Conheça 4 estratégias de marketing em bibliotecas universitárias

Quer saber como incentivar os alunos a lerem mais? Conheça 4 estratégias de marketing para bibliotecas universitárias!
Marketing em bibliotecas universitárias: fotografia de duas pessoas estudando em uma biblioteca.

A biblioteca da sua instituição de educação superior (IES) já desenvolve alguma estratégia de marketing?

Diversos estudos científicos — que serão abordados no presente texto — indicam que essa tendência, apesar de apresentar ótimos resultados, ainda é incipiente no contexto brasileiro. Bibliotecas de várias instituições ainda não coordenam esforços nesse sentido.

Isso acaba por inibir o pleno potencial de sua IES. As bibliotecas são fundamentais para disseminar conhecimento, auxiliar nos estudos e promover uma maior captação de alunos.

No contexto tecnológico de nossos tempos, o marketing em bibliotecas universitárias possui alcance ainda maior. A publicidade digital viabiliza iniciativas mais rentáveis e de maior escopo do que seu correspondente tradicional.

Neste texto, vamos explicar como funciona o marketing em bibliotecas universitárias, a partir de estudos científicos e dicas práticas. Ao completar a leitura, você estará preparado para desenvolver uma estratégia em sua instituição!

Por que investir no marketing em bibliotecas universitárias?

Para responder a essa pergunta, vamos nos reportar a um estudo intitulado “Marketing em bibliotecas universitárias: uma revisão bibliográfica”. Foi publicado por ocasião do XVII Seminário Nacional das Bibliotecas Universitárias (SNBU), e aconselhamos fortemente sua leitura.

Confira o seguinte excerto retirado do estudo:

No âmbito dos serviços bibliotecários especializados, inerentes às bibliotecas universitárias, não se admite mais, frente aos novos desafios que caracterizam o atual cenário da informação, uma visão estreita sobre o marketing. 

As bibliotecas devem ser consideradas um negócio, e como qualquer outro, deve estar voltado para as necessidades de seus clientes/usuários, se não quiserem perecer em um mercado cada vez mais competitivo.” (destaque nosso)

O fragmento acima resume bem a importância de se investir no marketing em bibliotecas universitárias, que pode também ser resumida em uma única palavra: sustentabilidade.

Algumas pessoas pensam que o marketing não é aplicável às bibliotecas, uma vez que elas não comercializam produtos. No entanto, essa noção é orientada por uma visão redutiva do conceito.

De acordo com o conceito apresentado pela autora Jennifer Rowley, na obra “Information Marketing”, podemos compreendê-lo como um processo de gestão que identifica e antecipa os requisitos de suprimentos dos clientes, de forma eficiente e rentável.

Essa visão mais abrangente do marketing o torna perfeitamente aplicável no contexto de bibliotecas universitárias. Seus usuários, que podem ser considerados clientes indiretos, possuem necessidades específicas, que devem ser identificadas para manter a rentabilidade da IES (e, de forma indireta, da biblioteca).

Em outras palavras, é um recurso para que biblioteca e IES se mantenham competitivas.

Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

Quais são as dificuldades competitivas enfrentadas pelas bibliotecas?

O mesmo estudo do SNBU que citamos acima diz também sobre as dificuldades competitivas que as bibliotecas enfrentam atualmente:

  • Cortes de orçamento;
  • Aumento na base de usuários;
  • Rápido crescimento de acervo e materiais;
  • Custos crescentes;
  • Demandas na rede;
  • Concorrência dos fornecedores de banco de dados;
  • Complexidade das necessidades de informação.

As dificuldades acima podem ser combatidas por meio de uma política bem planejada de marketing. Ela pode impulsionar a receita da instituição, através da captação de mais alunos, conseguindo assim expandir seu acervo e ajudar a IES a se posicionar com destaque no mercado.

Para alcançar esses objetivos, vamos agora apresentar algumas estratégias de marketing em bibliotecas universitárias!

Leia também: Saiba como aproveitar a relação entre tecnologia e livros no ensino superior

4 Estratégias de marketing em bibliotecas universitárias

A partir deste tópico, vamos abordar, de forma mais prática e direcionada, quatro estratégias para desenvolver o marketing em bibliotecas universitárias. 

Seguindo essas orientações, você conseguirá executar esforços organizados e bem planejados, aumentando assim suas chances de sucesso.

Estratégia 1: Conheça melhor o perfil dos usuários

O primeiro passo para aprimorar a visibilidade de sua biblioteca universitária é conhecer melhor o perfil de seus usuários.

Como vimos, a noção atual de marketing envolve processos para identificar as necessidades das pessoas. É preciso, então, conhecer tais necessidades. Mas como fazê-lo?

Existem várias abordagens para alcançar este objetivo, como por exemplo:

  • Aplicação de questionários;
  • Presença nas mídias sociais
  • Canais abertos para feedback. 

Vamos falar de algumas dessas abordagens a seguir.

Aplicação de questionários

Uma forma prática de se levantar dados sobre os usuários da biblioteca é por meio da aplicação de questionários. É interessante optar por ferramentas virtuais para executar essa tarefa, para que seja mais fácil tratar as informações.

Você pode usar, por exemplo, o Google Forms. É um recurso gratuito que viabiliza a confecção e aplicação de um formulário digital. Se for possível, esse formulário pode ser encaminhado a todos os alunos por meio do e-mail institucional da IES.

Para auxiliar, relacionamos abaixo algumas sugestões de pergunta, organizadas em três seções:

Perfil do usuário
  • Você é um aluno de graduação ou pós-graduação?
  • Qual curso você faz?
  • Em qual período do curso você está?
  • Qual é a sua idade?
  • Com que frequência você utiliza os serviços da biblioteca?
  • Qual(is) o(s) principal(is) serviço(s) utilizado(s)?
Acervo da biblioteca
  • Com que frequência você acessa obras da biblioteca?
  • Em média, quantas obras físicas você pegou emprestado no último semestre?
  • Em média, quantas obras virtuais você acessou no último semestre?
  • De quais tipos de títulos você faz o maior uso (periódicos, livros, artigos, etc.)?
  • Você costuma encontrar dificuldade em localizar obras em nosso acervo?
Espaço físico
  • Como você avalia os seguintes aspectos do nosso espaço físico? Atribua nota de 1 a 5:
  • Espaços para estudo individual
  • Espaços para estudo em grupo
  • Computadores
  • Banheiros
  • Espaço de armazenamento das obras

Após aplicar os questionários, é possível ter uma visão dos principais usuários da biblioteca e suas características. Ademais, você também entende melhor as demandas desses usuários.

Atenção! Lembre-se que os dados levantados por meio dos questionários, assim como todas as informações armazenadas e tratadas por sua IES, devem guardar conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados.

Leia também: Como funciona uma biblioteca digital?

Presença nas mídias sociais

Essa é outra forma de se familiarizar mais com o perfil dos estudantes. Atualmente, uma boa parte da comunicação social é realizada por meio das redes. Esse fenômeno foi ainda mais impulsionado pela pandemia de covid-19.

Portanto, estar presente nesses espaços é fundamental para estabelecer um diálogo com os estudantes.

Mas não basta apenas criar uma página da biblioteca nas redes sociais. É preciso deslocar algum funcionário para se encarregar da gestão desses perfis.

Realizar publicações, interagir com os alunos por mensagens e responder às suas dúvidas, participar de eventos virtuais… Essas são apenas algumas das várias formas de interação nas redes. Para que a interação seja efetiva, é necessário que alguém fique por conta dela.

Ao marcar presença nos espaços virtuais, conseguimos entender de forma mais íntima o perfil dos usuários da biblioteca.

Canais abertos para feedback

Essa é uma orientação mais genérica, que pode ser realizada de várias formas distintas. Independente da forma, o mais importante é manter canais para que os alunos encaminhem críticas e elogios à biblioteca.

Podemos optar pela velha caixinha de sugestões, que pode ser física ou virtual — na forma de uma caixa de mensagens anônimas no site da instituição, por exemplo.

Outra forma de receber feedbacks dos alunos é por meio do contato direto com o bibliotecário, ou algum outro funcionário da biblioteca. Conversar diretamente com outra pessoa, online ou presencialmente, é um estímulo a mais para que os alunos se sintam à vontade e manifestem suas opiniões.

Algumas redes sociais, como Instagram, possuem funcionalidades que podem contribuir nesse processo. É possível, por exemplo, realizar enquetes e verdadeiras pesquisas por meio dos stories. 

Leia também: 8 dicas para fazer uma boa catalogação de livros

Estratégia 2: Produza conteúdo educativo sobre a biblioteca

O marketing de conteúdo é outra estratégia efetiva para estabelecer um relacionamento com os usuários da biblioteca e aumentar seu valor aos olhos dos estudantes.

Em linhas gerais, seu objetivo é produzir conteúdo educativo e relevante voltado para o seu público-alvo.

Ao estreitar seu relacionamento com os usuários da biblioteca, você consegue levantar mais informações sobre essas pessoas. A partir dessas informações, é possível enxergar melhor os problemas que enfrentam. No contexto do marketing de conteúdo, tais problemas recebem o nome de dores.

A ideia, então, é produzir conteúdo que responda às dores do seu público. Ao veicular os materiais produzidos nas redes, a visibilidade da biblioteca pode aumentar bastante — tanto em relação aos alunos da IES, quanto em relação aos alunos em potencial.

Vamos explicar de forma mais prática como funciona essa produção de conteúdo, com foco em dois canais principais em que ele pode ser veiculado: blogs e redes sociais.

Conteúdos para blog

Possuir um blog é uma opção interessante para conseguir se comunicar com potenciais alunos, que utilizem ferramentas de busca para sanar suas dúvidas (como o Google). É também útil para estreitar a relação com os alunos da instituição.

Você pode utilizar o blog de sua IES, se houver, e postar conteúdos que guardem alguma relação com os conteúdos da biblioteca. A melhor forma de fazer isso é produzir textos informativos, bem formatados e que respondam a perguntas específicas que os alunos podem fazer para as ferramentas de pesquisa.

Por exemplo, você pode redigir textos que expliquem:

  • Como focar nos estudos? Estratégias para manter o foco em qualquer ambiente
  • Como escolher livros para estudar? Dicas para um bom planejamento bibliográfico
  • Quais são os melhores periódicos do curso de Direito?

Tente se colocar no lugar dos usuários da biblioteca, a partir dos dados que você já levantou sobre eles. Pense, então, em quais tipos de questionamentos e palavras-chave eles poderiam inserir no Google.

Leia também: 8 passos para desenvolver o marketing educacional em sua IES

Conteúdos para redes sociais

O conteúdo para redes sociais segue uma lógica um pouco diferente do conteúdo para blog. Aqui, há um foco maior em desenvolver o relacionamento com aqueles que já conhecem a biblioteca, por meio do engajamento.

Para ilustrar quais tipos de conteúdo funcionam nas redes sociais, vamos aproveitar uma matéria sobre 9 formas de usar o Instagram para sua biblioteca. Ela traz dicas interessantes de assuntos para se publicar nessa rede social:

  1. Tire fotos dos livros de sua biblioteca — tanto exemplares recém-chegados quanto obras mais antigas;
  2. Mostre os eventos e serviços da biblioteca — lançamento de algum livro de um professor da IES, campanhas de doação, etc;
  3. Apresente os bastidores do funcionamento da biblioteca, além das alterações e melhorias

que vierem a acontecer;

  1. Exiba prévias de eventos, lançamentos, aquisições e outros acontecimentos relevantes;
  2. Mostre os usuários e funcionários da biblioteca em seu habitat natural — isso ajuda a criar conexões entre eles;
  3. Compartilhe fotos suas e dos demais funcionários em eventos de biblioteconomia; 
  4. Apresente os bibliotecários por meio de posts que contem um pouco de sua história, para que os alunos os conheçam melhor;
  5. Mostre todos os espaços da biblioteca, como os locais de estudo e onde se armazenam as obras;
  6. Transforme folhetos, anúncios de eventos e outros materiais da biblioteca em arquivos virtuais.

Estratégia 3: Inclua os alunos no processo de expansão do acervo

E se os alunos pudessem opinar na aquisição de novas obras para a biblioteca?

Essa é uma estratégia que também procura aproximar o corpo estudantil. Ao influenciar no processo para manter o acervo atualizado, os alunos são mais estimulados a acessar as obras e frequentar a biblioteca.

Na realidade, a política de expansão do acervo de cada IES costuma prever a formação de uma comissão para revisar, adquirir e descartar obras. A comissão, por sua vez, é normalmente integrada por um representante do corpo estudantil.

Mas você pode ir além e criar mais canais de comunicação, por onde os alunos sugerem obras. Isso pode ser feito, por exemplo, por meio dos formulários que você enviar aos estudantes.

Isso faz com que o corpo discente se sinta ouvido. Não se esqueça de publicizar bastante essa iniciativa, para que todos possam contribuir e conferir os esforços da biblioteca em dialogar melhor com os alunos.

Leia também: Entenda a importância do hábito da leitura na universidade

Estratégia 4: Invista em uma biblioteca digital

A grande maioria das estratégias que abordamos neste artigo utiliza, de uma forma ou de outra, as tecnologias do meio virtual. De fato, esse ambiente representa potencialidades sem precedentes, onde o marketing consegue melhores resultados.

Nessa mesma linha de raciocínio se encontra a biblioteca digital. Ela consegue aproveitar as inúmeras vantagens das novas tecnologias e representa uma demanda crescente por parte dos estudantes.

Por isso, investir em uma biblioteca digital é também uma estratégia de marketing. É possível atrair uma grande quantidade novos de alunos com essa iniciativa, além de melhorar também os índices de retenção.

Isso porque, do ponto de vista do corpo estudantil, a biblioteca digital representa:

  • Maior comodidade nos estudos;
  • Menos problemas logísticos relativos ao transporte das obras;
  • Estudo de qualquer lugar onde há acesso à rede;
  • Garantia de atualização do acervo;

Esperamos que você tenha aproveitado este texto sobre marketing em bibliotecas universitárias! Que tal já aproveitar as nossas dicas e conferir como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!

[KIT GRATUITO]

Advogado do futuro: dicas para preparar os estudantes de sua IES

Em comemoração ao Dia do Advogado, criamos um kit de materiais gratuitos com os nossos principais conteúdos para que a sua IES apoie os advogados em formação.