Trabalhabilidade e empregabilidade: fotografia de um grupo de alunos estudando e conversando.

Entenda os conceitos e as diferenças de trabalhabilidade e empregabilidade

Trabalhabilidade e empregabilidade são assuntos muito discutidos atualmente, mas também incompreendidos por boa parte das pessoas.

Primeiramente, é preciso entender a diferença existente entre emprego e trabalho. No emprego existe uma etapa delimitada, que geralmente se encerra com a aposentadoria. Já o trabalho se refere a um maior prolongamento e pode acompanhar a trajetória de um indivíduo ao longo de sua vida.

Para entender melhor sobre esses termos, preparamos este artigo apresentando os devidos conceitos de trabalhabilidade e empregabilidade, como eles acontecem no mercado, e por fim, vamos mostrar como as Instituições de Ensino Superior (IES) devem preparar seus estudantes para essa nova tendência. Acompanhe!

O que é trabalhabilidade e empregabilidade?

Começaremos explicando o termo mais utilizado: a empregabilidade. Ela corresponde à soma de todas as capacidades necessárias que uma pessoa necessita ter para conseguir um emprego. Isso foi muito visto com a globalização e o surgimento das novas tecnologias, em que o profissional precisou se adaptar às exigências do mercado para se tornar empregável.

Em poucas palavras, a empregabilidade é como uma proteção para o profissional, garantindo que ele continue em seu cargo de trabalho. 

Dessa forma, quando um currículo é bastante diferenciado, com qualificações e excelentes experiências, por exemplo, ele acaba se destacando no mercado. Consequentemente, a empregabilidade desse suposto candidato é bastante alta. 

Em tempo, a palavra trabalhabilidade é menos compreendida. Diferente da primeira, esse novo conceito vem da própria capacidade de trabalhar e não de simplesmente conseguir um trabalho.

A trabalhabilidade amplia o conceito de empregabilidade para outras fontes de renda e também possibilidades de trabalho, já que o emprego apresenta diversas limitações e não deve ser encarado como única opção. 

Sendo assim, um profissional que atua no mercado pelo conceito de trabalhabilidade possui as seguintes características:

  • busca sempre aprender;
  • é resiliente;
  • faz diferença na sociedade;
  • procura funções alinhadas aos seus valores pessoais;
  • resolve problemas complexos;
  • tem pensamento crítico;
  • tem qualificação técnica;
  • trabalha colaborativamente;
  • transforma hobbies em fontes de receita;
  • usa a criatividade.

Portanto, conhecer os conceitos de trabalhabilidade e empregabilidade é importante para o profissional do futuro, pois é preciso estar atento às novas exigências e entender como transformar as competências pessoais em soluções que interessam às empresas. 

Logo, buscar conhecimento, novas habilidades, ter flexibilidade, inteligência emocional, entre outros, são alguns dos elementos que compõem o conjunto de competências necessárias para se manter no mercado de trabalho. 

Leia também: saiba quais são os cursos com maior empregabilidade no Brasil

Como as IES devem preparar seus estudantes para o mercado do futuro?

Sabendo que o mercado vive constantes mudanças, conforme a previsão da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), surge o questionamento de como as IES devem preparar o estudante para ser um profissional com alta trabalhabilidade e empregabilidade.

Com a consolidação da trabalhabilidade se tornando a nova ordem do mercado de trabalho, as IES precisam redirecionar seus esforços. 

Isso exige a necessidade de adaptação e combinação de conhecimentos, propondo mudanças nas grades curriculares tradicionais, aplicando conteúdos de negócios que proporcionam conhecimentos multidisciplinares aos discentes, inovando em técnicas, métodos e didática de ensino. Enfim, visando acompanhar a geração que está em busca do seu diferencial. 

Logo, trabalhando com um método mais autônomo, colaborativo e prático, como também propõem as metologias ativas, as IES podem preparar melhor o estudante na atuação da sua carreira.

Algumas Instituições de Ensino Superior já saíram na frente e incorporaram essa nova dinâmica de formação de habilidades e desafios de mercado na sala de aula. Para isso, é necessário ensinar teoria e prática de forma simultânea, seguindo o cotidiano dinâmico de cada profissão.

Além disso, é de extrema importância que as IES tenham um modelo de ensino que desafie e estimule o aluno a avaliar problemas reais e a buscar soluções, mesmo que elas ainda não existam, desenvolvendo novas habilidades, o pensamento crítico, a pesquisa constante e a criatividade.

A proposta de uma metodologia que colabore tanto com a trabalhabilidade e empregabilidade do aluno faz com que ele seja o protagonista de sua própria experiência. Então, quando ele recebe o seu diploma pela IES, estará melhor preparado para atuar no mercado de trabalho.

As IES também devem se preparar para as novas oportunidades de negócios que surgem. A criação de cursos com carga horária reduzida e conteúdos mais rápidos e diretos pode ser uma ótima estratégia para acompanhar essa mudança. 

Também podemos relacionar aos conceitos de trabalhabilidade e empregabilidade os 4 pilares da Nova Educação, propostos pela Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, que incorpora o ensino ao paradigma do desenvolvimento humano. São eles:

1. Aprender a fazer

Os educadores devem estimular que os estudantes apliquem suas habilidades ligadas à resolução de problemas complexos. Para isso, os jovens devem usar a inteligência emocional e todo o conhecimento adquirido para, por meio do trabalho em equipe, enfrentar situações e negociar diferentes pontos de vista.

Neste cenário, todas as áreas da educação são atingidas. Seja em cursos presenciais, a distância, técnicos, entre outros, em que o aprendizado e a formação devem ser constantes.

2. Aprender a ser

As ações dos estudantes devem sempre ser pautadas pela capacidade de autonomia, discernimento e responsabilidade. 

Para isso, é preciso que eles desenvolvam uma postura mais cooperativa e, ao mesmo tempo, que possam fortalecer suas potencialidades individuais, como o raciocínio, a capacidade física, a aptidão para a comunicação e, acima de tudo, o autoconhecimento.

3. Aprender a conviver

Neste pilar, os estudantes devem desenvolver capacidades relacionadas à inteligência emocional, como a compreensão do outro e a percepção das interdependências, assim como praticar a tolerância e superar antigos paradigmas.

Leia também: saiba como desenvolver o ensino por competências na educação profissional

4. Aprender a aprender

As novas tecnologias e novos modelos de negócio, que englobam os conceitos de trabalhabilidade e empregabilidade, criaram um ambiente profissional bastante diferente com relação ao passado. 

Porém, muitas instituições ainda insistem em manter o ensino pautado em um modelo que prepara o aluno a seguir uma carreira linear, focada em uma única área do conhecimento, em que as habilidades técnicas ganham mais destaque do que as habilidades socioemocionais, assim como a capacidade de criar e inovar.

Dessa forma, seguindo esse novo conceito de mercado, o conhecimento terá diferentes aplicações, já que as informações também precisam estar alinhadas à prática de forma a agregar para o universo individual e coletivo do estudante.

Esperamos que você tenha compreendido e se interessado ainda mais pela importância de entender os conceitos de trabalhabilidade e empregabilidade para formar profissionais cada vez mais preparados para o mercado de trabalho. Aproveite para conferir o nosso artigo sobre ferramentas de metodologias ativas e saiba como aplicá-las em sua IES para desenvolver diversas competências fundamentais nos estudantes!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *