Preparando sua biblioteca para avaliação do MEC: fotografia de uma aluna estudando em uma biblioteca.

8 dicas para quem está preparando sua biblioteca para avaliação do MEC

As bibliotecas são um dos elementos de relevância na qualidade de ensino e infraestrutura oferecidos por uma Instituição de Ensino Superior (IES). Não obstante a isso, o Ministério da Educação (MEC) estipula diversas exigências e considera diferentes aspectos ao avaliar a biblioteca de cada instituição.

Hoje, a depender da estrutura da sua IES e cursos oferecidos, as bibliotecas podem ser completamente digitais, completamente físicas ou de formatação híbrida. As bibliotecas integralmente digitais foram permitidas para cursos a distância a partir de junho de 2017 com uma portaria normativa do MEC (capítulo III, artigo 11, parágrafo VI) publicada na data.

Então, você está preparando sua biblioteca para avaliação do MEC? Neste artigo vamos discutir um pouco mais sobre os critérios dessa avaliação e traçar 8 aspectos que você deve se atentar para garantir um bom resultado.

Como é feita a avaliação de bibliotecas pelo MEC?

O MEC avalia as bibliotecas das IES a partir de visitas presenciais e pelos instrumentos de medição de qualidade aplicados anualmente (Enade e Censo da Educação Superior). 

No primeiro caso o órgão realiza visita presencial para analisar com mais minúcia os parâmetros de avaliação, no segundo caso as observações são feitas a partir dos Questionários preenchidos pelo estudante e coordenador do curso no decorrer do processo do Enade. O Censo da Educação Superior, também é uma fonte importante para levantamento de dados.

O MEC, por meio da Secretaria de Educação Superior (SESU), realiza as visitas presenciais, sempre agendadas previamente com a instituição. 

Nesse contexto o SESU é responsável por orientar, planejar, supervisionar, coordenar todo o processo que envolve a formulação e implementação da Política Nacional de Educação Superior; bem como prezar pela supervisão, manutenção e desenvolvimento das IES públicas e privadas.

Leia também: entenda a importância do hábito da leitura na universidade

Quando é feita a avaliação?

Se a avaliação for realizada de forma presencial por meio de visita à instituição, a SESU agenda previamente a data com a IES. As visitas são realizadas de maneira obrigatória quando a IES solicita a abertura de um novo curso ou autorização para nova estrutura em sua infra ou de maneira esporádica para avaliações de manutenção ao longo do ano.

Já as avaliações por meio dos medidores acontecem a partir dos processos de inscrição e preenchimento dos questionários do Enade e do Censo da Educação Superior, conforme as datas publicadas anualmente no portal do Inep.

Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

Quais são os critérios avaliados?

Se você está preparando a sua biblioteca para avaliação do MEC, é muito importante ficar atento aos critérios analisados.

Eles são divididos em três pilares: O acervo (partindo da bibliografia básica e complementar e suas atualizações), serviços ofertados e a própria infraestrutura física das bibliotecas. 

Conheça abaixo alguns dos principais pontos de avaliação em cada um desses tópicos.

Acervo

  • É obrigatório que tenha a bibliografia básica e complementar indicada nos projetos pedagógicos dos cursos;
  • É necessário que a biblioteca acompanhe as mudanças nas matrizes curriculares dos cursos;
  • É necessária política de aquisição e atualização do acervo aprovada a partir da ementa e diretriz pedagógica de cada curso;
  • Se existe uma política de aquisição e atualização do acervo aprovada pelo NDE;
  • Quais são os esforços de informatização do acervo;
  • Se a base de dados da biblioteca está atualizada.

Infraestrutura

  • É necessária armazenagem satisfatória, incluindo: iluminação adequada, extintor de incêndio, sistema antifurto e sinalização bem distribuída e visível;
  • Acesso com rampas para portadores de necessidades especiais;
  • Funcionamento: existência de catálogos disponíveis para o público, independentemente de sua forma (online ou físico) permitindo consulta por, no mínimo, autor, título e assunto. O mecanismo deve ainda seguir as regras de catalogação sugeridas como padrão pelo MEC;
  • É essencial que tenha instalações para o acervo como espaços, mobiliário e equipamentos, manutenção da umidade correta, antimofo, etc;
  • Ter instalações para estudos individuais e para estudo em grupos (sala de estudo).

Leia também: como fazer a gestão de bibliotecas digitais?

Serviços

  • Horário de funcionamento, respeitando as exigências de horários extracurriculares;
  • Serviço e condições de acesso ao acervo (qualidade do serviço de consulta e empréstimo do acervo destinado ao curso);
  • É essencial que a equipe técnica e administrativa seja qualificada.

Como preparar a sua biblioteca para a avaliação do MEC?

Pensando nesses critérios, listamos abaixo algumas dicas para te auxiliar na preparação da sua biblioteca para a avaliação em busca do conceito 5.

1. Preparação continuada

Independente da periodicidade com que acontecem as visitas na sua instituição, uma das principais dicas é: se organize. 

Faça um calendário das visitas, se possível, e não deixe para sanar todas as demandas apenas quando o evento se aproximar.

2. Tenha domínio dos critérios de avaliação

Esteja por dentro de todos os critérios avaliados, afinal, diversos são essenciais e outros são opcionais. Porém, são fortemente desejados e impactam muito sobre a avaliação para alcançar nota máxima.

3. Se organize quanto às aquisições

Deixe algumas listas para aquisição prontas ou atualizadas, sendo possível, se necessário, a compra de forma rápida.

4. Mantenha suas assinaturas de periódicos em dia

Tenha recibos e comprovações das assinaturas de periódicos. Não são aceitos cartas de intenção de aquisição ou assinatura, é preciso comprovação do serviço já contratado ou em funcionamento.

5. Invista em informatização sempre

O esforço em informatização é um dos critérios avaliados. Porém, para além dele, esse processo te auxiliará a ter mais controle sobre o seu acervo e será um recurso poderoso para atendimento e melhoria de outros recursos.

6. Estabeleça uma boa relação com o corpo docente

Mantenha constante relação com o corpo docente, eles podem te auxiliar na manutenção e atualização do acervo obrigatório e sobretudo complementar.

7. Teste periodicamente seus sistemas e serviços

A qualidade dos serviços oferecidos é um dos critérios de avaliação, e, mais do que isso, ela representa a rotina do funcionamento da biblioteca com os alunos.

Se essa relação não se estabelece de maneira fluida e funcional, toda a qualidade da biblioteca fica comprometida. Por isso, mantenha seu sistema atualizado e faça testes de funcionamento, pois manutenções e reparos costumam ser demandados.

8. Invista em uma biblioteca digital

Independente se manter ou não a biblioteca física, o acervo digital vai te auxiliar a cumprir diversas demandas obrigatórias de horário de funcionamento e infraestrutura de maneira mais prática e a um custo mais baixo. 

Isso tudo além de oferecer com mais comodidade os conteúdos para estudantes da IES, que podem acessar o material de qualquer local a qualquer horário e sem a necessidade de filas de espera.

Esperamos que essas dicas tenham ajudado você que está preparando sua biblioteca para avaliação do MEC! E, para alcançar o melhor conceito, quer entender como funciona e como escolher a plataforma de biblioteca digital ideal? Não deixe de acessar o nosso artigo sobre esse assunto!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *