Saiba como organizar o plantão de dúvidas de forma inteligente

Descubra como organizar um plantão de dúvidas de forma prática e eficiente!
Plantão de dúvidas: mulher se questiona

Você sabe como organizar um plantão de dúvidas?

Diferente do que muitos pensam, como não há apenas um modo de ensinar, não há apenas um modo de aprender. Pessoas distintas possuem formas, ritmos e preferências que, por vezes, destoam de outras que estão próximas, como colegas de uma mesma sala. 

No ensino básico, quando os estudantes apresentam alguma dificuldade de aprendizado, é muito comum que os pais lancem mão de artifícios como aulas complementares. Existem instituições que são especialistas em reforço escolar, com atividades contínuas. 

E quando há dúvidas no ensino superior? Quais recursos podem ser utilizados? Neste caso, o plantão de dúvidas também funciona como um suporte no contexto acadêmico. A diferença é que o estudante tem um papel central no esclarecimento de seus próprios questionamentos. 

Isso porque ele precisa mapeá-los, já que o plantão de dúvidas não funciona como uma repetição da aula, mas sim como esclarecimento de questões. E como sempre pode restar alguma incerteza, é recomendado que os estudantes busquem o plantão de dúvidas sempre que notarem pendências em relação ao conhecimento. 

Diferente do que muitas aulas de reforço escolar pregam, o plantão de dúvidas não é feito para pessoas que têm dificuldade ou transtorno de aprendizagem, mas sim para quem deseja elucidar questões.

Apesar de sua característica pontual, o plantão de dúvidas pode fazer parte da rotina do estudante. É possível coletar as principais questões relativas a cada conteúdo aprendido, ou exercícios aplicados, para que sejam levadas posteriormente nesse atendimento individual, ou em pequenos grupos.

Por que criar e realizar o plantão de dúvidas? Confira 9 motivos!

Um plantão de dúvidas exige uma organização especial da instituição de educação superior (IES) para atender a essa demanda dos estudantes. 

Mesmo que não seja uma obrigatoriedade no ensino superior, pode ser um grande diferencial em relação às demais instituições que não possuem programas de apoio à aprendizagem. 

Os benefícios para alunos e IES a partir da implantação de um plantão de dúvidas se misturam. Isso porque o sucesso do estudante é determinante para o bom desempenho da IES. 

Selecionamos as principais vantagens de criar um programa como esse, confira e se inspire!

1. Nivelamento dos estudantes

Quando os estudantes saem do ensino médio para entrar na fase de educação superior, é muito comum que haja uma grande diversidade de perfis em sala de aula. E não apenas em relação às experiências de vida.

Estudantes oriundos de diversas escolas, com perspectivas pedagógicas diferentes, e consequentemente níveis de aprofundamento em disciplinas distintas, se encontram em um único espaço, que é a sala de aula. Como fazer com que essa seja uma experiência benéfica para todos?

Além disso, com essa gama de particularidades, é muito comum encontrar estudantes que têm mais dificuldade em manter-se concentrados nas aulas, ou que tenham vergonha ou dificuldade de perguntar, justamente por estarem em um ambiente novo.

Para que o professor não passe apuros em sala de aula, e consiga oferecer uma experiência de ensino-aprendizagem satisfatória, o plantão de dúvidas é uma abordagem certeira. 

2. Redução da evasão 

Temos uma cultura, ainda muito enraizada na sociedade, de julgamento do erro. É como se momentos de dificuldade, ou até mesmo deslizes, pudessem ser definidores de quem somos, e como iremos fazer as coisas para o resto da vida. 

Por isso não é incomum que, diante de dificuldades, o estudante prefira abrir mão de algo que é caro para si, como o sonho de concluir um curso superior, somente para não correr o risco de continuar falhando. Esse lugar de inferioridade em que os estudantes se colocam é, infelizmente, muito comum.

Neste sentido, o plantão de dúvidas atua como um suporte educacional. Ele passa a ocupar um papel de reforço das habilidades e possibilidades de recuperação daquele aluno, e por isso pode reduzir as taxas de evasão de alunos.

Menor evasão e trancamento de curso significa maior capacidade da IES em manter suas atividades, além do sonho do estudante realizado, tornando-o um multiplicador da cultura da instituição.

3. Cultura de estudos

Seja na modalidade presencial, híbrida ou no ensino superior a distância, a implementação de um plantão de dúvidas precisa de organização não apenas da IES, mas também dos estudantes que se propõem a participar desse momento de reforço do conteúdo.

Essa ação de buscar ajuda, diante da necessidade de revisar conceitos e exercícios, cria o hábito de não deixar passar nenhum questionamento sem uma tratativa adequada. Isso pode minimizar problemas de aprendizagem e transformar o modo como o estudante faz seu percurso de formação superior. 

Como há uma periodicidade nos plantões, o estudante consegue se organizar para que, sempre que necessário, aproveite esse recurso tão importante. 

E não se engane: diante dos bons resultados com o plantão, o estudante provavelmente não irá aceitar a passividade diante das próximas dificuldades. Esse espaço de resolução de questionamentos é uma demonstração de como é possível buscar um desempenho melhor, sempre!

4. Utilização de linguagem adequada ao aluno

Assim como temos salas de aulas compostas por grande diversidade de alunos, também são diversos os modos de aprender. Com o plantão de dúvidas, os alunos conseguem um tempo de atenção exclusiva do professor, tutor, ou até mesmo do estagiário docente.

Essa possibilidade de contato um para um, ou em pequenos grupos, auxilia o aluno a ter sua demanda melhor atendida. Isso porque o educador conseguirá fazer um diagnóstico do que está sólido, em termos de conhecimento, e do que precisa ser reforçado. 

Além disso, é uma oportunidade de serem aplicadas linguagens mais simples para aquele estudante. Seja através de uma tirinha, vídeo, fotografia, livro, jogo, o educador pode direcionar métodos e formas diferentes de contato com o conteúdo, para ajudar na fixação. 

O caminho mais simples para absorver o conhecimento é aquele que faz sentido para quem aprende, e essa premissa é extremamente beneficiada pela estrutura dos plantões de dúvidas.

5. Possibilidade de aprofundamento

Assim como há pontos de dificuldade, há questões que se desenrolam com maior facilidade para alguns alunos. O plantão de dúvidas não precisa ser apenas um espaço de solução de impasses educacionais, mas também pode atuar como um impulsionador de conceitos mais avançados. 

A adequação do nível de dificuldade é um dos fatores de retenção da atenção em sala de aula e de engajamento com a trajetória acadêmica. Se está difícil demais, é preciso que haja um nivelamento ou redução do nível de dificuldade. 

Por outro lado, se está muito fácil, é extremamente comum que os alunos se sintam desestimulados, e comecem a apresentar desempenho ruim em sala de aula. Isso é um grande dilema que pode ser mitigado a partir do plantão de dúvidas.

Em alguns casos, há estudantes que estão muitos passos à frente das turmas em que fazem parte. Contudo, com o plantão de dúvidas ele pode descobrir um caminho adequado para se aprofundar, para que mantenha o nível correto de desafio sem prejudicar os demais colegas.

6. Protagonismo do estudante

O plantão de dúvidas é um momento de busca individual, por essa razão reforça a importância do protagonismo do estudante. É preciso reconhecer uma dificuldade, nomeá-la, e procurar uma forma de solucioná-la.

Por isso não é algo obrigatório, mas sugerido. Isso vai ao encontro dos princípios de métodos mais recomendados para o ensino superior, como as metodologias ativas.

O protagonismo é uma habilidade essencial para que a formação do estudante no ensino superior seja completa, ou seja, para que ela contemple ferramentas necessárias para sua trajetória profissional.

7. Conexão com o professor ou tutor

A implementação de um plantão de dúvidas também é uma prática que reforça o poder das relações na aprendizagem. Com o contato um para um, ou em pequenos grupos, o aluno desenvolve laços mais fortes com os profissionais da IES, o que auxilia na criação de uma identidade de grupo com elementos dessa instituição.

Note que no ensino médio é muito comum que os estudantes criem laços entre si, que podem ser formados desde a infância, e com os professores e funcionários da escola. Na sala de aula, o professor sabe o nome, a história e outros elementos identitários dos alunos.

Sair de um ambiente quase familiar para se juntar a outros milhares de alunos em uma IES não é simples. Nesse contexto, momentos de conexão, como no plantão de dúvidas, podem ser importantes para a criação de um sentimento de pertença dos estudantes e de criação de uma verdadeira comunidade acadêmica.

No ensino híbrido ou na educação a distância (EaD) isso se torna ainda mais necessário. Com esses momentos de interação, e possibilidade de solução de dificuldades, a chance de desistência por se sentir desamparado é bem menor. 

8. Reconhecimento das dificuldades e habilidades

O plantão de dúvidas é um estímulo ao autoconhecimento. É muito comum a situação em que se pergunta, ao fim da aula, o que os estudantes não entenderam, e se ouve a triste resposta “não entendi nada”.

Esse tipo de frase não pode ser utilizada em um plantão de dúvidas, já que seu objetivo não é explicar o conceito do zero, mas sim responder questões pontuais e ajudar na resolução de exercícios. 

Quando o aluno precisa refletir sobre o que aprendeu, e o que não aprendeu, há um movimento de reconhecimento das dificuldades e habilidades. É uma das ideias relacionadas à autorregulação da aprendizagem

Esse é o primeiro passo para solucionar as adversidades ligadas àquele conteúdo. Isso também colabora para que a autoconfiança do estudante seja reforçada.

9. Adequação ao horário e plataforma do aluno

Como os recursos utilizados no plantão de dúvidas são simples, é possível desenvolvê-lo tanto de forma presencial, quanto híbrida ou a distância. Portanto é de simples implementação pela IES, e extremamente acessível para os estudantes.

Existem formas diferentes de organizar o plantão, em alguns casos é possível separar dias e horários específicos, e os estudantes procuram o atendimento de acordo com a disponibilidade. Outro modo é fazer marcação de horários, através do sistema ou outros meios de comunicação da IES. 

Seja para o educador ou para o aluno, o plantão de dúvidas demanda pouca estrutura, em relação aos benefícios que pode oferecer para quem participa. 

Template plano de aula para o ensino superior: clique para baixar

Como organizar o plantão de dúvidas? 6 dicas importantes

Apesar de ser relativamente simples de organizar, o plantão de dúvidas precisa ser implementado respeitando alguns critérios e planejamentos para que essa atividade esteja alinhada aos objetivos e princípios da IES.

Afinal de contas, qualquer atividade promovida pela IES é uma forma de demonstrar o compromisso da instituição com a qualidade do serviço prestado, por isso é preciso ter atenção redobrada com qualquer ação de atendimento aos alunos e suas demandas.

Sem algumas ações de organização, os benefícios do plantão podem ser diminuídos, ou até mesmo perdidos. Para que você consiga guiar sua IES no caminho correto para a implementação do plantão de dúvidas no ensino superior, siga as seguintes dicas que separamos para você:

1. Escolha do local

Para que os objetivos do plantão de dúvidas sejam cumpridos, é preciso que o local escolhido seja confortável e tranquilo. Quando presencial, ele precisa acomodar confortavelmente o número de pessoas previstas para o evento. 

Isso pode ser feito em salas de estudo, salas de aula vazias, ou até mesmo na biblioteca, desde que não interfira em outras atividades da IES. Para que ocorra da melhor forma possível, é necessário que esses espaços sejam previamente ou periodicamente reservados. 

Com a adequação das atividades em um contexto de pandemia, é preciso pensar a estrutura necessária para manter condições salubres para educadores e educandos, ou então considerar os espaços online.

2. Defina um cronograma

O plantão de dúvidas é utilizado sob demanda dos alunos, mas precisa ter uma disponibilidade definida, para que possa ser buscado de forma periódica pelos estudantes. Ele é parte do calendário de atividades das IES, a partir do momento que é implementado.

A periodicidade em que é oferecido vai de acordo com os objetivos e possibilidades da instituição. Ou seja, é preciso compreender a demanda dos alunos, para então definir quantas vezes por semana, e por quantas horas é necessário oferecer esse serviço.

3. Turmas e Horários

Para que se adeque à rotina dos estudantes, o plantão precisa acontecer fora do horário regular de aula dos alunos. Além disso, é preciso que se leve em conta a disponibilidade de horários dos educadores envolvidos, e até mesmo os valores que a IES pode despender para essa atividade.

O ajuste de horários precisa levar em consideração a diversidade de disciplinas que os estudantes fazem a cada período acadêmico, para que o mesmo aluno tenha a possibilidade de participar de mais um plantão, caso seja necessário.

4. Disciplinas e professores

Com a organização de horários e datas para a realização do plantão, a IES consegue definir qual a demanda por professores, tutores, ou estagiários em cada disciplina, e se existe a possibilidade de um mesmo educador dar plantão em mais de uma matéria. 

Para que isso seja feito de forma efetiva, é preciso conhecer as habilidades do educador envolvido, o orçamento da instituição e a demanda estimada dos estudantes. 

5. Divulgação para os alunos

Para que seja utilizado pelos estudantes e possa promover os benefícios esperados, o plantão de dúvidas precisa ser divulgado entre os alunos. Ele tem que ser promovido de forma que os estudantes sintam confiança na atividade proposta, e vontade de participar desse reforço acadêmico.

A estratégia de divulgação deve contemplar a necessidade de utilizar esse recurso diante das dificuldades rotineiras, e não apenas nos momentos que antecedem os testes, o que evita a sobrecarga nos horários disponíveis. 

Outra dica é incentivar a formação de pequenos grupos em sala, para que possam combinar suas dúvidas, e apresentá-las de forma coletiva em um plantão planejado entre os integrantes do grupo, com o educador plantonista.

6. Adequação ao planejamento pedagógico da IES

A cultura e o planejamento educacional da IES precisam estar bem alinhados entre professores e os demais educadores que fazem parte do plantão de dúvidas. 

Isso evita que posturas inadequadas sejam empregadas nesses plantões, ou que o conteúdo seja apresentado de forma dissonante em relação à aula, ou que as dúvidas não sejam devidamente elucidadas. 

Isso pode confundir ainda mais os estudantes, dificultando a aprendizagem, e passando a impressão de que não há critérios e organização na sua instituição de ensino superior. 

Leia também: 4 estratégias para otimizar a gestão acadêmica de sua IES

Quais são os desafios de organizar um plantão de dúvidas e como superá-los?

Para que a organização do plantão de dúvidas seja eficaz é preciso conhecer as dificuldades que podem aparecer, para que o planejamento contemple também formas de mitigá-las.  

  • Disponibilidade docente

Se temos um corpo docente que já está muito atarefado com as tarefas regulares dos cursos que ministram, é preciso considerar que o plantão de dúvidas pode ficar prejudicado.

Diante da impossibilidade de contratar mais professores, que muitas vezes são mestres e doutores, a IES pode lançar mão de tutores e estagiários, pessoas com trajetórias acadêmicas de excelência, que podem auxiliar os alunos em formação.

  • Qualidade do trabalho do plantonista

Além do currículo e histórico acadêmico exemplar, a IES precisa garantir que o plantonista esteja alinhado com os valores da instituição, o planejamento da disciplina, e os conhecimentos específicos que ela requer. 

Isso pode ser feito através de uma mentoria com os professores regulares, que ministram a disciplina para os alunos. Um simples alinhamento pode mudar tudo!

  • Adequação à rotina da disciplina

Para que o plantão não caia em um lugar de solução que nada soluciona, é preciso que haja disponibilidade para atender aos alunos. Além de divulgar o plantão como um recurso que pode ir além da preparação para as provas, a instituição precisa reforçar o calendário de tutorias nesse mesmo período.

É preciso compreender a demanda por disciplinas, para evitar que algumas — que demandam menos — gerem ociosidade de recursos, físicos ou humanos, e que outras — consideravelmente mais difíceis — possam gerar sobrecarga de estudantes.

  • Problemas de acesso

No caso do plantão de dúvidas disponibilizado apenas de forma presencial, os estudantes podem ter dificuldade de acesso, por trabalhar ou ter outras tarefas nos horários fora da aula.

Além disso, os plantões online precisam ser acessíveis de forma remota e simples, como a partir do acesso no celular, usando o mínimo de dados móveis e memória do telefone. Isso garante que os estudantes não sejam desestimulados a participar da atividade, reduzindo o uso de recursos próprios.

  • Gestão pedagógica

O plantão de dúvidas é uma atividade que fortalece a autonomia dos estudantes, mas no caso da IES, é preciso que haja um controle rígido das metas. Se possível, é interessante coletar dados de desempenho dos alunos, antes e depois das tutorias, para que seja avaliada a eficiência pedagógica do plantão.

Isso auxilia a IES a buscar formas mais inovadoras e apropriadas de ensinar, fortalecendo a gestão da IES e a performance dos estudantes.

Esperamos que tenha gostado deste texto sobre o plantão de dúvidas! Que tal conferir este outro artigo sobre tutoria EaD?

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!