Como funciona uma biblioteca digital: fotografia de uma pessoa lendo um livro digital.

Entenda o que é e como funciona uma biblioteca digital

Quando foi a última vez que você foi a uma biblioteca, andou pelos corredores (talvez se perdeu) e procurou um livro? Qual foi a última pesquisa que você fez no Google? Quando? Por que você foi à biblioteca e não buscou somente na internet? Quantos livros de papel você leu no último ano? Quantas páginas digitais você leu no último mês? Afinal, como funciona uma biblioteca digital? 

Respondendo a essas perguntas, podemos notar como os hábitos de leitura se transformaram em uma velocidade impressionante nas últimas décadas. Não é incomum escutarmos frases como “o jovem hoje não lê”, “ninguém mais lê”, mas será que é verdade? As pessoas de fato não leem mais ou o aparato físico de leitura se tornou obsoleto? As pessoas não precisam mais dos livros ou buscam por outras opções mais práticas de leitura dentro da sua rotina? 

Os livros seguem sendo referência fundamental em qualquer processo educacional, do ensino básico à pós graduação. Então, como aceitar tão facilmente essa ideia de que estão esquecidos?  

É verdade que hoje buscas na internet solucionam muito do que antigamente apenas as enciclopédias podiam cumprir. No entantoas buscas online trazem a tiracolo um enorme desafio: a confiabilidade e referência da informação. 

Qualquer metodologia de ensino de qualidade não abre mão de referências bibliográficas conceituadas e que trazem informações e estudos confiáveis e referenciados, sobretudo no Ensino Superior. Cria-se então o impasse entre a pouca acessibilidade das bibliotecas físicas e seus livros de papel e a facilidade e interatividade das buscas sem confiabilidade da internet. 

É nesse universo que as bibliotecas digitais surgem unindo o melhor de cada situação e criando um terceiro cenário em que confiabilidade, praticidade, interatividade, conforto, acessibilidade e democratização ao conhecimento se encontram. 

No caso das IES, a implementação de bibliotecas no formato digital representa não só uma redução de custos como coloca a instituição bastante à frente no processo de modernização da educação e configura forte investimento na atual tendência educacional dos modelos híbridos de ensino: aqueles que unem o melhor do formato presencial com o melhor do EAD. 

Afinal, o que é e como funciona uma biblioteca digital? 

Uma biblioteca não depende de paredes ou forma física dos documentos para existir. Ela éantes de tudo, um conglomerado organizado de obras referenciadas que transmitem conhecimentos, cultura e história. Ou seja, nada impede que uma biblioteca seja estabelecida com igual, ou mais, valia no ambiente digital. 

Apesar de ainda pouco conhecida no Brasil, o formato de bibliotecas digitais tem se popularizado e é louvável que existam cada vez mais. Uma biblioteca digital pode oferecer todo o conteúdo de uma biblioteca física de maneira ainda mais organizada e fácil acesso.  

Por ela alunos conseguem encontrar conteúdos com facilidade e interagir com mobilidade máxima, de qualquer lugar a qualquer hora. Sem contar que em um acervo digital os livros ficam disponíveis por tempo indeterminado e sem fila de espera para cada aluno. 

Uma biblioteca digital vai reunir títulos selecionados com o mesmo critério de bibliotecas físicas, mas disponibilizados por uma plataforma digital que auxilia nas buscas, organização e gestão desse espaço virtual. 

Deu para entender melhor como funciona uma biblioteca digital? Então vamos às suas vantagens! 

Quais as vantagens de uma biblioteca virtual? 

Uma biblioteca digital potencializa a interação dos alunos com um formato que hoje faz muito mais parte de suas rotinas, o digital, e por isso acaba funcionando como uma política de incentivo à leitura, o que, por si só, já é uma enorme vantagem dentro do processo educacional. 

Estimulado, o aluno vai estar mais disposto a buscar por conteúdos complementares e aprofundar seu processo de aprendizado naturalmente. 

No entanto, as vantagens de uma biblioteca digital se estendem para além disso. Abaixo vamos conversar sobre algumas delas. 

Democratização do acesso 

Livros possuem, na maioria das vezes, valores elevados de aquisição. Uma IES com biblioteca digital disponibiliza democraticamente todas as obras a todos os alunos sem que eles tenham limitações de aquisição. 

Acessibilidade 

Uma biblioteca física tem limitações como a quantidade de alunos que pode acessar um material e filas de espera.  

Com a biblioteca digital, esse problema deixa de existir. Cada aluno pode permanecer e consultar simultaneamente a obra desejada pelo tempo que quiser sem ter de esperar a devolução. Além disso, pode ter acesso a diversos livros ao mesmo tempo, de onde quiser e na hora mais adequada à sua rotina. 

Multiplataforma 

As obras podem ser acessadas de diversos dispositivos como celulares, tablets ou computadores da instituição ou pessoais. 

Interatividade e facilidade de buscas 

No formato digital, a biblioteca oferece para o aluno um sistema de buscas mais eficiente e interativo, sobretudo quando se tratam de assuntos ou trechos específicos, promovendo a otimização do tempo de estudo. 

Atualização do acervo sem custos adicionais 

Adotando uma biblioteca digital, a IES estará sempre oferecendo aos seus alunos um acervo em constante atualização sem custos adicionais. 

Facilitação da gestão 

Para a IES essa é outra vantagem prática, a gestão torna-se automatizada, não existem mais multas para gerenciar ou prejuízos com materiais danificados ou perdidos. 

Sem limitações físicas 

É obvio, mas não custa lembrar, que a biblioteca digital permite a reunião de incontáveis títulos sem qualquer limitação de quantidade. 

O que o MEC diz sobre as bibliotecas digitais? 

Ministério da Educação não só recomenda, como posiciona as bibliotecas digitais como altamente desejáveis ou até obrigatórias em alguns casos. 

Atualmente para atender aos parâmetros que estabelecem a regulamentação do EAD as bibliotecas digitais são fundamentais.  

Vale lembrar que, desde 2017, a atualização de diversas normas da Educação Superior passou a exigir o tombamento e informatização do acervo físico.  

A demanda do acervo virtual seria também uma das formas de solucionar a obrigação de um “contrato que garante o acesso ininterrupto pelos usuários”. Por mais que essa não seja uma exigência obrigatória, ela figura entre os quesitos necessários para obter nota 5 nos indicadores de avaliação do Inep sobre instituição. 

Essas demandas fazem parte da pontuação do Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Presencial e a Distância (IACG) que lida com a autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento – nos graus de tecnólogo, de licenciatura e de bacharelado para os cursos de todas as IES. Para conferir a regulação completa basta acessar a aba “Instrumentos” no site do Inep. 

Com este artigo, deu para entender bastante sobre como funciona uma biblioteca digital e a sua importância para a IES, não é mesmo? Aproveite para saber mais sobre a tecnologia no ensino com o nosso artigo sobre esse assunto! 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *