Como o laboratório virtual pode influenciar o ensino em sua IES?

Você sabe como funciona o laboratório virtual? Quais seus benefícios no ensino? Leia este post para se inteirar do assunto!
Laboratório virtual: mãe operando

Laboratórios são parte importante do processo de aprendizado, especialmente quando falamos de uma formação profissional. A capacidade de aprender na prática é essencial para que o aprendizado seja completo, e em algumas áreas este é um pré-requisito do Ministério da Educação (MEC) para receber a certificação. 

Levando isso em conta, o que ocorreu nos últimos anos é um grande desafio educacional. Além de uma maior utilização de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) na educação, os mais de dois anos imersos em uma pandemia fizeram com que processos de digitalização fossem acelerados.

E para que a experiência de qualidade pudesse ser transposta das salas de aula físicas para as virtuais, é necessário mais do que aulas transmitidas através de computadores, celulares e tablets. É preciso criar uma imersão no conteúdo, tal qual como ocorre presencialmente.

Para que a experimentação possa fazer parte do ensino superior a distância e do ensino híbrido, é necessário que uma das mais completas práticas pudessem fazer parte das novas formações: o laboratório.  Mas como transpor barreiras para proporcionar essa importante vivência?

Neste post vamos entender como funciona o laboratório virtual, seus benefícios, e formas práticas de aplicá-los à grade curricular de sua IES. Continue essa leitura e saiba mais!

O que são os laboratórios virtuais?

Os laboratórios virtuais são recursos que funcionam como simulações do que seriam os laboratórios físicos. Os elementos em cena replicam a ação e interação destes no “mundo real”. O grande desafio é apresentar versões com alto nível de verossimilhança, para que a experiência possa contribuir para o aprendizado.

Algumas áreas precisam ter uma grande fidelidade em relação às medidas, e modo como os objetos agem e interagem uns com os outros, e com o usuário. Por isso, precisam ser implementados de forma estratégica, visando à melhoria dos serviços educacionais da IES. 

Os laboratórios virtuais tornam possível a prática em modalidades de educação a distância (EaD) e semipresencial, mas também pode ser incorporado como um “extra” na educação presencial. É uma excelente oportunidade de aplicar as teorias aprendidas, com a testagem destas.

Geralmente são elaborados por desenvolvedores de empresas de tecnologias e vendidos como soluções educacionais. Isso é uma grande vantagem do ponto de vista do pós-venda, com uma maior possibilidade de atualização da versão adquirida, e suporte, por exemplo.

Uma forma diferente de aplicar essa tecnologia na IES é utilizar o trabalho de equipes de Tecnologia da Informação (TI) próprias das instituições, ou até mesmo lançar desafios para alunos destes cursos, em parceria com especialistas das áreas envolvidas com a prática laboratorial.

Muito além de um ativo educacional, os laboratórios virtuais são simuladores de uma realidade profissional que será enfrentada pelos alunos, em algum momento. É a oportunidade perfeita para tirar dúvidas e aperfeiçoar performances que serão imprescindíveis no mercado de trabalho.

Leia também: Conheça a aprendizagem experiencial e seus benefícios no ensino superior

Quais os benefícios dos laboratórios virtuais?

Já é possível ter uma ideia dos grandes benefícios ligados aos laboratórios virtuais, independente da modalidade de curso escolhida. Eles são formas de otimizar tempo e recursos dentro da IES, para oferecer uma experiência prática completa dentro da proposta pedagógica dos cursos.

Os proveitos de sua aplicação nas instituições passam por questões de engajamento, aprendizado, financeiras e ligadas à complexidade da formação fornecida. Quer saber mais sobre as vantagens dessa tecnologia? 

Dentre as várias utilidades dos laboratórios virtuais, selecionamos 5 benefícios para as suas IES que irão te inspirar e estimular a buscar este tipo de solução educacional.

1. Letramento Digital

Um dos pontos que fazem com que os laboratórios virtuais sejam recursos eficientes para quaisquer modalidades de curso é a aproximação que promove entre alunos e tecnologias. O letramento digital auxilia na melhor adaptação às demandas do mercado de trabalho.

Esse tipo de interação também beneficia o processo de engajamento dos estudantes, que estão mais adaptados à dinâmica de jogos, redes sociais, apps e sites. Isso torna o conteúdo mais leve, e consequentemente mais simples de ser assimilado e replicado na vivência profissional dos alunos. 

Essa é uma forma de aplicar metodologias ativas de ensino na base pedagógica do curso, promovendo interação direta com as teorias explicadas e discutidas em sala de aula.

2. Economia de recursos

Apesar de envolver um gasto inicial com a compra do software, e até mesmo de manutenção do serviço, é possível promover economia do uso de recursos na IES através da implementação dos laboratórios virtuais. 

Um dos ganhos diz respeito à economia de recursos físicos, como compra de insumos, já que as plataformas permitem que os experimentos e práticas nos laboratórios virtuais sejam replicados quantas vezes o aluno ou professor desejarem.

No caso dos cursos presenciais, a possibilidade de estudo em uma plataforma digital de aprendizagem diminui a demanda pelo laboratório tradicional, o que também promove economia de materiais. 

A mitigação de riscos dessas operações também permite que haja uma economia com mão-de-obra especializada, como técnicos que conduzem as práticas. 

3. Preparação prática

A união entre o que é aprendido na teoria e a prática no laboratório faz com que os estudantes possam captar, de forma mais completa, o conteúdo. Além disso, a simulação bem feita permite que o ambiente e desafios da prática profissional possam ser transpostos para o ambiente virtual, de forma prática e acessível.

Dessa forma, quando forem ingressar no mercado de trabalho, seja em cargos juniores, de assistente, estágios ou trainees, esses alunos poderão ter uma noção mais ampla de como aquela atividade é realizada no ambiente laboral, fazendo com que assumam uma postura mais proativa e confiante nesses locais.  

4. Riscos controlados

Além da economia de recursos humanos e materiais, a migração de laboratórios para o ambiente virtual faz com que os alunos possam executar suas práticas e experiências com precisão, enquanto os protege de riscos.

Um exemplo são as interações entre substâncias, necessárias para o aprendizado da química. Essas operações podem ser muito perigosas, se não forem feitas com altíssimo nível de segurança individual e coletiva, além de preparação de todo o material anteriormente, para evitar qualquer possível mistura não planejada e controlada.

O mesmo acontece com a operação de maquinário. Alguns cursos demandam a manipulação de equipamentos pesados, o que é inviável sem algum nível de experiência. 

5. Flexibilidade

Por último, mas não menos importante, oferecer flexibilidade é um dos grandes trunfos do laboratório virtual. É possível tirar uma dúvida quando necessário, sem precisar realizar deslocamentos, e utilizando um equipamento incluso na rotina, que é o computador, tablet ou celular. 

Além disso, há um ganho em acessibilidade na educação superior, em dois aspectos da palavra:

  1. O primeiro é considerando o impacto financeiro, nem que seja para ir até a sede da IES, ou comprar algum material extra, como equipamento de proteção individual (EPI). 
  2. O outro é referente às adaptações das plataformas para melhor atender pessoas com deficiência, seja com legendas, recursos de voz, etc.

A flexibilidade também fortalece a postura protagonista do aluno, que pode utilizar esse recurso de acordo com a sua necessidade, como em uma preparação para provas, por exemplo.

Ebook Leitura na era digital: clique aqui para baixar!

Quais são os cursos que mais utilizam laboratórios virtuais?

Apesar de nos remeterem a uma ideia de uma “ciência padrão”, dos filmes e séries, onde são ensinadas as disciplinas de biologia, física ou química, os laboratórios virtuais podem estar envolvidos no projeto pedagógico de várias outras matérias, de cursos pertencentes a diferentes áreas.

Como mencionado anteriormente, nada impede sua utilização na modalidade presencial. Pelo contrário, é um ganho educativo. Mas por estarem inseridos em plataformas digitais, os laboratórios virtuais são muito atrativos para cursos que podem ser feitos de forma híbrida ou a distância.

É muito comum utilizar os laboratórios virtuais para aplicar matérias que utilizam um espaço laboratorial padrão, como aquelas que envolvem os cursos de saúde, engenharias, etc. Por outro lado, é bem comum que algumas práticas industriais utilizem esse recurso, especialmente aquelas ligadas aos cursos de engenharia, que citamos anteriormente.

Mas aqueles que estão por dentro deste negócio sabem que o futuro é a ampliação para outros cursos. Tudo indica que humanidades, atendimento a pessoas e o setor da educação também irão embarcar nessa inovação na educação superior, como forma de oferecer pontos de melhoria nos cursos.

Para atender às várias formações das IES, algumas plataformas utilizam uma série de disciplinas “coringas”, como física, química, biologia ou anatomia. Outras ousam um pouco mais, com simulações de artes, música, libras e até mesmo estética corporal. 

Algumas empresas chegam a oferecer mais de 300 opções de laboratórios, que abrangem cursos de ciências naturais, engenharias, arquitetura, humanidades e até mesmo gastronomia. As práticas são atualizadas, algumas novas são adicionadas, tudo para melhorar a experiência do aluno.

Como o laboratório virtual funciona?

Mas como o laboratório virtual funciona? Existem alguns modos de funcionamento, vamos passar por alguns deles. 

Os laboratórios virtuais podem estar integrados às plataformas das próprias instituições de educação superior.

Uma outra opção é serem hospedados em sites, ou até mesmo disponibilizados como um software, com ou sem acesso à internet.  Geralmente a aula prática é precedida de uma aula teórica que irá apresentar o conteúdo necessário para que a experiência empírica seja bem aproveitada.

Diferente de um laboratório tradicional, no laboratório virtual todos têm a oportunidade de participar de todas as etapas da prática ou experimento, e de repetí-los, caso sintam que é necessário para o entendimento.

Uma forma diferente de utilizar esse recurso é integrá-lo ao laboratório tradicional. Com isso, é possível simular a prática ou experimento antes de realizá-lo “ao vivo”, o que oferece maior perícia e nível de segurança, além da participação de todos os alunos em alguma etapa do processo.

Os professores selecionam, dentro das opções de práticas e simulações, aquelas que fazem mais sentido para a trilha de aprendizagem que desejam construir juntos dos alunos. 

Conclusão 

É possível notar que os laboratórios virtuais são o presente e o futuro das práticas educacionais. Essa é uma forma dinâmica de ensinar, com recursos mais acessíveis, o que torna a formação mais atrativa, tanto do ponto de vista financeiro, quanto do engajamento.

Gostou desde conteúdo sobre o laboratório virtual? Confira também este post sobre a biblioteca digital e leve a inovação para o dia a dia da sua IES.

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!

[KIT GRATUITO]

Advogado do futuro: dicas para preparar os estudantes de sua IES

Em comemoração ao Dia do Advogado, criamos um kit de materiais gratuitos com os nossos principais conteúdos para que a sua IES apoie os advogados em formação.