O que é tutor EaD e qual é a sua importância para a IES?

Saiba qual é a função do tutor EaD em uma instituição de educação superior e entenda quais competências são fundamentais para selecionar o profissional ideal para a sua IES!
Tutor EaD: fotografia de uma pessoa assistindo a uma aula online com foco na tela do notebook.

O papel da Educação a Distância (EaD) na oferta de possibilidades de formação a todas as pessoas é inegável. Desde o início de seu funcionamento, a partir do método de correspondência, passou por muitas mudanças, muitas delas motivadas pelas novas tecnologias, que aprimoraram as possibilidades de contato e de uma educação de mão dupla, ainda que a distância

Essas tecnologias digitais de informação e comunicação revolucionaram não apenas os métodos de ensino, mas as opções de cursos e a adesão dos alunos a esse modelo de aprendizado

A educação a distância possibilita que barreiras de acesso, como as financeiras e geográficas, possam ser quebradas. Dessa forma, a educação superior se torna mais abrangente e inclusiva, altamente utilizada para a capacitação contínua dos profissionais. 

As evoluções técnicas auxiliam na aproximação da experiência dos alunos entre as modalidades a distância e presencial. E uma das ferramentas essenciais para que isso ocorra são os processos de tutoria estabelecidos pelas IES, para oferecer suporte aos alunos EaD

Mas, afinal, o tutor EaD é realmente fundamental em uma IES? A resposta para uma instituição que se prepara para o futuro e, consequentemente, para o ensino a distância é: sim! Neste artigo, vamos compreender um pouco mais sobre o processo de tutoria no ensino superior a distância. 

O que é um tutor EaD?

Para iniciarmos, é preciso compreender o que é um tutor EaD. A palavra-chave para definir esse profissional pode ser MEDIAÇÃO. O tutor atua como um mediador no processo de ensino e aprendizagem dos discentes que, apesar de distantes geograficamente, estão compartilhando a mesma formação. 

A Resolução nº 1 do Conselho de Educação Superior, documento do Conselho Nacional de Educação, de 11 de março de 2016, estabelece as diretrizes e normas nacionais para a oferta de programas e cursos de educação superior na modalidade a distância. É nessa norma que se encontra a definição da função de tutor.

Segundo o texto, é considerado tutor de uma instituição de educação superior (IES), na modalidade EaD, todo profissional de nível superior a ela vinculado que atue na área de conhecimento de sua formação como suporte às atividades dos docentes e mediação pedagógica junto aos estudantes.

Ele é uma ponte entre o aluno e seu objetivo, um facilitador que fornece suporte no processo de formação, a pessoa que vêm à mente do estudante quando surge alguma dúvida. Com a proximidade que estabelece em relação aos estudantes, garante a fidelidade do material didático fornecido às necessidades de formação dos discentes.

Essa proximidade é fundamental, já que sua autoridade diante ao processo de ensino não deve ser um fator de afastamento dos alunos. Seu papel está condicionado ao estabelecimento de boas relações com as turmas,  promovendo o engajamento dos estudantes com a meta de conquistar a tão sonhada formação. 

O tutor EaD é um profissional preparado para resolver problemas, que está sempre em busca do melhor para seus alunos tutorados, mesmo que não saiba de pronto a resolução de algum questionamento. Ele orienta os discentes sobre a melhor forma de conseguir as respostas ou busca fontes que possam facilitar esse processo de entendimento.

Pela relação que estabelece com as turmas, torna-se também uma ponte entre os docentes, discentes e coordenação na busca pelo crescimento individual e coletivo dos estudantes que tutora. É capaz de estabelecer vínculos entre esses atores a partir de seu processo de mediação. 

Tutor ou professor?

Uma dúvida que pode restar é: qual é a diferença entre um tutor e um professor? Alguns estudiosos do campo da educação consideram que há aspectos que diferenciam a atuação do tutor e do professor. Podemos elencar três pontos centrais: tempo, risco e oportunidade.

Em relação ao tempo, o tutor não tem uma definição fixa da demanda em relação a cada aluno, isso porque o contato é feito de acordo com a necessidade do estudante. Por isso, é preciso que a conexão entre os dois seja estabelecida, da melhor forma possível, na oportunidade de contato. 

O risco se relaciona à possibilidade de o tutor assumir um local de proximidade que não é benéfico ao aprendizado do estudante, dando auxílio excessivo nas tarefas, impedindo o desenvolvimento do discente. Sua função é de mediação e estímulo, e por isso deve incentivar o crescimento e propor desafios. 

Há ainda o risco de não conseguir fazer uso adequado do tempo, o que pode promover instrução incompleta. Com isso, é possível que o discente saia do processo de tutoria com uma acepção errônea do tema a ser estudado. 

A função do tutor envolve o aproveitamento de oportunidades. A habilidade de gerenciar o tempo é peça chave para que esses profissionais possam estabelecer vínculos, interagir com o aluno, esclarecer dúvidas e propor caminhos para o conhecimento. 

A interação correta entre tutor EaD e alunos promove menor evasão, já que se trata de um ponto de apoio ao discente em suas dificuldades. Se o processo de ensino a distância pode parecer solitário, o tutor trabalha para que a autonomia não seja confundida com abandono do estudante

A presença do tutor promove oportunidades de continuidade no processo de ensino. Sendo assim, seu papel se difere da função de um professor, pois ele não desenvolve material pedagógico, formula o conteúdo do curso ou transmite esses conhecimentos de forma primária aos alunos

Por outro lado, seu papel de apoio aos estudantes os tornam excelentes orientadores, função que também é exercida por professores.

Qual é a importância do tutor EaD no ensino superior? 

Os tutores no ambiente educacional exercem função de garantia e colaboração no aprendizado. A formação superior pode, e deve, ir além do diploma conquistado, é um compromisso com o conhecimento. 

Para colaborar com essa proposta, a presença de tutores nos ambientes educacionais permite que pessoas possam se sentir assessoradas e acolhidas por pessoas. Além do processo de vínculo, já citado anteriormente, essa proximidade é um incentivo à formação de qualidade, pela reafirmação de sua importância. 

A tutoria reforça a descentralização do papel de protagonista do professor, para impulsionar o ambiente de trocas, uma educação que contemple conhecimentos de todos os envolvidos no processo formativo. 

O tutor oferece um novo olhar sobre o conhecimento e o material didático, além de ser uma mão nessa travessia, que é a formação superior. Um tutor EaD nas IES pode transformar o clima e promover maior conexão entre docentes e instituição de ensino. É a junção ideal entre o saber e a sensibilidade, que só as relações interpessoais são capazes de ofertar.

Como um tutor pode auxiliar seus discentes?

Se um dia a educação a distância foi uma atividade solitária, hoje não necessariamente precisa ser dessa forma. A tecnologias permitem maior conectividade nas atividades EaD e há diversas formas de o tutor do ensino a distância otimizar a experiência dos alunos

O trabalho do tutor pode auxiliar, e muito, as IES a conseguirem atingir públicos que necessitam de maior auxílio durante o caminho da sua formação. Afinal, muitas vezes, quando mencionamos o ensino a distância, há uma relação direta à necessidade de desenvolver habilidades de autodisciplina. Isso pode afastar os possíveis alunos que não consideram que essa independência faz parte de seu conjunto de habilidades

Além disso, esse profissional pode utilizar os novos métodos de conexão para promover grupos de estudo e iniciativas de troca entre os alunos que desejam ampliar seu espaço de estudo. A tutoria também pode contemplar horários fixos, em grupo, para retirada de dúvidas sobre o conteúdo de uma disciplina. Isso promove ainda mais esse ambiente de trocas. 

Mas é preciso estar atento a uma questão central na possibilidade de estabelecer uma tutoria em grupo: as necessidades individuais dos alunos. Para isso, é preciso criar grupos que tenham um número ideal de participantes para que ninguém se sinta constrangido.

Se o tutor nota que algum aluno apresenta dificuldade particular em relação ao trabalho em grupo, é preciso intervir para que ele possa ser reinserido nesse contexto quando estiver preparado para o ambiente coletivo. Ninguém deve ficar sem ajuda por não se encaixar em determinada metodologia.

Apesar de o tutor EaD não ser o profissional responsável pela criação do conteúdo do curso, ele pode criar conteúdos extras que para utilização no processo de tutoria. Isso é fundamental para que essa consultoria seja dinâmica e atrativa para os alunos.

Uma forma de incentivar o conhecimento dos estudantes é apresentar metodologias de estudo que funcionem para o conteúdo pretendido. Aprender a estudar é uma tarefa difícil para muitas pessoas, e há diversos métodos que podem ser introduzidos.

Importante citar que, assim como o conteúdo aplicado na sala de aula, a tutoria precisa promover conexão com o contexto dos alunos. O ensino aplicado ao dia a dia é uma forma de se manter estudando, mesmo quando não se está no ambiente escolar. Faça seus alunos enxergarem o conhecimento onde quer que estejam. 

Leia também: Saiba tudo sobre aprendizagem significativa e como aplicar em sua IES!

Quais características buscar em um tutor EaD? 

Pela legislação já sabemos que os tutores EaD são formados em nível superior, na área em que oferecem tutoria. Mas além da formação, há um conjunto de habilidades desejáveis que podem auxiliar no trabalho desenvolvido nas IES.

1. Saber se comunicar

Além de ter bom domínio da língua portuguesa, saber se comunicar vai além. Principalmente quando falamos de relações estabelecidas a distância, é preciso se atentar a vários fatores que podem levar a um entendimento diferente do que você deseja comunicar.

Fique atento ao tom utilizado com os alunos, o que ele comunica? Isso pode levar a uma maior ou menor identificação dos estudantes em relação à atuação do tutor. Além disso, aprenda a ouvir de verdade. A tutoria é uma oportunidade de escutar as demandas dos discentes, para atuar como uma ponte entre eles e outros atores da comunidade acadêmica. 

2. Saber como promover conexão

Olho no olho mesmo em plataformas a distância? Será que isso é possível? Promover conexões a distância pode parecer muito complicado. Apesar de não serem as mesmas relações, é possível estabelecer ligações diferentes das convencionais entre pessoas que se encontram apenas em ambiente virtual.

Se uma pessoa tem muita dificuldade em se conectar através dessas plataformas, o processo de tutoria pode ser ameaçado pela falta de integração entre o tutor e os estudantes.

3. Sensibilidade em relação à diversidade de alunos

Educar nunca é um processo único. Não há receita de bolo quando lidamos com dezenas ou até mesmo centenas de estudantes. O tutor, pela sua relação aproximada com os alunos, pode estar ainda mais atento às características dos estudantes tutorados.

Ele pode oferecer soluções aos alunos, de acordo com suas necessidades. Como todos os profissionais da IES comunicam sobre a instituição, isso demonstra que há interesse em manter boas relações de suporte aos discentes. 

4. Conhecer o assunto que ensina

Pode parecer óbvio, mas é preciso conhecer o assunto que pretende ensinar de forma que consiga orientar os futuros profissionais da área. Muitas pessoas, em processos seletivos, demonstram grande capacidade de comunicação, que não deve ser confundida com conhecimento técnico.

Garanta que o candidato a tutor EaD tenha, efetivamente, conhecimento de causa. Isso pode ser demonstrado a partir de testes, entrevistas em profundidade e uma análise minuciosa de currículo.

5. Conhecer a plataforma em que trabalha

Ninguém nasce sabendo, não é mesmo? Mas há capacidades técnicas mínimas necessárias para atuar em um ambiente de educação a distância. Há pessoas que têm grande conhecimento técnico, mas não necessariamente dominam tecnologias que são utilizadas no dia a dia da profissão. 

6. Ter criatividade nas metodologias de ensino

Se o tutor é visto como mediador, incentivador, é preciso que ele pesquise sobre as melhores metodologias para ensinar o conteúdo. Apesar de ter uma formação técnica em determinada área, o profissional que trabalha como tutor precisa saber aplicar o conhecimento a um ambiente educacional.

Formações na área de educação são um grande ganho no currículo de tutores, que poderão aliar a prática profissional e conhecimento técnico às metodologias ativas e demais perspectivas inovadoras do campo da educação.

Agora você já conhece um pouco mais sobre o trabalho do tutor EaD e a sua importância para as IES. A atuação desses profissionais reforça o compromisso das instituições com os estudantes que optaram pelo ensino a distância como uma maneira de atingir seus objetivos de formação. Aproveite para também conferir o nosso artigo sobre elaboração de conteúdo EaD!

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!

[KIT GRATUITO]

Advogado do futuro: dicas para preparar os estudantes de sua IES

Em comemoração ao Dia do Advogado, criamos um kit de materiais gratuitos com os nossos principais conteúdos para que a sua IES apoie os advogados em formação.