O que é o modelo Enade de questões?

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) tem o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes concluintes de diversos cursos de graduação ofertados no Brasil. Todos os anos, milhares de alunos submetem-se ao exame, que, além de avaliar o desempenho individual dos estudantes, é um instrumento para analisar a performance das Instituições de Ensino Superior (IES). Tanto o é que “[o]s resultados do Enade, aliados às respostas do Questionário do Estudante, constituem-se insumos fundamentais para o cálculo dos indicadores de qualidade da educação superior: Conceito Enade, Conceito Preliminar de Curso (CPC) e Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC).” (INEP. Enade: Sobre os resultados. Disponível em: http://inep.gov.br/enade).

Dessa forma, considerando a importância do exame para a instituições de ensino, é fundamental preparar o aluno a longo prazo. Isso porque os itens são elaborados para atender aos conteúdos previamente levantados pelo MEC para cada curso. Ou seja: há objetos do conhecimento pré-determinados, que devem ser observados quando da construção da matriz de prova. Ademais, além de trabalhar cada um dos objetos destacados pelo MEC, é preciso desenvolver as habilidades e competências correlatas a esses objetos, o que demanda o exercício contínuo das atividades nos moldes do Enade. 

Somente com a prática de conteúdos e habilidades específicos do Enade será possível otimizar não só os resultados dos egressos, mas também os da IES. Quais são as chaves, entretanto, para uma preparação eficiente? Existe algum padrão entre os itens dos exames anteriores? Essas são algumas das perguntas que responderemos neste artigo.  

Existe um modelo de itens Enade?  

Embora os órgãos oficiais não tenham publicado manuais que instruam a elaboração de itens no padrão Enade, pode-se verificar, a partir da exaustiva análise de exames passados, a recorrência de algumas estruturas e estratégias. Ou seja, apesar de não haver um padrão, uma diretriz rígida sobre a elaboração de itens, verificaram-se tendências e recorrências que constituem, sim, um modelo de questões característico desse exame.   

A elaboração de itens que sigam essas orientações tende a assemelhar-se mais à realidade do Enade. Uma preparação eficiente para o exame, portanto, demanda o treinamento dos alunos com questões bem construídas, em conformidade com os conteúdos e as formas da avaliação.  

Demonstraremos, sucintamente, os principais pontos que caracterizam um item no modelo Enade.  

O que caracteriza um item no modelo Enade?

As questões Enade compõem-se de três macroestruturas: o texto-base, o enunciado e as alternativas. Faz-se essa divisão, ressalte-se, com fins exclusivamente didáticos. Há de se ter em vista que essas partes se integram e se completam.   

Analisaremos cada uma dessas estruturas. 

1. Texto-base   

É essencial que a questão possua um texto-base indispensável para a resolução do item. Se o texto for dispensável, será considerado um pretexto e deverá, portanto, ser reformulado. O texto pode ser verbal ou não-verbal, ou seja, podem também aparecer imagens, tabelas, tirinhas, gráficos, etc. O importante é perceber que o texto-base deve aportar a situação-problema ou situação-estímulo ao aluno, demandando o exercício de habilidades como a reflexão e a tomada de decisões. 

Para que o texto-base seja imprescindível, além de estar estreitamente relacionado ao objeto do conhecimento da questão, o texto deve relacionar-se às habilidades e operações mentais que o item se visa estimular. Dessa forma, a escolha do texto-base não deve ser arbitrária; ao contrário, deve estar em conformidade com o tema e com os objetivos da questão.   

Dica: Para identificar se o texto introdutório é um texto-base ou um pretexto, leia o enunciado e as alternativas antes de ler o texto e avalie sua importância para a resolução da questão. 

2. Enunciado  

O enunciado encontra-se disposto logo após o texto-base. Apesar de simples, sua elaboração não deve ser negligenciada pelo elaborador. Esse é o trecho em que se fornece o comando para a resolução do item; é a instrução da tarefa que o examinando deverá executar. 

O enunciado deve ser claro e objetivo. Não devem constar no enunciado informações ilustrativas, dispensáveis à análise do item. Preferencialmente redigido em frases simples, a sentença deve seguir a ordem direta e a forma afirmativa. Além disso, é desejável que se usem termos impessoais, como “considera-se”, “entende-se”, dentre outros.  

Frise-se, ademais, que o enunciado é o trecho em que se explicitará o nível de habilidade cognitiva a ser avaliado. Dessa forma, a adequada elaboração do enunciado exige a compreensão do tema e dos objetivos do item, já que a complexidade da operação mental será ali determinada. 

Nesse sentido, cabe ressaltar a importância dos operadores mentais na construção de itens no modelo Enade. Classificados segundo a Taxonomia de Bloom, esses operadores são, em suma, os domínios cognitivos que variam do entendimento de um conceito à criação de novas ideias. Em uma ordem crescente de complexidade, Bloom estabelece distintos processos cognitivos, voltados a distintas finalidades. Dessa forma, compreender os objetivos que se pretende alcançar e as habilidades que se quer avaliar exige, necessariamente, o alinhamento entre os objetos do conhecimento, as habilidades e os processos cognitivos envolvidos no ensino e na aprendizagem de determinado conteúdo. 

Dica: Nunca se pede, no enunciado, a identificação da alternativa incorreta. Os comandos deverão ser sempre afirmativos e solicitar a resposta correta. 

Dica 2: A depender do tipo de item escolhido para a questão, haverá enunciados pré-determinados. Mais adiante serão expostos os tipos de item existentes no exame. Atente-se à estrutura das questões de cada um desses tipos para identificar os comandos possíveis. 

3. Alternativas  

As alternativas consistem em possibilidades de resposta para a situação-problema apresentada. Dentre elas, haverá apenas uma resposta correta (gabarito) e as demais alternativas serão os distratores. É importante que essas alternativas sejam absolutamente incorretas. Não se pode, conforme o modelo Enade, pedir a identificação da alternativa “mais adequada”. É preciso que somente uma alternativa atenda perfeitamente ao que o enunciado solicite. 

É preciso, ademais, que o item esteja isento de “pegadinhas”, pois essas estratégias de confusão acabam por distorcer os resultados obtidos pela questão. Se a questão for elaborada com maus distratores, em vez de ela reportar ao examinador o desconhecimento ou conhecimento do aluno sobre o tema e as habilidades (dados que de fato lhe interessam), os erros ou acertos na questão só oferecerão resultados não confiáveis.  

Dica: As alternativas devem ter aproximadamente a mesma extensão. Isso porque os alunos tendem a crer que as respostas mais extensas e mais detalhadas são corretas. A discrepância no tamanho das alternativas pode ser um indicativo da alternativa correta ou podem induzir o aluno ao erro. Além disso, o Enade tende a dispor as alternativas em ordem piramidal, começando do texto menos ao mais extenso. 

Dica 2: No caso dos itens de complementação múltipla, que serão expostos a seguir, recomenda-se manter a proporção entre o número de ocorrências das asserções nas alternativas. Em outras palavras, ao indicar as asserções I, II, III (ou quantas houver) nas alternativas, é importante que o número de repetições das asserções seja igual ou, pelo menos, muito próximo. A ordem segue, também, o formato piramidal. 

Quais são os tipos de questão do Enade?

Conforme exposto, as questões do modelo Enade devem ser elaboradas segundo formas específicas. Cada uma delas será brevemente exposta a seguir. 

Complementação simples 

Nesse modelo de questão, tem-se uma informação incompleta, no qual o texto das alternativas completa o enunciado. As alternativas dão continuidade ao texto do enunciado. 

Complementação múltipla

Esse tipo de item é composto por três ou quatro afirmações, propostas conforme a situação-estímulo do enunciado. O aluno deverá, nas alternativas, identificar aquela em que os itens são verdadeiros, partindo, sempre, da análise de cada um deles.  

Interpretação  

Nesse tipo de item, o enunciado é composto por uma situação estímulo e, a partir dela, o aluno reúne as ideias e os elementos necessários para solucionar o problema proposto, exigindo a efetiva interpretação do aluno. Faz-se uso de quadros, tabelas e gráficos, por exemplo.  

Asserção-razão 

Esse tipo de item demanda a análise de relações. Propõem-se duas asserções e o aluno deverá analisá-las individualmente e, depois, comparativamente. Analisa-se a veracidade de cada asserção e, em seguida, o aluno deverá avaliar se há uma relação de causalidade entre elas. 

As orientações expostas são apenas um ponto de partida para a elaboração de itens segundo o modelo Enade. Para preparar os alunos e otimizar os resultados do exame, é preciso investir em treinamentos a longo prazo, visando ao desenvolvimento de habilidades e competências correlatas ao exame. Quer conhecer as soluções da Saraiva Educação para o Enade? Clique aqui

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *