Tudo o que você precisa saber sobre biblioteca digital

Biblioteca digital: fotografia de um estudante estudando lendo por meio de um tablet e estudando.
Afinal, como uma biblioteca digital funciona? Quais são as exigências do MEC para a utilização desse tipo de plataforma em minha IES? Como escolher uma biblioteca digital de qualidade? Tiramos todas as suas dúvidas neste artigo!

Compartilhe este artigo

A biblioteca digital ganhou muito espaço e especial atenção das instituições de educação superior (IES) nos últimos anos.

Com diversos facilitadores, que vão do acesso e disponibilização do material até a gestão e manutenção simplificadas, a biblioteca digital é ainda um atrativo para alunos que buscam um ensino mais integrado à sua rotina e que otimize seu tempo de estudo.

Vale lembrar também que as bibliotecas digitais não são voltadas apenas para os cursos do ensino superior a distância. Saiba que o MEC reconhece esse mecanismo tanto para cursos presenciais como a distância. Sendo assim, você pode optar por utilizar modelos virtuais ou híbridos de biblioteca para a sua instituição.

Desde 2017, vigoram algumas normas para a educação superior que demandam o tombamento e informatização do acervo físico, bem como destacam a necessidade de acervo virtual com possibilidade de acesso ininterrupto pelos usuários. Tudo classificado como critério de pontuação para garantir nota 5 nos indicadores de qualidade do MEC.

Se você ainda tem dúvidas sobre o que é, qual a função ou como escolher uma biblioteca digital para a sua IES, o texto a seguir aponta as vantagens do formato e quais critérios, de legislação a qualidade, são importantes para você se atentar antes de tomar essa decisão.

Índice

O que é uma biblioteca digital?
Como surgiram as bibliotecas digitais?
Qual é a diferença da Biblioteca Digital para a Biblioteca Virtual?
Quais são os objetivos de uma biblioteca digital?
Como funciona uma biblioteca digital?
Como a biblioteca digital se insere no contexto da instituição de educação?
Como a biblioteca digital se insere no contexto da instituição de educação?
Como as bibliotecas digitais ajudam a incentivar a leitura na IES?
Como a biblioteca digital é acessada pelos alunos?
Como gerir uma biblioteca digital?
Quais são as exigências e avaliação do MEC?
Quais são as vantagens de uma biblioteca digital?
Como escolher uma biblioteca digital para a minha IES?
Vale a pena criar uma biblioteca digital?
Como funcionam os livros na biblioteca digital?

O que é uma Biblioteca Digital?

Uma biblioteca digital é um acervo de livros disponibilizados virtualmente aos seus usuários. 

Por apresentar esse formato online, as limitações físicas de uma biblioteca convencional são suprimidas. 

Por exemplo, em sua versão virtual a biblioteca não tem limitação de espaço físico para a ampliação de acervo, permite o acesso simultâneo da mesma obra por diversos usuários e não demanda deslocamentos, podendo ser acessada a qualquer momento ou local (desde que haja internet).

Nessa situação não acontecem intercorrências e prejuízos, como perdas ou furtos de livros ou mesmo filas de espera para acessar determinada obra mais disputada. Dentre as vantagens, também podemos destacar que diversos processos são facilitados tanto para o usuário como para a administração, por exemplo a busca de livros, manutenção e gestão.

Para trabalhar com o formato, é possível desde criar uma versão digital gratuita até contratar serviços que oferecem plataformas completas com a disponibilização das obras desejadas, infra estrutura tecnológica, mecanismos de gestão e manutenção constante, atualização do acervo e atendimento especializado.

Como surgiram as bibliotecas digitais?

O surgimento das bibliotecas digitais está intimamente ligado ao avanço da tecnologia dos computadores e ao uso cada vez maior da rede de internet. No entanto, embora pareça uma ferramenta muitíssimo atual, ela já é utilizada há mais de 50 anos!

A primeira biblioteca digital do mundo tomou forma em 1971, com Michael Hart, que teve a ideia de criar o Projeto Gutemberg, uma espécie de Biblioteca de Alexandria da era digital. O objetivo do projeto é digitalizar, arquivar e distribuir obras cultuais por meio da digitalização. Em 2006, ela contava com mais de 20 mil livros.

No final do século XX, as bibliotecas digitais se popularizaram ainda mais, passando a ser adotadas também por instituições de educação superior, como as universidades de Harvard e Yale. Mas foi no século XXI que elas ganharam uma força ainda maior.

A criação e a popularização dos leitores digitais contribuiu muito para a expansão desse mercado. Uma vez que mais pessoas tinham acesso a ferramentas de leitura que comportavam textos digitais, tornou-se mais fácil disponibilizar esses recursos aos alunos das IES. Assim, elas se tornaram ferramentas cada vez melhores e mais úteis.

A Biblioteca Digital Mundial

A Biblioteca Digital Mundial é uma realização da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos com a UNESCO em parceria com outras 31 instituições do mundo todo.  Ela foi lançada em abril de 2009 com materiais sobre cada estado-membro da UNESCO. Hoje, todo o seu acervo está disponível em inglês, espanhol, francês, chinês, árabe, russo e português. 

Algumas das suas principais características são:

  • Construir o acervo com metadados, ou seja, dados com informações bibliográficas relativas à sua geografia, cronologia e temática
  • Responder à pergunta “o que é este item e por que ele é importante?” de modo a facilitar a pesquisa dos usuários
  • Assegurar um desenvolvimento técnico com catalogação dos metadados, memórias de tradução, design atrativo e melhoramento contínuo do site e suas ferramentas
  • Contar com uma rede de colaboração para o acesso ao conteúdo, transferência de tecnologia e participação de parceiros — vitais para o seu crescimento

Segundo o próprio site da biblioteca, tem sido realizado um trabalho junto a países em desenvolvimento como a Rússia, Egito e o Brasil para melhorar as capacidades tecnológicas e permitir que eles consigam digitalizar as obras com alta qualidade. É justamente nesses centros que boa parte do acervo foi construída. O site brasileiro da Biblioteca Digital Mundial conta com fotografias antigas, mapas e documentos históricos originais. 

Qual é a diferença da biblioteca digital para a biblioteca virtual?

Embora tenham nomes muito parecidos, as bibliotecas digitais não são idênticas às bibliotecas virtuais. Essa é uma confusão comum, mas sua diferença reside em uma característica muito simples: enquanto as bibliotecas digitais existem também fisicamente, as bibliotecas virtuais existem somente em computadores.

Assim, uma Biblioteca Digital é responsável pela digitalização de livros que podem ser acessados também ao vivo, em um espaço real. A biblioteca virtual, por sua vez, pode servir apenas como um espaço online que dá acesso a outras bibliotecas. Essas podem ou não ser digitais, ou seja, podem ou não disponibilizar materiais digitalizados.

Por isso as bibliotecas digitais são tão importantes. Afinal, elas são uma ferramenta facilitadora para os alunos, a instituição e os profissionais que nela atuam.


Quais são os objetivos de uma biblioteca digital?

A opção de ter uma biblioteca digital, em conjunto com a física ou não, pode ocorrer por diversos motivos. Esse empreendimento traz diversas vantagens que serão vistas mais para frente neste texto.

Dependendo da IES, ela terá seus motivos específicos para optar por contar com uma biblioteca digital. Selecionamos agora os 6 principais objetivos de investir em uma biblioteca digital:

1. Facilitar os empréstimos

Com uma biblioteca funcionando pela internet, dentro do computador — ou outro dispositivo — do estudante, os empréstimos se tornam muito mais fáceis. Aqui, o aluno não precisa se dirigir até o endereço da instituição para ter acesso ao seu uso de estudo.

Além disso, uma biblioteca digital não fecha! Os livros podem ser consultados em qualquer hora de qualquer dia, e isso é extremamente valioso no ensino superior.

2. Possibilitar um acesso a todos

Um grande problema nas bibliotecas físicas é a espera por determinado título. Como os livros físicos são limitados, muitas vezes um estudante precisa aguardar em uma fila de espera pela devolução de alguma obra que necessite.

No modelo digital, várias pessoas podem pegar um mesmo livro ao mesmo tempo. Desse jeito, todos os alunos de uma turma podem realmente ter acesso à bibliografia de seu curso, e isso é fundamental, principalmente em épocas de provas e trabalhos.

3. Ter uma biblioteca viável para a EaD

Ao oferecer um curso na modalidade a distância, a IES precisa se adaptar para várias necessidades. É impensável oferecer uma educação virtual e não trazer um material bibliográfico no mesmo formato e apenas o físico.

Para um estudante da EaD, que tem um dia mais cheio e precisa contar com a liberdade e flexibilidade do modelo, ir para o campus apenas para buscar um livro se tornaria extremamente difícil. Além disso, em muitos casos, os estudantes nem mesmo moram na cidade de sua IES, sendo, deste modo, imprescindível ter acesso à uma biblioteca digital.

4. Preservar e armazenar as obras

Um dos grandes problemas dos livros físicos é que eles se desgastam. Seja por efeito do tempo ou por mau uso dos exemplares pelos usuários, as obras começam a se deteriorar e muitas vezes se tornam inutilizáveis.

Um título digital não perderá nunca sua qualidade, se mantendo legível para todos mesmo com o passar do tempo. Além disso, nas bibliotecas físicas, importantes obras podem também ser perdidas.

Assim, contar com uma biblioteca online garante que todo o acervo seja mantido e preservado. 

5. Facilitar as pesquisas dos títulos

O uso da internet tem se tornado cada dia mais fácil e intuitivo. Com a biblioteca digital, os mecanismos de pesquisa tornam essa procura por determinado título em uma atividade de segundos.

Além de não precisar ficar procurando por um livro entre diversos corredores, e com a chance de não encontrá-lo, o estudante poderá ter um acesso mais fácil aos títulos semelhantes.

6. Incentivar a leitura

Esse não é um objetivo apenas da biblioteca digital, mas sim de qualquer modelo. Ter acesso a um acervo completo faz com que o estudante tenha mais interesse pela leitura, sem nenhuma barreira financeira.

Ao ter o acesso aos livros ainda mais fácil, sem precisar gastar tempo com locomoção, e nem ter horário certo para isso, o estudante terá ainda mais motivação para ler. Mais à frente, ainda neste material, apresentaremos dicas para incentivar a leitura!

Como funciona uma biblioteca digital?

A popularização das bibliotecas digitais está chamando atenção em todo o país. Porém, esse formato de acervo ainda não é tão conhecido no Brasil e, por isso, pode gerar dúvidas sobre seu funcionamento. Tanto bibliotecários quanto outros profissionais de IES e até mesmo os alunos podem estar se perguntando: como funcionam as bibliotecas digitais?

Apesar de ser uma dúvida comum, a resposta não é nenhum segredo: uma biblioteca digital reúne títulos selecionados assim como uma biblioteca física. No entanto, ainda assim, existem características específicas e alguém que está pouco habituado com esses espaços pode ficar um pouco confuso. Por isso, vamos explicar melhor como usá-las.

É verdade que, nas bibliotecas digitais, os livros não ficam expostos em uma prateleira, esperando que você passe por eles e decida qual levar para casa. Mas isso não é um problema. Em geral, somos apresentados a uma página inicial que permite todo tipo de busca: por nome de autor, gênero, ISBN, editora, palavra-chave… E, assim, podemos filtrar melhor o que queremos encontrar.

Digamos, por exemplo, que queremos buscar alguns livros sobre educação. Podemos colocar na barra de pesquisa a palavra “educação”, mesmo ela sendo bem ampla, e começar por aí. Dessa maneira, a plataforma nos apresentará todos os materiais indexados com ela e nós poderemos ler títulos e outras informações para decidir qual queremos pegar emprestado.

Em seguida, basta selecionar o livro e “adquiri-lo”. Como se trata de um acervo digital, mais de uma pessoa pode ler o mesmo livro e, ainda realizar anotações na obra. Além disso, são oferecidas funções de organização e gestão desse espaço, o que facilita o trabalho dos bibliotecários.

A leitura é feita em um ambiente próprio e, porque a biblioteca pode ser acessada de qualquer lugar, não está limitada ao computador. Celulares e tablets, mais fáceis de carregar e manusear por aí, também servem como ambientes para leitura.

Biblioteca digital para o curso de Direito

O Direito é um dos únicos cursos da área de humanas e sociais aplicadas que ainda não pode ser oferecido de forma completa na modalidade de Educação a Distância (EaD) no Brasil.

No entanto, isso não quer dizer que uma biblioteca digital não possa ser aproveitada amplamente pelos estudantes de Direito. Afinal, o fácil acesso a obras para consultas e estudos, bem como a comodidade de poder buscá-las sempre que necessário, são vantagens bem vistas por alunos de qualquer área.

Os acervos online de Direito funcionam como a biblioteca digital de qualquer outra área ou IES. Porém, como o curso exige textos sempre atualizados e vasto material especializado para consulta, é necessário que a ferramenta esteja preparada. Por isso, é interessante verificar se a plataforma contratada pela IES possui um acervo de Direito relevante e contemporâneo, além de entender sobre a frequência de atualizações.

 

Como a biblioteca digital se insere no contexto da instituição de educação?

À medida que o tempo tem passado, a internet tem se tornado cada vez mais presente e necessária no nosso cotidiano. No contexto do ensino, sobretudo o superior, é impossível pensar em uma educação que não aproveite dos inúmeros recursos presentes na rede.

O maior exemplo que prova que a internet é fundamental para o ensino é o crescimento da EaD. A modalidade educação a distância já vem crescendo mais do que o presencial, além também do surgimento do ensino híbrido.

Quando optamos por manter uma biblioteca digital, essa se soma à física, trazendo maiores possibilidades para seu corpo discente. Com essa união, o acesso aos materiais, a leitura e o próprio acervo se tornam maximizados.

Uma IES que pretende se manter moderna e com qualidade precisa acompanhar as tendências para a educação. Trabalhando com uma biblioteca digital em conjunto com a física, a IES garante a opção entre livro digital ou físico.

É importante, ao decidir pela biblioteca digital, observar as determinações do Ministério da Educação (MEC). Também falaremos, ainda neste artigo, mais sobre as exigências quanto aos títulos necessários.

Como as bibliotecas digitais ajudam a incentivar a leitura na IES?

O hábito de leitura na universidade é muito importante para todos os alunos, afinal, ele apresenta diversas vantagens para os estudantes. 

São exemplos desses benefícios o exercício da memória, a melhora na capacidade de raciocínio, a ampliação de vocabulário, a melhora na escrita e na argumentação.

As IES  são capazes de assumir um papel essencial no incentivo à leitura. Confira a seguir algumas dicas que vão te ajudar nesse processo:

  1. Disponibilidade de um acervo rico e diverso
  2. Processo de empréstimo de obras facilitado
  3. Presença de um acervo digital
  4. Desenvolvimento de atividades online interativas
  5. Utilização de questões abertas nas avaliações
  6. Incentivo à leitura nas redes sociais
  7. Indicações de obras para diferentes perfis de leitores


Como vimos, a disponibilidade de um bom acervo, empréstimo facilitado e livros digitais são formas de incentivar a leitura entre os alunos da sua IES. 

E as bibliotecas digitais aparecem, então, como grandes aliadas nessa missão, deixando as obras ainda mais próximas dos estudantes.

Leia também: 10 livros sobre educação voltados ao ensino superior

Como incentivar os alunos a lerem livros digitais?

Despertar ou nutrir o interesse dos alunos pela leitura é uma prática muito importante para auxiliá-los a manter um bom desempenho acadêmico. Conhecer os alunos, entretanto, é a primeira etapa para propor ações que façam sentido para eles e, assim, alcançar uma maior adesão aos livros digitais.

Veja, a seguir, algumas dicas que preparamos para a sua IES: 

1. Promover atividades em grupo para que eles saibam como usar a biblioteca digital

Imagine que o ano letivo acabou de começar: os alunos estão animados para tudo o que vem pela frente e querem aproveitar ao máximo o que a IES tem para oferecer. 

Pensando em não deixar ninguém para trás e também em proporcionar um entrosamento maior na turma, especialmente se as aulas forem a distância, promover atividades para conhecer a biblioteca pode ser uma ótima ação para o começo do ano letivo. 

Dessa forma, é possível fazer um evento que pode ser descontraído e, ao mesmo tempo, um passo apasso de como usar uma biblioteca digital. Pode se passar desde a locação de livros até uma visita pelas obras mais importantes do acervo e outros detalhes técnicos. 

2. Incentivar projetos de leitura e grupos de estudos

Uma opção tamém interessante pode ser incentivar grupos de estudos entre os alunos. Grupos de estudos e de pesquisa são extremamente importantes durante a graduação para que os alunos possam se aprofundar em áreas mais específicas e começar a construir uma carreira. 

Além disso, incentivar projetos de leitura entre os alunos com temas que não precisam estar necessariamente conectados com o material do curso também pode ser uma ótima opção para aqueles que ainda não tem tanta afeição pelo hábito da leitura digital.

Clubes de leitura com foco em algo que seja de interesse dos alunos — como estilo musical, gênero literário, movimento cultural, entre outros — pode ser uma ótima estratégia. 

3. Empodere os alunos

O empoderamento é um conceito especialmente importante para os jovens que estão entrando nas universidades. Empoderar-se é construir uma autoestima saudável, relacionar-se com os outros a partir de bases psicológicas bem estruturadas e exercitando o amor-próprio cotidianamente. 

Com aulas que promovam debates entre os alunos e incentivem a troca de ideias, eles se sentem valorizados, vistos, ouvidos. Essa sensação de pertencimento faz com que eles se engajem ativamente nas aulas e na busca pelo conhecimento. 

Isso pode ser feito, por exemplo, deixando que eles comentem o tópico que será trabalhado nas aulas antes do professor para que o conhecimento não seja fundamentado numa prática vertical, mas na troca, e motive a participação de todos, algo que ajuda na fixação do aprendizado e desperta o interesse deles no processo de ensino, que envolve também a leitura.

Como a biblioteca digital é acessada pelos alunos? 

Com o aumento do nosso uso da internet, uma das maiores dificuldades é manter todos os logins e senhas que temos para acessar os mais diversos serviços. Ao apostar em uma biblioteca digital, a IES pode contar com seu acesso sem que o aluno precise criar um novo perfil para utilizar o serviço.

Com a inserção de um simples botão na plataforma de aprendizagem da IES, o estudante irá direto para o espaço da biblioteca, sem precisar realizar mais um login. Se a IES não contar com esta plataforma, esse serviço poderia também ser inserido no portal do aluno de seu site educacional, por exemplo.

Independente de estar linkado nos endereços online da IES ou não, esse acesso deve ser facilitado. A plataforma que hospeda a biblioteca deve ter um visual interativo, que seja atrativo e de uso intuitivo.

É também importante aprimorar o uso da biblioteca com diversas ferramentas disponíveis. Hoje em dia, há recursos que:

  • Facilitam as pesquisas, seja por nome do autor, da obra, da disciplina, etc;
  • Permitem a marcação de trechos e adição de comentários sobre o conteúdo;
  • Simplificam a realização de referências bibliográficas e
  • Apresentam sumário interativo com linkagem para capítulos específicos.

Leia também: Quais são as principais vantagens da utilização da plataforma como ambiente de aprendizagem?

 

Como gerir uma biblioteca digital?

Uma boa gestão de bibliotecas digitais engloba diferentes processos, como o controle de inventário, aquisição de novas obras e assinatura de periódicos. É essa gerência que determina a manutenção de um acervo de qualidade e atualizado.

Abaixo você encontra alguns passos que vão te ajudar na organização da biblioteca digital da sua IES:

    1. Identificar obras: Localizar as fontes, autorias e os temas das obras é fundamental para que o bibliotecário possa garantir a confiabilidade do acervo.
    2. Organizar obras: os filtros para subdividir as obras catalogadas devem considerar os autores, temas e identificações ideológicas.
    3. Pesquisar e adquirir novas obras: o bibliotecário é responsável pela atualização do acervo digital. Isso pode ser feito pela própria plataforma.
    4. Atender aos alunos: mesmo se tratando de uma plataforma online, o atendimento aos alunos é uma etapa essencial para o bom funcionamento da biblioteca. A presença de um espaço de perguntas frequentes e a disponibilidade de atendimento por chat, e-mail ou até telefone são recomendadas.
    5. Gerar relatórios: os relatórios são essenciais para uma boa avaliação da sua biblioteca e também para atender os requisitos do MEC.

 

Quais são as exigências e avaliação do MEC?

Ao escolher a formatação de uma biblioteca digital, a IES deve se atentar às exigências relacionadas à avaliação do MEC. No Decreto Nº 9.235, de 2017, são instituídas as normas para regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior, e as bibliotecas são um dos elementos de relevância na análise da qualidade. 

Já demos algumas dicas para quem está preparando a sua biblioteca, mas vale lembrar que a qualidade desses locais (e a existência ou não de uma biblioteca digital) é um fator determinante para uma boa avaliação.

No entanto, além do tombamento e da informatização do acervo físico e do acervo virtual disponível com acesso ininterrupto aos usuários, destacamos também os tópicos referentes à bibliografia.

1. Bibliografia básica

É obrigatório que a bibliografia básica presente no plano de ensino de todos os cursos esteja disponível aos estudantes. Vale observar que esses planos são atualizados constantemente e a biblioteca deve acompanhar essas atualizações.

Leia também: saiba quais são os critérios analisados na avaliação de bibliotecas pelo MEC

2. Bibliografia complementar

Apesar de receber a terminologia de “complementar”, essa bibliografia é de extrema importância. É nela que os alunos encontram fontes de consulta indispensáveis a uma formação de excelência e constantemente atualizada.

Vale destacar ainda que a bibliografia complementar é um dos critérios avaliados pelo MEC. Instituições que buscam melhores notas devem manter seus olhares atentos para esse item, disponibilizando ao menos cinco títulos por unidade curricular.

Banner de divulgação do ebook gratuito "Avaliação de gestão de acervo: como funciona, órgãos responsáveis e como alcançar uma boa nota". Link para download: https://materiais.saraivaeducacao.com.br/lp-ebook-tofu-avaliacao-gestao-acervo?utm_source=blog-saraiva-educacao&utm_medium=banner-artigo&utm_campaign=material-rico

Quais são as vantagens de uma biblioteca digital?

Já vimos que as bibliotecas online podem ser de grande ajuda no incentivo à leitura. No entanto, essa não é a única vantagem desse tipo de plataforma.

As bibliotecas virtuais trazem vantagens tanto para os estudantes, quanto para a Instituição de Ensino Superior. Confira alguns:

1. Melhor avaliação do MEC

Para obter nota 5 no MEC, as IES devem seguir algumas normas obrigatórias estabelecidas pelo Inep. E entre elas está o tombamento e informatização do acervo físico bibliográfico da Instituição de Educação Superior. Com a biblioteca digital isso é possível!

Leia também: 8 dicas para quem está preparando sua biblioteca para avaliação do MEC

2. Acesso remoto e simultâneo

As bibliotecas digitais oferecem maior praticidade aos alunos. Com elas, os estudantes podem acessar as obras do acervo de qualquer lugar e sempre que necessário. Basta apenas estar conectado à internet.

Além disso, mais de um estudante pode acessar a mesma obra ao mesmo tempo, o que faz com que não seja necessário esperar para consultar um material importante.

3. Redução de custos

Mais uma vantagem para IES diz respeito aos custos administrativos. Com a biblioteca virtual, a IES economiza nas reparações e nas manutenções de obras, além de não se preocupar com desvio ou danos a livros e periódicos.

As demandas de aquisição e atualização também ficam otimizadas, visto que a gerência da biblioteca virtual ocorre principalmente na plataforma contratada e é ela que atualiza o acervo.

Leia também: veja como a UNIFAMMA reduziu custos da biblioteca com a parceria com a Saraiva Educação

4. Gestão otimizada

Etapas de organização, identificação, reparação das obras e atendimento aos alunos são facilitadas nas bibliotecas digitais se comparadas às físicas. Até mesmo a geração de relatórios e análise de dados são mais otimizados na versão online das bibliotecas.

E os estudantes também se beneficiam dessa vantagem. Afinal, a indicação de obras e a identificação de seu perfil de leitura também são facilitadas e automatizadas.

Como escolher uma biblioteca digital para a minha IES?

Você já conhece as vantagens das bibliotecas digitais e sabe até como gerenciá-las em sua IES. E agora está na hora de descobrir como escolher a plataforma ideal para criar o acervo online da sua instituição!

A gestão de uma biblioteca digital pode ser mais descomplicada e facilitar a sua manutenção, mas isso não quer dizer que ela não demande preocupações e cuidados. É preciso que ela seja constantemente atualizada e que forneça estrutura tecnológica para a gestão administrativa e atendimento dos alunos.

Os pontos a serem observados vão desde acervos disponibilizados à assistência técnica e, claro, à responsividade do software.

Separamos alguns pontos que você precisa estar atento na hora de escolher uma plataforma de biblioteca online para a sua IES:

1. Acervo

Observe a frequência com que os acervos são atualizados e quais títulos a biblioteca digital já dispõe. 

Além da bibliografia obrigatória para cada curso, é importante que a biblioteca digital traga também obras complementares e reconhecidas por sua excelência.

2. Navegação responsiva

Observe e teste a plataforma escolhida para avaliar se ela fornece acesso fácil e intuitivo aos alunos. Faça e refaça os percursos que eles farão para procurar ou acessar as obras.

3. Gestão facilitada

Observe e teste também os recursos de gestão que a plataforma oferece, desde catalogação até a busca e o cadastro de usuários e de obras. Dessa maneira, você garante que a sua equipe de bibliotecários terá tudo o que precisa e que não haverá problemas com a organização e a manutenção da biblioteca pela IES.

4. Assistência técnica

Toda plataforma pode apresentar problemas ou gerar dúvidas. Nesse sentido, é essencial que você saiba quais ferramentas são oferecidas pela biblioteca digital que está usando. Por isso, procure saber qual assistência técnica a plataforma oferece para lidar com os usuários diante de dúvidas de funcionamento ou problemas técnicos e erros. 

Você quer facilitação e não uma tarefa a mais, não é mesmo?

Leia também: conheça a Saraiva Educação digital e saiba como melhorar os resultados de sua IES!

5. Suporte especializado

Para além de uma assistência técnica, um suporte especializado para implementação ou transição pode facilitar, e muito, a sua gestão. Além disso, ele agrega qualidade e a garantia de um melhor resultado.

6. Recursos extras de navegação

Observe as especificações de cada plataforma, é possível que elas ofereçam funções como incluir anotações ou notas durante a leitura de uma obra, por exemplo.

Vale a pena criar uma biblioteca digital?

Se você chegou até aqui, já não é uma novidade a importância da biblioteca digital para a sua IES. Essa ferramenta é fundamental para facilitar os estudos e melhorar o acesso à informação por parte do aluno, além de reduzir custos e proporcionar uma série de outros benefícios para a sua IES. 

Então, você pode estar na dúvida sobre como criar uma biblioteca digital para a sua instituição de ensino ou até mesmo se vale a pena desenvolvê-la ou adquirir a plataforma pronta de uma empresa parceira. E nós estamos aqui para te ajudar a responder essa dúvida!

A princípio, é importante ter em mente que a construção, a manutenção e a atualização de uma biblioteca digital não é um processo simples. São diversos custos envolvidos, não apenas no desenvolvimento da plataforma, mas ao longo de sua existência, levando em consideração também pontos como: a solução de problemas técnicos, direitos autorais das obras, etc.

Além disso, para fazer a digitalização das obras, uma fase principal da criação de uma biblioteca digital, é preciso ter um bom equipamento, saber operá-lo corretamente e respeitar as normas e leis vigentes.

A boa notícia é que já existem disponíveis plataformas completas para a sua IES, que cuidam desde o acesso dos alunos ao acervo até a atualização constante das obras. O suporte técnico, desenvolvimento de novas funcionalidades, dentre outras tarefas importantes ficam por conta da empresa parceira. Assim, a gestão da biblioteca digital é otimizada e a sua IES sai ganhando!

Quanto custa uma biblioteca digital?

O preço dos livros físicos não é baixo, muito menos o valor gasto para manter toda uma infraestrutura física que acomode todas as obras. Esses gastos tornam uma biblioteca digital bem interessante em relação à tradicional.

O preço para manter uma biblioteca virtual é bem difícil de se mensurar. Afinal, existem gastos obrigatórios para ter o serviço, além de variáveis relacionadas a como será esse acervo. Quanto a estes custos necessários, temos:

1. Pessoal

Para preparar o material físico para o digital, é necessário colocar alguns funcionários disponíveis apenas para essa tarefa. Digitalizar os arquivos é uma tarefa longa e que precisa ser feita com cuidado e com pessoal treinado para isso.

2. Equipamentos

A digitalização dos livros não pode ser feita de qualquer forma. É necessário que a IES conte com bons equipamentos para isso, tanto para garantir a qualidade do material gerado nessa atividade quanto para fazer o serviço de forma mais otimizada possível.

3. Plataforma

Apesar de não precisar de um lugar físico para apresentar seu acervo, a IES necessita de uma plataforma online para manter uma biblioteca digital. A escolha deve ser bem pensada de acordo com o que se espera da biblioteca para não ter problemas no futuro.

Leia também: Como funciona e como escolher uma plataforma de biblioteca digital?

4. Segurança

Além de uma plataforma que de fato consiga comportar todos os dados hospedados no domínio da biblioteca, é preciso investir também em segurança. 

A proteção de dados dos estudantes, da IES e também do conteúdo do acervo é fundamental. Por isso, é imprescindível prestar atenção ao funcionamento da LGPD na prática (Lei Geral de Proteção de Dados).

Além disso, devemos lembrar que a pirataria é uma prática que continua crescendo e é importante manter os livros seguros neste contexto.

5. Licença de uso dos livros

É importante também investir em bons livros e de forma legal. Ao invés de obter a posse do livro físico, na biblioteca digital será adquirido o Direito de possuir o exemplar digital e compartilhá-lo aos alunos.

A biblioteca digital irá, portanto, disponibilizar um mesmo livro para diversos estudantes, a partir de uma assinatura que poderá ser por tempo determinado ou indeterminado. É importante se atentar aos direitos autorais para manter uma biblioteca de qualidade e de forma correta.

Além destes custos, o tamanho da biblioteca e outras características também influenciarão no valor para manter a biblioteca. Dentre eles podemos destacar:

  • Quais cursos a IES possui;
  • A bibliografia básica e complementar dos cursos;
  • Quantidade de usuários que acessarão a biblioteca;
  • Tamanho total do acesso;
  • Recursos presentes no serviço;
  • Disponibilidade para os mais diversos dispositivos, etc.

Como criar uma biblioteca digital? 

O trabalho de construir sua própria biblioteca é um tanto quanto custoso, seja na questão financeira ou no pessoal e tempo despendido com isso. Entretanto, é um processo perfeitamente possível.

Como se trata de uma tarefa longa, fazer uma biblioteca possui várias etapas fundamentais. Apresentamos agora um passo a passo para que você possa preparar a sua:

1. Escolher a plataforma correta

O primeiro passo é escolher o “local” onde sua biblioteca ficará. É necessário optar por uma plataforma que atenda às necessidades da IES, que seja organizada, atrativa, intuitiva e com as melhores ferramentas para permitir um uso de excelência.

É fundamental que a plataforma seja compreensível para os alunos e professores. Também é imprescindível que ela seja compatível com os mais diversos navegadores de internet possíveis.

2. Incluir a bibliografia básica

A bibliografia básica é aquela que traz os principais livros que serão utilizados durante o semestre pelos estudantes. Essa lista com as obras centrais que serão a base do ensino deve, de forma obrigatória, estar presente no plano de ensino do curso.

A inclusão da bibliografia básica é também uma determinação do MEC. No caso das bibliotecas digitais, isso é ainda mais proveitoso, uma vez que todos os estudantes podem ter acesso a esses livros ao mesmo tempo, sem interferência de quantidade de exemplares. 

3. Adicionar a bibliografia complementar

E se o estudante tiver dificuldade de aprender com o livro principal, o que ele deve fazer? Pensando nessa possibilidade, as IES precisam manter também uma bibliografia complementar do curso.

Com mais opções de livros, além de atender os alunos com mais dificuldades, a IES estará ajudando também aqueles que querem aprofundar no assunto. A bibliografia complementar também pode ser consultada no plano de ensino do curso.

4. Catalogação dos títulos

Nesta etapa, devemos idealizar e catalogar quais são os títulos que farão parte da sua biblioteca digital. É necessário criar um acervo bem completo e que seja de interesse dos usuários.

Mesmo que seja em formato digital, é importante ter organização e controle sobre o acervo da IES. Essa catalogação servirá também para prestar informações bem detalhadas sobre os livros presentes.

5. Escolher o layout

Apesar de parecer mais simples, essa é uma tarefa de extrema importância! A escolha do layout é um dos primeiros passos para que o estudante perceba a qualidade da biblioteca.

É importante pensar em um design que aproveite o layout com as características da plataforma, de forma conjunta. Já que a biblioteca é personalizada, faz total sentido em utilizar as cores e logos da IES.

Além da parte relativa à identidade visual, devemos pensar também em toda a experiência do usuário ao navegar pela plataforma.

6. Definir e possibilitar as ferramentas que ajudam no acesso

Não basta ter um catálogo de livros completo, a biblioteca precisa ter funcionalidades que realmente otimizem o estudo dos alunos. Neste sentido, é importante contar com:

  • Serviço de pesquisa completo e responsivo;
  • Linkagem nos índices que levam para capítulos e títulos específicos;
  • Capacidade de fazer marcações e anotações no texto e
  • Ferramenta para referenciar os livros.

7. Inserir mecanismos de inclusão

Mesmo estando em ambiente virtual, é fundamental pensar na inclusão de estudantes com deficiência no ensino superior. Neste sentido, é possível incluir mecanismos como:

  • Leitura em voz alta;
  • Variados modos de leitura;
  • Possibilidade de aumentar a fonte do texto, etc.

8. Preparar suportes técnicos e para o usuário

É necessário se organizar também para a realização de suportes na plataforma. Problemas são comuns e, para minimizá-los, é interessante preparar manuais de uso para facilitar a vida do aluno.

Também é necessário se preparar para futuros bugs no sistema. Contar com bons profissionais na área de TI é excepcional.

Como funcionam os livros na biblioteca digital?

Os livros digitais funcionam por meio de uma plataforma digital responsiva com um leitor de e-pub, ou seja, um formato que permite aos usuários acessarem todo o acervo e interagirem com as funcionalidades que melhoram o estudo e a leitura.

Leia também: 8 dicas para fazer uma boa catalogação de livros

Uma vez adquirida uma plataforma de biblioteca digital, alunos e professores da IES podem navegar e interagir por todo acervo da biblioteca digital disponível.

A leitura das obras é feita de modo online, em um ambiente próprio, e todas as personalizações individuais são salvas, possibilitando sua continuação em um novo acesso.

Além disso, os livros contidos em uma plataforma de biblioteca digital podem ser acessados de qualquer aparelho digital, como computador, celular e tablet. Inclusive isso pode ser feito em mais de um dispositivo ao mesmo tempo, desde que haja acesso à internet.

Agora que você já sabe o que é a biblioteca digital, como ela funciona e os benefícios para a sua IES, aproveite para conferir o nosso artigo sobre os selos da Saraiva Educação e saiba como podemos ajudar a sua IES a melhorar a qualidade do ensino, além de atender às exigências do MEC!

Artigos Relacionados