Índices de avaliação do MEC: fotografia de estudantes em uma sala de aula.

Entenda tudo sobre os 4 índices de avaliação do MEC

O Ministério da Educação (MEC) mensura a qualidade do ensino superior nacional atualmente por meio de quatro índices: Conceito Enade, CPC, IGC e IDD. Todos eles dependem, principalmente, dos resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), realizada anualmente a pedido do MEC por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Conforme já abordamos em outros momentos aqui no blog, esses índices de avalição do MEC, na prática, têm um impacto muito maior do que o mero controle governamenta. Eles acabam se tornando parâmetro comparativo entre as IES diante do público, resultando em grande influência no mercado educacional e na escolha dos alunos durante a sua busca por instituições de ensino.

O Enade é composto por quatro instrumentos básicos, sendo o principal a prova (realizada pelos alunos concluintes das áreas designadas naquele ano) e três questionários: 

  • o do Estudante (responsável por traçar um perfil dos alunos participantes); 
  • o de percepção de prova (que auxilia no entendimento dos resultados, pois diz de como o aluno apreendeu a avaliação);
  • o do Coordenador do Curso (que permite o levantamento dos perfis dos coordenadores, seus respectivos cursos e abordagens).

Entre os quatro índices de avaliação do MEC levantados, o Conceito Enade, por exemplo, é um dos componentes do CPC, indicador que analisa a qualidade de um curso preliminarmente. Ele também influencia o IDD (Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado) que apresenta o valor agregado pelo curso ao seus alunos e avaliando uma possível evolução de habilidades.

Vamos, então, entender um pouco melhor cada um dos quatro índices resultantes da avaliação do Enade.

Leia também: guia completo da avaliação do MEC para IES

Conceito Enade

O mais famoso dos quatro índices de avaliação do MEC é conhecido por figurar os rankings comparativos das melhores Instituições de Ensino Superior (IES) do país. 

Comumente divulgado pela grande mídia e portais educacionais, ele cria um conceito comparativo de 1 a 5 para cada curso avaliado por instituição.

Como é calculado?

O Conceito Enade é resultado de uma média dos desempenhos individuais dos alunos participantes por curso em cada IES nas provas de Formação Geral e Componente Específico.

Todas essas médias são padronizadas considerando o desempenho médio nacional e um desvio padrão. São estabelecidos 5 (cinco) conceitos: 3 é considerado o rendimento médio naquele curso no país, 1 e 2 caracterizam IES que estão abaixo da expectativa e 4 e 5 as instituições que estão acima da expectativa.

Como preparar os estudantes? Para o que devo me atentar?

Aqui uma boa comunicação interna com os estudantes sobre a avaliação desde o início do curso e uma preparação continuada para a prova por meio de atividades e simulados são passos chave para um bom resultado no Enade.

Leia também: 8 passos para preparar os alunos para o Enade

IDD – Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado

Este é um indicador que mede a trajetória de aprendizado do aluno por meios comparativos de quando ele entrou na IES e quando saiu. É uma mensuração do valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes em relação ao momento do seu ingresso no curso.

Como é calculado?

Para esse levantamento, é utilizado o resultado dos estudantes na prova do Enade (ao concluírem o curso) e os resultados da prova do Enem (quando entraram no curso).

Para ser concedido a uma IES, é preciso que ela possua no mínimo dois estudantes participantes do Enade com informações recuperadas da base de dados do Enem no período entre o ano de ingresso no curso avaliado e os três anos anteriores. 

É necessário também que esse número atinja pelo menos 20% (vinte por cento) do total de estudantes concluintes participantes do Enade com dados recuperados do Enem. Esses dados são levantados a partir do CPF de cada aluno.

Como preparar a IES? Para o que devo me atentar?

Conceitualmente, três fatores determinam o desempenho dos concluintes de cursos de graduação: 

  • características de desenvolvimento desse estudante ao ingressar na Educação Superior;
  • qualidade do processo formativo oferecido pelo curso realizado;
  • condições individuais que afetam o desempenho e aprendizado de cada estudante.

Diante desses três fatores, a IES tem, de fato, controle apenas sobre o segundo: qualidade do curso ofertado

Por isso, mantenha sua instituição alinhada às atualizações de conteúdo de cada área e invista na qualidade do corpo docente. Esteja sempre atento também às inovações tecnológicas na área da educação, pois comumente os métodos de aprendizado são diversificados e ampliados.

Vale ressaltar ainda que o IDD pode funcionar como uma poderosa ferramenta de análise pedagógica interna para mensurar a funcionalidade dos métodos de ensino aplicados na instituição.

Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

CPC – Conceito Preliminar de Curso

Este é um indicador de qualidade de maior complexidade e que leva em consideração não só o desempenho dos alunos e seu aprendizado ao longo do curso, mas também a formação do corpo docente, didática aplicada e até a infraestrutura da instituição (recursos oferecidos, qualidade das bibliotecas e acervos etc.).

Como é calculado?

O CPC é constituído por quatro dimensões:

  • desempenho dos estudantes: mensurado a partir das notas dos estudantes no Enade;
  • valor agregado pelo processo formativo: mensurado a partir IDD;
  • corpo docente: baseado em informações obtidas a partir do Censo da Educação Superior sobre a titulação e o regime de trabalho dos docentes vinculados aos cursos avaliados (é feita uma média de professores mestres, doutores e professores em regime de trabalho parcial ou integral); 
  • percepção discente sobre as condições do processo formativo: obtida por meio do levantamento de informações relativas à organização didático-pedagógica, infraestrutura e instalações físicas e às oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional, tudo a partir das respostas do Questionário do Estudante (aplicado durante o processo do Enade). 

Como preparar a IES? Para o que devo me atentar?

Aqui, a preparação é sinônimo de estruturação qualitativa da sua IES. Forme um corpo docente qualificado e invista em ações de infraestrutura para a melhor qualidade de ensino dos seus estudantes. 

As bibliotecas digitais com amplos acervos são parte chave dessa estruturação da infraestrutura, por exemplo, pois preenchem o requisito de acervo disponível 24h durante todos os dias da semana (que é uma das exigências).

IGC – Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição

É um indicador de qualidade do MEC que avalia cada instituição com base nos dados trienais obtidos por ela em outras avaliações e índices. Por se tratar de uma média ponderada ao longo dos anos, ele diz também da trajetória da instituição.

Como é calculado?

O IGC é uma média ponderada envolvendo as notas contínuas do CPC dos cursos de graduação e os Conceitos Capes dos cursos de programas de pós-graduação stricto sensu ao longo de três anos. A ponderação da média é feita a partir do número de matrículas nos referidos cursos.

Por ser calculado a partir de dados trienais, o IGC só é conferido para as IES que possuam pelo menos um curso com CPC calculado naquele triênio de referência.

Como preparar a IES? Para o que devo me atentar?

Aqui, o resultado dependerá do conjunto de suas ações na IES ao longo dos últimos três anos. 

Por isso, utilize os resultados dos demais índices de anos anteriores para traçar diagnósticos internos da sua instituição e elaborar melhorias constantes na qualidade de ensino ofertada como um todo, desde as metodologias e didáticas à infraestrutura e estruturação do corpo docente.

Quer aprofundar a conversa sobre os índices de avaliação do MEC? Confira também nosso artigo sobre como esses indicadores se relacionam.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *