Como cuidar da saúde mental dos estudantes na IES?

Saúde mental dos estudantes: fotografia de um grupo de pessoas sentadas em círculo e discutindo.
A saúde mental dos estudantes é um elemento fundamental e que pode fazer toda a diferença no processo de ensino-aprendizagem. Confira, neste artigo, algumas iniciativas que você pode adotar em sua IES!

Compartilhe este artigo

Mesmo no período anterior à pandemia, a saúde mental dos estudantes já era um tópico alarmante nas instituições de educação superior (IES) .

Segundo relatório publicado em 2019 pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), 83,5% dos graduandos relataram vivenciar alguma dificuldade emocional que interfere na vida acadêmica.

Em 2014, o mesmo indicador foi registrado em 79,8%. Esses dados apontam para um aumento dos problemas de saúde mental dos estudantes brasileiros. Com a pandemia e os protocolos de distanciamento social, as dificuldades emocionais aumentaram ainda mais.

Isolados em casa, muitos estudantes tiveram que se adaptar ao ensino superior a distância e viram sua rotina mudar completamente. A diminuição drástica do convívio social atrelada à crise sanitária foram outros fatores que prejudicaram a saúde mental dos estudantes.

De acordo com pesquisa do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), foi registrada uma duplicação nos casos de depressão entre os entrevistados. Ansiedade e estresse tiveram aumento de 80% no período.

Neste texto, vamos abordar os seguintes tópicos:

  • Quais são as principais causas para problemas de saúde mental?
  • Qual é a importância da saúde mental para os estudos?
  • Como cuidar da saúde mental dos estudantes? 

Quais são as principais causas para problemas de saúde mental?

De acordo com o Hospital Santa Mônica, instituição especializada em em reabilitação na saúde mental, algumas questões determinantes para elevar as chances de desordens mentais no público jovem são:

  • desemprego;
  • conflitos familiares; 
  • desejo de maior autonomia;
  • maior exposição ao estresse;
  • exploração da identidade sexual;
  • falta de qualidade de vida doméstica;
  • envolvimento precoce com drogas e álcool;
  • pressão para se integrar a certos grupos ou comportamentos;
  • problemas de relacionamento com pais, professores ou colegas; 
  • maior acesso, mais disponibilidade de recursos e uso da tecnologia;
  • vítimas de bullying ou exposição à violência, incluindo pais agressivos;
  • influência da mídia quanto à posição social, aos padrões estéticos e às diferenças de gênero.

Leia também: Entenda os desafios da educação no ensino superior e como superá-los 

Qual é a importância da saúde mental para os estudos?

Ter uma boa saúde mental é imprescindível para garantir a qualidade do estudo. O aluno que enfrenta quadros graves de transtornos psíquicos, como ansiedade e depressão, não consegue se dedicar à vida estudantil.

Problemas de saúde mental afetam a capacidade de foco, disciplina e motivação nas aulas, mas podem ter repercussões mais graves.

A Pesquisa Censo e Opinião Discente, realizada pela Universidade Federal do ABC (UFACB), revelou um dado importante sobre o assunto: 17,92% dos trancamentos na instituição, no ano de 2016, ocorreram por questões psicológicas.

Isso significa que, além de prejudicar pontualmente os estudos, problemas de saúde mental dos estudantes podem comprometer também a permanência na instituição.

Em situações mais graves, esses problemas podem comprometer a própria vida do estudante. O índice de pensamento suicida entre universitários aumentou em mais de duas vezes entre 2014 e 2018, segundo relatório da Andifes: 

Tabela sobre a evolução de dificuldades emocionais de estudantes dos Institutos Federais de Ensino Superior (IFES) nos anos de 2010, 2014 e 2018. Imagem retirada do Relatório Andifes 2019. 
Tabela sobre a evolução de dificuldades emocionais de estudantes dos Institutos Federais de Ensino Superior (IFES) nos anos de 2010, 2014 e 2018. Imagem retirada do Relatório Andifes 2019.

Melhorar a saúde mental dos estudantes é uma emergência não apenas para aprimorar seu rendimento acadêmico, mas para preservar a qualidade de vida e a própria existência dos alunos.

Como cuidar da saúde mental dos estudantes? 

A melhor maneira de cuidar da saúde mental dos estudantes é disponibilizando canais de atendimento psicológico.

Contar com uma rede de apoio de colegas, familiares e professores é um passo importante para lidar com problemas de saúde mental, mas é indispensável que o aluno tenha acesso a profissionais especializados, com formação técnica para resolvê-los.

Nesse sentido, o mais importante é que as IES indiquem os caminhos para que o estudante obtenha tratamento psicológico. 

Suporte psicopedagógico oferecido pelas IES

Quando a própria IES oferece auxílio psicológico ao estudante, a solução fica muito mais acessível. Algumas instituições já disponibilizam esse serviço ao estudante. É o caso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que possui uma Clínica de Atendimento Psicológico à comunidade, que também realiza pesquisas e eventos acadêmicos.

O suporte oferecido pela própria IES é fundamental para identificar os problemas e lidar com eles de maneira mais pontual. Contudo, é fundamental que o estudante realize acompanhamento psicológico a longo termo.

Dessa forma, a instituição deve facilitar também o acesso a esse tipo de atendimento. Isso pode ser feito por meio de campanhas de conscientização, que contribuem para que o estudante seja mais saudável e tenha uma aprendizagem significativa.

Campanhas de proteção à saúde mental dos estudantes

Realizar campanhas de conscientização e proteção à saúde mental também é uma ótima abordagem. O primeiro passo para promover o bem-estar psicológico é reconhecer os problemas e a importância da terapia.

Para alcançar essa finalidade, a IES deve desenvolver uma linguagem sobre a proeminência da saúde mental. É preciso estabelecer uma comunicação sobre esse tema com o corpo discente.

A seguir, serão apresentadas algumas iniciativas nesse sentido.

Cartilha sobre aulas remotas, pandemia e saúde mentalCartilha educativa sobre saúde mental dos estudantes desenvolvida pela Universidade Federal de Roraima.

A Universidade Federal de Roraima produziu uma cartilha educativa, logo no início da pandemia, sobre cuidados com a saúde mental em tempos de isolamento.

O material, feito em formato de ebook, teve como objetivo contribuir para o bem-estar da comunidade acadêmica e público em geral. 

Foi elaborado por psicólogas e traz informações sobre técnicas de autocuidado para lidar com o período da crise sanitária. Indica também formas para melhorar a boa saúde mental, de forma geral.

Janeiro Branco

Na mesma linha de campanhas como Setembro Amarelo e Outubro Rosa, o Janeiro Branco busca dedicar esse mês à conscientização sobre saúde mental.

Esse movimento surge da necessidade de enxergar o tema como prioridade para a saúde global. Por mais que não se situe no período letivo na maioria das IES, é interessante que sejam feitas ações para envolver alunos, professores e demais funcionários no debate do Janeiro Branco.

Já está pensando nas ações que vai implementar em sua IES para ajudar a melhorar a saúde mental dos estudantes? Aproveite para conferir também o nosso artigo sobre a relação entre neurociência e educação!

Artigos Relacionados