Motivação para alunos: fotografia de estudantes andando carregando seus livros. Uma estudante em foco sorri para a câmera.

10 dicas para aumentar a motivação para alunos no ensino superior

Gerar mais motivação para alunos costuma estar entre os principais desafios de qualquer instituição de educação superior (IES). E após um ano tão trabalhoso como foi 2020, essa dificuldade ganhou novas proporções.

Muitas instituições de ensino, que já tinham dificuldade em motivar seus alunos em aulas presenciais, se viram obrigadas a repensar suas estratégias educacionais para o contexto virtual do ensino remoto.

A pressão é ainda maior considerando que manter a motivação para alunos é essencial para reduzir a evasão dos estudantes. Além de, claro, garantir um ensino de qualidade. 

Por que manter os estudantes motivados?

Fazer com que os estudantes se mantenham com atenção e foco nas aulas não é importante apenas para garantir que eles absorvem a matéria da forma mais eficiente possível. A diminuição da evasão também não é o único ganho que as IES possuem com um corpo discente interessado.

Aumentar a motivação para alunos é positivo tanto para eles quanto para professores e instituições de ensino, além de repercutir até externamente. Abordaremos agora 8 vantagens de manter os estudantes motivados:

1. Aumenta o engajamento do aluno

Uma aula que motiva o estudante faz com que ele tenha mais foco e interesse na disciplina. Tais características são fundamentais para que o aluno seja engajado, se proponha a participar das atividades e se torne protagonista de sua própria educação.

2. Diminui a evasão estudantil

Segundo dados do Mapa da Educação Superior no Brasil, a evasão de 2019 para 2020 aumentou de 30 para 35,9% no ensino presencial e de 35 para 40% no ensino superior a distância. Investir na motivação dos estudantes é uma importante arma na luta contra a evasão.

3. Melhora a imagem da IES no mercado

Alunos motivados vão melhor nos estudos e, com isso, os indicadores de qualidade da educação superior, como o Enade, tendem a ser mais altos. Por sua vez, ser bem conceituada no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) traz uma boa imagem no mercado para a instituição, pela demonstração da qualidade de seu ensino.

4. Atrai novos alunos

Uma IES bem conceituada pelo Inep – e bem vista no mercado – atrai novos estudantes. Ao escolher onde estudar, o aluno preza por qualidade e, além disso, ver bons relatos de conhecidos que estudam em um ambiente motivador também auxilia nessa pesquisa por instituições de ensino.

5. Melhora a relação da IES com o aluno

Ser bem vista para fora e aumentar seu alcance é bom, mas ter uma boa relação com seus estudantes é fundamental. As IES que investem em motivação criam um sentimento de pertencimento para os alunos, tornando a comunicação entre instituição, professores e alunos mais direta e, de fato, construindo uma educação mais horizontal.

6. Aproveita melhor o trabalho do professor

Com alunos mais motivados, as aulas podem fluir em um ritmo melhor. Desse modo, os professores são mais valorizados ao lecionarem um conteúdo que gera mais interesse, concentração e participação da turma, além de a aula ser mais rica e aprofundada.

7. Foca o ensino no aluno

Não tem como motivar sem colocar as necessidades e particularidades do aluno em primeiro lugar. Ao construir uma aula que pretenda motivar o estudante, é interessante que se observe as metodologias ativas de ensino, que entendem o aluno como protagonista de sua educação.

8. Facilita a percepção do crescimento do estudante

Um aluno motivado é mais participativo e preocupado com seu ensino. Sendo assim, ao investir em motivar o estudante, os processos educacionais da IES se tornam mais claros, e deste modo, tanto os professores, quanto os alunos, conseguem perceber a evolução da turma como um todo e também de forma individual.

Como gerar maior motivação para alunos?

Essa já era uma grande questão para as IES com aulas presenciais. Mas em um cenário de aulas online ou no ensino híbrido, as dúvidas e os desafios são outros e, muitas vezes, maiores: 

Para te ajudar a solucionar essas grandes questões, listamos abaixo 10 dicas para aplicar no ensino superior e garantir uma maior motivação para alunos!

Com elas, também é possível melhorar consideravelmente a qualidade de ensino da sua IES e reduzir as taxas de evasão. Confira!

1. Adote metodologias ativas

O uso de metodologias ativas no ensino superior é de grande ajuda na motivação para alunos. Elas transformam o modelo clássico das salas de aula e colocam os alunos como parte central e ativa do próprio aprendizado.

Existem diferentes estratégias de metodologias ativas, o que possibilita maior flexibilidade de aplicação por parte da sua IES. O mais importante é que todos os modelos do ensino ativo colocam os alunos em uma posição de protagonismo e personalizam a experiência de cada um.

Ao ter acesso a um ensino personalizado e com maior autonomia, os alunos ficam mais motivados. Afinal, passam a atuar em uma posição mais ativa dentro de seu próprio processo de aprendizagem.

A melhor parte é que as metodologias ativas não funcionam apenas no ensino presencial. Elas também podem ser aplicadas muito bem no ensino híbrido ou nos diferentes tipos de EaD!

2. Aproveite as ferramentas digitais

Atualmente, a grande maioria dos estudantes já está familiarizada com o uso de tecnologia. O smartphone, por exemplo, é um acompanhante constante dos alunos, tanto nas aulas presenciais quanto nas disciplinas online.

Por isso, sempre que possível, é interessante que os professores desfrutem das ferramentas e dispositivos digitais para se aproximar e motivar os alunos.

Desenvolver lições em ambientes virtuais permite que os estudantes possam estudar onde e quando quiserem, além de explorar linguagens e ferramentas que eles já conhecem e sabem como aproveitar.

Isso vale para redes sociais, grupos, blogs, e também para plataformas digitais de aprendizagem mais completas e personalizáveis.

3. Estimule a cultura de feedbacks

A cultura de feedbacks já é constante em empresas ao redor do mundo e pode também trazer muitos benefícios para as IES, inclusive na motivação para alunos.

O hábito de dar e receber feedbacks ajuda a estabelecer uma relação horizontal entre estudantes e professores. Esse diálogo entre eles pode auxiliar em um melhor caminho e desempenho em sala de aula.

4. Invista no ensino por competências

A aprendizagem por competências conecta diferentes áreas do saber para ir além da teoria. Esse tipo de ensino tem como objeto combinar conhecimentos, atitudes, recursos, valores e estímulos para desenvolver novas capacidades, como habilidades práticas, técnicas, cognitivas e socioemocionais.

Muitas vezes aliado às metodologias ativas, o ensino por competências faz com que os estudantes recebam uma formação contemporânea. Afinal, o mercado de trabalho não exige apenas conhecimentos técnicos, mas maturidade, proatividade, habilidades de comunicação e resolução de conflitos, autonomia, entre outras competências.

Projetos em grupos e multidisciplinares que simulam as atividades do dia a dia profissional podem ser iniciativas interessantes para motivar os alunos, além de promover uma formação mais completa.

5. Realize projetos interdisciplinares

Como vimos, os projetos interdisciplinares são uma ótima ideia para aplicar metodologias ativas e o ensino das competências.

Mas, mais do que isso, esse tipo de iniciativa permite que os alunos tenham uma visão melhor do todo e compreendam como uma disciplina A se relaciona com a B, C, e por aí vai.

Com essa visão, a motivação para os alunos é crescente, enquanto as taxas de evasão diminuem.

6. Invista na capacitação dos professores

Tanto nas aulas presenciais quanto no ensino online, a capacitação do corpo docente é essencial para que os professores possam motivar cada vez mais seus estudantes.

Para uma maior motivação para alunos e menor taxa de evasão, é preciso que os docentes saibam como construir pontes com seus estudantes, ajudando-os a evoluir e percebendo suas limitações para superá-las.

7. Personalize o ensino e as interações

Ao personalizar o ensino e a interação com os alunos, as IES criam um vínculo mais forte com seus alunos. É importante perceber que cada estudante tem uma realidade e necessidades diversas dos outros.

Isso vale desde os exercícios nas plataformas de ensino, e-mails e mensagens institucionais, interações nas redes sociais e, claro, pessoalmente!

Banner de divulgação do ebook gratuito "Tendências 2021 para o ensino superior". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-tendencias-2021?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

8. Aprimore a Student Experience da sua IES

A experiência do estudante (SX) é uma das tendências de ensino de 2021. Esse conceito consiste na percepção que o futuro ou atual aluno tem dos serviços de uma IES. E isso engloba diferentes fatores, como ensino, interações, atendimento, uso de ferramentas atualizadas, entre outros.

Criar uma student experience positiva, faz com que a IES mantenha a motivação para alunos, reduza a evasão e ainda auxilia na captação de alunos!

9. Desafie os estudantes

Ser desafiado traz mais motivação para o ser humano, seja nas aulas ou em qualquer atividade realizada na vida. Dinâmicas que requerem mais dos estudantes tendem a fazer com que eles foquem mais no que é proposto para alcançar um bom resultado.

Os professores podem contar com inúmeros exercícios que impulsionam os alunos a sair de suas zonas de conforto. Dessa forma, o estudante vai se ver tentado a dar o máximo de si ao experimentar novas formas de estudar, desenvolvendo novas habilidades.

Mas, atenção! Todo desafio deve ser proposto com base no perfil e capacidade dos alunos. Metodologias que extrapolam as reais possibilidades de ensino e que não se conectam com os estudantes terão um efeito contrário, pois ao se ver diante de uma atividade extremamente complexa, que vai além de suas expertises, o indivíduo pode simplesmente desistir de concluí-la.

10. Priorize o processo de ensino como um todo, e não apenas os resultados

Por mais que a obtenção de bons resultados em um ambiente educacional seja primordial, o foco deve sempre estar no processo de aprendizagem como um todo e não apenas no final.

Ao dar atenção para todo o caminho percorrido pela turma na construção do conhecimento, os professores percebem de forma clara quais são os momentos em que os estudantes menos participam. Sendo assim, cada etapa do aprendizado pode ser aprimorada para ter uma educação ainda com mais qualidade.

É importante lembrar que não existem bons resultados saídos de processos deficitários.

Leia também: 10 dicas para manter a sua comunidade acadêmica engajada

E o que fazer com alunos desinteressados?

Mesmo com a aplicação das 10 dicas para aumentar a motivação dos estudantes e tendo uma turma mais engajada, ainda haverão alunos desinteressados com as aulas. Afinal, além de problemas gerais, diversas particularidades podem afetar os estudantes de forma individual e dificultar a sua aprendizagem.

Dar atenção aos estudantes desmotivados é importante para aumentar o ritmo de toda a turma e enriquecer o ensino da IES. Destacamos agora 5 atitudes para lidar com alunos desinteressados:

1. Converse com o estudante

O diálogo entre coordenadores, professores e alunos é a chave do sucesso de uma educação de qualidade. Ao invés de supor o que pode estar acontecendo com o estudante que apresenta desinteresse nas aulas, a IES pode ter uma conversa sincera e respeitosa sobre isso.

Compreender o ponto de vista do aluno ajuda a aperfeiçoar as aulas. Além de desenvolver os objetivos do ensino, é importante pôr em prática, também, o que o estudante espera desse processo.

2. Relacione a matéria lecionada com a realidade

Uma das práticas que mais apresenta resultados positivos para manter a atenção do corpo discente é apresentar exemplos reais nas explicações das disciplinas. Relacionar o objeto de ensino com situações que podem ser percebidas pelos estudantes deixa a formação palpável e mais prática.

Também pode ser proveitoso utilizar exemplos da vida cotidiana dos alunos durante as aulas, deixando-as mais tangíveis. Desse modo, os professores podem trazer de volta a atenção dos estudantes que estejam demonstrando desinteresse com os conteúdos lecionados, aproximando-os do ensino com exemplos práticos, tornando a disciplina mais compreensível. 

3. Invista em aulas diferenciadas

Manter sempre a mesma rotina tende a tornar as atividades cansativas, por isso as aulas precisam de inovação! A educação vem evoluindo de forma rápida no século 21 e, com isso, o perfil do estudante também vem mudando.

Investir em metodologias não convencionais, que tenham novas propostas para a educação, é uma ótima forma de trazer o interesse dos alunos de volta para a graduação. A utilização da internet ainda permite que as aulas possam aproveitar de diversos recursos multimídia, que enriquecem o conteúdo e atraem a atenção do estudante.

4. Demonstre a importância de aprender, e não decorar

Uma das principais razões que fazem com que os alunos percam o interesse nas aulas é a não compreensão da importância daquilo que está sendo lecionado. Pouca será a motivação do estudante que não compreende o porquê de aprender determinada matéria e sua utilização.

Para tanto, os professores devem deixar claro os motivos para os conteúdos serem trabalhados, sua relevância dentro da disciplina e sua aplicação na prática. Outro ponto central é incentivar que os alunos realmente aprendam o que é visto, e não apenas decorem para a realização de provas.

5. Proponha atividades que mostrem a evolução do estudante

Além de não entender o porquê de estudar determinado conteúdo, o aluno também pode ficar desinteressado por não ver evolução no seu conhecimento. Se sentir estagnado tira a motivação do aluno em aprender, afinal, por que ele irá se comprometer com uma atividade que não está dando retorno?

Deste modo, é extremamente valioso que o professor consiga demonstrar o crescimento da turma. A abordagem de atividades nas quais o estudante perceba que realmente está recebendo de forma eficaz o conhecimento o motiva a ir em frente e a construir uma educação de qualidade de forma conjunta.

7 metodologias ativas que ajudam na motivação para alunos

Como já visto anteriormente, as metodologias ativas são hoje uma das melhores formas de motivar os estudantes. O protagonismo proporcionado ao aluno cria uma educação mais horizontal, e assim, mais participativa.

Nesse sentido, destacamos a seguir 7 metodologias ativas que enriquecerão o ensino na sua IES e motivarão os alunos. Confira:

Aprendizagem baseada em projetos

Essa primeira metodologia foca na construção de um projeto durante as aulas. Com ela, o aluno é estimulado a trabalhar em grupo, de forma criativa e extremamente prática.

Além disso, aqui o aluno trabalha com a interdisciplinaridade e desenvolve o ensino por competências, ao lidar com uma situação real na qual deve experimentar diversas formas de concretizá-la. Colocando o aluno em um papel central de literal construção do ensino, a aprendizagem baseada em projetos é uma forma ótima de engajar a turma.

Aprendizagem baseada em problemas

Do inglês Problem Based Learning, a aprendizagem baseada em problemas é bastante similar à metodologia ativa anterior. Aqui, o foco está em solucionar um problema proposto para desenvolver os temas estudados.

Esse método de aprendizagem significativa motiva o aluno ao dar a ele maior autonomia e responsabilidade com a dinâmica de estudo. A resolução dos problemas e o sucesso da aula depende do envolvimento do estudante.

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida propõe que o aluno receba o conteúdo da disciplina e estude de forma prévia individualmente, para que no momento da aula possa discutir e utilizar o que foi aprendido. Além de colocar o aluno na frente dos estudos, essa metodologia é uma forte motivadora por utilizar os recursos digitais de forma exemplar.

Nesse processo, o estudante ganha flexibilidade de tempo para acessar o conteúdo e aproveita o momento das aulas para melhor desenvolver o que foi visto. Desaa forma, os encontros entre professores e alunos se tornam mais enriquecedores, pois contam com mais debates, proposições e resolução de exercícios mais capacitadas.

Cultura maker

A cultura maker na educação é aquela que coloca o estudante para trabalhar na prática, colocando a mão na massa, com o famoso do it yourself (DIY). Essa metodologia dá ao estudante os recursos para construir novas ideias no âmbito educacional.

Essa possibilidade de que todos possam resolver seus problemas traz um estudante mais motivado para as aulas. O desenvolvimento da criatividade, da colaboração e o alinhamento da teoria com a prática deixa o ensino com ainda mais qualidade.

Gamificação

O processo de gamificação na educação é a utilização de elementos, estratégias e ferramentas próprias de jogos no processo de aprendizagem. Com essa metodologia ativa, o aluno adquire o conhecimento das disciplinas em formato de jogos, que são fortes incentivos para a participação discente.

Os principais pontos fortes da gamificação vêm de desafiar o estudante a concluir um objetivo, podendo ocorrer cooperação entre os alunos e também competições saudáveis que aumentam ainda mais o engajamento. Sendo assim, o estudante é motivado com uma atividade extremamente rica que desenvolve sua criatividade, foco, disciplina, etc.

Rotação por estações

Nesta metodologia ativa, a turma deve ser dividida em grupos menores que irão passar por um verdadeiro circuito do conhecimento. Cada grupo deverá passar por uma atividade que seja realizada com diferentes formas de aprendizagem: visual, auditivo, leitor e escritor e cinestésico, até completar todo o ciclo.

Com a rotação por estações de aprendizagem, o estudante desenvolve diversas formas de adquirir o saber, além de ser estimulado a trabalhar em grupo. Esse dinamismo proposto motiva o aluno a ter uma participação nas aulas e a colaborar com a turma.

Aprendizagem entre pares

Como já visto anteriormente, a principal motivação trazida com a aplicação das metodologias ativas vem de colocar o estudante no centro do ensino. Na aprendizagem entre pares não é diferente, pois aqui a turma deve trabalhar em duplas (os grupos) para debater os conhecimentos das disciplinas.

O aluno se engaja ao perceber que sua opinião é importante para os debates propostos e que o conhecimento é construído de forma conjunta. Também é desenvolvida a oralidade e a comunicação, pois além de discussões entre os pares, cabe também ao estudante apresentar pro resto da turma o que foi desenvolvido.

E agora que você já sabe como promover a motivação para alunos, que tal descobrir como trazer ainda mais estudantes para sua IES? Confira nosso artigo especial com 10 estratégias para captação de alunos e saiba como inovar em sua IES!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *