho de um bibliotecário.

A biblioteca aponta as fontes de informação sem, necessariamente, possuir a propriedade física das mesmas (LEVACOV, 2000). Garantir e identificar a origem de uma informação e sua confiabilidade faz parte do trabalho do bibliotecário. 

Um usuário com experiência online pode conseguir localizar uma informação e acessá-la, mas conhecer a sua procedência é algo mais complexo e uma competência que já faz parte da rotina de qualquer bibliotecário.

Leia também: descubra o que são bibliotecas digitais e quais os benefícios para sua IES

2. Organização das obras 

A organização mais eficiente de uma biblioteca é agrupar suas obras por tema. Uma vez identificadas e cadastradas as obras (como é feito em qualquer biblioteca, seja física ou virtual), essa organização fica infinitamente facilitada na versão digital.

Isso sem contar que, em uma biblioteca virtual, situações como extravios ou perdas de obras não acontecem, otimizando, e muito, a utilização do tempo de trabalho de um bibliotecário. 

3. Conhecimento dos usuários

É fundamental ao bibliotecário conhecer seus usuários para identificação de tendências e das obras mais apropriadas para cada perfil de leitor. Nas plataformas que oferecem bibliotecas digitais, a jornada de cada usuário pode ser acompanhada bem de perto a partir do seu histórico de ações e preferências detectadas pelo sistema.

A identificação das necessidades a partir de estatísticas se dá de maneira automática e, assim, utilizando esses dados, o bibliotecário pode trabalhar de maneira mais eficiente e produtiva já partindo diretamente para a análise dessas informações. 

A identificação dos dados é automática, mas cabe à competência desse profissional saber analisá-las e utilizá-las para a construção de uma melhor experiência do usuário.

4. Atendimento ao aluno otimizado

Todo leitor tem seu livro e todo livro tem seu leitor. Esses dois princípios da biblioteconomia ganham novas possibilidades de aplicação e podem ser mais amplamente explorados em uma biblioteca digital.

Nesse aspecto, a biblioteca digital pode transpor o trabalho do bibliotecário a um outro nível. Se uma das funções mais nobres do trabalho do bibliotecário é conduzir o usuário para a experiência mais assertiva diante de seus propósitos e potencializar o encontro dele com diversas referências, a versão virtual de uma biblioteca se consolida como a possibilidade de conduzir o usuário por uma experiência com maior aproveitamento, menor esforço e menos tempo empregado. 

Ao mesmo tempo a formatação online permite que essa trajetória seja construída para uma quantidade maior de usuários simultaneamente.

Em uma biblioteca virtual, por exemplo, o leitor se coloca mais disponível a se relacionar com diversas obras, o que em uma versão física ganha muitas vezes empecilhos pela dificuldade de manejar uma grande quantidade de livros ou até mesmo carregá-los.

A possibilidade de atender a diversos usuários e demandas ao mesmo tempo também amplia muito a atuação e efetividade do trabalho de um bibliotecário.

5. Construção de jornadas de experiência

Seguindo ainda o princípio de que cada livro atende a determinada necessidade do leitor, saber como organizar biblioteca digital passa ainda por conduzir o usuário por uma experiência em sequência, com indicações relacionadas ao tema que ele se interessa de maneira otimizada. Isso torna a experiência muito mais rica.

Cabe a esse profissional construir possibilidades múltiplas e efetivas de jornadas para o leitor.

Nesse formato atualizado é possível identificar uma otimização do tempo do leitor e do bibliotecário que podem, em um mesmo tempo que empregariam em uma biblioteca física, ter um encontro com mais obras, no caso do leitor, e atender a mais usuários, no caso do bibliotecário.

6. Conservação e manutenção das obras

É competência de todo bibliotecário observar e prezar pela manutenção e conservação das obras de uma biblioteca. Em sua versão digital, esse trabalho é também otimizado permitindo ao bibliotecário empregar seu tempo na atualização das obras disponíveis e buscas por novas informações a serem oferecidas para os usuários.

Em resumo, a biblioteca digital obviamente transforma o trabalho do bibliotecário, ao mesmo tempo que reforça sua importância e necessidade de atuação para que esse espaço funcione e colabore com a qualidade de ensino da graduação e pós graduação da instituição. 

É de fundamental importância que se entenda que os princípios aplicados a uma biblioteca física são os mesmo no caso de sua versão digital, o que se transforma são os focos de trabalho e tempo gasto em cada função. 

Isso acontece porque em uma biblioteca digital não existem as limitações físicas, seja de espaço ou manuseio, podendo ser o acervo ampliado sem limitações, as obras serem acessadas simultaneamente por diversos usuários sem danos ou extravios e o tempo de busca ser muito menor. Para o bibliotecário, sua experiência com a conservação e gestão dessas obras é levada a um outros status nessa transformação.

Deu para entender melhor sobre como organizar biblioteca digital? Ficou afim de se aprofundar mais nesse tema? Acesse também o nosso artigo sobre os impactos da tecnologia no ensino!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *