Saiba o que é, benefícios e como funciona a sala de aula invertida

Sala de aula invertida: fotografia de pessoas anotando e discutindo em uma sala de aula.
Quer saber quais são os passos para desenvolver a sala de aula invertida em sua instituição de ensino superior? Venha ler este artigo!

Compartilhe este artigo

Muito se fala sobre como o ensino mudou nos últimos anos, como os professores mudaram seus métodos e como instituições de ensino não são mais as mesmas.

Além disso, os próprios alunos não são os mesmos e aprendem de diferentes e novas maneiras.

Porém, outro fator importante vem se transformado com as recentes inovações na educação: a sala de aula. 

O que antes era entendido como um espaço onde o aluno recebia passivamente as informações de um professor, hoje é entendido como um espaço dinâmico e potente para revolucionar o aprendizado.

A forma de aprender ganhou mais dinamismo com as metodologias ativas de ensino, que colocam o aluno como centro do processo de aprendizagem. Protagonismo e engajamento são algumas das palavras-chave para entender como as metodologias ativas podem mudar a realidade de uma instituição de educação superior (IES).

Um exemplo de metodologia ativa é a sala de aula invertida.

Para falar mais sobre essa metodologia, elaboramos este artigo para você compreender melhor o que é a sala de aula invertida, qual o papel dos professores, os seus benefícios e como ela pode ser aplicada no ensino superior.

É um artigo completo sobre o tema, funcionando como verdadeiro guia da sala de aula invertida.

Continue a leitura!

O que é a sala de aula invertida?

A sala de aula invertida é um conceito que inverte a lógica tradicional das aulas. Nesse sentido, o aluno faz em casa o que é feito em sala. Consequentemente, realiza em sala o trabalho, atividades e projetos que eram feitos em casa. 

Essa metodologia faz com que o estudante chegue na sala com o conteúdo da disciplina em mente, pronto para aproveitar ao máximo o tempo de aula e o seu aprendizado.

Isso significa que o aluno não mais vai até a IES para receber passivamente o conteúdo. Em casa, ele irá estudar por meio de materiais preparados e selecionados pelo professor.

Na instituição de ensino ou nos ambientes digitais, o aluno terá a oportunidade de colocar em prática o que foi estudado anteriormente por meio de projetos, trabalhos em grupo ou outras dinâmicas propostas pelo professor.

Atuando como facilitador, o professor tem como principal tarefa transformar a sala de aula em um ambiente rico para a aprendizagem de seus alunos, colocando-os como protagonistas de todo esse processo.

A sala de aula invertida é uma variação da aprendizagem semipresencial, ou seja, une o presencial e o online, utilizando as tecnologias para proporcionar uma experiência de aprendizagem autônoma.

O interessante desse método é o estabelecimento de relações mais próximas entre discentes e docentes, em que o primeiro não é mais um mero receptor passivo do conhecimento e o professor não é somente um transmissor.

Como surgiu a sala de aula invertida?

A sala de aula invertida surgiu nos anos 90, por meio de pesquisas realizadas nas universidades americanas de Harvard e Yale. Em 2000, J. Wesley Baker apresentou um modelo de educação inovador com o nome de Flipped Classroom.

Desde então, essa metodologia tem sido aplicada em várias instituições de ensino superior do mundo todo, como explica um pesquisador da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em artigo.

Ainda nos Estados Unidos da década de 90, a sala de aula invertida foi utilizada em um curso de microeconomia da Miami University, um dos primeiros a aplicar essa metodologia.

 Segundo o pesquisador, esse método inovador de ensino foi implementado depois de várias observações dos professores, que notaram que o formato tradicional da sala de aula não era compatível com os diversos estilos de aprendizagem dos alunos.  

Assim, foi proposto um curso no qual os alunos realizavam a leitura dos livros de apoio, assistiam a vídeos e palestras sobre os temas estudados e também apresentações de PowerPoint, tudo isso antes da aula presencial.

Em classe na instituição de ensino, os alunos realizavam atividades com objetivo de explicar e também aplicar os fundamentos de economia estudados anteriormente em casa.

 Para efeito de comparação e estudo na universidade, foi realizado também um curso com conteúdo idêntico àquele que adotou a sala de aula invertida, porém estruturado de maneira tradicional. Após essa experiência, tanto alunos como os próprios professores tiveram uma avaliação positiva sobre essa nova forma de conceber a sala de aula.

De acordo com o pesquisador, o principal aspecto da sala de aula invertida em comparação a um curso tradicional foi a maior motivação dos alunos, pois estavam ativamente envolvidos em seu processo de aprendizagem.

Após essas primeiras experiências, a sala de aula invertida foi aos poucos ganhando espaço em diversas instituições de ensino no mundo todo, em todos os níveis educacionais.

Se no passado o acesso à tecnologia na educação não era realidade para a grande maioria das IES, hoje temos uma infinidade de possibilidades nesse sentido. Isso facilita a aplicação das metodologias ativas, como a sala de aula invertida.

Mas quais as principais características que tornam a sala de aula invertida uma ferramenta metodológica inovadora para sua IES? A resposta dessa pergunta vem a seguir, continue conosco!

Como desenvolver a sala de aula invertida na prática?

Agora que você já sabe o que é a sala de aula invertida e como este modelo de metodologia ativa foi criado, está na hora de conhecer como desenvolver a sala de aula invertida na sua IES.

Para aplicar com sucesso essa metodologia em um ambiente inovador de ensino e aprendizagem, é preciso seguir algumas regras básicas. Por isso, preparamos um rápido guia com as principais características da sala de aula invertida. Vamos lá?

1.   Estimule o trabalho dos alunos

Na sala de aula invertida ninguém fica parado! Como o próprio nome sugere, uma das principais características de uma metodologia ativa é colocar o aluno como protagonista no processo de aprendizagem.

Por isso, uma das principais características da sala de aula invertida é o estímulo ao trabalho dos alunos durante o período em que se encontram em classe.

Por meio de diversas abordagens ativas de ensino, os estudantes devem questionar, solucionar problemas e realizar projetos, uma vez que já trazem de casa o conteúdo devidamente estudado.

2.       Crie uma cultura de feedback

Outra característica fundamental desta metodologia ativa de aprendizagem reside na criação de uma cultura de feedback entre professor e aluno. Isto é, os alunos devem receber comentários, sugestões e críticas logo após a realização de suas atividades.

Esse feedback auxilia na melhora da capacidade crítica e também na construção dos conhecimentos pelos alunos, que criam suas próprias associações e processos cognitivos.

Tudo isso exige que os docentes estejam preparados e desenvolvam algumas competências que são essenciais para o professor do futuro. Afinal, eles são peça fundamental para colocar em prática mais essa inovação na IES!

3.   Incentive as diversas atividades

Se a primeira regra da sala de aula invertida é o estímulo ao trabalho, a terceira também vem ao encontro da premissa do aluno como centro do processo de aprendizagem.

Não importa o modelo adotado pela instituição: seja o ensino superior a distância, presencial ou híbrido, é preciso que o facilitador incentive os alunos a realizar as diversas atividades propostas.

Em casa ou na IES, incentivar a realização das atividades é fundamental para que essa metodologia ativa seja realizada de maneira eficaz. Portanto, cada atividade deve fazer parte do processo de avaliação do aluno. Em resumo, mãos à obra!

4.   Prepare bem o conteúdo

Por último, mas não menos importante, outra característica da sala de aula invertida é a preparação dos materiais. Os conteúdos devem ser muito bem estruturados e planejados para que sejam eficazes na proposta dessa metodologia ativa de aprendizagem.

Afinal, cada atividade realizada tem como objetivo estimular o aluno a colocar em prática os conhecimentos adquiridos em casa, aproveitando ao máximo o tempo com o professor e os colegas.

Para auxiliar nessa tarefa, é importante oferecer também contar com conteúdos digitais. Eles são recursos inovadores e eficientes na promoção da sala de aula invertida.

Como você observou, a sala de aula invertida exige alguns requisitos básicos para que funcione de maneira a proporcionar uma boa aprendizagem. Além do aluno como foco de todo esse processo, o professor também é parte fundamental dessa equação.

A seguir, mostramos um pouco como o professor deve atuar na aplicação da sala de aula invertida. Venha conosco!

Qual é o papel do professor na sala de aula invertida?

Se o perfil do aluno e os recursos disponíveis para realizar uma aula foram modificados, o papel do professor na atualidade também mudou.

Sendo assim, no contexto da sala de aula invertida, o docente passa a atuar como um guia, sem deixar que a aula expositiva desapareça por completo, pois ela permanece com o auxílio de diversos materiais tecnológicos.

O celular na sala de aula, além de tablets, computadores e outros recursos podem (e devem) ser utilizados para tornar o processo de aprendizagem muito mais interativo, dinâmico e estimulante para os alunos.

A utilização de tais ferramentas tem por objetivo garantir que o estudante memorize conceitos, mas também saiba aplicá-los em muitas situações.

Portanto, a aprendizagem ativa é construída e o professor é um grande agente dessa construção, uma vez que ele:

  • Auxilia o aluno na busca do aprendizado; 
  • Percebe as necessidades de cada turma;
  • Certifica que cada turma tenha acesso aos materiais e estímulos adequados;
  • Facilita a aprendizagem;
  • Leva o aluno a problematizar o que foi aprendido;
  • Concretiza o conhecimento.

Para alcançar esses objetivos, é necessário que o gestor da IES fique atento para a preparação do corpo docente. Além de oferecer todo o suporte tecnológico necessário para aplicação das metodologias ativas, é preciso também atrair e desenvolver profissionais capacitados para atuar em um ambiente inovador.

Com intuito de adotar as metodologias ativas, é preciso que a IES prepare seu corpo docente para as diversas competências e habilidades pedagógicas que essas ferramentas metodológicas exigem.

Dentre as principais competências e habilidades que os professores devem desenvolver para se tornarem profissionais do futuro, estão:

  •         Comunicação;
  •         Escuta ativa;
  •         Uso da tecnologia;
  •         Inovação;
  •         Liderança;
  •         Pensamento crítico;
  •         Empatia.

Ao desenvolver tais competências, você terá em sua IES um corpo docente preparado não só para enfrentar os desafios do dia a dia do ensino superior, como também profissionais inovadores e aptos a transformar o ensino e a aprendizagem de seus alunos.

O modelo da sala de aula invertida exige um professor que atue como facilitador da construção do conhecimento dos alunos. Exige, portanto, uma nova maneira de valorizar e reconhecer o trabalho do docente na IES.

e-Book Leitura na era digital: clique aqui para baixar!

Quais são os benefícios da sala de aula invertida?

Você já compreendeu que essa metodologia de ensino faz com que o aluno estude a matéria antes da aula acontecer para obter um melhor aproveitamento da aprendizagem em sala. Além disso, aprendeu qual o papel do professor na sala de aula invertida, que agora atua como facilitador do processo de aprendizagem.

Agora que você sabe também quais as principais características da sala de aula invertida, acompanhe mais alguns benefícios que essa abordagem pode trazer para sua IES:

1. Flexibilidade

Ao considerar que o estudante passa a administrar sua agenda de estudos, podemos entender que ele desenvolve mais autonomia e responsabilidade sobre seu processo de aprendizagem.

Fora isso, essa modalidade permite flexibilidade para que os participantes estudem a parte teórica nos momentos de sua preferência, conforme o seu ritmo e pelo formato que julgam ter mais facilidade para assimilar o conteúdo proposto.

2. Otimização de tempo

A otimização do tempo é uma grande vantagem da sala de aula invertida. Existe uma diferença gigantesca quando o conteúdo é exposto no mesmo momento de aprendizagem dos estudantes e quando eles já estudaram sobre o assunto antes. 

Assim, com o contato prévio sobre o conteúdo, o aluno pode promover debates mais produtivos, com maior profundidade em sala. Portanto, ele aprende muito mais.

3. Valorização do professor

O papel do professor é muito mais valorizado com essa metodologia, já que o aluno vai atrás da sua aprendizagem e necessita de um orientador. 

O docente precisa indicar os caminhos que o estudante precisa percorrer até o conhecimento, esclarecendo as dúvidas de cada um, estimulando a interação entre a turma e trabalhando o conteúdo com atividades práticas e estudos de caso.

Outro aspecto é a valorização das competências e habilidades pedagógicas do docente, que passa a ocupar uma posição estratégica na promoção de uma aprendizagem mais ativa e engajadora para seus alunos.

4. Desenvolvimento de aulas mais tecnológicas e participativas

Com os alunos mais engajados e motivados, as aulas passam a ser mais dinâmicas, pois os alunos vão para a sala dispostos a debater, levar mais informações, opinar, expor suas críticas e dúvidas sobre a matéria.

Isso é possível pois o conteúdo é acessado em casa por diferentes tecnologias. Logo, tanto aluno quanto professor são estimulados a conhecer e usar as ferramentas digitais.

Vale ressaltar que o uso de recursos tecnológicos não é a única condição para o desenvolvimento da sala de aula invertida. Ela também pode ser feita por meio de uma leitura prévia, antes de ocorrer um debate programado em sala de aula.

Por isso, apostar em recursos como biblioteca digital é uma boa estratégia para tornar as aulas mais participativas!

Como aplicar a sala de aula invertida no ensino superior?

O processo de inversão da sala de aula exige do professor e da IES a elaboração de algumas tarefas importantes.

São necessários apenas alguns passos para que sua instituição de ensino e seu corpo docente estejam preparados para aplicar com sucesso mais essa metodologia ativa de aprendizagem

Vejamos cada uma dessas tarefas a seguir:

1. Elaborar uma proposta de pesquisa

Nessa etapa, o professor deve elaborar uma proposta de pesquisa que desperte a curiosidade dos alunos.

Ele pode enviar um conteúdo com uma breve introdução sobre o assunto para os estudantes, explicando as atividades que serão realizadas e as informações que os alunos precisam saber.

2. Estimular a pesquisa em casa

Aqui, os alunos necessitam buscar o conhecimento necessário para entender sobre o tema passado pelo professor. 

É importante orientá-los quanto aos conteúdos, os recursos digitais em que eles podem fazer as pesquisas, mas também deixá-los livres para buscar as informações.

Leia também: tudo o que você precisa saber sobre biblioteca digital

3. Validar o conhecimento

Além de orientar as pesquisas, o professor também pode apresentar questões para os alunos responderem a partir do conhecimento adquirido.

Isso permite que eles pesquisem e acessem informações corretas para o trabalho.

4. Aprofundar o conteúdo 

No momento da aula em sala, os alunos levam as suas conclusões realizando apresentações, debates, apresentando vídeos, entre outras possibilidades de discussão. O professor e demais colegas podem aprofundar questões sobre o assunto. 

É importante mostrar visões não abordadas nas discussões para ampliar o aprendizado e despertar a curiosidade dos estudantes.

5. Avaliar

Na sala de aula invertida é muito importante o feedback do professor para garantir se o aprendizado foi efetivo. 

O momento de avaliar serve para verificar se a aula trouxe conhecimento para os alunos. É também um ótimo diagnóstico para saber o que deu certo e o que pode ser melhorado para as próximas aulas.

Qual a relação entre a sala de aula invertida e as metodologias ativas de aprendizagem?

Como você já pôde perceber logo no começo do artigo, a sala de aula invertida é uma das diversas possibilidades de metodologias ativas que podem ser aplicadas em sua instituição de ensino.

Que tal conhecer alguns outros métodos ativos de aprendizagem que podem ser aplicados com a sala de aula invertida? Vamos lá!

Aprendizagem baseada em projetos

Por meio do trabalho em grupo, os alunos se dedicam a colocar em prática os conteúdos estudados em casa para realização de projetos. Essa metodologia auxilia no desenvolvimento de habilidades de cooperação e comunicação, além de estimular a preparação prévia dos alunos para o trabalho em sala de aula.

Aprendizagem baseada em problemas 

Como próprio nome sugere, o que está em jogo nessa metodologia ativa é a resolução de problemas por parte dos estudantes. Focando em vivências do dia a dia da profissão, essa ferramenta pode ser um importante auxílio para colocar em prática os conteúdos preparados pelo professor.

Aprendizado entre pares

O aprendizado entre pares é um grande aliado da sala de aula invertida, pois incentiva os alunos a estudar fora do horário de aula. O debate e a reflexão em conjunto são alguns dos pilares dessa metodologia ativa desenvolvida na Universidade de Harvard nos Estados Unidos.

Gamificação na educação

Já a gamificação consiste na aplicação de estratégias, conceitos e dinâmicas dos jogos para um outro contexto. Em nosso caso, o ensino e a aprendizagem. Com essa metodologia ativa, é incentivado um processo de aprendizagem mais dinâmico e competitivo, que busca sempre melhorar o desempenho.

Cultura maker

Essa metodologia tem como princípio o mote “faça você mesmo”. Isto é, entende que todos podem construir e encontrar as soluções para seus problemas. Na sala de aula invertida, isso significa colocar a mão na massa durante o período de aula, e estimular a experimentação e a proatividade dos alunos.

Rotação por estações de aprendizagem 

Tal dinâmica envolve a criação de um circuito com diversas etapas, as chamadas estações de aprendizagem. Ao longo de um curso, o aluno deve percorrer diversas categorias de aprendizagem diferentes, proporcionando uma experiência imersiva e rica para construção do conhecimento.

Essas são apenas algumas das possibilidades que as metodologias ativas trazem para complementar e auxiliar na aplicação da sala de aula invertida.

Uma coisa é certa: as metodologias ativas tem como principal característica o aluno como foco do processo de aprendizagem. Isto é, são pensados métodos de ensino e aprendizagem que tem no aluno o centro de toda a prática pedagógica da IES.

Por isso, a relação entre a sala de aula invertida e as metodologias ativas está na construção de um processo de aprendizagem personalizado e potente para cada aluno. Parte desse processo está nas mãos do aluno, que deve estudar em casa os conteúdos que serão posteriormente trabalhados em sala de aula, seja ela física ou virtual.

Esperamos que tenha gostado deste conteúdo sobre a sala de aula invertida! Aproveite e confira também: Passo a passo para elaborar um plano de aula com metodologia ativa!

Artigos Relacionados