Como trabalhar o podcast como ferramenta educacional? Confira nossas dicas!

Você sabe quais são as aplicações do podcast no ensino? Descubra como utilizar este recurso em suas aulas!
Podcast como ferramenta educacional: homem anda com fone de ouvido

O podcast como ferramenta educacional é uma tendência que tem apresentado crescimento intenso e acelerado. Conteúdos em áudio ocupam cada vez mais espaços: entretenimento, jornalismo e também o universo do ensino.

Por isso, as instituições de educação superior (IES) agora investem nessa ferramenta como forma de estudo, avaliação e comunicação entre os atores educacionais. O podcast pode ser utilizado tanto no ensino superior a distância quanto no ensino presencial ou híbrido.

Se você ainda não faz uso do podcast como ferramenta educacional, não se preocupe! Preparamos o presente texto para te ajudar. Vamos falar desde sua definição, passando por formas de trabalhá-lo em sala e seus benefícios, até 11 sugestões de podcasts para incluir desde já em suas estratégias.

Tenha uma boa leitura!

O que são os podcasts?

Os podcasts são mídias em áudio, lançadas digitalmente em feeds de conteúdo. Os programas existem em vários formatos, de entrevistas a histórias narradas, sendo divididos em episódios. Como os programas de rádio, eles podem ser consumidos onde a audiência estiver.

Ficam disponíveis em plataformas de streaming e agregadores de conteúdo. O usuário pode assinar os feeds de seus podcasts favoritos e receber notificações a cada episódio. 

Como são programas versáteis, têm se tornado cada vez mais populares. No ensino, tem crescido muito o uso do podcast como ferramenta educacional.

Como anda o crescimento dos podcasts no Brasil?

O crescimento dos podcasts entre o público brasileiro vem se tornando cada vez mais impactante nos últimos anos. 

A pesquisa Podcast realizada pelo Ibope (em parceria com a Globo), apontou que em 2020, com o isolamento social, a audiência cresceu significativamente: 57% dos ouvintes declararam ter começado durante a pandemia. No ano passado, mais de 7 milhões de brasileiros passaram a consumir essa forma de mídia.

Essas mudanças estão atreladas ao crescimento tecnológico: com a disseminação dos smartphones e a alta qualidade de conteúdos produzidos, fica fácil notar o quanto um podcast pode engajar sua audiência — mesmo que ela esteja escutando enquanto faz outra atividade.

Outro ponto importante é que cada vez mais brasileiros produzem podcasts. Por ser uma transmissão de baixo custo e que não exige tantos equipamentos, o produtor de conteúdo opta por este formato na hora de transmitir suas informações. 

Nesse sentido, os podcasts auxiliam na democratização de informações: veículos de mídia, produtores independentes e especialistas fazem parte de uma ampla gama de produtores de conteúdo informativo e de entretenimento multiplataformas.

A pesquisa do Ibope também apontou uma facilidade para encontrar conteúdo de interesse: 41% dos novos ouvintes descobriram o formato porque estavam em busca de informação extra sobre seus hobbies, profissões e até formas de lazer.

Outro ponto importante é que o podcast pode ser consumido diretamente no smartphone, em uma plataforma de conteúdo como Spotify e Deezer ou até mesmo em agregadores de feed nativos do iOS e Android. 44% dos entrevistados afirmaram escutar podcasts enquanto fazem tarefas domésticas, o que é mais um exemplo da facilidade de inserção dessa mídia no dia a dia.

Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre a aprendizagem conectada

Quais são as principais temáticas procuradas em podcasts?

Os conteúdos dos podcasts também fazem toda a diferença na hora de conquistar a audiência:

  • 51% dos jovens até 24 anos escutam para aprender mais sobre os assuntos
  • 38%  escutam para se manter informados e
  • 26% para auxiliar nos estudos.

Na faixa etária dos 25 aos 34 anos:

  • 56% dos ouvintes querem aprender
  • 44% buscam informações relevantes
  • 30% usam a mídia para entrar em contato com análises de especialistas

Mas em todas as faixas etárias, os podcasts são fontes de informação, discussão e entretenimento, em um formato acessível e prático.

Quais são os principais formatos de um conteúdo em podcast?

Não existe apenas um estilo de podcast. Assim como em programas de rádio, TV e vídeo sob demanda, há um grande leque de possibilidades que os criadores de conteúdos digitais podem explorar.

1. Entrevista

O mais popular entre os brasileiros é o formato de entrevista. Essa é uma oportunidade para que os programas tenham pessoas convidadas em seus episódios, dando espaço a histórias interessantes ou dialogando com pessoas célebres sob nova ótica. Um dos mais populares atualmente é o podcast “Mano a Mano”, em que o rapper Mano Brown entrevista personalidades conhecidas.

2. Narração

Os fãs de podcast também apreciam conteúdos mais narrativos, principalmente de histórias reais. “Praia dos Ossos”, produzido pela Rádio Novelo, é um dos mais escutados de true crime no Brasil, e reconta a trajetória de um crime que ficou famoso.

3. Mesa redonda

Outro destaque fica para a mesa-redonda. Formato já tradicional na TV, ele envolve várias pessoas conversando e é popular entre os ouvintes pela proximidade com os locutores. 

Há mesas redondas sobre esportes, política, música, cultura e qualquer outro tema que o ouvinte gostar. Um dos mais populares é o “Café da Manhã”, mesa-redonda com jornalistas da Folha de São Paulo sobre as notícias mais importantes do dia.

Leia também: Veja 14 opções de podcasts sobre educação para o seu dia a dia

Como trabalhar o podcast como ferramenta educacional?

Pensando nesse próspero cenário de crescimento, muitos educadores buscam utilizar o podcast como ferramenta educacional. Há vários benefícios que podem ser encontrados nessa prática. 

Em primeiro lugar, o podcast é uma mídia muito mais próxima da audiência média dos alunos do ensino superior. Isso porque os jovens, de forma geral, já escutam podcasts do seu próprio interesse há muitos anos. 

Além disso, com o leque de possibilidades que os podcasts oferecem, há uma oportunidade para explorar os temas vistos em aula em diferentes formas, óticas e perspectivas. Isso, por si só, já é uma forma de engajar melhor o aluno, mas também traz como proposta a diversidade de estratégias de consumir o conteúdo. 

Como cada pessoa tem suas facilidades ao aprender, a multiplicidade de abordagens faz com que mais alunos fiquem confortáveis ao aprender sobre o tema.

Uso do podcast para promover engajamento

Promover engajamento e motivação para alunos é um dos grandes desafios dentro da sala de aula. Seja no ensino presencial, remoto ou híbrido, é importante que o docente tenha a capacidade de manter os alunos interessados nos diferentes temas durante uma disciplina.

No ensino superior, com a interdisciplinaridade das aulas, é cada vez mais importante que o aluno tenha uma informação diversa e ampla. Isso, por sua vez, exige que o curso tenha uma matriz curricular diferenciada. É o que atrai novos alunos e mantém a atenção de quem já está na IES.

Sendo assim, considerando o seu interesse nas áreas de estudo, é importante que o diálogo entre alunos e docentes priorize o engajamento. Uma das estratégias para que isso aconteça é inserir, nas aulas, formatos e metodologias que estejam mais alinhadas à realidade dos alunos. 

Isso, por exemplo, pode ser feito via podcasts: uma mídia difundida e utilizada como entretenimento e fonte de informação de jovens, que são a maioria no ensino superior.

Inclusão do podcast na bibliografia do curso

Como complemento parte das ferramentas assíncronas, o professor também pode deixar bibliografias em formatos digitais. 

Os podcasts podem entrar, portanto, como parte da bibliografia. Ou seja, a ideia é pedir para que os alunos consumam de maneira regular esse conteúdo, que deve ser relacionado ao tema das aulas e possuir embasamento de especialistas. Isso ajuda a trazer os debates sociais para dentro da sala de aula. 

Por exemplo: se os alunos estão acompanhando temáticas de Ciências Sociais e Direitos Humanos, recorrer a podcasts relacionados pode ajudar e muito na abordagem pedagógica.

Por exemplo, após uma aula sobre um conceito econômico, o docente indica que os alunos escutem o podcast sobre economia brasileira. Assim, eles podem contextualizar aquilo que aprenderam e, em seu próprio tempo, otimizar o aprendizado e revisar os conteúdos de uma forma muito mais leve.

Outro ponto importante é que os alunos já consomem podcasts. Isso faz toda a diferença na hora de inserir esse tipo de conteúdo na bibliografia, tornando mais fácil de trazer novas ideias do que outros formatos. É claro que os formatos multimídia devem ser somados e não excluir uns aos outros, mas mesmo assim, podem fazer parte de uma biblioteca de conteúdo cada vez mais diversa.

Produção de podcast como atividade avaliativa

Se o objetivo objetivo é tornar o podcast uma estratégia de aprendizado faça-você-mesmo, por que não propor a criação de um conteúdo nesse formato? Em outras palavras, este recurso pode ser aproveitado como uma forma de avaliação online.

A ideia de criar um roteiro e montar uma produção em áudio pode ser um desafio para os alunos do ensino superior, mas, por outro lado, também é uma forma de engajá-los para tornar a comunicação científica mais acessível para comunidade acadêmica e externa.

Também é válido como estratégia de interdisciplinaridade da comunidade escolar. Se em cada curso em cada disciplina os alunos estão em contato constante com diferentes conteúdos, por que não aproveitá-los para estreitar os laços entre cada área de conhecimento? 

Proponha aos alunos, por exemplo, a criação de podcasts que serão divulgados dentro do ambiente da instituição de ensino, tornando assim a difusão de conhecimento mais prática e acessível.

Podcast como forma de aproximação entre professor e alunos

Como os podcasts têm uma barreira de entrada menor, os ouvintes se relacionam com os locutores, que fazem um papel de um leigo querendo aprender mais sobre assunto – ou até mesmo uma roda de conversa entre amigos.

Essa aproximação torna a digestão de conteúdo denso ainda mais fácil. Ali, o aluno escuta especialistas, trazendo novos conhecimentos de uma forma prática e que seja melhor explicada. 

Essa é uma ótima estratégia para tornar o assunto mais leve: se o aluno entra em contato por meio de podcast em sua residência, quando chega a sala de aula já está mais preparado para entrar em debates mais profundos e entrar em contato com explicações mais densas.

É o caso, por exemplo, dos podcasts de ciência. Muitos conceitos científicos podem parecer pouco alcançáveis para os alunos, principalmente os alunos de graduação. Mas se eles escutam profissionais da área falando sobre suas pesquisas em um podcast, conseguem abstrair as ideias de uma forma muito mais produtiva

A partir daí, as conversas em salas de aulas são mais embasadas, o que, por sua vez, torna o aprendizado muito mais produtivo. Isso faz com que o podcast seja uma ótima estratégia para aplicação da sala de aula invertida.

Também é uma ótima aliada das turmas de ensino superior a distância. Mesmo com o crescimento nos últimos anos, ele ainda vive um estigma causado pela falta de contato presencial entre professor e aluno — mas existem outras formas de promover essa interação;

Nesse sentido, a plataforma digital de aprendizagem é um ambiente onde essa interação pode acontecer, por meio de conversas em vídeo ou fóruns de discussão, por exemplo. Através dela, também é possível disponibilizar o podcast como ferramenta educacional.

4 Vantagens da aplicação do podcast como ferramenta educacional

Na educação, o podcast traz uma perspectiva diferenciada: por meio dele, o docente pode propor a criação de conteúdo a difusão de conhecimento científico e a informação atualizada e constante sobre as novidades na área de interesse.

Também é uma forma de manter os alunos e docentes atualizados das notícias e do contexto social, econômico e cultural que eles estão vivendo, o que, por sua vez, impacta a área de estudo em que se especializam.

A inserção de podcast dentro da sala de aula tem diversas vantagens para o professor: é por meio dele que novos diálogos são abertos e estratégias educacionais podem ser implementadas de formas muito facilitadas e cada vez mais diversas.

Vamos apresentar, agora, alguns benefícios da inclusão do podcast como ferramenta educacional.

1. Aplicação de metodologias ativas

Uma das inovações educacionais que tem ganhado espaço nos últimos anos é a inserção de metodologias ativas no ensino superior. Essas metodologias buscam colocar o aluno como protagonista e agente em seu próprio aprendizado. Ao invés do modelo tradicional em que o professor lidera aulas expositivas e o aluno apenas escuta, nas metodologias ativas ele faz parte na geração de conhecimento.

Há diferentes formas de executar metodologias ativas, desde aprendizagem baseada em projetos até a sala de aula invertida, em que o aluno tem uma base do conteúdo antes de chegar a aula expositiva.

Aqui, os podcasts são bons exemplos, já eles podem funcionar como uma prévia do conteúdo que vai ser abordado ou também como projetos e atividades a serem realizadas em grupos. Nesse contexto, os podcasts também funcionam como uma rede de difusão de informações que os alunos podem explorar durante a disciplina, para entender como e quando outras pessoas aprendem.

2. Captação do interesse de nativos digitais

A maior parte dos alunos atualmente matriculados no ensino superior está na geração conhecida como millennials ou geração Z. Isso significa que são nativos digitais, ou seja, pessoas que cresceram ou nasceram dentro da realidade digital contemporânea.

Os podcasts se popularizaram nos últimos anos, principalmente considerando que a maior parte das pessoas acessam a internet por meio de smartphones, dispositivos ideais para escutar os episódios, não importa onde esteja. 

Hoje, muito do acesso à internet no Brasil é realizado via celulares, o que faz toda a diferença no conteúdo consumido:

“Entre 2017 e 2018, o percentual de pessoas de 10 anos ou mais que acessaram a internet pelo celular passou de 97% para 98,1%. O aparelho é usado tanto na área rural, por 97,9% daqueles que acessam a internet, quanto nas cidades, por 98,1%.”  (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua — Tecnologia da Informação e Comunicação, realizada pelo IBGE e divulgada pela Agência Brasil).

Como os podcasts são geralmente arquivos mais rápidos de serem baixados e podem ser assinados num formato de feed, eles ficam sempre visíveis e novos episódios se destacam para os ouvintes. 

Dessa forma, muitos deles já começaram a criar uma rotina, definindo quais dias da semana escutam quais episódios. Existe, por isso, uma preferência por podcasts diários, semanais ou quinzenais e até mesmo por durações específicas: os favoritos dos brasileiros costumam ser episódios curtos de até 30 minutos, mas há mesas redondas de até 2 horas que também conquistaram seu nicho.

3. Learn from anywhere

Com toda essa facilidade, o uso do podcast como ferramenta educacional é estimulado. 

Uma das barreiras presentes na educação é a dificuldade do acesso físico e intelectual aos espaços do ensino superior. Significa, por exemplo, que pessoas de zonas rurais ou de baixa renda não necessariamente conseguem frequentar as faculdades e fazer melhor uso de todos os recursos, mesmo quando estão matriculadas. 

Desde bibliotecas até aulas extracurriculares, muitas vezes os alunos que precisam trabalhar em tempo integral ou moram distantes dos polos educacionais acabam perdendo parte dos recursos que a instituição tem a oferecer.

Os educadores ainda precisam, portanto, quebrar essas barreiras e priorizar a inclusão. Promovendo maior acessibilidade na educação superior.

O conceito learn from anywhere (no português: aprenda de qualquer lugar) faz toda diferença para esse tipo de aluno. Além de promover sua inclusão, os podcasts permitem que mais pessoas tenham acesso ao conhecimento.

4. Diversidade de focos

Uma das chaves para a identificação do ouvinte com os locutores é a parte democrática dos podcasts. Há programas feitos por veículos de mídia, mas também há produtores independentes e até IESs que lançam seus próprios podcasts.

Também é uma mídia que abre espaço para vozes diversas, o que, por sua vez, faz com que o público se identifique mais com a experiência abordada e a forma de enxergar o mundo. Nesse sentido, é uma ótima oportunidade para diversificar a bibliografia para além dos cânones acadêmicos e incentivar os alunos a conhecer mais perspectivas.

Leia também: Veja os benefícios da utilização da multimídia e hipermídia na educação

11 Dicas de podcasts como ferramenta educacional

Com todas as vantagens que um podcast pode trazer para uma disciplina, muitos docentes têm inserido episódios em suas bibliografias ou até mesmo como sugestão de entretenimento e informação para seus alunos.

Nas IES eles são, ao mesmo tempo, um conteúdo já acessível para os alunos e uma forma de difundir novos conhecimentos. Para ajudar os docentes a escolher podcast como ferramenta educacional, trouxemos algumas dicas de programas que valem a pena ser escutados.

Confira-as a seguir!

1. Ciência USP

Um podcast dedicado às descobertas, debates e novidades do mundo da ciência. É publicado quinzenalmente, às terças-feiras, pela equipe da editoria de ciências do Jornal da USP.

Episódio para conhecer: #19 Como nosso cérebro consegue aprender? 

2. Sinapse

Sinapse é o podcast oficial do Ciência Todo Dia. Apresentado por Pedro Loos e Greg de Souza, os episódios exploram curiosidades, fatos interessantes (mas muitas vezes aleatórios) e discussões hipotéticas.

Episódio para conhecer: #44 A aceleração exponencial da tecnologia 

3. Rádio escafandro

Com uma hora de duração, os episódios são um mosaico de entrevistas inéditas, gravações em campo e áudios de arquivo, costurados pela narração do jornalista Tomás Chiaverini.

Episódio para conhecer: #35 Planeta plástico

4. Ciência suja

O podcast conta histórias de fraudes científicas que geraram grandes prejuízos para a sociedade. E mostra como a própria ciência resolveu esses crimes. O projeto é fruto da parceria entre a produtora audiovisual NAV Reportagens e os jornalistas especializados na área de saúde e divulgação científica, Thais Manarini e Theo Ruprecht.

Episódio para conhecer: AIDs, epidemia de preconceito

5. Vidas negras

Vidas negras importam. E, aqui, elas são celebradas. No Vidas Negras, o jornalista Tiago Rogero analisa e entrelaça a trajetória e a obra de personalidades da história e da atualidade.

Episódio para conhecer: A educação liberta

6. Próxima parada

Produzido pela Spotify em parceria com a Agência Mural de Jornalismo das Periferias, o Próxima Parada é um podcast jornalístico diário sobre o que acontece nas periferias do Brasil e, em especial, da região metropolitana de São Paulo. 

De forma descomplicada e com episódios curtos, apresenta histórias, notícias e relatos sobre os mais diversos temas, como educação, emprego, saúde, segurança, habitação, cultura e lazer, e conta com a participação da rede de correspondentes da Mural, formada por mais de 70 profissionais da comunicação que vivem nas periferias.

Episódio para conhecer: Victor Tapuya, o menino que leva cultura indígena a escolas

7. O assunto

Um grande assunto do momento discutido com profundidade. Renata Lo Prete conversa com jornalistas e analistas do Grupo Globo para contextualizar, explicar e trazer um ângulo diferente dos assuntos mais relevantes do Brasil e do mundo, além de contar histórias e entrevistar especialistas e personagens diretamente envolvidos na notícia.

Episódio para conhecer: Violência obstétrica: como se proteger?

8. 451 MHz

Um programa sobre livros, com as novidades das livrarias, entrevistas com grandes autores, notícias e informação para o leitor de livros no Brasil. Apresentação do editor da revista literária Quatro cinco um, Paulo Werneck.

Episódio para conhecer: #45 Duas vezes Lina

9. Noites gregas

Para fãs de mitologia grega e exploradores da tradição, o professor Claudio Moreno aborda as histórias dos heróis e anti heróis mais célebres dessa cultura. De forma leve e narrativa, o podcast nos aproxima de mitos já conhecidos e aprofunda os desconhecidos.

Episódio para conhecer: #24 Hades e Héstia: os esquecidos

10. Astronomia em meia hora

Um podcast com uma linguagem simplificada que tenta te ajudar a montar o quebra-cabeça do universo. Perfeito para explorar novas ideias e contextualizar nossas dúvidas em tom leve e fácil de entender, com o apoio de especialistas curiosos.

Episódio para conhecer: Como a astronomia sabe o que sabe?

11. Saraiva Educação Cast

Este é o podcast da equipe Saraiva Educação, preparado para auxiliar professores e coordenadores de IES em suas estratégias educacionais. Os episódios são dedicados a apresentar metodologias, tecnologia, marcos regulatórios, gestão de instituições e outros assuntos do universo da educação.

Todo mês, um especialista é convidado para abordar temas relacionados ao ensino superior. Clique abaixo para conferir um de nossos episódios!

Esperamos que tenha gostado deste texto sobre podcast como ferramenta educacional! Que tal aproveitar e conferir este outro conteúdo, sobre melhoria da experiência do aluno?

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!