Experiência do aluno através do ensino com as mídias: fotorafia de uma estudante sentada à mesa e utilizando o computador.

Saiba como melhorar a experiência do aluno através do ensino com as mídias

Se por um lado não se pode negar que o acesso às novas tecnologias adentrou o ensino nos últimos anos, por outro lado tampouco se pode negar o grande impacto dessas ferramentas dentro do processo de ensino-aprendizagem. 

Em um mundo cada vez mais digital, o ensino através das mídias e novas tecnologias pode ter um efeito transformador dentro da sala de aula. Por isso, é fundamental reconhecê-las como facilitadoras do processo de ensino, motrizes de engajamento para o aluno e auxiliadoras do professor.

Neste artigo vamos falar sobre como as mídias associadas às novas tecnologias podem impulsionar a experiência de aprendizagem dos alunos e a rotina dos educadores.

Multimídia e novas tecnologias

O conceito de multimídia engloba a utilização de diferentes mídias, como áudios, animações e vídeos, que podem ser usadas simultaneamente às mídias tradicionais (texto, gráficos, tabelas) para transmitir informações e conteúdos. 

Esse conceito, apesar de antigo, ganha força no contexto digital, em que as mídias podem ser mais facilmente viabilizadas e utilizadas simultaneamente de forma interativa.

Novas tecnologias permitem de modo mais fácil relacionar esses elementos, comportando vídeos, podcasts, ebooks e até mesmo conectividade entre pessoas por meio de chats e reuniões. Permitem também usar a gamificação e personalização, utilizando elementos e estratégias de jogos, como pontuação, competitividade e lógica, e decisões baseadas no comportamento do usuário para personalizar a experiência de ensino.

Diferentemente de mídias impressas e eletrônicas unilaterais como a TV, rádio e cinema, as mídias digitais permitem que o usuário interaja em uma via de mão dupla, mais fortemente ou de uma forma diferente com o material objeto de estudo.

Impulsionando a experiência de aprendizagem do aluno

Mídias digitais podem explorar mais facilmente conceitos de gamificação, personalização e conectividade, potencializando o ato de consumir conteúdo em uma experiência de aprendizagem. Trabalhar com mídias digitais em sala de aula traz inúmeros benefícios para a experiência do aluno, dentre as quais podemos destacar a interatividade e motivação.

1. Interatividade: experiência de aprendizagem potencializada

Como abordado anteriormente, mídias digitais e novas tecnologias permitem um novo modo de interação do aluno com o conteúdo e com o processo de ensino-aprendizagem como um todo. 

Existem novas possibilidades de interação que antes não podiam ser exploradas e cada aluno pode interagir com as mídias de diferentes formas dentro do seu percurso de ensino-aprendizagem. Novas conexões e novos jeitos de aprender, para um novo aluno.

2. Motivação: engajamento e melhores resultados

A interação está ligada diretamente à motivação, principalmente quando pensamos na experiência e em um novo perfil de aluno. Da mesma maneira que as novas gerações possuem cada vez mais novas conexões e formas de acesso à informação, essa expectativa também se concretiza nos modos de aprender cada vez mais únicos.

Em outras palavras, estamos falando de engajamento. Um aluno mais motivado em interagir com o conteúdo irá consequentemente se engajar mais com o mesmo. Neste ponto, você já deve ter percebido o caminho natural entre promover maior interação e motivação e ter alunos mais engajados e consequentemente com melhores resultados. 

Mais do que oferecer uma experiência mais engajadora, essas ferramentas desempenham um papel relevante em uma das competências que serão exigidas do profissional do futuro. 

Ampliando as possibilidades dos educadores

A utilização de mídias digitais no processo educativo também otimiza a rotina dos educadores, ampliando sua possibilidade de atuação dentro do processo de ensino e reduzindo jornadas de tempo. Processos antes dificultosos de serem feitos podem ser facilmente executados ou o tempo de execução drasticamente reduzido. Novas possibilidades de exploração do conhecimento, didática e de interação surgem.

O aluno consome então os conteúdos em uma experiência mais dinâmica, diferente e personalizada, diferente do padrão de mero receptor de conteúdo e sim como atores do processo de aprendizagem, interagindo e sendo protagonistas mais ativos dentro do processo de ensino. 

É possível aplicar conceitos de sala de aula invertida e protagonismo. A correta exploração dessas ferramentas também reforça e amplia a qualidade do ensino, uma vez que uma nova didática surge e melhores resultados podem ser alçancados tanto pelo docente quanto pelo aluno.

Uma questão importante é organizar o trabalho pedagógico para que a tecnologia seja prevista e bem utilizada para contribuir para o processo. Essa nova visão também abarca uma nova visão sobre o sujeito que aprende e quais as melhores formas de ensinar e de se aprender, uma vez que as mídias digitais permitem explorar habilidades diversas construindo a competência e crescimento educacional do estudante e do docente.

Se ao mesmo tempo se pode esperar um processo de inclusão de digital e adaptação desse discente, é importante que o docente busque sempre conhecer as tecnologias e saiba que ferramentas podem auxiliá-lo em sua prática diária no que diz respeito a tendências e atualidades.

Afinal, contar com estudantes engajados em um processo de ensino de qualidade é um grande passo para garantir maior valor para a instituição de ensino, atraindo novos alunos e formando profissionais mais capacitados para o mercado de trabalho atual.

Leia também: guia completo para a aplicação de metodologias ativas no ensino superior

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *