Qual curso escolher: 11 estratégias para auxiliar futuros estudantes

Saiba como auxiliar futuros estudantes a tomarem a decisão correta na hora de saber qual curso escolher com essas 11 estratégias!
Qual curso escolher: fotografia de uma mulher pensativa olhando para um computador

O questionamento em relação a qual curso escolher paira sobre todos os estudantes que estão prestes a ingressar no ensino superior. A boa notícia é que a sua instituição pode ajudá-los nesta missão, com ações que, ao mesmo tempo, contribuem para a captação de alunos e prevenção contra a evasão de alunos.

Dentre essas ações, está a oferta de testes vocacionais, a participação em feiras de profissões e até mesmo orientações de carreira

Estas são maneiras de atuar na jornada do aluno com precisão desde o primeiro momento, em que o foco é a captação de leads.

Neste artigo, daremos um total de 11 dicas para a sua instituição de educação superior (IES) apoiar os estudantes neste momento que gera tanta dúvida e ansiedade, que é a escolha de um curso superior.

Tenha uma boa leitura!

Qual curso escolher: entenda como a sua IES pode atuar!

O momento de escolher uma faculdade é bastante desafiador, sobretudo para as pessoas que não têm a mínima noção sobre qual carreira seguir.

Esta é uma preocupação bastante fundamentada. Optar pelo curso errado pode implicar não só em perder tempo, mas também se envolver em um investimento financeiro sem retorno.

O ingresso na faculdade costuma representar um marco na vida do estudante que conclui o ensino médio. Ele vê diante de si a oportunidade de tomar decisões que podem ser determinantes para o seu futuro e o início da sua vida profissional.

Ou seja, trata-se de um momento que é empolgante e, na mesma medida, gerador de certa apreensão. Definir a área de estudo exige, portanto, bastante reflexão, para que se aumentem as chances de uma escolha bem-sucedida.

Leia também: 8 passos para desenvolver o marketing educacional em sua IES

Confira 11 estratégias para definir qual curso escolher

Conhecer o próprio perfil e entender as condições do mercado são alguns fatores que devem nortear a escolha do futuro profissional. Mas essa tomada de decisão envolve, na verdade, vários outros aspectos — vamos falar sobre todos eles a seguir!

1. Incentive o autoconhecimento

O autoconhecimento é um ponto-chave para qualquer decisão de nossas vidas. Se queremos ter sucesso e realização pessoal, precisamos saber o que nos motiva.

O estudante que está em dúvida sobre qual curso escolher precisa conseguir identificar os seus pontos fortes, propósitos e objetivos de longo prazo. É importante desconstruir também convicções capazes de limitar o seu potencial. 

A própria Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do novo ensino médio apresenta, em sua oitava competência, a importância do autoconhecimento e do autocuidado. São formas de o estudante conhecer melhor a si mesmo, compreender o seu papel na diversidade humana e na relação com o meio ambiente.

Isso significa que a consciência pessoal, a consciência social e a consciência ambiental devem ser estimuladas desde a educação básica.

Ter o controle de si é imprescindível para a execução de tarefas complexas, como pensar nos outros, gerenciar incertezas ou conduzir outras pessoas, enquanto líder.

Mas, o que a sua IES pode fazer para ajudar o estudante a se conhecer melhor?

Uma possibilidade interessante é promover eventos abertos ao público, como palestras e workshops, com profissionais de diferentes áreas. Permitir aos estudantes nesse processo decisório que conheçam melhor o trabalho de profissionais formados e atuantes no mercado pode ajudar em sua escolha.

Esses profissionais podem não só compartilhar o seu escopo de atuação, mas também o que os motivou a escolherem o curso em que se formaram, quais foram as suas inseguranças na hora de tomar essa decisão e o que fizeram para contorná-las.

2. Disponibilize testes vocacionais

Sabemos o quanto pode ser difícil se identificar com apenas uma área ou carreira entre as inúmeras possibilidades que o mercado oferece. Outra forma de auxiliar os estudantes que estão decidindo qual curso escolher é disponibilizar um teste vocacional de forma online.

Trata-se de um instrumento que avalia as características de uma pessoa para indicar opções de carreiras que tenham match com suas características. Em outras palavras, ele auxilia para identificar o perfil dos ingressantes no ensino superior.

Para tanto, este tipo de teste leva em consideração qualidades e aptidões do estudante, para apresentar resultados que os levem a refletir sobre os cursos mais compatíveis.

Como trabalham com estímulos que ajudam as pessoas a pensarem em valores pessoais e interesses, os testes vocacionais envolvem também o autoconhecimento, de que falamos anteriormente.

Naturalmente, não há uma fórmula mágica que revelará a carreira perfeita para uma pessoa. No entanto, o teste evidencia as principais características do estudante e o ajuda a utilizá-las a seu favor na hora da escolha.

Portanto, oferecer um teste vocacional que ajude os alunos a descobrir seus pontos fortes e potencial profissional pode representar um diferencial interessante para a sua IES.

Disponibilizar gratuitamente esta ferramenta ajuda o aluno a construir uma imagem positiva da sua IES e do suporte que ela oferece aos estudantes, desde o início de sua trajetória acadêmica.

Ou seja, gera valor e pode ser mais uma possível porta de entrada para a instituição.

3. Veicule informações sobre a área

Depois de o potencial estudante da sua IES concluir o teste vocacional e receber o seu resultado, chegou a hora de oferecer informações detalhadas sobre o curso e/ou a área indicada no resultado.

Ainda que haja cursos de graduação, bacharelado e até mesmo tecnólogos bastante específicos, é importante que o aluno entenda as oportunidades profissionais que eles podem apresentar. Em outras palavras, é importante mostrar aos futuros ingressantes como garantir a empregabilidade.

Por isso, forneça informações sobre as áreas de atuação disponíveis para os diferentes cursos oferecidos em sua IES. Mostre que ao concluir um curso de nutrição, por exemplo, é possível atuar em clínicas, instituições de ensino, academia, indústrias e empresas de diferentes setores, além da área acadêmica.

Explique quais são as atividades-chave na rotina deste profissional, como orientações dietéticas, controle de qualidade em estabelecimentos, atuação como professor em cursos técnicos, etc.

Ao entender um pouco mais as possibilidades que o curso lhe reserva, o estudante conseguirá fazer uma escolha mais segura e confiante quanto à sua formação.

Vale sempre lembrar também que, além da faculdade em si, cursos complementares, treinamentos e programas voltados à área escolhida também poderão ser recursos úteis para ajudar o profissional a se especializar ainda mais no campo que escolher, reforçando a sua qualificação.

Leia também: Saiba quais são os cursos com maior empregabilidade no Brasil

4. Faça ou participe de feiras de profissão

As feiras de profissão são bastante procuradas por aqueles que estão se perguntando qual curso escolher e querem ficar por dentro do mercado de trabalho.

Então, é fundamental que a sua IES marque presença nestes eventos ou os realize internamente. Eles ajudam os futuros estudantes universitários a se inteirar melhor sobre as opções que os agradam (tanto de cursos quanto de IES) e obter informações sobre elas.

Anual, este tipo de evento é perfeito para que eles façam um primeiro contato com as instituições, entendendo melhor sobre a sua infraestrutura educacional e aproximando-se do ambiente acadêmico.

Promover feiras de profissão na própria IES é interessante para que os alunos conheçam as salas de aula, circulem pelo campus e interajam com os seus possíveis professores e colegas.

Mais do que isso, a instituição pode realizar uma série de atividades, como palestras, oficinas, workshops e até atividades de orientação vocacional, para promover maior interação com o público participante.

Criar um ambiente descontraído e leve, que ajude o aluno a aliviar um pouco a tensão do vestibular, é sempre uma boa ideia.

5. Dê informações sobre o mercado de trabalho

Para decidir qual curso escolher, sem dúvidas é preciso estar por dentro do mercado de trabalho.

A sua IES pode contribuir bastante com este tipo de informação, enviando notícias, relatórios de tendências, vídeos e outros materiais por e-mail para os alunos que concluírem o teste vocacional, por exemplo.

Outras informações relevantes são:

  • a média de horas trabalhadas por profissionais que atuam na área, 
  • a faixa salarial, 
  • a localização das empresas,
  • as habilidades que valorizam.

6. Apresente cada uma das modalidades oferecidas pela IES

O ensino superior a distância se tornou bastante popular nos últimos anos, principalmente diante do cenário de pandemia e da necessidade de isolamento social.

Diante disso, muitos estudantes devem estar se perguntando: que modalidade de ensino devo escolher? O que preciso levar em conta para esta decisão?

Cabe à sua IES apresentar o máximo de informações possível sobre as modalidades que oferece.

Educação Presencial

Deixe bem explicado que, ao escolher aulas presenciais, o aluno deverá ir diariamente até a instituição, cumprindo horários fixos para assistir às aulas, realizar provas, etc. Esta é uma boa escolha para aqueles que valorizam uma convivência mais próxima com colegas e professores.

Explique que o estudante tem a possibilidade de interagir intensamente com a comunidade acadêmica ao optar por este tipo de modalidade. Mas que, naturalmente, ela exige um comprometimento maior com horários e pode demandar um investimento mais considerável também (que ainda inclui transporte e alimentação diários).

A sua IES só tem a ganhar com a disseminação destas informações, uma vez que mostra seu comprometimento em ajudar o estudante a escolher da melhor maneira possível.

Isso também contribui, certamente, para o aumento da retenção de alunos no ensino superior.

Educação a distância

Como você bem sabe, a pandemia aumentou expressivamente a busca pela modalidade de ensino a distância, que vem crescendo em ritmo bastante acelerado.

Um estudo realizado pelo Censo da Educação Superior, em parceria com o Ministério da Educação, indica que o número de alunos ingressantes em cursos a distância já deve ultrapassar o presencial no próximo ano.

Segundo a pesquisa, entre 2009 e 2019, as matrículas nesta modalidade aumentaram 378,9%

Outro estudo, realizado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), mostrou que a busca por cursos online cresceu cerca de 59% entre os anos de 2020 e 2021.

A mesma pesquisa indicou que cursos da área da saúde estão entre os mais buscados, independentemente da modalidade escolhida (presencial ou a distância).

Profissionais que já atuavam na área, como técnicos de enfermagem, por exemplo, viram que poderiam se tornar mais valorizados pelo mercado de trabalho.

Dados da 11ª edição do Mapa do Ensino Superior 2021, divulgados pelo Instituto Semesp, mostraram ainda um crescimento de 9,8% da educação a distância no primeiro semestre deste ano, considerando apenas as matrículas realizadas em universidades privadas do país.

Em paralelo, os números de busca por aulas presenciais tiveram uma queda de 8,9% no mesmo período. Este contexto mostra que muitos estudantes precisam conciliar os estudos com outras atividades e, por isso, buscam por mais flexibilidade.

Híbrido

A sua instituição de ensino já oferece cursos híbridos? Se ainda não, talvez tenha chegado a hora de considerar esta possibilidade, que pode pesar na escolha de quem está em dúvida sobre qual curso escolher.

Cursos híbridos são aqueles que mesclam as modalidades presencial e a distância.

Este formato pode ser especialmente interessante para aqueles interessados em uma convivência mais próxima com professores e outros alunos, mas aproveitar também o conforto de estudar em casa.

Trata-se de uma modalidade semipresencial, composta por um percentual de carga horária que deve ser cumprido presencialmente, no polo EaD, e outro percentual a ser cumprido de forma remota.

É comum que os cursos híbridos ofereçam mais atividades a distância do que presenciais, o que é positivo para quem dispõe de pouco tempo para locomoção.

As aulas presenciais costumam acontecer de uma a duas vezes por semana, sendo que há IESs que as oferecem a cada 15 dias.

Muitos cursos híbridos seguem a dinâmica da sala de aula invertida, em que o professor destina o encontro presencial para a construção coletiva do conhecimento, a partir de conteúdos estudados previamente pelos alunos.

Neste caso, o educador se torna um mediador do encontro, e não mais um expositor.

Leia também: Saiba o que é e como funciona o vestibular digital

7. Apresente a grade curricular

Quem está em dúvida sobre qual curso escolher certamente buscará saber em detalhes sobre a grade curricular oferecida. Por isso, é imprescindível apresentar informações sobre o programa do curso no site da instituição.

Oferecer o material em PDF, para os interessados em baixá-lo, é, inclusive, uma forma de gerar leads para as ações de marketing da IES.

Indique as disciplinas que compõem a matriz curricular, para que o estudante entenda exatamente qual é o enfoque do curso. Este é um modo de evitar possíveis frustrações e se prevenir contra a evasão de alunos.

Também é interessante apresentar os professores responsáveis por ministrá-las, assim como a carga horária das aulas ao longo do semestre. Trazer algumas informações sobre a bibliografia básica do curso pode ser a cereja do bolo.

Assim, os estudantes poderão checá-la previamente, entender se há estágios obrigatórios. Além disso, podem buscar outras informações que o apoiarão no entendimento sobre o conteúdo do curso e sobre as competências e habilidades pedagógicas trabalhadas.

8. Melhore a reputação da instituição

Quando um estudante está pesquisando qual curso escolher e em que instituição de ensino ingressar, a reputação da IES pode ser determinante em seu processo de escolha.

Neste processo, ele poderá levar em consideração vários aspectos relacionados à avaliação do MEC (Ministério da Educação) e a outros fatores relacionados ao corpo docente. Vamos explicar cada um deles a seguir.

Selo de aprovação do MEC

Como você sabe, o MEC avalia anualmente critérios específicos de qualidade nas IES de todo o país e nos cursos de graduação que oferecem.

A partir disso, estes cursos podem ou não ser aprovados para oferta ao público.

Um diploma reconhecido pelo MEC é fundamental para a inscrição em concursos públicos que exigem curso superior, para o registro em conselhos de classe de profissão, assim como para o ingresso em programas de pós-graduação de diferentes instituições de ensino.

Por isso, destaque em seus canais de comunicação que os cursos ofertados pela sua IES possuem este reconhecimento e destaque o quanto a instituição está sempre alinhada às diretrizes do Ministério da Educação.

Indicadores de qualidade

Existem também critérios de qualidade que os alunos podem buscar quando estão pesquisando qual curso escolher, como o Índice Geral de Cursos (IGC). Esta nota é um dos instrumentos utilizados pelo governo federal para compreender o desempenho das IES do país.

É construída a partir de uma média ponderada das notas dos cursos de graduação e pós-graduação de cada instituição.

Sendo assim, fique de olho também em como está a classificação da sua IES e se há pontos de melhoria para a instituição a partir deste indicador.

Corpo docente

A qualificação do corpo docente também é um ponto que chama a atenção dos alunos que estão prestes a ingressar em um curso universitário.

Os educadores guiarão toda a formação destes estudantes. Então, é natural que eles queiram conhecer a sua bagagem profissional e experiências acumuladas. Estas informações também podem estar presentes nos programas de cursos disponibilizados no site da sua IES.

Indique a formação dos docentes, quais disciplinas lecionam, há quanto tempo atuam na área, seu envolvimento em projetos de pesquisa, experiências prévias etc.

Leia também: Confira 8 competências do professor do futuro e como a sua IES pode capacitá-lo

9. Faça convênios com programas de estágio

Muitos cursos de graduação exigem a realização de estágio. 

Neste sentido, a IES pode estabelecer parcerias com empresas para facilitar o acesso dos estudantes a essas experiências, que em muitos casos são o seu primeiro contato com o mercado de trabalho.

10. Apresente as atividades extracurriculares disponíveis

A sua instituição de ensino oferece atividades extracurriculares? Se sim, quais?

Responder a essas perguntas também ajuda o aluno que está em dúvida sobre qual curso escolher. Este tipo de atividade promove a integração entre os alunos e podem complementar de forma prática e prazerosa os conhecimentos transmitidos nas salas de aula.

Mais do que um atrativo para tornar a rotina dos estudantes mais dinâmica e interativa, as atividades extracurriculares podem ainda representar um diferencial para o currículo profissional dos alunos.

Empresa júnior

As empresas júnior, por exemplo, são associações civis sem fins lucrativos que enchem os olhos tanto de estudantes do ensino superior quanto de empresas.

Instituições de educação que oferecem este tipo de iniciativa ganham pontos com os alunos mais engajados, que desejam usufruir das experiências universitárias plenamente.

As empresas júnior aproximam o corpo discente do mercado de trabalho, favorecendo o seu desenvolvimento pessoal, acadêmico e profissional. 

Como não visam lucro, chamam a atenção também de empresas externas que contratam os seus serviços, já que estas sabem que receberão um trabalho de alta qualidade, supervisionado por professores experientes. 

Além disso, o investimento por parte delas será baixo, uma vez que as empresas júnior não têm o lucro como objetivo. Já a sua IES possui um grande retorno em imagem institucional com este tipo de iniciativa.

Outras atividades extracurriculares

Outros tipos de atividades extracurriculares que a sua IES pode oferecer são:

  1. Grupos esportivos de diferentes modalidades;
  2. Atividades artísticas, envolvendo música, dança, teatro etc.;
  3. Parcerias com universidades no exterior para a realização de programas de intercâmbio;
  4. Projetos de pesquisa e iniciação científica.

11. Tornar sua IES uma referência

Você sabe bem que escolher dentre as diversas instituições de ensino pode ser uma tarefa complexa e demorada para os estudantes que estão prestes a ingressar no ensino superior.

Justamente por isso, é muito importante que a sua IES se destaque como uma referência no mercado educacional.

Ao mesmo tempo em que o aluno se questiona sobre qual curso escolher, ele precisa eleger a IES com que mais se identifica para vivenciar este marco em sua trajetória: começar um curso superior.

A aparição de novos modelos de negócio, o aumento do número de instituições privadas e a expansão da modalidade de educação a distância, de que falamos, estão entre as mudanças expressivas pelas quais o mercado educacional vem passando.

A competitividade é alta. Por isso, é preciso trabalhar para destacar os diferenciais da sua instituição através de estratégias de marketing educacional.

Marketing de conteúdo para IES

Motivos não faltam para a sua instituição de ensino investir em marketing de conteúdo para educação. Além dos que citamos anteriormente, você também pode incluir no checklist:

  1. Fortalecer o relacionamento com os alunos;
  2. Aumentar a captação de potenciais estudantes;
  3. Transmitir credibilidade e confiança;
  4. Mensurar resultados com facilidade;
  5. Estar sempre presente na internet: 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Mas, afinal, do que se trata o marketing de conteúdo?

Trata-se de uma estratégia que visa à produção e distribuição de conteúdos educativos para o seu público-alvo (neste caso, o aluno que está buscando informações sobre qual curso escolher), no exato momento em que ele procura.

Considere um estudante que está pesquisando na internet as possibilidades de curso de graduação que mais têm a ver com seu perfil, por exemplo. É neste instante que o blog da sua instituição de ensino deve aparecer para este usuário, apresentando um conteúdo que esclareça as suas dúvidas.

Para alcançar este objetivo, é necessário compreender uma série de fatores sobre o funcionamento dos buscadores na internet (como Google) e sobre o funil de captação de alunos.

Para iniciar seus estudos sobre o tema, clique aqui!

Qual curso escolher: bacharelado, licenciatura ou curso tecnólogo?

Outro ponto fundamental para quem está em dúvida sobre qual curso escolher é entender as diferenças entre bacharelado, licenciatura e tecnólogo.

Deixe bem explanado, em sua estratégia de comunicação, quais destes formatos de curso a sua instituição oferece e as principais diferenças entre eles, de que falaremos a seguir!

Bacharelado

Esta é a formação superior tradicional, cuja duração varia de quatro a seis anos. 

O bacharel estuda todas as disciplinas que estão no escopo da profissão escolhida, de forma a adquirir um conhecimento mais superficial a respeito de todas as áreas relacionadas.

Deste modo, torna-se qualificado para atuar em diversas frentes, com a possibilidade de realizar um curso de aperfeiçoamento ou pós-graduação para se especializar.

Trata-se da modalidade ideal para aqueles que desejam construir um conhecimento profissional mais amplo e ter diferentes possibilidades de carreira.

Como pode se especializar no tema que lhe chamar mais a atenção, este profissional possui mais flexibilidade para realizar uma mudança de carreira, se desejar.

Licenciatura

Os cursos de licenciatura possuem a mesma duração dos de bacharelado. Contudo, são direcionados a profissionais cujo objetivo é ministrar aulas na educação básica (ensinos fundamental e médio).

A diferença curricular entre o bacharelado e a licenciatura está na presença de disciplinas de cunho pedagógico nos cursos de licenciatura.

Lembrando que bacharéis não são hábeis a ministrar aulas na educação básica.

Já o aluno formado em licenciatura apresenta esta possibilidade e pode também mudar de área ao fazer uma pós-graduação, por exemplo, dando enfoque à pesquisa ou atuando de forma mais técnica em seu campo de conhecimento.

Tecnólogo

A característica principal dos cursos tecnólogos é o seu foco em uma área de atuação específica. Para ingressar neste formato de curso, é preciso ter concluído o ensino médio.

Apesar de se tratar de uma formação superior, a sua duração é menor, em relação aos cursos de bacharelado e licenciatura, ficando entre dois e três anos. O motivo disso é justamente o fato de os cursos tecnólogos possuírem uma abordagem mais direcionada à área escolhida. Ou seja, não generalista.

Eles são o tipo de curso ideal para aqueles que já estão certos sobre o trabalho específico que desejam exercer dentro de uma determinada área.

Esperamos que este conteúdo sobre qual curso escolher tenha sido útil. Aproveite também para conferir também 7 ações comerciais para captação de alunos!

Você também pode gostar

Curso de Direito EaD?
A Saraiva Educação preparou várias trilhas de aprendizado explicar como implementar na sua IES.

Artigos em destaque

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deseja manter-se sempre atualizado? Receba quinzenalmente uma seleção de materiais sobre a educação superior — é só informar seu melhor endereço de e-mail!