Como ensino híbrido e metodologias ativas se relacionam?

A união de metodologias ativas e ensino híbrido pode trazer grandes benefícios para o processo de ensino-aprendizagem. Saiba mais neste artigo!
Ensino híbrido e metodologias ativas: fotografia de uma mulher sorrindo durante uma aula online. Ela está sentada à mesa, com um computador e materiais de estudo à sua frente.

Se você acompanha as principais tendências e notícias sobre educação, certamente já ouviu falar em ensino híbrido e metodologias ativas.

Ambos esses temas já estão em destaque há alguns anos. Mas, com a pandemia de coronavírus, metodologias ativas e ensino híbrido passaram a ser tópicos ainda mais importantes e urgentes.

Isso porque com a mudança do formato das aulas do presencial para o online desde 2020, muito se questiona sobre como tornar essas classes mais interessantes e completas. Também há muitas dúvidas sobre a retomada do regime presencial e como será feito.

Esse baque sofrido pela educação superior no último ano desestabilizou a muitos. Entretanto, também serviu para compreendermos que o modelo tradicional de ensino já é inadequado, e que a tecnologia e a aprendizagem podem e devem caminhar juntas. E para fazer um bom proveito dessa união, temos o ensino híbrido e metodologias ativas.

Ao continuar a leitura, você sabe mais sobre cada um desses conceitos, como eles se relacionam, sua importância, e quais os benefícios deles para IES. Confira agora!

O que são metodologias ativas?

As metodologias ativas podem ser consideradas um conjunto de abordagens com objetivo de tornar os alunos em protagonistas de seus processos educacionais.

Dessa forma, o papel de agente principal da educação deixa de ser do professor e passa a ser dos estudantes.

Isso causa uma transformação profunda nas dinâmicas que estamos acostumados a ver dentro de sala de aula, onde, tradicionalmente, o professor é o protagonista.

Assim, em um cenário de aplicação das metodologias ativas, os estudantes têm maior autonomia e protagonismo. Eles assumem maior atividade e guiam seus próprios processos, enquanto o professor se posiciona como um mediador e facilitador.

Neste contexto, os alunos e professores também contam com o apoio de tecnologias digitais, como celulares, tablets e computadores para facilitar o acesso à informação e servir como ferramentas em sala de aula.

O que é ensino híbrido?

O ensino híbrido nada mais é do que um formato educacional que une ferramentas e estratégias da Educação a Distância (EaD) e da educação presencial tradicional;

Por isso, esse tipo de metodologia também é conhecida como educação semipresencial ou blended learning.

Como nas metodologias ativas, no ensino híbrido os estudantes têm maior autonomia, especialmente por conta da configuração parcialmente remota desse tipo de ensino.

Na educação híbrida também há mais possibilidades de personalização da aprendizagem. Isso é possível graças às ferramentas tecnológicas que permeiam esse tipo de ensino, e permitem uso de diferentes mídias e formatos para aulas e atividades.

Quais são as abordagens que unem ensino híbrido e metodologias ativas?

Existem diferentes tipos de metodologias ativas para serem aplicadas na sua IES. Aprendizagem entre pares, gamificação, e cultura maker são alguns exemplos já conhecidos.

Ao mesmo tempo, também existem variados modelos de ensino híbrido. Neste caso, temos como exemplos os formatos à la carte, virtual aprimorado e flex, entre outros.

Entretanto, algumas das principais abordagens de ambos os métodos coincidem. Ou seja, são métodos que unem ensino híbrido e metodologias ativas! Elas são:

1. Rotação por estação

A rotação por estação é definida pela organização da turma em diferentes estações de aprendizagem. Nelas, cada grupo de estudantes desenvolve uma atividade diferente.

Após a realização da primeira rodada de atividades, é indicado fazer a rotação das estações. Assim cada grupo passa por todas.

É possível utilizar essa metodologia tanto em aulas presenciais quanto em aulas EaD, com as ferramentas corretas.

2. Sala de aula invertida

Esse modelo já vem sendo explorado pelas IES há algum tempo.

Na sala de aula invertida, os conteúdos das aulas são enviados com antecedência para os estudantes para que eles possam estudá-los.

Assim, os alunos chegam à sala de aula preparados e o momento coletivo com professores e colegas pode ser utilizado para trocas de ideias, resolução de dúvidas e atividades práticas.

3. Aprendizagem baseada em projetos

A Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) também é conhecida como Projetc Based Learning (PBL).

Com essa metodologia, os alunos aprendem por meio da execução de projetos práticos, e não pela apresentação de conteúdos e lições.

Os projetos devem integrar plataformas online e momentos presenciais de forma estratégica.

Por que é importante diversificar as metodologias de ensino?

Como vimos, todos os métodos citados acima são bastante completos e podem ser utilizados em diferentes situações.

Entretanto, não é indicado utilizar apenas um deles em um curso ou na IES.

Isso porque diversificar metodologias possibilita que o processo de ensino e aprendizagem seja guiado seguindo as demandas sociais e estimula os valores e competências necessários para o sucesso profissional dos alunos.

Assim, com uma variedade de metodologias, é possível fazer uso das mais adequadas para cada atividade, levando em consideração as demandas reais que os estudantes irão enfrentar no mercado de trabalho.

E vale lembrar que cada método do ensino híbrido e metodologias ativas estimula diferentes tipos de competências. Assim, ao utilizar diferentes metodologias, mais competências serão estimuladas.

Leia também: Saiba como desenvolver o ensino por competências na educação profissional

Quais são os benefícios de alinhar ensino híbrido e metodologias ativas na educação superior?

Ensino híbrido e metodologias ativas geram diversos benefícios para IES. E utilizar as metodologias combinadas traz ainda mais vantagens!

Alguns exemplos de benefícios do alinhamento entre metodologias ativas e ensino híbrido são:

  • Redução de custos
  • Maior autonomia para os estudantes
  • Melhor aproveitamento das aulas
  • Alunos mais engajados e motivados
  • Otimização do tempo dos professores
  • Maior flexibilidade para aulas e conteúdos
  • Mais liberdade nos modelos de ensino, entre outros.

Esperamos que este artigo tenha respondido suas dúvidas sobre ensino híbrido e metodologias ativas, suas relações e vantagens. E se você gostou do que leu e quer saber como implementar o ensino híbrido com metodologias ativas na sua IES, temos um artigo especial sobre o tema! Confira:  Por que e como desenvolver aulas híbridas no ensino superior?

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!