Metodologias de ensino inovadoras: fotografia de estudantes usando o computador em sala de aula.

Conheça 8 metodologias de ensino inovadoras para sua IES

O avanço tecnológico e a transformação da sociedade trouxeram novos rumos para o processo de ensino-aprendizagem. A necessidade de transformação do ambiente acadêmico em um espaço vivo e a importância da retenção dos alunos faz com que metodologias de ensino inovadoras sejam desenvolvidas e aplicadas nas IES. 

As metodologias de ensino inovadoras — das quais muitas são metodologias ativas vêm oferecer a quebra do paradigma da educação unilateral, onde apenas o professor possui um papel ativo. 

A educação centrada no professor com o intuito apenas de formação choca com o cenário atual, onde a internet e o desenvolvimento das tecnologias de comunicação transformaram profundamente a sociedade. 

O princípio básico das metodologias de ensino inovadoras é proporcionar ao aluno uma emancipação no processo de aprendizagem, onde a somatória das ferramentas disponibilizadas e a vontade de adquirir conhecimentos se unem para que o aprendizado ocorra de forma autônoma. O professor nesse sentido passa a ter o papel de orientação, aquele que provoca e fomenta o conhecimento.

Listamos, abaixo, 8 metodologias ativas que contribuem para a formação do conhecimento dos alunos e levam inovação para a sua IES. Confira!

1. Aprendizagem criativa

A proposta da aprendizagem criativa vem com o intuito de promover uma educação com mais significado, permitindo que o estudante aproveite materiais diversos disponíveis para dar forma e significado no aprender. 

A metodologia da aprendizagem criativa é baseada em 4 princípios: 

  • Projeto: a proposta de um desafio;
  • Paixão: a ideia de despertar a paixão pelo que se foi proposto; 
  • Parceria: a ajuda de pessoas de fora para auxiliar na resolução dos desafios;
  • Brincar: a experimentação do que foi executado, o colocar em prática.

2. Aprendizagem baseada em projetos

A metodologia de projetos, também conhecida como aprendizagem baseada em projetos, (do inglês, Problem-Based Learning – PBL) é proposta por meio de um longo trabalho investigativo, a partir de uma pergunta/desafio de alta complexidade. 

Com a pergunta lançada aos alunos, é iniciado o trabalho de pesquisa e de formulação de hipóteses até chegar nas resoluções. A metodologia de projetos complementa as aulas expositivas, podendo ser utilizadas para agregar o que já está sendo trabalhando 

3. Aprendizagem baseada em problemas

A terceira opção entre as metodologias inovadores de ensino que trouxemos para você é a aprendizagem baseada em problemas (ABP), uma metodologia que oferece ao aluno, além da aquisição de conhecimentos, o desenvolvimento de habilidades e competências, uma vez que, para solucionar o problema proposto, ele deve estar em integração. 

As principais vantagens da ABP são: 

  • estimulação da criatividade e do pensamento crítico;
  • promoção de conhecimento e motivação;
  • desenvolvimento de habilidades e competências.

A metodologia baseada em problemas se assemelha em diversos pontos com a metodologia baseada em projetos, pois ambas trabalham de forma colaborativa a fim de solucionar algo, porém, são metodologicamente diferentes. 

A metodologia baseada em projetos prevê a realização de um produto, enquanto a metodologia baseada em problemas promove uma resposta por meio de um trabalho cooperativo de investigação, diálogo e pesquisa.

4. Aprendizagem baseada em equipes

A metodologia baseada em equipes, ou Team-based learning (TBL), tem o objetivo de desenvolver níveis altos de aprendizagem como análise, criatividade e aplicação através da realização de tarefas por pequenos grupos. 

Essa metodologia inovadora de ensino é formada por três etapas:

  • preparação: a preparação é um trabalho realizado individualmente pelo aluno para que esteja preparado para as próximas tarefas. São realizados estudos, leituras prévias, experimentos, etc;
  • garantia do preparo: a garantia o preparo é constituída por algumas pequenas etapas. São realizados questionários, a fim de garantir o preparo individual e, posteriormente, há uma discussão em grupo em que cada membro argumenta a sua escolha;
  • aplicação de conceitos: a aplicação de conceitos é a etapa mais longa da metodologia, em que os alunos realizam exercícios práticos para a consolidação do conhecimento baseado em quatro princípios, conhecidos em inglês como 4s: problema significativo (Significant), mesmo problema (Same), escolha específica (Specific) e relatos simultâneos (Simultaneous report);

5. Metodologia Ágil

Se você conhece um pouco sobre metodologias de ensino inovadoras, provavelmente já ouviu falar sobre metodologias ágeis.

A metodologia ágil foi criada como resposta aos métodos pesados para desenvolvimento de softwares, e é baseada em quatro pilares: 

  • indivíduos e interações mais que processos e ferramentas;
  • softwares em funcionamento mais que documentação abrangente; 
  • colaboração com cliente mais que negociação de contrato; 
  • responder às mudanças mais do que seguir o plano.

A metodologia prevê o aluno como protagonista de seu aprendizado, dispondo de um ensino menos conteudista e mais prático.

6. Ensino Híbrido

O ensino híbrido, ou blended learning utiliza de atividades online e presencial para o aprendizado do aluno, captando o que há de melhor em cada um dos modelos. O aluno se ocupa de atividades e aprendizagens com a liberdade e flexibilidade de ambiente.

Porém, muito se engana quem acredita que o ensino híbrido é apenas a inserção de atividades online nas disciplinas. É necessária uma mudança na organização da sala de aula, do tempo na escola e do plano pedagógico. Alguns dos métodos mais utilizados são: Sala de aula invertida, rotação individual, rotação coletiva e rotação por estações.

7. Educação Maker

A metodologia Maker foi criada a partir da cultura Maker, que acredita que todos podem construir e consertar seus próprios objetos. Essa metodologia foge dos padrões das aulas expositivas. As aulas são focadas em “colocar a mão na massa”, uma vez que os alunos têm a oportunidade e os recursos necessários para desenvolver e testar novas ideias. 

O compartilhamento, experimentação e o desenvolvimento de suas próprias ideias é o que faz os alunos a se tornarem protagonistas do aprendizado utilizando da transdisciplinaridade. 

8. Design thinking

A metodologia design thinking é utilizada para a resolução de problemas, tendo como foco central as necessidades individuais. 

Ela é dividida em cinco etapas: descoberta, interpretação, ideação, experimentação e evolução. 

Nas duas primeiras etapas (descoberta e interpretação), os desafios são construídos, para que na fase de ideação, as ideias surjam e tomem formas na quarta fase (experimentação). A última fase é a evolução, que se trata do desenvolvimento do trabalho.

Gostou de conhecer melhor sobre algumas metodologias de ensino inovadoras? Aproveite para conferir a gravação do nosso webinar sobre educação 4.0 e fique ainda mais por dentro do assunto!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *