Trilha de aprendizagem: fotografia de quatro pessoas sentadas à mesa e estudando juntas.

Saiba o que é, benefícios e como montar uma trilha de aprendizagem

A trilha de aprendizagem surgiu como um conceito direcionado para a maior capacitação dos profissionais no ambiente de trabalho. Entretanto, é possível, a partir da análise de seus benefícios, aplicar o método também nas instituições de educação superior (IES) a fim de garantir o maior aprendizado dos estudantes.

É sabido que o aprendizado não se consolida da mesma forma para todos os alunos, cada estudante possui suas próprias limitações e individualidades no processo de assimilação do conteúdo. Assim, é necessário pensar em métodos que contemplem a todos e assegurem que o aprendizado se dê de modo efetivo para todo o corpo discente. 

Além disso, a competitividade do mercado de trabalho aumenta a busca por profissionais cada vez mais capacitados para a resolução de problemas. Nesse cenário, as IES precisam garantir que os alunos concluintes deixem a instituição prontos para as tarefas e desafios do dia a dia. 

Pensando nisso, preparamos um artigo que pretende introduzir o assunto e te auxiliar a implementar as trilhas de aprendizagem no ensino superior para otimizar e personalizar o jeito de aprender. Confira a seguir. 

O que são trilhas de aprendizagem?

As trilhas de aprendizagem podem ser definidas como um “conjunto integrado, sistemático e contínuo de desenvolvimento de pessoas e profissionais”. As trilhas pretendem combinar as necessidades dos estudantes com o conteúdo transmitido pelo discente. Para isso, é importante considerar as individualidades de cada aluno e as limitações dos corpos discente e docente.  

O método utilizado pela trilha de aprendizagem reforça a ideia de que o aluno precisa protagonizar o estudo, criando autonomia para que a transmissão do conteúdo acadêmico se efetive. 

Desse modo, o uso de ferramentas tecnológicas deve se aliar às ferramentas tradicionais. Aulas expositivas, livros, jogos, vídeos e podcasts são alguns exemplos de instrumentos importantes para compor uma trilha de aprendizagem. 

A finalidade da utilização do método é transformar o conhecimento técnico em um aprendizado completo, que engloba o desenvolvimento de competências. Assim, as trilhas de aprendizagem são experiências que facilitam a absorção do conhecimento através da combinação de diferentes tipos de atividades durante a formação em uma instituição de ensino superior. 

Como as trilhas de aprendizagem funcionam?

O objetivo das trilhas de aprendizagem é fazer com que o aluno passe por uma sequência contínua de treinamentos sobre determinado conteúdo e, assim, melhore o seu nível de entendimento sobre o assunto. 

Nesse sentido, as trilhas funcionam com uma junção de conteúdos a serem repassados para o aluno, para que o seu aprendizado possa ser mais rico e de maior qualidade. Isso acontece a partir do envolvimento de diversos materiais sobre um só tema, fazendo com que o estudante tenha contato com várias frentes e não veja o assunto de uma ótica só.

Esse caminho a ser seguido e os materiais a serem estudados deverão ser selecionados pelo time pedagógico, professores e coordenadores, visando as necessidades de cada disciplina e turma/estudante.

É importante que uma trilha apresente as seguintes características:

Experiência

Proporcionar boas experiências para o aluno é uma característica fundamental para a trilha de aprendizagem. É necessário fazer com que os estudantes consigam colocar em prática o que está sendo passado, só assim eles assimilarão o conteúdo.

Flexibilidade

O principal benefício da trilha de aprendizagem é ter o aluno como foco, priorizando suas dificuldades e interesses. Por isso, criar algo flexível, em que o aluno tenha passos para a seguir, mas que em alguns momentos possa escolher o caminho é muito importante para que ele tenha certeza da sua autonomia sobre o conteúdo e possa ir onde realmente se interessa.

Estímulo

Estimular os estudantes é uma característica marcante da trilha de aprendizagem. Ela precisa motivar o aluno na assimilação do conteúdo. Invista em diversas formas de montar a trilha, com conteúdos diversos, como vídeos, podcasts e mapas mentais. Isso aumentará o seu dinamismo.

Quais são os benefícios das trilhas de aprendizagem para o ensino superior?

Por se tratar de um método que potencializa o aprendizado e promove o desenvolvimento integral do aluno, as trilhas de aprendizagem mostram-se como vantajosas para a educação superior. A seguir, apresentamos os principais benefícios: 

1. Proporcionam um aprendizado inclusivo

As trilhas de aprendizagem combinam diversas ferramentas no processo de transmissão do conteúdo. 

Assim, os estudantes podem optar pelo uso de ferramentas que mais se encaixam em seu perfil pessoal e em suas individualidades. 

Por exemplo, o aluno que possui maior facilidade em assimilar a matéria lida será contemplado assim como o aluno que tem preferência pelo conteúdo em vídeo. 

2. Promovem autonomia

A utilização das trilhas de aprendizagem permite que o discente opte pelo melhor caminho para seu desenvolvimento. 

Desse modo, a IES gera maior autonomia para o estudante e transforma o aluno em protagonista na sua própria educação, o que aumenta o engajamento e promove uma postura mais ativa em relação ao aprendizado.  

3. Incentivam o ensino por competências

A aprendizagem por competências é uma metodologia que se opõe à educação tradicional de ensino por disciplinas. Ela conecta diferentes áreas do saber e combina conhecimentos, recursos, atitudes, valores, estímulos e habilidades.

Um dos benefícios da utilização das trilhas de aprendizagem é romper com o modelo tradicional de ensino. Nesse sistema, os alunos passam a aprender por combinações de ferramentas que complementam seu aprendizado e desenvolvem novas capacidades, como habilidades práticas, técnicas, cognitivas e socioemocionais.

4. Aumentam a taxa de empregabilidade 

Estima-se que a taxa de desemprego entre os alunos concluintes chegue a 45%. Entre os fatores responsáveis por esse cenário é possível citar o aumento do número de pessoas com formação superior e, assim, da competitividade por vagas, além da transformação do mercado de trabalho, que se tornou mais exigente em relação à qualificação do profissional pretendido. 

Dessa forma, tornou-se necessário o maior desenvolvimento de habilidades e competências, como o planejamento pessoal e autodeterminação do empregado. 

O ensino pedagógico por meio da trilha de aprendizagem é responsável pelo desenvolvimento de competências, assim, o estudante se torna mais preparado para o mercado de trabalho. 

Leia também: como garantir a empregabilidade dos alunos concluintes na IES

5. Nivelamento do conhecimento

Outro benefício das trilhas de aprendizagem é conseguir auxiliar no processo de nivelamento da aprendizagem, fazendo com os estudantes estejam no mesmo lugar em relação ao conteúdo. 

Não havendo atrasos e desigualdades muito grandes, os alunos ficam mais motivados, pois caminham juntos no assunto estudado, o professor pode seguir com a matéria sem se preocupar com quebras e, assim, a qualidade do ensino da instituição será melhor!

Quais são os tipos de trilhas de aprendizagem?

As trilhas de aprendizagem podem ser divididas entre dois tipos. Vejamos abaixo quais são: 

Linear

No modelo linear, a aquisição de um novo conhecimento depende de outro adquirido previamente. Assim, o aprendizado se organiza em módulos, de forma que o conhecimento é disposto em uma sequência linear.

Nesse modelo, o autor da trilha de aprendizagem é responsável por direcionar o caminho a ser percorrido pelo estudante. 

Um exemplo de trilha de aprendizagem linear é o estudo do Código Penal. Para compreender a parte especial do Código, é necessário estudar anteriormente a parte geral, que contém regras necessárias ao aprendizado integral. 

Agrupado 

No modelo agrupado, a organização da trilha não obedece uma ordem pré determinada, como é o caso do modelo linear. Nesse modelo, o estudante pode trabalhar sua autonomia, definindo a ordem de aprendizado que mais se encaixa em seu perfil. 

Assuntos que tenham maior número de ramificações e que não dependam de um conhecimento prévio devem ser alocados nesse modelo de trilha de aprendizagem. 

Como montar uma trilha de aprendizagem?

O processo que envolve a construção de uma trilha de aprendizagem deve considerar diversos fatores como: o perfil da turma e do estudante a que se pretende desenvolver, as limitações e individualidades de professores e alunos e o tipo de conhecimento que será transmitido.

Ainda é importante considerar quais habilidades e competências a IES deseja nutrir em seus estudantes. Desse modo, é necessário traçar objetivos a serem alcançados por meio da utilização das trilhas de aprendizagem.

Confira alguns passos que você pode desenvolver em sua IES:

Passo 1: conhecer o perfil dos estudantes

Na construção de uma trilha de aprendizagem, é muito importante conhecer o perfil do seu público. Por isso, entenda quem são os seus estudantes, saiba o que os motiva mais, quais são seus interesses e dificuldades. Isso irá te ajudar a montar uma trilha mais assertiva.

Passo 2: trabalhe diferentes níveis de dificuldade

É necessário que a trilha contenha níveis de dificuldade diversos para ir estimulando o aprendizado dos alunos. Se focar apenas em conteúdos fáceis, o aluno pode se desmotivar e sentir falta de algo ou até mesmo de um desafio.

Dessa forma, ter níveis básico, médio e avançado, em que o estudante pode escolher por onde começar a partir das suas dificuldades e curiosidades, é fundamental.

Passo 3: conte com atividades diversas

Por se tratar de um aprendizado contínuo, a trilha precisa conter diversos tipos de atividades e conteúdos. Isso irá ajudar no estímulo e participação de alunos e professores. Alguns exemplos são:

  • Vídeo
  • Podcast
  • Mapa mental
  • Textos
  • Fóruns
  • Práticas individuais
  • Práticas em grupo

Passo 4: tenha uma sequência

Sabemos que a flexibilidade é uma forte característica de uma trilha de aprendizagem. Porém, mesmo assim é preciso montá-la de maneira sequencial para que o estudante não se perca ao longo do caminho, mesmo que em alguns momentos ele possa escolher para onde seguir ou qual conteúdo consumir.

Por isso, é importante pensar nos níveis e, dentro de cada um deles, ter uma continuação lógica. A técnica de storytelling pode ser de grande ajuda nesse momento, pois contar histórias faz com que se crie um raciocínio sequencial. 

Passo 5: observe os resultados

Por último, para criar uma trilha de aprendizagem é importante observar resultados. Veja se o que você colocou em prática deu certo ou não e saiba como melhorar para as próximas.

Para isso você pode aplicar avaliações, elaborar projetos nos quais será possível identificar como os alunos se comportaram, resolveram os problemas, se raciocinaram de maneira lógica, ou seja, se a trilha trouxe as melhorias esperadas.

Como colocar a trilha de aprendizagem em prática?

Agora que você já sabe como montar uma trilha de aprendizagem, vamos mostrar como é possível colocá-la em prática no ensino presencial e na Educação a Distância (EaD). O ponto básico é utilizar as principais ferramentas disponíveis em cada um dos modelos. Confira!

Presencial

No ensino presencial, é importante que você utilize a infraestrutura da IES para promover práticas, como por exemplos, laboratórios, biblioteca, espaços onde o aluno não tem em casa. Pense em trabalhos em grupos, leituras de livros, criação de projetos, orientação com professores.

Ensino a Distância

Na EaD, o ponto forte são as diversas ferramentas multimídias disponíveis. Por isso, você pode pensar em vídeos, podcasts, ebooks para passar os conteúdos, utilizar plataformas de reunião para promover debates online, fóruns. Além disso, usar a gamificação pode melhorar – e muito! – o engajamento dos alunos.

Como aplicar metodologias ativas na trilha de aprendizagem?

A trilha de aprendizagem é um ótimo caminho para aplicar metodologias ativas no ensino superior. Isso porque as duas contam com o princípio de manter o aluno no centro do processo de ensino-aprendizagem. Algumas metodologias ativas que você pode desenvolver ao longo da trilha de aprendizagem são:

  • Sala de aula invertida: em que o aluno conhece o conteúdo antes de ir para a sala de aula, utilizando o tempo com professores e colegas para tirar dúvidas, discutir e aprimorar os seus conhecimentos.
  • Gamificação: Utilizando elementos e estratégias de jogos, como pontuação, competitividade e lógica, os conteúdos são aprendidos pelos alunos de forma mais dinâmica.
  • Aprendizagem baseada em projetos: usar projetos é uma ótima forma de aplicar conhecimento e fazer com que o estudante se torne protagonista em seu processo de aprendizagem.

Após entender o que é e os benefícios da trilha de aprendizagem, aproveite para se aprofundar nas dicas para desenvolvê-la em sua IES neste artigo!

1 responder
  1. Paulo
    Paulo says:

    As trilhas de aprendizagem são metodologias de aprendizagem, onde o aluno está no centro do seu processo de aprendizagem e o professor é o mediador. Parte do conhecimento prévio do aluno, de acordo com o que já propunha Paulo Freire. Pode ocorrer de forma LINEAR, onde o novo conhecimento está diretamente liagado a um conhecimento prévio ou AGRUPADO, onde os novos conhecimentos vão sendo agrupados entre si, sem, necessariamente, estarem estreitamente relacionados entre si.
    Muitíssimo interessante!!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *