Confira 8 competências do professor do futuro e como a sua IES pode capacitá-lo

A principal diferença entre o professor do presente e um professor do futuro está em como o docente faz para aproveitar ao máximo as ferramentas oferecidas pela tecnologia na educação. 

Entretanto, não se trata apenas de ter habilidades técnicas (hard skills) para manusear os novos recursos tecnológicos. Também será preciso desenvolver outras competências (soft skills), como a socioemocional, com o objetivo de aprimorar os processos de ensino.

Nesse sentido, cabe ao educador ampliar suas capacidades e oferecer base para os alunos desenvolverem o pensamento crítico, habilidade de análise e investigação, proporcionando o aprendizado aplicado ao seu contexto. 

Continue lendo este artigo para saber quais são as competências essenciais para o professor do futuro e como as instituições de educação superior (IES) podem ajudar nessa capacitação!

8 competências do professor do futuro 

A ideia de que a tecnologia irá acabar com o papel do educador é equivocada.  Mesmo que os alunos sejam capazes de absorver a informação de livros ou vídeos, o professor sempre será necessário para ajudar a transformar toda essa informação em conhecimento.

Essa mediação é importante porque, sem o aprendizado consolidado, nenhum aluno conseguirá reter e interpretar uma informação ou utilizá-la para solucionar problemas.

Sabendo da importância desse profissional, vejamos quais são as competências e habilidades necessárias que um professor do futuro precisa desenvolver ou adquirir!

Leia também: Como garantir a autonomia do professor no ensino superior?

1. Busca por aprimoramento constante

Considerando que as IES precisam seguir as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Superior (DCNs), gestores e coordenadores de curso devem identificar os perfis dos docentes que atendam às determinações do Ministério da Educação (MEC).

Em virtude disso, torna-se indispensável que os professores saibam lidar com as novidades da educação. Ainda, é preciso que façam especializações na carreira e entendam que a qualificação e conhecimentos adquiridos visam melhorar as metodologias de ensino.

Também é preciso desenvolver outras habilidades, como a flexibilidade, de forma a desempenhar novos papéis no ambiente educativo. Assim, é necessário se deslocar do papel de único transmissor dos conteúdos para se transformar em um mediador da aprendizagem com múltiplas potencialidades.

2. Boa comunicação e escuta ativa

Estabelecer uma boa comunicação com toda a comunidade acadêmica é um dos atributos essenciais a um professor do futuro. Assim, é preciso saber transmitir as informações de forma clara e objetiva, evitando ruídos na comunicação, seja ela oral, escrita ou não verbal.

Essa habilidade deve ser vista principalmente em sala de aula, ao explicar assuntos complexos e difíceis para a compreensão dos alunos.

Saber ouvir também é muito importante para uma boa comunicação. O uso da técnica da escuta ativa propõe a atenção máxima do outro lado. Sua prática visa o desprendimento de julgamentos e pensamentos para a compreensão da mensagem por uma perspectiva mais empática.

Ademais, essa forma de comunicação aumenta o vínculo entre professor e aluno. Também estimula a construção de um espaço afetivo e respeitoso e favorece o aprendizado.

3. Habilidades socioemocionais

Inúmeras situações podem interferir na gestão educacional. Entre elas, estão os desafios acerca das emoções dos docentes, que podem ser agravados pelo desinteresse dos alunos e resultados insatisfatórios na disciplina.

Nessa perspectiva, o professor do futuro deve ser capaz de desenvolver suas habilidades socioemocionais. Ou seja, trabalhar o autoconhecimento, a boa gestão das emoções, ter empatia e colaborar para a diversidade acadêmica.

Leia também: 6 estratégias para melhorar a motivação de professores

4. Atenção às inovações

O professor do futuro não pode se manter restrito às novidades do ambiente educacional. Ao contrário, ele precisa procurar informações, inclusive em outras áreas, com o objetivo de inovar seu processo de ensino, estando cada vez mais próximo da realidade dos alunos.

A neurociência, por exemplo, é uma área que tem contribuído bastante para o desenvolvimento de novas metodologias de ensino tomando como base o funcionamento cerebral dos estudantes.

5. Ensino e  tecnologia

As instituições que se preocupam em proporcionar um ensino de excelência e qualidade aos alunos investem cada vez mais em novos recursos tecnológicos. Dessa forma, o professor do futuro deve estar preparado para lidar com a tecnologia dentro e fora da sala de aula.

E quando se fala em tecnologia, também é preciso pensar nos métodos de ensino do professor.  Eles devem acompanhar as inovações da área e propor formas mais atrativas e eficientes de aprendizagem, como a gamificação, por exemplo. 

6. Seleção de conteúdos

Usando as novas tecnologias e sabendo do vasto potencial das pesquisas na internet, os professores precisam ser ótimos curadores sobre os conteúdos que irão utilizar. Assim, eles devem ter a aptidão de pesquisar, selecionar, organizar, revisar e distribuir os materiais para os alunos. 

O importante é combinar o formato do conteúdo com as estratégias de ensino. Desse modo, será possível contextualizar a aula e proporcionar uma aprendizagem ativa.

7. Criticidade dos alunos

O professor do futuro deve contribuir com a forma de pensar dos alunos. Isso é feito ao estimular o raciocínio lógico e a análise crítica para que eles possam quebrar diversos paradigmas em todos os aspectos da vida estudantil, pessoal e profissional.

8. Metodologias ativas de ensino

No plano de aula do professor do futuro, não será possível ensinar sem a inclusão das metodologias ativas. A ideia é que juntos, docentes e alunos possam construir caminhos personalizados de aprendizagem de forma participativa.

Além disso, as metodologias ativas são responsáveis por um aprendizado completo e aumentam o engajamento dos alunos com as disciplinas. 

Como a IES pode capacitar os docentes 

Como apresentado, são várias as competências que um professor do futuro necessita desenvolver e adquirir. Assim, como a sua IES pode contribuir para capacitá-lo?

O primeiro ponto a ser considerado é que não há excelência profissional sem qualificação. Nesse sentido, investir na formação dos professores significa investir na instituição e, consequentemente, nos alunos.

Dessa forma, a IES pode realizar as seguintes ações para capacitar seus docentes:

  • melhorar as condições de trabalho;
  • disponibilizar um ambiente acolhedor;
  • incentivar um clima agradável;
  • oferecer cursos de formação continuada;
  • valorizar e confiar no trabalho do profissional.

Saber quais são as competências do professor do futuro e auxiliar a sua equipe trará ótimos resultados para a IES! Aproveite para ler também o nosso artigo sobre a educação pós-pandemia: cenário e como superar os desafios na IES!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *