Tecnologia na educação: foto com foco na mão de uma pessoa segurando o mouse de um computador.

Tecnologia na educação: evolução, funcionamento e benefícios para o sucesso da sua IES

É impossível, hoje em dia, imaginar atividades que não sejam realizadas com o auxílio de tecnologias, sejam elas digitais ou não. A educação, por sua vez, é uma área que aproveita e que ainda pode avançar bastante quanto à utilização de recursos tecnológicos, tendo em vista os enormes benefícios advindos do uso das metodologias ativas, o perfil do estudante, que segue antenado para mudanças, e a flexibilidade e o dinamismo que o mundo contemporâneo vem ganhando com a internet.

Apesar de a internet ter ganhado força e um enorme espaço na educação no século 21, diversas tecnologias que não dependiam de computadores revolucionaram o ensino durante toda a história, algumas, inclusive, nem de eletricidade precisavam. 

Alguns dos principais avanços que auxiliaram o ensino durante a história, que podemos citar como exemplo, é o quadro negro, o projetor, a fotocopiadora (xerox), o corretivo, a caneta esferográfica, a calculadora portátil, etc. É importante compreender que, de seu modo, cada uma dessas invenções revolucionou a educação com as necessidades de sua época e que, agora, a tecnologia na educação vêm ganhando seu espaço para trazer novas mudanças.

Com a pandemia do novo coronavírus, também foi perceptível os enormes avanços que as tecnologias digitais trouxeram para a educação. E foi ainda mais além: o uso de recursos tecnológicos por meio de computadores,não foram apenas benéficos, mas também, a única alternativa para manter as aulas funcionando, de forma online.

O crescimento do uso da tecnologia na educação

Não é possível falar de tecnologia na educação, no atual momento, sem falar do ensino superior a distância. Essa modalidade de ensino, por se dar de forma online, tem em sua base a utilização de diversos recursos tecnológicos que possibilitam o seu funcionamento. 

Entretanto, esses recursos digitais não se inserem na EaD apenas pela própria necessidade de seu funcionamento, pois, para além disso, sua metodologia já prevê o uso de diversas tecnologias que ampliam as possibilidades de um ensino de qualidade.

Segundo o Censo da Educação Superior de 2019, o número de ingressantes em cursos a distância na rede privada ultrapassou o de cursos presenciais pela primeira vez, chegando a 50,7% (1.559.725) dos alunos daquele ano.

Além disso, com a pandemia do coronavírus, o ensino presencial teve que se moldar para que suas aulas continuassem ocorrendo, dando assim, origem ao Ensino Remoto Emergencial (ERE), que mantém a metodologia do ensino presencial, porém de forma online e com o auxílio de diversas tecnologias no meio digital

Uma outra realidade da educação superior brasileira é o ensino híbrido, modalidade que mescla o contato mais próximo entre alunos e professores das aulas presenciais com a flexibilidade, liberdade e utilização da tecnologia advindos dos estudos de forma online. 

Deve-se  ter mente também, que o próprio ensino 100% presencial utiliza de diversas tecnologias, sendo com o uso de recursos multimídias, que deixam as aulas mais dinâmicas e interessantes, ou com trabalhos extraclasse, nos quais a internet e suas ferramentas são imprescindíveis para que sejam realizados.

Leia também: Tipos de EaD: conheça os modelos e formatos de cursos a distância

A tecnologia e o novo perfil dos estudantes

A tecnologia tem se inserido em todas as esferas da vida das pessoas, sendo o ensino mais uma delas. O alto uso da internet fez com que os estudantes tivessem um novo perfil, muito mais engajado com o cotidiano online e com enorme facilidade para o uso de celulares, computadores e demais aparelhos eletrônicos.

Algumas tendências que vinham crescendo – e que se aceleraram com o isolamento social – foram a presença do aluno em diversas redes sociais e o uso de ferramentas online, tanto as voltadas para a comunicação quanto para a educação. 

A necessidade de conciliar trabalho com estudo é uma das maiores dificuldades para os alunos hoje em dia. Aulas flexíveis quanto ao tempo e ao espaço são imprescindíveis para que a nova geração de estudantes tenha condições de acessar o ensino superior

Esse novo aluno, mais engajado na internet e com menos tempo no seu dia requer um ensino mais dinâmico, no qual a sala de aula de forma tradicional não é mais suficiente para manter sua atenção. O uso de tecnologias na educação é a melhor solução para isso, pois, além de suprir as novas necessidades do estudante, aproveita de seus conhecimentos prévios destes recursos para ampliar as possibilidades do ensino.  

A relação professor x tecnologia na educação

O principal ponto que deve ser tratado nessa relação é que a tecnologia na educação não tem a função de substituir os professores, e sim auxiliá-los. O corpo docente segue tendo a competência para transmitir o conhecimento, e mesmo em processos em que o protagonismo da aprendizagem está na figura do aluno, cabe ao professor mediar, para que o estudante retire o maior proveito possível das aulas.

A presença de tecnologias nas aulas, sejam elas presenciais ou online, deixa o ensino mais dinâmico e com um maior engajamento dos estudantes. Por sua vez, o crescimento da participação do aluno faz com que sua conexão com o professor também aumente, deste modo, a tecnologia na educação tem um papel importante de ampliar relações, tanto na sala de aula física quanto virtual, com o uso de chats, e-mails, etc.

Com o uso da internet, o acesso ao conhecimento tem ficado mais amplo e democrático. Além da utilização dos livros, a tecnologia possibilita que as aulas tenham outras fontes de conhecimento e em outros formatos (áudios, vídeos, gráficos, etc), que facilitam para que os professores desenvolvam o conteúdo lecionado com um leque maior de possibilidades. 

Entretanto, para que a tecnologia seja inserida na educação de forma primorosa, é necessário que os professores sejam treinados. Novidades sempre demandam tempo para que sejam compreendidas e aperfeiçoadas, e no caso da educação, os docentes precisam aprender o funcionamento de cada tecnologia utilizada e também adequar as metodologias de ensino para cada realidade.

Leia também: Biblioteca digital: o que é, como escolher e opções para a IES

Os 8 benefícios da tecnologia para a educação

Com todo o exposto, é difícil imaginar uma sala de aula sem o uso de tecnologia. Do ensino básico ao superior, a educação é uma das áreas que mais pode se beneficiar com o avanço dos recursos tecnológicos e da conectividade, cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros.

Por isso, destacamos abaixo os principais benefícios que a tecnologia pode trazer para o ensino no Brasil – e como isso pode ser decisivo para a consolidação de instituições no mercado.

1. Melhora na qualidade da educação

A tecnologia ajuda a trazer novas possibilidades para a sala de aula. Além de aproximar estudantes de outras fontes de informação, permite que professores explorem diferentes recursos para transmitir conhecimento. Quem também ganha com isso são as instituições, que passam a oferecer educação de maior qualidade.

2.As aulas ficam mais interessantes

A evasão é um dos principais problemas enfrentados na educação brasileira. Diversos fatores contribuem para que isso ocorra, mas especialistas indicam recursos tecnológicos educativos como uma das possíveis soluções. Aulas que fazem uso da tecnologia ficam mais interessantes aos olhos dos alunos.

Ao permitir que tanto estudantes quanto professores explorem novos recursos de aprendizagem, as aulas tendem a gerar mais motivação. A tecnologia educacional pode tornar o aprendizado mais interativo e colaborativo – e isso pode ajudar os alunos a se envolverem melhor com o conteúdo e o material das disciplinas e cursos. Em vez de aulas expositivas e de memorizar fatos, eles aprendem fazendo. Para alguns alunos, a interatividade fornece uma melhor experiência de aprendizado.

3. Cria um canal de comunicação a mais entre alunos e professores

A relação entre professor e aluno é muito importante para o processo de aprendizagem. Canais de comunicação digitais transformam essa interlocução.  Ajudam a estreitar laços, a criar sentimento mútuo de confiança, a tornar a conversa mais direta e informal e a produzir melhor aproveitamento dos momentos de estudo.

4. Aumenta o desempenho escolar

Por despertar o interesse dos estudantes para outras possibilidades de aprendizado, a tecnologia no ensino produz uma melhora significativa no desempenho escolar. especialistas afirmam que o uso de recursos tecnológicos em sala de aula contribuem até mesmo para o melhor aproveitamento do tempo de estudo em casa.

5. Valoriza mais o professor

O trabalho com o ensino se estende para fora das paredes das instituições de ensino. Além de planejar aulas, estudar constantemente e corrigir provas e trabalhos, professores acumulam tarefas administrativas e burocráticas. Precisam também operar pontes entre os estudantes e a coordenação. São atividades que consomem muito tempo desses profissionais.

Com uso de tecnologias de ensino, o gestor economiza muito o tempo do professor e permite que se dedique ao ensino. Todos têm a ganhar com isso, inclusive os próprios alunos.

6. Personaliza o ensino

Com o desenvolvimento do ensino e do trabalho, se torna cada vez mais vasta a gama de possibilidades de perfis de um indivíduo. A tecnologia pode relacionar e avaliar uma enorme quantidade de dados, ajudando a compreender quais são as habilidades que cada estudante pode desenvolver com maior facilidade e, também, como elas podem se aplicar na absorção do conhecimento.

Os recursos digitais reconhecem, de forma ímpar, as dificuldades e facilidades que os alunos estão tendo com o conteúdo ministrado e traz uma variedade de alternativas para sanar quaisquer problemas. A utilização de processos informatizados permite que o ensino possa ser personalizado, observando aptidões, adversidades e aspectos que individualizam cada estudante.

7. Promove inclusão social

A tecnologia inserida na educação auxilia a conexão entre alunos e professores, mesmo que esses se “encontrem” em lugares e momentos diferentes. A EaD possibilita para um estudante que antes não tinha nenhuma alternativa para chegar ao ensino superior, por morar em um lugar mais distante, cursar uma graduação de forma online, superando assim a barreira territorial.

Os alunos trabalhadores também ganham em questão de tempo. Os atuais recursos digitais permitem que o estudo possa ser realizado de forma flexível, se encaixando nas necessidades do cotidiano de cada um, além de poupar o tempo gasto com deslocamento para as Instituições de Ensino Superior (IES).

8.Estimula a busca pelo conhecimento

Esse, talvez, seja um dos maiores benefícios que a tecnologia pode trazer para a educação. Com ela, amplia-se o rol de possibilidades para instigar a curiosidade do indivíduo e fazer com que ele mesmo busque cada vez mais conhecimentos – até mesmo fora da sala de aula.

No futuro, todo esse investimento pode se traduzir na descoberta de novas competências profissionais. Por que não?

Leia também: o papel do professor em um modelo de ensino híbrido

Os métodos que facilitam a aplicação da tecnologia na educação

Ao pensarmos em tecnologias digitais inseridas na educação superior, devemos separar as de suporte e as de ensino. 

As tecnologias de suporte são aquelas que possibilitam o funcionamento das aulas, seja no planejamento, na gestão e na comunicação entre IES, professores e estudantes. Como exemplo, temos os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) e as suas funcionalidades, como quadro de avisos de prazos, chats, hospedagem de materiais didáticos e outros serviços de comunicação institucional. 

Por sua vez, as tecnologias de ensino são as que trazem novas formas para a aprendizagem. Existem novos recursos digitais surgindo a todo momento e, também, novos métodos educacionais que utilizam esses recursos.

Vejamos agora 8 recursos e metodologias que inserem a tecnologia na educação:

1. Gamificação

A gamificação (gamification, em inglês) é o processo de utilizar elementos, ferramentas e estratégias próprios de jogos em outras atividades. No âmbito da educação, a gamificação propõe a realização de desafios e missões conectadas a situações reais, devendo o estudante superá-los com o conteúdo aprendido para concluir um objetivo final.

Essa metodologia ativa utiliza das regras e lógica de um jogo para aumentar o engajamento e a curiosidade do aluno, trazendo para ele uma participação central na sua própria aprendizagem. 

2. Aprendizagem Baseada em Problemas

A Aprendizagem Baseada em Problemas, também conhecida pelo termo em inglês Problem Based Learning (PBL), é um método de ensino no qual o conteúdo de uma disciplina é abordado durante a solução de um problema. Aqui, o aluno estuda de forma individual e traz o conhecimento adquirido para as discussões com sua turma para a resolução da situação proposta.

É importante perceber que o foco dessa metodologia não é solucionar o problema, e sim aplicar na prática o conhecimento aprendido em seus estudos. Os pontos fortes da PBL são a interdisciplinaridade, comunicação e autonomia.

3. Sala de aula invertida

Uma das maiores inovações em termos de ensino, a sala de aula invertida vai na contramão do ensino tradicional. Nesta metodologia, os conteúdos das disciplinas lecionadas são disponibilizados para os alunos com certa antecedência e devem ser estudados de forma autônoma antes das aulas, sejam presenciais ou online.

Com esse modelo de estudo, o momento da aula se torna mais produtivo, focado em debater os assuntos, realizar atividades práticas e solucionar problemas. A tecnologia, aqui, traz uma nova perspectiva para o ensino, possibilitando ao estudante autonomia e flexibilidade para o estudo, maior troca de conhecimento com seus colegas e melhor aproveitamento do tempo das aulas.

4. Tablets e smartphones

Aparelhos eletrônicos de uso comum da população, que antes eram vistos como problemas no ensino, por desviarem a atenção do estudante durante as aulas, são agora aliados potentes. Diversos aplicativos voltados para o ensino aprimoram a qualidade do ensino e transformam os smartphones, tablets, laptops, etc em poderosas máquinas cheias de funcionalidades para as aulas.

Uma grande vantagem desses aparelhos é que os estudantes (em sua maioria) já os possuem e já compreendem como os utilizar. Além disso, a facilidade do acesso às redes sociais e aos serviços de compartilhamento de documentos torna a educação mais interativa e engajada.

5. Aprendizagem Baseado em Projetos

Chamada de Project Based Learning, em inglês, a aprendizagem baseada em projetos funciona de forma bem semelhante à baseada em problemas. Aqui, ao invés de ser proposto resolver um problema, o aluno deve criar um “produto” final, ou seja, o conhecimento é aplicado em diversas etapas de um projeto previamente formulado, até se chegar no objetivo final.

Além das vantagens vistas na metodologia semelhante, destacamos aqui, o estímulo da criatividade como principal ganho para o estudante.

6. Realidade Virtual

Uma das grandes inovações da tecnologia, a realidade virtual pode ser aplicada na educação como um poderoso recurso. O aluno pode conhecer e interagir com lugares, épocas e objetos que de forma física não poderia alcançar, trazendo uma experiência extremamente imersiva, que possibilita assimilar conceitos de forma prática, vivenciando assim o ensino.

7. Cultura Maker

A metodologia maker no ensino vem da cultura maker, o famoso do it yourself (DIY), que seria um “faça você mesmo”. Na cultura maker na educação, as aulas práticas substituem as expositivas, possibilitando ao estudante um papel central na aprendizagem, deixando-o mais engajado e estimulando sua criatividade. Esse processo de aprender fazendo busca com que todos desenvolvam as habilidades necessárias para resolverem suas atividades.

8. Impressoras 3D

Uma das grandes novidades da tecnologia para todas as áreas, as impressoras 3D já podem ser aplicadas como recurso educacional. Tal ferramenta traz a possibilidade de criação de projetos, peças, figuras e uma infinidade de objetos que se relacionam com a matéria estudada. Ou seja, as impressoras 3D facilitam o ensino ao deixar o conteúdo tangível ao aluno, tornando-o mais fácil e interessante.

Investir em tecnologia na educação é muito importante para que a sua IES alcance o sucesso esperado. Para se aprofundar ainda mais no assunto, conheça 9 autores que são referência na área!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *