Qualidade na educação superior: foto de grupo de jovens estudando juntos.

8 dicas para garantir a qualidade na educação superior em sua IES

A qualidade na educação superior é fator preponderante para aumentar a competitividade da IES: amplia a adesão de estudantes, reduz a evasão e garante uma formação de excelência para futuros profissionais. 

A qualidade do ensino está associada a uma série de fatores, que devem ser observados pela instituição: infraestrutura, corpo docente, recursos digitais e de comunicação, acervo de biblioteca, entre outros.

No Brasil, existem diferentes indicadores de qualidade, ou de desempenho educacional, utilizados para avaliar o nível das instituições. 

Uma dessas ferramentas é o Índice Geral de Cursos (IGC), que resume em um indicador único a qualidade de todos os cursos de graduação e pós-graduação da mesma instituição. 

O Enade também é um importante instrumento, por avaliar diretamente o conhecimento construído ao longo dos cursos de graduação por seus estudantes. 

Outro indicador de qualidade é o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia o rendimento dos alunos, a infraestrutura e o corpo docente.

Confira 8 dicas para que a sua IES fique bem posicionada nesses indicadores e, de modo geral, amplie a qualidade do ensino:

1. Invista no corpo docente

A qualidade na educação superior começa com um corpo docente qualificado e capacitado para assumir o projeto educacional da sua IES. 

Bons professores impactam diretamente nos resultados de ensino e, nesse contexto, é importante investir na contratação e na manutenção desses profissionais. Invista ainda em ferramentas para atualização e capacitação constante dos professores, de modo a manter a motivação dos educadores e, consequentemente, dos alunos.

A presença de professores com titularidades distintas é importante para cumprir determinados requisitos e ganhar pontos em índices de qualidade. Por isso, é interessante contratar um mínimo de mestres e doutores na sua instituição.

2. Tenha atenção a grades curriculares e conteúdos programáticos

Uma das bases para um ensino de qualidade são grades curriculares construídas estrategicamente. 

É chave observar o trabalho feito por instituições prestigiadas, além de atender as demandas de formação, contemplando conhecimentos teóricos e práticos necessários. Para isso, é importante criar equipes dedicadas à pesquisa e à validação constante dos cursos da sua IES.

Esse tipo de atenção vale também para desenvolver conteúdos programáticos de disciplinas. A qualidade do conteúdo significa que ele deve ser atualizado, atraente, engajador e proporcionar experiências transformadoras. 

Procure testar diferentes formatos e considere a tecnologia como poderosa aliada.

3. Tenha infraestrutura adequada

Além de contar pontos diretamente para sistemas de avaliação da qualidade na educação superior, uma infraestrutura adequada traz uma série de efeitos positivos que interferem nos padrões educativos de uma instituição. 

Muitas vezes, o espaço e o instrumental disponíveis podem ser limitantes às práticas de ensino. Assim, é importante remover obstáculos e olhar para uma infraestrutura de qualidade como investimento.

Construa salas de aula adaptadas às necessidades da sua IES, com todo o aporte tecnológico necessário para sustentar os modelos de ensino e aprendizagem.

4. Invista em um AVA qualificado

Em tempos de educação à distância e de todos os recursos que as novas tecnologias trazem para o ensino, um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de qualidade é um excelente recurso para instituições de ensino superior. 

Esse tipo de plataforma deve operar como ponto centralizador de conteúdos e informações e de encontros virtuais entre alunos e professores.

Por isso, busque por plataformas completas, que ofereçam serviços de fórum, videoconferência, lançamento de notas, entrega de trabalhos e provas e que agregue de forma organizada os conteúdos das disciplinas, entre diversas outras funcionalidades. 

Essa tecnologia deve, idealmente, possibilitar experiências de aprendizado criativas. Lembre-se, ainda, que é relevante que o AVA tenha uma interação intuitiva e adaptável ao usuário, segundo as demandas da instituição.

5. Contrate uma biblioteca digital de qualidade

Bibliotecas digitais disponibilizam acervos de obras e garantem o acesso rápido e fácil a milhares de títulos acadêmicos. Chegam, assim, a mais usuários, por meio de computadores da própria instituição ou de diferentes dispositivos remotos. 

Essas ferramentas constituem uma forma de auxiliar docentes e alunos com suas pesquisas acadêmicas, com maior mobilidade e praticidade.

As bibliotecas digitais já são exigência entre instituições de ensino superior no Brasil. Mas, para assegurar a qualidade do ensino, é fundamental que o acervo online seja rico, com garantia de acesso para leitura dos principais livros exigidos e complementares aos cursos de graduação e pós-graduação. 

Por isso, invista em uma biblioteca digital também de qualidade. 

Leia também: o que são bibliotecas digitais e quais são os seus benefícios

6. Dê atenção à comunicação e às novas tecnologias

Ainda no terreno digital, é importante que a instituição de ensino superior conte com canais de comunicação eficientes. 

A comunicação é fator essencial para a melhor eficiência e produtividade no ensino, sem a qual o relacionamento entre professores e estudantes é prejudicado. Invista em plataformas de bate-papo, troca de mensagens e e-mails e em fóruns de discussão que ampliem as possibilidades de troca.

Lembre-se que a instituição também precisa compartilhar informações constantemente com o corpo de funcionários e colaboradores e com seus estudantes. Para isso, estratégias de comunicação em redes sociais email marketing tendem a funcionar bem.

7. Invista em aprendizagem e ensino interativo

Um ensino de qualidade demanda metodologias que ampliem o interesse e tragam engajamento às atividades dentro e fora da sala de aula. Professores precisam se adaptar às novas demandas de aprendizagem e também às novas tecnologias

Utilizar as ferramentas virtuais oferecidas pela instituição é passo importante nesse processo, de modo a tornar as aulas mais interativas e facilitar a troca de informações e a percepção do estudante sobre o ensino. 

Outra possibilidade aliada nesse processo são as metodologias ativas, que trazem novas camadas à educação e dão mais autonomia e centralidade ao aluno na construção do próprio conhecimento. 

8. Prepare seu aluno para o Enade

O Enade pode ser pensado mais que como um indicador de qualidade na educação superior. O entendimento sobre as exigências da prova e o preparo dos estudantes correspondem a formas de pensar os cursos e a formação dos alunos da sua IES. 

Já existem inclusive soluções de avaliação externa que podem ajudar sua instituição a preparar continuamente os estudantes, além de servir como marcador da qualidade do ensino, que deve estar em avaliação constante.

Você pode procurar por uma plataforma que oferece a elaboração de simulados e exercícios digitais por meio de um banco de questões no Modelo Enade. Além disso, você ainda pode ter acesso a um diagnóstico detalhado e reforço dos objetos do conhecimento trabalhados durante toda a graduação. 

Além de fazer essa leitura sobre o ensino da IES, esse tipo de ferramenta deixa os professores livres para focar em decisões pedagógicas, ao invés de elaborar questões para criação de simulados.

A qualidade na educação superior precisa ser construída em diversas frentes, constantemente e com um olhar atento. É importante aprender com indicadores de qualidade quais são os pontos fracos e fortes da sua IES para trabalhar cada um dos aspectos mencionados. E já que você está se informando melhor sobre o assunto, aproveite para conferir agora o nosso artigo sobre Conceito Preliminar de Curso!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *